Preço de Zypred em Wilmington/SP: R$ 32,87

Bula do paciente Bula do profissional

Zypred
(Bula do profissional de saúde)

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

Atualizado em 12/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

ZYPRED®
gatifloxacino + acetato de prednisolona
Suspensão Oftálmica Estéril

APRESENTAÇÕES

Suspensão Oftálmica Estéril
Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml ou 6 ml

VIA DE ADMINISTRAÇÃO TÓPICA OCULAR
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada ml (22 gotas) contém:

gatifloxacino 3 mg (0,12 mg/ gota1)
acetato de prednisolona 10 mg (0,41 mg/ gota1)

Veículo: cloreto de benzalcônio como conservante, ácido clorídrico2, fosfato de sódio dibásico diidratato, fostato de potássio monobásico, edetato dissódico, hipromelose, ácido clorídrico2 e hidróxico de sódio para ajuste de pH e água purificada q.s.p.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE3

INDICAÇÕES

ZYPRED® é indicado para o tratamento e prevenção das infecções4 e inflamações5 oculares em pacientes submetidos a cirurgias oculares.

RESULTADOS DE EFICÁCIA

Foi realizado um estudo aberto, comparativo, prospectivo6, longitudinal, para avaliar a eficácia e segurança da combinação fixa de gatifloxacino a 0,3% + acetato de prednisolona a 1,0%, em comparação com a aplicação da combinação de duas soluções oftálmicas apresentadas em separado, contendo ciprofloxacino a 0,3% e prednisolona a 0,5%, em pacientes diabéticos aparentemente estáveis, submetidos a vitrectomia. Ao terminar o estudo, o uso da combinação fixa de gatifloxacino + prednisolona (Grupo A) permitiu uma redução do crescimento de bactérias em 27,3% em comparação com 22,7% permitido pelo uso do ciprofloxacino + prednisolona (Grupo B).1

Os resultados mostraram os seguintes graus de inflamação7: – No grupo A, na avaliação inicial, a inflamação7 em 28% dos pacientes estava ausente, em 66% era leve e em 6% moderada; ao final do estudo, na semana 4, nenhum caso apresentava inflamação7. – No grupo B, na avaliação inicial, a inflamação7 em 45% estava ausente, em 50% era leve e em 5% moderada; ao final do estudo, na semana 4, 5% continuava com inflamação7. Os resultados obtidos neste estudo comprovam que a combinação fixa do gatifloxacino a 0,3% + acetato de prednisolona a 1,0 % é mais eficaz do que a combinação do ciprofloxacino + prednisolona para controlar a inflamação7 e para evitar a presença de infecção8 no pós-operatório de pacientes diabéticos submetidos a vitrectomia.

Em outro estudo, duplo-mascarado, randomizado9, de grupos paralelos, a associação de gatifloxacino 0,3% com acetato de prednisolona 1,0% suspensão oftálmica foi comparada com a administração isolada de gatifloxacino 0,3% e acetato de prednisolona 1,0% na prevenção de infecção8 e inflamação7 ocular pós-cirúrgica. Após o período de tratamento, 15±2 dias, não foi encontrada diferença estatisticamente significante entre os grupos na avaliação da variável de eficácia principal [percentual de olhos10 com escore zero de infecção8/inflamação7 ocular pós-cirúrgica] e secundária [verificação da correção da acuidade visual11]. É possível afirmar que o objetivo principal deste estudo foi alcançado quando se observou que ambos os grupos foram capazes de prevenir em 100% a ocorrência de inflamação7 e infecção8 pós-cirúrgica.2 Os estudos de avaliação do potencial mutagênico da prednisolona foram negativos.

  1. Hernández-López A, Verdiguel-sotelo K. Eficacia y seguridad de la combinación fija de gatifloxacino al 0,3% + acetato de prednisolona al 1,0% versus la aplicación en combo de ciprofloxacino al 0,3% y prednisolona al 0,5% en pacientes con retinopatia diabética12 sometidos a vitrectomía. Data on file Allergan S.A. de C. V. [Mexico] 2009.
  2. Mattos Jr. RB, Muccioli C., Campos M., Malta JBNS., Júnior J B B, Gerade RA, Líbera RD, Siqueira AC P, Salame AL A. Estudo duplo mascarado, randomizado9, de grupos paralelos, para avaliação de não inferioridade da associação de Gatifloxacino 0,3% com Acetato de Prednisolona 1,0% colírio13 comparada com a administração isolada de Gatifloxacino 0,3% e Acetato de Prednisolona 1,0% na prevenção de infecção8 e inflamação7 ocular pós-cirúrgica. Relatório de Estudo. Protocolo 9890X-001. Data Agosto 2009. Data on File Allergan Produtos Farmacêuticos [Brasil].

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

ZYPRED® é uma suspensão oftálmica isotônica14, não tamponada, estéril, opaca e de coloração esbranquiçada. Um dos componentes da associação é o gatifloxacino, que corresponde à 8-metoxi fluoroquinolona, um antiinfeccioso para uso tópico15 ocular de amplo espectro de atividade antiinfecciosa. O gatifloxacino é uma 8-metoxi fluoroquinolona com um substituinte 3-metilpiperazina em C7. A atividade antibacteriana do gatifloxacino resulta da inibição da DNA girase e topoisomerase IV. A DNA girase é uma enzima16 essencial que é envolvida na replicação, transcrição e reparação do DNA bacteriano. A topoisomerase IV é uma enzima16 conhecida por desempenhar um papel importante na divisão do DNA cromossômico durante a divisão da célula17 bacteriana.

O mecanismo de ação das fluoroquinolonas, incluindo o gatifloxacino, é diferente do mecanismo de outros antibióticos como os aminoglicosídeos, macrolídeos e tetraciclinas. Portanto, o gatifloxacino pode ser ativo contra agentes patogênicos que são resistentes a esses antibióticos e esses antibióticos podem ser ativos contra agentes patogênicos que são resistentes ao gatifloxacino.

Foi demonstrado que o gatifloxacino é ativo contra a maior parte das cepas18 dos seguintes microorganismos tanto in vitro quanto clinicamente em infecções4 conjuntivais.

  • Gram-positivos aeróbios: Corybacterium propinquum*, Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Streptococcus mitis*, Streptococcus pneumoniae.
  • Gram-negativos aeróbios: Haemophilus influenzae.

(*) A eficácia para estes microorganismos foi estudada em menos de 10 infecções4.

A segurança e a eficácia do gatifloxacino no tratamento de infecções4 oculares devidas aos seguintes microorganismos não foram estabelecidas em estudos clínicos adequados e bem controlados. O gatifloxacino se mostrou ativo in vitro contra a maioria das cepas18 desses microorganismos, mas o significado clínico em infecções4 oculares é desconhecido.

Os seguintes microorganismos são considerados sensíveis quando avaliados utilizando parâmetros sistêmicos19. Entretanto, não foi estabelecida uma correlação entre os parâmetros sistêmicos19 in vitro e a eficácia em infecções4 oculares. A seguinte relação de microorganismos é fornecida apenas como guia para avaliar o potencial tratamento de infecções4 conjuntivais. O gatifloxacino apresenta concentrações inibitórias mínimas (CIMs) in vitro de 2µg/ml ou menos (parâmetro sensível sistêmico20) contra a maioria (≥ 90%) das cepas18 dos seguintes agentes patogênicos oculares:

  • Gram-positivos aeróbios: Listeria monocytogenes, Staphylococcus saprophyticus, Streptococcus agalactiae, Streptococcus pyogenes, Streptococcus viridans (grupo), Streptococcus Grupos C, F, G. Gram-negativos aeróbios: Acinetobacter lwoffii, Enterobacter aerogenes, Enterobacter cloacae, Escherichia coli, Citrobacter freundii, Citrobacter koseri, Haemophilus parainfluenzae, Klebsiella oxytoca, Klebsiella pneumoniae, Moraxella catarrhalis, Morganella morganii, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitides, Proteus mirabilis, Proteus vulgaris, Serratia marcescens, Vibrio cholerae, Yersinia enterocolitica
  • Microorganismos anaeróbios: Bacteroides fragilis, Clostridium perfringens.
  • Outros microorganismos: Chlamydia pneumoniae, Legionella pneumophila, Mycobacterium marinum, Mycobacterium fortuitum, Mycoplasma pneumoniae.

O outro componente da fórmula do produto ZYPRED® é o acetato de prednisolona, ou 21-acetato de 11β, 17, 21-triidroxipregna-1,4 dieno-3,20 diona, substância que suprime a resposta inflamatória em relação a uma variedade de agentes que retardam o processo de cicatrização. A prednisolona é um glicocorticoide sintético, que apresenta 3 a 5 vezes a potência antiinflamatória da hidrocortisona. Os glicocorticoides inibem o edema21, a deposição da fibrina22, a dilatação capilar23 e a migração fagocítica da resposta inflamatória aguda, bem como a proliferação capilar23, depósito de colágeno24 e formação de cicatriz25. A prednisolona previne ou suprime a resposta inflamatória ao estímulo provocado pelos agentes infecciosos nos tecidos oculares.

Farmacocinética

O gatifloxacino em solução oftálmica a 0,3% ou 0,5% foi administrado a um dos olhos10 de 6 indivíduos sadios do sexo masculino em um esquema de doses escalonadas, iniciando com uma dose única de 2 gotas, seguida de 2 gotas 4 vezes ao dia durante 7 dias, e, finalmente, 2 gotas 8 vezes ao dia durante 3 dias. Em todos os momentos de avaliação, os níveis séricos de gatifloxacino estiveram abaixo do limite inferior de quantificação (5 ng/ml) em todos os indivíduos.

Os corticosteroides de modo geral, entre os quais está a prednisolona, são rapidamente absorvidos tanto após administração oral, quanto injetável ou tópica, incluindo a aplicação ocular, e se distribuem aos tecidos oculares, podendo ocorrer passagem de seus componentes para a corrente sangüínea. A maioria dos corticosteroides na circulação26 se liga intensamente às proteínas27 plasmáticas, principalmente às globulinas28. Os corticosteroides são metabolizados no fígado29 mas também em outros tecidos. A prednisolona é excretada pelos rins30, sob a forma de metabólitos31 livres ou conjugados.

CONTRAINDICAÇÕES

ZYPRED® é contraindicado em pacientes com história de hipersensibilidade ao gatifloxacino, a outras quinolonas ou a qualquer dos demais componentes do produto, e também em infecções4 oculares purulentas32 agudas e infecções4 micobacterianas dos olhos10, e muitas outras doenças virais da córnea33 e conjuntiva34, incluindo superficial (ou epitelial) herpes simplex superficial aguda (ceratite dendrítica), vaccinia, varicela35. Tuberculose36 ocular e doenças fúngicas37 do olho38.

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

ZYPRED® é de uso tópico15 ocular.

Foi relatada a formação de catarata39 subcapsular posterior após o uso prolongado de corticosteroides oftálmicos tópicos. O uso de esteroides após a cirurgia de catarata39 pode atrasar a cicatrização ocular. Os pacientes com história de ceratite por herpes simplex devem ser tratados com precaução. Nas doenças que causam afinamento de córnea33 podem ocorrer perfurações com o uso de esteroides tópicos.

Em infecções4 oculares purulentas32, o uso de esteroide tópico15 pode mascarar ou aumentar a infecção8 existente.

O uso de esteroides intraoculares pode prolongar o curso e exacerbar a gravidade de muitas infecções4 virais no organismo (incluindo herpes simples). O uso de corticosteroide no tratamento de pacientes com histórico de herpes simplex requer precaução e deve ser acompanhado de freqüentes exames com microscópio com lâmpada de fenda.

Como tem sido relatado o aparecimento de infecções4 fúngicas37 com o uso prolongado de esteroides tópicos, deve-se suspeitar de invasões fúngicas37 em qualquer ulceração40 da córnea33, quando o esteroide foi usado ou está em uso. Deve-se realizar cultura fúngica41 quando apropriado. O uso prolongado de corticosteroides tópicos pode provocar o aumento da pressão intraocular42 em certos pacientes, resultando em glaucoma43 podendo ocasionar dano ao nervo óptico, diminuição da acuidade visual11 e falhas no campo visual44. Esteroides devem ser administrados com cautela na presença do glaucoma43. É aconselhável a monitorização freqüente da pressão intra-ocular.

O uso prolongado de ZYPRED® pode suprimir a resposta imune do paciente e, assim, aumentar o risco de infecções4 secundárias. Assim como para outros antiinfecciosos, o uso prolongado do gatifloxacino pode resultar em superinfecção45 por microorganismos não sensíveis, incluindo fungos. Se ocorrer superinfecção45 o uso deve ser descontinuado e deve ser instituído tratamento alternativo. Sempre que o julgamento clínico indicar, o paciente deve ser submetido a exame com dispositivos de ampliação de imagem, tais como lâmpada de fenda, biomicroscopia e, se apropriada, coloração com fluoresceína.

Os pacientes devem ser informados que pode ocorrer reações de hipersensibilidade (anafilático) mesmo após uma única dose, com uso de quinolonas sistêmicas, e que devem interromper o tratamento imediatamente e contatar o seu médico ao primeiro sinal46 de erupção47 cutânea48 ou de reações alérgicas. Algumas reações foram seguidas por colapso49 cardiovascular, perda da consciência, angioedema50 (incluindo faringe51, laringe52 e edema21 facial), obstrução das veias53, dispneia54, urticária55 e prurido56. Suspensão oftálmica contendo corticosteroides não devem ser utilizados por mais de 10 dias, exceto sob a supervisão médica e monitoramento da pressão intraocular42.

A possibilidade de supressão adrenal deve ser considerada com uso prolongado de esteroides tópicos em altas doses, particularmente em lactentes57 e crianças.

Foram notificados casos muito raros de Síndrome58 de Steven-Johnson relatados em associação com o uso de gatifloxacino tópica. Se ocorrer uma reação alérgica59, interromper a uso do medicamento e contatar o seu médico. Reações de hipersensibilidade aguda graves podem necessitar de tratamento de emergência60 imediata.

Distúrbios visuais podem ocorrer sob uso sistêmico20 ou tópico15 de corticosteroides. Se o paciente apresentar sintomas61 como visão62 borrada ou outros distúrbios visuais, considere avaliar possíveis causas que podem incluir catarata39, glaucoma43 ou doenças raras, como corioretinopatia central serosa (CSCR) que podem ser reportadas após o uso de corticosteroides sistêmico20 e tópico15.

Gestação e Lactação63

Categoria de risco na gravidez64 C: Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais65 no feto66, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez64.

Não foram observados efeitos teratogênicos67 em estudos realizados em ratos ou coelhos após administração oral de gatifloxacino em doses de até 50 mg/kg/dia (aproximadamente 1.000 vezes maior do que a máxima dose recomendada para uso oftálmico). Não foram realizados estudos controlados com a prednisolona em gestantes. No entanto, os estudos experimentais mostraram que os corticoides, em geral, apresentam ação teratogênica68 em camundongos, tendo ocorrido aumento da incidência69 de fenda palatina nos animais tratados com aplicação tópica ocular repetida de corticosteroides. Considerando que não foram realizados estudos controlados em mulheres durante a gestação, ZYPRED® (gatifloxacino e prednisolona) deve ser utilizado durante a gravidez64 apenas se os potenciais benefícios para a mãe justificarem os potenciais riscos para o feto66.

Este medicamento não deve ser utilizado durante a gravidez64 sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

O gatifloxacino é excretado pelo leite em ratos, mas não se sabe se esta substância é excretada pelo leite humano. Não se sabe se a aplicação tópica ocular de corticosteroides resulta em absorção sistêmica de quantidades suficientes para serem detectadas no leite humano. Portanto, não é recomendado administrar ZYPRED® em mulheres durante a lactação63.

Pacientes idosos

Não foram observadas diferenças de eficácia e segurança entre pacientes idosos e de outras faixas etárias, de modo que não há recomendações especiais quanto ao uso em idosos.

Pacientes pediátricos

A segurança e eficácia de ZYPRED® não foram estabelecidas em pacientes pediátricos.

Pacientes diabéticos

Foi realizado um estudo aberto, comparativo, prospectivo6, longitudinal, para avaliar a eficácia e segurança da combinação fixa de gatifloxacino a 0,3% + acetato de prednisolona a 1,0% em pacientes diabéticos. Ao terminar o estudo, o uso da combinação fixa de gatifloxacino + prednisolona permitiu uma redução do crescimento de bactérias em 27,3% em comparação com 22,7% permitido pelo uso do ciprofloxacino + prednisolona.1

Efeitos sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas

ZYPRED® pode causar borramento transitório da visão62, que pode alterar a habilidade de dirigir ou operar máquinas. O paciente deve aguardar até que sua visão62 normalize antes de dirigir ou operar máquinas.

Pacientes que utilizam lentes de contato

ZYPRED® não deve ser aplicado durante o uso de lentes de contato gelatinosas ou hidrofílicas, pois o cloreto de benzalcônio presente na fórmula pode ser absorvido pelas lentes, descolorindo-as. Esses pacientes devem ser instruídos a retirar as lentes antes da aplicação do colírio13 e aguardar pelo menos quinze minutos para recolocá-las após a administração de ZYPRED®. Os pacientes devem ser informados para não utilizarem lentes de contato se tiverem sinais70 ou sintomas61 de conjuntivite71 bacteriana.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Não foram realizados estudos específicos de interações medicamentosas com ZYPRED®. ZYPRED® é uma droga tópica com efeitos predominantemente local. Devido às concentrações sanguíneas mínimas de gatifloxacino após administração ocular (≤5 ng / mL), não há interações medicamentosas sistêmicos19. Entretanto, a administração sistêmica de algumas quinolonas produziu aumento das concentrações plasmáticas de teofilina, interferiu com o metabolismo72 da cafeína e aumentou os efeitos do anticoagulante73 oral varfarina e seus derivados, e foi associada com aumentos transitórios da creatinina74 sérica em pacientes tratados concomitantemente com ciclosporina sistêmica. Em relação a prednisolona, embora espera-se que a exposição sistêmica com administração tópica oftálmica de corticosteroide seja baixa, tratamentos concomitantes com inibidores de CYP3A4 podem aumentar o risco de efeitos adversos sistêmicos19 relacionados ao corticosteroide.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO

ZYPRED® deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC). Manter o frasco na posição vertical.
O prazo de validade é de 24 meses. Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após aberto, válido por 30 dias.

Características físicas

ZYPRED® é uma suspensão esbranquiçada.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

POSOLOGIA E MODO DE USAR

A suspensão já vem pronta para uso. Agite o frasco antes de usar. Este medicamento é de uso tópico15 ocular. Não encoste a ponta do frasco nos olhos10, nos dedos e nem em outra superfície qualquer, para evitar a contaminação do frasco e do colírio13. A utilização do mesmo frasco por mais de uma pessoa pode espalhar a infecção8.

A dose usual para o tratamento das infecções4 oculares é de 1 gota1 aplicada no(s) olho38(s) afetado(s), quatro vezes ao dia por até 7 dias.

A dose usual para a prevenção e tratamento de infecção8 e inflamação7 no uso pós-cirúrgico ocular é de 1 gota1 aplicada no(s) olho38(s) afetado(s), quatro vezes ao dia por até 15 dias.

Entretanto, devido a diferenças de infecções4 o tempo de tratamento poderá ser modificado a critério médico.

REAÇÕES ADVERSAS

As reações adversas oculares relatadas mais comumente com ZYPRED® (gatifloxacino e prednisolona), por ordem de frequência foram:

Reação muito comum (>10%): ardor75, irritação ocular, prurido56 e dor ocular.

Reação comum (>1% e ?10%): embaçamento / visão62 turva, desconforto ocular, lacrimejamento, sensação de corpo estranho, olho38 seco, cefaleia76, irritação conjuntival.

Reações adversas adicionais que foram relatadas na experiência clínica com o componente gatifloxacino são: conjuntivite71 papilar (conjuntivite71 não infecciosa), edema21 da pálpebra, ceratite puntacta, alteração do paladar77 (disgeusia), diminuição da acuidade visual11. Outras reações relatadas que ocorreram em aproximadamente 1 a 4% da população dos estudos foram: quemose, hemorragia78 conjuntival, olho38 seco, secreção ocular, irritação ocular, dor ocular, edema21 palpebral, vermelhidão ocular, diminuição da acuidade visual11 e alterações do paladar77.

Durante os estudos clínicos realizados com ZYPRED® nenhum sujeito de pesquisa abandou o tratamento em decorrência das reações adversas apresentadas.

Outras reações foram observadas após a comercialização no uso individual das substâncias:
Gatifloxacino: blefaritis, hiperemia79 conjuntival/ ocular, inchaço80 do olho38 (incluindo edema21 da córnea33 e conjuntiva34), náusea81, hipersensibilidade, reações anafiláticas82, angioedema50 (faringe51, edema21 facial ou oral), dispneia54, prurido56 generalizado, erupção47 cutânea48 e urticária55.
Prednisolona: ardor75 intenso, prurido56 intenso, inchaço80 ou vermelhidão das pálpebras83, urticária55, catarata39 subcapsular, perfuração ocular (córnea33 ou escleral), aumento da pressão intraocular42, midríase84, infecção8 ocular (incluindo , bacteriana, fúngica41 e viral)

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova associação no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Neste caso, notifique os eventos adversos pelo Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

SUPERDOSE

É pouco provável a ocorrência de superdose com o uso de ZYPRED® (gatifloxacino e prednisolona) já que um frasco de 6 ml de ZYPRED® suspensão oftálmica contém uma quantidade de gatifloxacino e de prednisolona significativamente menor que a dose diária indicada, respectivamente, para o gatifloxacino e prednisolona administrados por via oral. Se for ingerido acidentalmente ou intencionalmente, indica-se a ingestão abundante de líquido para diluir e deve-se realizar tratamento de suporte e sintomático85.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA
 

Reg. ANVISA/MS - 1.0147.0175
Farm. Resp.: Elizabeth Mesquita CRF-SP nº 14.337

Fabricado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos LTDA
Guarulhos, São Paulo
Indústria Brasileira

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos LTDA
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105
Torre 3 - 18º andar - Cidade Monções
São Paulo - CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77


SAC 0800-14-4077 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
7 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
10 Olhos:
11 Acuidade visual: Grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais, ou seja, a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.
12 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
13 Colírio: Preparação farmacológica líquida na qual se encontram dissolvidas diferentes drogas que atuam na conjuntiva ocular.
14 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
15 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
16 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
17 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
18 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
19 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
20 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
21 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
22 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
23 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
24 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
25 Cicatriz: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
26 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
27 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
28 Globulinas: Qualquer uma das várias proteínas globulares pouco hidrossolúveis de uma mesma família que inclui os anticorpos e as proteínas envolvidas no transporte de lipídios pelo plasma.
29 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
30 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
31 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
32 Purulentas: Em que há pus ou cheio de pus; infeccionadas. Que segrega pus. No sentido figurado, cuja conduta inspira nojo; repugnante, asqueroso, sórdido.
33 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
34 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
35 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
36 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
37 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
38 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
39 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
40 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
41 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
42 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
43 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
44 Campo visual: É toda a área que é visível com os olhos fixados em determinado ponto.
45 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
46 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
47 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
48 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
49 Colapso: 1. Em patologia, é um estado semelhante ao choque, caracterizado por prostração extrema, grande perda de líquido, acompanhado geralmente de insuficiência cardíaca. 2. Em medicina, é o achatamento conjunto das paredes de uma estrutura. 3. No sentido figurado, é uma diminuição súbita de eficiência, de poder. Derrocada, desmoronamento, ruína. 4. Em botânica, é a perda da turgescência de tecido vegetal.
50 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
51 Faringe: Canal músculo-membranoso comum aos sistemas digestivo e respiratório. Comunica-se com a boca e com as fossas nasais. É dividida em três partes: faringe superior (nasofaringe ou rinofaringe), faringe bucal (orofaringe) e faringe inferior (hipofaringe, laringofaringe ou faringe esofagiana), sendo um órgão indispensável para a circulação do ar e dos alimentos.
52 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
53 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
54 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
55 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
56 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
57 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
58 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
59 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
60 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
61 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
62 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
63 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
64 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
65 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
66 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
67 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
68 Teratogênica: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
69 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
70 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
71 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
72 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
73 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
74 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
75 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
76 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
77 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
78 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
79 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
80 Inchaço: Inchação, edema.
81 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
82 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
83 Pálpebras:
84 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
85 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre Zypred?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.