Preço de Votrient em Ann Arbor/SP: R$ 3390,45

Votrient

NOVARTIS BIOCIENCIAS S.A

Atualizado em 15/01/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Votrient®
cloridrato de pazopanibe
Comprimidos 200 mg e 400 mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Comprimido revestido
Cartuchos com 30 e 60 comprimidos

VIA ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido de Votrient® 200 mg contém:

pazopanibe (equivalente a 216,7 mg de cloridrato de pazopanibe) 200 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: estearato de magnésio, celulose microcristalina, povidona (K30), amidoglicolato de sódio, Opadry® Rosa YS-1-14762-A* [hipromelose, óxido de ferro vermelho (E172), macrogol/PEG 400, polissorbato 80, dióxido de titânio (E171)], água purificada. (*Composição do revestimento)


Cada comprimido de Votrient® 400 mg contém:

pazopanibe (equivalente a 433,4 mg de cloridrato de pazopanibe) 200 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: estearato de magnésio, celulose microcristalina, povidona (K30), amidoglicolato de sódio, Opadry® Branco YS-1-7706-G* [hipromelose, macrogol/PEG 400, polissorbato 80, dióxido de titânio (E171)], água purificada. (*Composição do revestimento)

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

ATENÇÃO: HEPATOTOXICIDADE1. Casos de efeitos hepáticos graves e fatais foram observados em estudos clínicos. A função hepática2 deverá ser monitorada (ver “Advertências e Precauções”).

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

Carcinoma3 de células4 renais (CCR)

Votrient® é indicado para o tratamento de carcinoma3 de células4 renais (CCR) avançado e/ou metastático, uma forma de câncer5 nos rins6.

Sarcoma7 de partes moles (STS)

Votrient® é indicado para o tratamento de pacientes com sarcoma7 de partes moles (STS) avançado, que receberam quimioterapia8 prévia, excluindo-se pacientes com tumor9 do estroma10 gastrintestinal (GIST) ou STS adipocitário.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O pazopanibe, composto presente em Votrient®, pode diminuir e interromper o crescimento de células4 cancerígenas, ou mesmo destruí-las, em alguns tipos de câncer5 de células4 renais em estágio avançado e/ou metastático.

O tempo estimado para o início da ação de Votrient® é de 8 dias após a tomada da primeira dose.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Votrient® é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade (alergia11) a qualquer componente da formulação.

Não existem contraindicações relativas à faixa etária. Entretanto, Votrient® não foi suficientemente estudado em pacientes com menos de 18 anos de idade.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez12.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga cuidadosamente todas as instruções de seu médico. Elas podem diferir das informações contidas nesta bula.

Advertências e Precauções

Se algum desses itens se aplicar a você, conversecom seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde13 antes de utilizar Votrient®:

  • tem algum problema no coração14 ou no fígado15 (especialmente pacientes com mais de 60 anos);
  • tem algum problema nos pulmões16 ou respiratório;
  • tem algum problema circulatório e/ou de coagulação17 sanguínea;
  • tem algum problema de pressão alta;
  • tem algum problema de fístulas18 e perfurações gastrointestinais;
  • possuir algum problema de tireoide19;
  • tem problema de elevação na quantidade de proteínas20 eliminadas na urina21;
  • está grávida, pretender ficar grávida ou está amamentando;
  • está tomando medicamentos que sejam inibidores fortes da CYP3A4 ou glicoproteína-P ou proteínas20 resistentes ao câncer5 de mama22.

Verifique com seu médico se você acha que qualquer um destes itens podem se aplicar a você. Você pode precisar de testes extras para verificar se seu coração14, fígado15 e tireoide19 estão funcionando corretamente. Seu médico pode decidir ajustar sua dose ou interromper o tratamento com base nos resultados dos testes.

Não existem ainda informações científicas suficientes sobre o uso em crianças e idosos.

Votrient® pode diminuir a fertilidade em homens23 e mulheres. Dessa forma, pode haver uma diminuição na possibilidade de a mulher engravidar. Caso tenha alguma dúvida a respeito, converse com seu médico.

O uso concomitante de Votrient® com sinvastatina pode acometer as funções do fígado15 (ver Interações Medicamentosas, abaixo) e deve ser realizado com cuidado e acompanhamento médico. Nenhuma modificação adicional na administração das doses, baseando-se nos resultados de testes laboratoriais hepáticos foi estabelecida para pacientes24 com insuficiência hepática25 pré-existente. Exceto a recomendação de que os pacientes com insuficiência hepática25 leve sejam tratados com 800 mg de Votrient® uma vez ao dia, e redução da dose inicial para 200 mg por dia em pacientes com insuficiência hepática25 moderada.

Síndrome26 de encefalopatia27 posterior reversível / Síndrome26 de leucoencefalopatia posterior reversível

Foram relatados casos de Síndrome26 de encefalopatia27 posterior reversível / Síndrome26 de leucoencefalopatia posterior reversível associados ao uso de Votrient®. Estas síndromes podem se apresentar com dor de cabeça28, pressão alta, confusão, letargia29 (sonolência profunda), convulsão30, cegueira e outros distúrbios visuais e neurológicos e podem ser fatais. O médico deve recomendar a descontinuação permanente do tratamento com Votrient® em pacientes que desenvolvam essas síndromes.

Inflamação31 nos pulmões16

Inflamação31 nos pulmões16, que pode ser fatal, foi reportada e associada ao uso de Votrient® (ver Quais os males que este medicamento pode me causar?). Seu médico irá monitorar seu quadro e pode recomendar a interrupção do tratamento com Votrient®.

Disfunção cardíaca

Nos estudos clínicos com Votrient®, ocorreram eventos de disfunção cardíaca (problemas no sistema de bombeamento do coração14). O médico deve monitorar a pressão arterial32 e tratar imediatamente com uma combinação de medicamentos anti-hipertensivos e modificação de dose de Votrient® (interromper e reiniciar em dose menor). Os pacientes devem ser meticulosamente monitorados quanto a sinais33 ou sintomas34 clínicos de insuficiência cardíaca congestiva35.

Microangiopatia trombótica36

Casos de microangiopatia trombótica36, um tipo de condição caracterizada por alterações nos vasos sanguíneos37 e em algumas células4 do sangue38, foram relatados em estudos clínicos com Votrient® sozinho, em combinação com bevacizumabe e em combinação com topotecano (ver “8. Quais os males que este medicamento pode me causar?”). O médico deve recomendar a descontinuação permanente do tratamento com Votrient® em pacientes que desenvolvam essa condição. Foi observada a reversão dos sintomas34 com a descontinuação do tratamento. Votrient® não é indicado para uso em combinação com outros agentes.

Cicatrização de feridas

Não foram conduzidos estudos formais sobre o efeito de Votrient® na cicatrização de feridas. Uma vez que os medicamentos da mesma classe de Votrient® podem dificultar a cicatrização de feridas, seu médico pode recomendar a interrupção do tratamento com Votrient® pelo menos sete dias antes da data da cirurgia. A decisão de reiniciar o tratamento com Votrient® após a cirurgia deve se basear no julgamento de seu médico. O uso de Votrient® deve ser interrompido em pacientes com histórico de reabertura de ferida cirúrgica.

Infecções39

Foram relatados casos de infecções39 sérias com o uso de Votrient®, em alguns casos com desfecho fatal.

Toxicidade40 em animais juvenis

O mecanismo de ação de Votrient® pode afetar o crescimento e amadurecimento de órgãos durante desenvolvimento após o nascimento precoce. Votrient® não deve ser administrado a pacientes pediátricos com menos de 2 anos de idade.

Gravidez12 e amamentação41

Os efeitos do pazopanibe sobre a gestação ainda são desconhecidos. Votrient® não deve ser usado durante a gravidez12, a não ser que a condição clínica da mulher requeira o tratamento com Votrient®.

Se Votrient® for usado durante a gravidez12 ou se você ficar grávida no decorrer do tratamento, este pode causar danos ao feto42. Por isso, você deve evitar a gravidez12 enquanto fizer uso de Votrient®. Para isso, utilize um método confiável de contracepção43 (ou seja, de evitar a gravidez12) durante o tratamento com Votrient® e por duas semanas após interromper o tratamento com Votrient®.

Informe seu médico qual método contraceptivo você está usando e também informe se você ficar grávida durante o tratamento com Votrient®. Seu médico pode recomendar que você não tome Votrient® enquanto você estiver grávida.

Os homens (incluindo aqueles que fizeram vasectomia) com parceira sexual que esteja grávida, possivelmente grávida ou com possibilidade de engravidar devem usar preservativos na relação sexual durante o período de tratamento com Votrient® e por pelo menos duas semanas após a última dose do produto.

Lactação44

Recomenda-se suspender a amamentação41 durante o tratamento com Votrient®. O uso seguro de Votrient® durante a amamentação41 não foi estabelecido. Não se sabe se ele é eliminado no leite materno.

Homens e mulheres com potencial reprodutivo

Use um método de contracepção43 confiável para evitar a gravidez12 enquanto utilizar Votrient® e por pelo menos 2 semanas após interromper o tratamento.

Os pacientes do sexo masculino (incluindo aqueles que fizeram vasectomias) que tenham parceiras femininas grávidas, possivelmente grávidas ou que podem engravidar, devem usar preservativo enquanto tomar Voltrient® e por pelo menos 2 semanas após a última dose.

Se engravidar ou pensar que está grávida, informe o seu médico imediatamente.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez12.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

Não há estudos sobre os efeitos de Votrient® sobre o desempenho ao dirigir veículos ou sobre a capacidade de operar máquinas. O mecanismo de ação do medicamento não leva a crer que haja um efeito prejudicial sobre essas atividades.

Interações medicamentosas (interações com outros medicamentos, incluindo vacinas ou produtos biológicos)

Antes de tomar Votrient®, informe o seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde13 se estiver tomando, tiver tomado recentemente ou pode tomar quaisquer outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica, porque estes podem interagir com Votrient®

Certos medicamentos interagem com Votrient®, e pode ser que você não deva usá-los enquanto está em tratamento com Votrient®. São eles:

  • medicamentos usados para tratar infecções39 (antibióticos, antimicóticos e antirretrovirais);
  • medicamentos usados no tratamento da tuberculose45;
  • medicamentos usados para tratar asma46 ou inflamações47 crônicas (corticosteroides);
  • medicamentos usados para tratar depressão, como nefazodona;
  • medicamentos usados para reduzir a acidez do estômago48, como omeprazol
  • outros medicamentos para o tratamento de câncer5, como pemetrexede e lapatinibe;
  • suco de toranja.

Pergunte ao seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde13 se não tem certeza se o medicamento é um dos medicamentos listados acima.

Tomando Votrient® com alimentos e bebidas

Votrient é afetado pela ingestão de alimentos. É importante que você tome Votrient com estômago48 vazio, pelo menos uma hora antes ou pelo menos duas horas após a alimentação. Você não deve beber suco de toranja enquanto está sendo tratado com Votrient®, pois isso pode aumentar a chance de efeitos colaterais49.

Efeito do uso concomitante de Votrient® com sinvastatina

O uso simultâneo de Votrient® com sinvastatina pode acometer as funções do fígado15 e determinar aumento de ALT (enzima50 alaninaminotransferase, um teste laboratorial que é normalmente usada como um dos parâmetros de avaliação das funções do fígado15). Não existem dados suficientes disponíveis para avaliar o risco da administração concomitante de estatinas alternativas e Votrient®.

Por isso, se você toma ou tomou recentemente algum outro medicamento, informe isso a seu médico; fale inclusive sobre os que você usa sem prescrição médica. Ele irá rever suas medicações para ter certeza de que você não usa algo que não poderia usar enquanto está em tratamento com Votrient®. Se você precisa de alguma destas medicações e não há um substituto disponível, você deve discutir isto com seu médico.

Informe seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde13.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Mantenha o produto na embalagem original e em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

  • Os comprimidos de 200 mg são em formato modificado de cápsula, de cor rosa e com o código GS JT gravado em um dos lados.
  • Os comprimidos de 400 mg são em formato modificado de cápsula, de cor branca e com o código GS UHL gravado em um dos lados.

Não existem requisitos especiais para as instruções de uso e manipulação.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de uso

Os comprimidos de pazopanibe devem ser tomados inteiros, com água, e não devem ser partidos nem esmagados.

Posologia

Sempre tome Votrient® exatamente como seu médico prescreveu. Verifique com seu farmacêutico ou profissional de saúde13 se você não tem certeza.

Os comprimidos de Votrient® devem ser ingeridos inteiros.

A dose recomendada de Votrient® é de 800 mg (4 comprimidos de 200 mg ou 2 comprimidos de 400 mg, de acordo com recomendação do seu médico) uma vez ao dia, por via oral (pela boca51).

Votrient® deve ser ingerido sem alimentos, com estômago48 vazio (pelo menos uma hora antes ou duas horas após uma refeição).

Pacientes com câncer5 de ovário52 podem continuar o tratamento com Votrient® por até 24 meses.

Caso você se esqueça de ingerir uma dose, não tomar a dose esquecida antes de um intervalo de 12 horas da próxima tomada.

Alterações de Dosagem

As alterações na dose devem ocorrer em aumentos de 200 mg, aos poucos e de acordo com a tolerabilidade de cada indivíduo, com a finalidade de controlar reações adversas. A dose de Votrient® não deve ser superior a 800 mg/dia.

Populações Especiais

Insuficiência renal53 (dos rins6): Não há experiência com o uso de Votrient® em pacientes com insuficiência renal53 (dos rins6) grave. Caso seja seu caso, converse com seu médico.

Insuficiência hepática25 (do fígado15): Dados sobre o uso de Votrient® em pacientes com insuficiência54 do fígado15 pré-existente não foram totalmente estabelecidos. Não é necessário nenhum ajuste de dose em pacientes com insuficiência hepática25 leve.

A dose de Votrient® deve ser reduzida para 200 mg por dia em pacientes com insuficiência hepática25 moderada. Não existem dados sobre indivíduos com insuficiência hepática25 grave. Portanto, não se recomenda o uso de pazopanibe nesses indivíduos.

Crianças: A segurança e a eficácia de Votrient® em crianças não foram estabelecidas.

Idosos: Não há a necessidade de alterar a dose, a frequência da dosagem ou a via de administração em pacientes com mais de 65 anos de idade.

Pacientes do Leste Asiático com câncer5 de ovário52Votrient® foi estudado em pacientes com câncer5 de ovário52 na China, Hong Kong, Coreia e Taiwan. Nenhum benefício foi observado para Votrient® quando comparado ao placebo55. Votrient® não foi estudado em pacientes descendentes do leste asiático com câncer5 de ovário52 em países que não são do leste asiático.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar o medicamento, NÃO tome uma dose duplicada para repor a que foi esquecida.

Apenas siga com o tratamento, tomando-o normalmente no dia seguinte.

Não tomar a dose esquecida antes de um intervalo de 12 horas da próxima tomada.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todo medicamento, pacientes tratados com Votrient® podem apresentar efeitos indesejáveis, embora nem todos apresentem.

Alguns efeitos podem ser graves

Informe seu médico imediatamente se você apresentar algum efeito adverso grave listado abaixo enquanto toma

Votrient®, pois podem se tornar fatais:

  • Sinais33 de problemas hepáticos (função hepática2 anormal, insuficiência hepática25) que podem incluir: amarelamento da pele56 ou branco de seus olhos57 (icterícia58), urina21 escura, cansaço, náuseas59 e/ou vômitos60, perda de apetite, dor à direita do lado do estômago48 (abdômen), aparecimento espontâneo de manchas roxas pelo corpo (hematomas61)
  • Sinais33 de aumento súbito e grave da pressão arterial32 (crise hipertensiva) que podem incluir: dor torácica severa, dor de cabeça28 severa, visão62 turva, confusão, náuseas59 e/ou vômitos60, ansiedade severa, falta de ar, convulsões e desmaios.
  • Sinais33 de inchaço63 cerebral (síndrome26 de encefalopatia27 posterior reversível, síndrome26 da leucoencefalopatia posterior reversível) que podem incluir: perda de fala, cegueira ou alterações na visão62, convulsões, confusão, dor de cabeça28, falta de energia, pressão arterial32 elevada.
  • Sinais33 de inflamação31 pulmonar (doença pulmonar intersticial64, pneumonia65) que pode incluir: tosse que não vai desaparecer, falta de ar.
  • Sinais33 de problemas cardíacos, como o ritmo cardíaco anormal (com alterações no eletrocardiograma66 como prolongamento do intervalo QT, Torsade de Pointes), disfunção cardíaca/insuficiência cardíaca67, ataque cardíaco, que pode incluir: batimentos cardíacos irregulares ou rápidos, vibração rápida de seu coração14, desmaio, dor torácica ou pressão, dor nos braços, costas68, pescoço69 ou maxilar, falta de ar, inchaço63 das pernas.
  • Sinais33 de acidentes vasculares70 cerebrais que podem incluir: entorpecimento ou fraqueza em um lado do corpo, dificuldade em falar, dor de cabeça28 e tonturas71.
  • Sinais33 de coágulos sanguíneos em suas veias72, especialmente nas pernas (trombose venosa profunda73), que também podem migrar para os pulmões16 (embolia74 pulmonar) que pode incluir: dor no peito75 forte, falta de ar, respiração rápida, dor nas pernas, inchaço63 de seus braços/mãos76 ou pernas/pés.
  • Sinais33 de coágulos de sangue38 nos vasos sanguíneos37 pequenos nos rins6 e no cérebro77, acompanhados por uma diminuição nos glóbulos vermelhos e nas células4 envolvidas na coagulação17 (microangiopatia trombótica36), que pode incluir: aparecimento espontâneo de manchas roxas pelo corpo (hematomas61), pressão arterial32 elevada, febre78, confusão, sonolência, convulsões, diminuição da produção de urina21.
  • Sinais33 de problemas hemorrágicos79 (hemorragia80) que podem incluir: sangue38 nas fezes, fezes escuras, sangue38 na urina21, dor estomacal, tosse e/ou vomitar sangue38.
  • Sinais33 de um rompimento em seu estômago48 ou na parede intestinal (perfuração) ou no desenvolvimento de uma conexão anormal entre duas partes no trato digestivo (fístula81), que podem incluir: dor estomacal grave, náuseas59 e/ou vômitos60, febre78, drenagem82 sanguinolenta83 ou suja (pus84) da abertura na área do estômago48 (abdômen) ou perto do seu ânus85.
  • Sinais33 de infecções39 (que pode tornar-se graves) podem incluir: febre78, sintomas34 semelhantes a gripe86, como tosse, cansaço e dores no corpo que não passam, falta de ar e/ou chiados, dor ao urinar, cortes, arranhões ou feridas vermelhas, quentes inchadas ou dolorosas.

Possíveis efeitos adversos

Possíveis efeitos adversos incluem os seguintes itens abaixo. Se esses efeitos colaterais49 se tornarem graves, informe o seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde13.

Carcinoma3 de células4 renais (RCC)

Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10 % dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Diminuição do apetite, dor de cabeça28
  • Pressão alta
  • Diarreia87, náuseas59, vômito88, dor abdominal
  • Alteração na cor dos cabelos e pelos
  • Aumento de proteínas20 hepáticas89 (do fígado15)
  • Cansaço, fraqueza muscular
  • Bradicardia90 assintomática (diminuição na frequência dos batimentos cardíacos, sem sintomas34)

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10 % dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Diminuição do número de plaquetas91 e neutrófilos92* no sangue38
  • Hipotireoidismo93 (diminuição da produção de hormônios da tireoide19)
  • Perda de peso
  • Ataque isquêmico94 transitório (provocado por uma diminuição temporária do suprimento de sangue38 para alguma parte do cérebro77)
  • Isquemia95 miocárdica (quando o coração14 não consegue receber o aporte de oxigênio necessário para desempenhar sua função)
  • Alterações na condução elétrica do coração14 (prolongamento do intervalo QT)
  • Dor no peito75
  • Sangramento nasal
  • Aumento da excreção de hemácias96 na urina21 (sangramento pela urina21)
  • Diminuição do paladar97; Indigestão
  • Função do fígado15 anormal
  • Aumento de uma substância do fígado15 chamada bilirrubina98
  • Erupção99 na pele56
  • Queda de cabelo100
  • Despigmentação cutânea101 (perda de cor da pele56)
  • Palmas das mãos76 ou solas dos pés adormecidas, inchadas, doloridas ou avermelhadas*
  • Aumento da eliminação de proteínas20 na urina21
  • Elevação de enzima50 pancreatica denominada lípase (pancreatite102)
  • Alteração na voz (disfonia103)
  • Sangramento severo (hemorragia80) no trato digestivo (estômago48 e intestino)
  • Infecções39, com ou sem alterações nos glóbulos brancos (células4 que combatem a infecção104)
    * eventos mais frequentemente observados em pacientes com descendência do leste asiático

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Acidente vascular cerebral105 isquêmico94
  • Torsades de Pointes (Arritmias106 Cardíacas, ou seja, alteração dos batimentos cardíacos)
  • Sangramento nos pulmões16, cérebro77 e trato gastrintestinal (estômago48 e intestino)
  • Trombos107 venosos (nas veias72)
  • Perfuração gastrintestinal (formação de orifícios no trato gastrintestinal)
  • Fístulas18 gastrintestinais (conexões anormais entre algumas partes do trato gastrintestinal)
  • Disfunção cardíaca
  • Ataque cardíaco

Reações Adversas reportadas nos estudos de Sarcoma7 de partes moles (STS). Estudo VEG110727 n=240

Reação muito comum (>1/10):

  • Perda de peso, diminuição do apetite
  • Dor de cabeça28, alteração do paladar97, tontura108
  • Bradicardia90 (diminuição na frequência dos batimentos cardíacos, sem sintomas34)
  • Pressão alta
  • Alteração na voz, falta de ar, tosse
  • Diarreia87, náuseas59, vômito88, dor abdominal, estomatite109 (inflamação31 na boca51 e garganta110)
  • Queda de cabelo100, vermelhidão e descamação111 da pele56,
  • Alteração na cor dos cabelos e pele56
  • Síndrome26 da eritrodisestesia palmo-plantar (síndrome26 mão112-pé – palmas das mãos76 ou solas dos pés adormecidas, inchadas, doloridas ou avermelhadas)
  • Dor nos músculos113 e ossos
  • Cansaço, inchaço63 nas extremidades do corpo, dor no peito75
  • Dor tumoral

Reação comum (>1/100 e <1/10):

  • Hipotireoidismo93 (diminuição da produção de hormônios da tireoide19)
  • Infarto do miocárdio114, prolongamento do intervalo QT, disfunção cardíaca (diminuição do volume de sangue38 bombeado pelo coração14)
  • Sangramento nasal
  • Sangramento no pulmão115, trombos107 venosos (nas veias72)
  • Alteração na voz, perfuração pulmonar
  • Indigestão
  • Aumento de enzimas do fígado15 (como a alanina aminotransferase e aspartato aminotransferase)
  • Alterações nas unhas116, pele56 seca
  • Calafrios117, visão62 embaçada
  • Dificuldade para dormir
  • Sangramento severo (hemorragia80) no trato digestivo (estômago48 e intestino)
  • Infecções39, com ou sem alterações nos glóbulos brancos (células4 que combatem a infecção104)

Reação incomum (>1/1000 e < 1/100):

  • Acidente Vascular Cerebral105 Isquêmico94
  • Sangramento no cérebro77
  • Sangramento no estômago48 e intestino,
  • Aumento da excreção de hemácias96 na urina21 (sangue38 na urina21)
  • Fístulas18 gastrintestinais (conexões anormais entre algumas partes do trato gastrintestinal)
  • Aumento de uma substância do fígado15 chamada bilirrubina98
  • Rash118 cutâneo119 (erupções na pele56)
  • Aumento da eliminação de proteínas20 na urina21
  • Diminuição da força física

Votrient® também pode alterar o resultado de alguns exames laboratoriais. Informe seu médico sobre o uso deste medicamento.

Dados pós-comercialização

As seguintes reações adversas foram identificadas durante o uso de Votrient® após aprovação. Elas incluem relatos de casos espontâneos e eventos adversos graves observados em estudos com o produto.

Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10 % dos pacientes que utilizam este medicamento): artralgia120 (dor nas articulações121).

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10 % dos pacientes que utilizam este medicamento): flatulência (aumento de gases intestinais), aumento de Gama Glutamil Transpeptidase (uma substância do fígado15); espasmos122 musculares (contrações involuntárias do músculo), aparecimento de infecções39, com ou sem neutropenia123 (diminuição do número de neutrófilos92 no sangue38);.

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): pancreatite102 (inflamação31 no pâncreas124); microangiopatia trombótica36 (incluindo púrpura125 trombocitopênica trombótica36 e síndrome26 hemolítica urêmica), um tipo de condição caracterizada por alterações nos vasos sanguíneos37 e em algumas células4 do sangue38,descolamento/rompimento da retina126, policitemia127 (aumento de células4 vermelhas no sangue38).

Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): síndrome26 de encefalopatia27 posterior reversível, uma condição caracterizada por alterações neurológicas e visuais, e inflamação31 nos pulmões16.

Avise seu médico imediatamente se você apresentar qualquer um desses sintomas34. Eles podem persistir depois que você interromper o uso de Votrient®.

Se qualquer um dos sintomas34 listados nesta bula se agravar ou se você observar algum sintoma128 que não tenha sido relacionado aqui, informe seu médico ou farmacêutico.

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova indicação terapêutica129 no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ou desconhecidas. Neste caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR O QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se acidentalmente você tomou medicamento a mais, deve falar com seu médico ou farmacêutico, ou entrar em contato com o departamento de emergência130 do hospital mais próximo para obter instruções.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

M.S: 1.0068.1136
Farm. Resp.: Flavia Regina Pegorer - CRF-SP 18.150

Importado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - São Paulo - SP
CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Glaxo Operations UK Limited, Ware, Reino Unido

Embalado por:
Glaxo Operations UK Limited, Ware, Reino Unido ou Glaxo Wellcome S.A., Aranda de Duero (Burgos), Espanha (vide cartucho)


SAC 0800 888 3003

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
2 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
3 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
7 Sarcoma: Neoplasia maligna originada de células do tecido conjuntivo. Podem aparecer no tecido adiposo (lipossarcoma), muscular (miossarcoma), ósseo (osteosarcoma), etc.
8 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
9 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
10 Estroma: 1. Na anatomia geral e em patologia, é o tecido conjuntivo vascularizado que forma o tecido nutritivo e de sustentação de um órgão, glândula ou de estruturas patológicas. 2. Na anatomia botânica, é a matriz semifluida dos cloroplastos na qual se encontram os grana, grânulos de amido, ribossomas, etc. 3. Em micologia, é a massa de tecido de um fungo, formada a partir de hifas entrelaçadas e que, nos cogumelos, geralmente corresponde à maior parte do corpo.
11 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
15 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
16 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
17 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
18 Fístulas: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
19 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
20 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
21 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
22 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
23 Fertilidade em Homens: Habilidade de engravidar uma mulher. Para isso, o sistema reprodutivo do homem precisa produzir, armazenar e transportar os espermatozóides para fora do corpo, de modo que eles possam entrar no trato reprodutivo da mulher.
24 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
25 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
26 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
27 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
28 Cabeça:
29 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
30 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
31 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
32 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
33 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
34 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
35 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
36 Trombótica: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
37 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
38 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
39 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
40 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
41 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
42 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
43 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
44 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
45 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
46 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
47 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
48 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
49 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
50 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
51 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
52 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
53 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
54 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
55 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
56 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
57 Olhos:
58 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
59 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
60 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
61 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
62 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
63 Inchaço: Inchação, edema.
64 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
65 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
66 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
67 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
68 Costas:
69 Pescoço:
70 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
71 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
72 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
73 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
74 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
75 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
76 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
77 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
78 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
79 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
80 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
81 Fístula: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
82 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
83 Sanguinolenta: 1. Em que há grande derramamento de sangue; sangrenta. 2. Tinto ou misturado com sangue. 3. Que se compraz em ver ou derramar sangue; sanguinária.
84 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
85 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
86 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
87 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
88 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
89 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
90 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
91 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
92 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
93 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
94 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
95 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
96 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
97 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
98 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
99 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
100 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
101 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
102 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
103 Disfonia: Alteração da produção normal de voz.
104 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
105 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
106 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
107 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
108 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
109 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
110 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
111 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
112 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
113 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
114 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
115 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
116 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
117 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
118 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
119 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
120 Artralgia: Dor em uma articulação.
121 Articulações:
122 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
123 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
124 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
125 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
126 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
127 Policitemia: Alteração sanguínea caracterizada por grande aumento da quantidade de hemácias circulantes.
128 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
129 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
130 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.

Tem alguma dúvida sobre Votrient?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.