Preço de Granulokine em Woodbridge/SP: R$ 0,00

Granulokine

AMGEN BIOTECNOLOGIA DO BRASIL LTDA.

Atualizado em 13/04/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Granulokine®
filgrastim
Solução injetável 30 MU/mL e 60 MU/mL

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Solução injetável
Caixa contendo 4 ou 5 frascos-ampola de 1 mL ou caixa contendo 1 seringa1 preenchida, com ou sem dispositivo de segurança, de 0,5 mL

USO SUBCUTÂNEO2 OU INTRAVENOSO
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO:

Cada frasco-ampola de Granulokine 30 MU/mL contém:

filgrastim 30 MU/1,0 mL
excipiente q.s.p. 1 mL

Excipientes: acetato de sódio*, sorbitol3, polissorbato 80, água para injetáveis.


Cada frasco-ampola de Granulokine 60 MU/mL contém:

filgrastim 30 MU/0,5 mL (60 MU/mL)
excipiente q.s.p. 0,5 mL

Excipientes: ácido acético glacial*, hidróxido de sódio*, sorbitol3, polissorbato 80, água para injetáveis.

* Acetato de sódio é formado através da titulação de ácido acético glacial com hidróxido de sódio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Granulokine pode ser utilizado para aumentar o número de glóbulos brancos após o tratamento quimioterápico em pacientes com malignidades (exceto leucemia4 mieloide crônica e síndromes mielodisplásicas) para ajudar a prevenir infecções5 e para aumentar o número de glóbulos brancos após um transplante de medula óssea6 para ajudar a prevenir infecções5.

Granulokine pode ser utilizado antes da quimioterapia7 de dose elevada para fazer com que a medula óssea6 produza mais células8 tronco, que podem ser coletadas e devolvidas a você depois de seu tratamento. Elas podem ser retiradas de você ou de um doador. As células8 tronco voltarão, então, para a medula óssea6 e produzirão células sanguíneas9.

Granulokine pode ser utilizado para aumentar o número de glóbulos brancos, caso você apresente neutropenia10 crônica grave, para ajudar a prevenir infecções5.

Granulokine pode ser utilizado em pacientes com infecção11 avançada por HIV12 que ajudará a reduzir o risco de infecções5.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Granulokine é um fator de crescimento de glóbulos brancos (fator estimulador de colônias de granulócitos13) e pertence a um grupo de medicamentos chamado citocinas14. Fatores de crescimento são proteínas15 que são produzidas naturalmente no corpo, mas também podem ser feitas utilizando biotecnologia para uso como um medicamento. Granulokine funciona estimulando a medula óssea6 a produzir mais glóbulos brancos.

Uma redução no número de glóbulos brancos (neutropenia10) pode ocorrer por diversas razões e torna seu corpo menos capaz de combater uma infecção11. Granulokine estimula a medula óssea6 a produzir novos glóbulos brancos rapidamente.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não utilize Granulokine se você for alérgico a filgrastim ou a qualquer um dos ingredientes deste medicamento (vide “COMPOSIÇÃO”).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Converse com seu médico ou farmacêutico antes de utilizar Granulokine. Informe ao seu médico antes de iniciar o tratamento, se você tiver:

  • anemia falciforme16, já que Granulokine pode causar crise de células8 falciformes;
  • uma alergia17 à borracha natural (látex). A proteção da agulha na seringa1 pode ser feita a partir de um tipo de borracha natural e pode causar reações alérgicas;
  • osteoporose18 (doença nos ossos).

Informe imediatamente ao seu médico durante o tratamento com Granulokine, se você:

  • apresentar sinais19 súbitos de alergia17, como rash20, prurido21 ou urticária22 na pele23, inchaço24 do rosto, lábios, língua25 ou outras partes do corpo, falta de ar, respiração ruidosa e dificuldade para respirar já que estes podem ser sinais19 de uma reação alérgica26 grave (hipersensibilidade);
  • apresentar dor na parte superior esquerda da barriga (abdominal), dor abaixo da caixa torácica esquerda ou na extremidade do seu ombro esquerdo (estes podem ser sintomas27 de aumento do baço28 (esplenomegalia29) ou possivelmente ruptura do baço28);
  • notar sangramento ou hematomas30 incomuns (estes podem ser sintomas27 de uma diminuição nas plaquetas31 sanguíneas (trombocitopenia32), com uma capacidade reduzida de o seu sangue33 coagular34);
  • apresentar inchaço24 no seu rosto ou tornozelos, sangue33 na sua urina35 ou urina35 de cor acastanhada ou notar que você urine menos do que o usual.

Perda de resposta ao filgrastim

Se você apresentar uma perda de resposta ou insucesso ao manter uma resposta ao tratamento com filgrastim, seu médico investigará as razões do ocorrido, incluindo se você desenvolveu anticorpos36 que neutralizam a atividade de filgrastim.

Seu médico pode querer monitorá-lo rigorosamente, vide “8. Quais os males que este medicamento pode me causar?”.

Se você for um paciente com neutropenia10 crônica grave, você pode estar em risco de desenvolver câncer37 do sangue33 (leucemia4, síndrome38 mielodisplásica (SMD)). Você deve falar com seu médico a respeito dos seus riscos de desenvolver cânceres do sangue33 e que exames você deve fazer. Se você desenvolver ou apresentar probabilidade de desenvolver cânceres do sangue33, você não deve utilizar Granulokine, a menos se instruído por seu médico.

Se você for um doador de célula39 tronco, você deve ter entre 16 e 60 anos.

Efeitos na capacidade de dirigir e operar máquinas

Granulokine pode ter uma influência pequena na sua capacidade de dirigir e utilizar máquinas. Este medicamento pode causar tontura40. É aconselhável esperar e ver como você se sente após tomar Granulokine antes de dirigir ou operar máquinas.

Granulokine contém sódio e sorbitol3

Granulokine contém menos de 1 mmol (23 mg) de sódio por dose de 0,3 mg/mL (frasco-ampola) 0,6 mg/mL (seringa1 preenchida), sendo assim, essencialmente livre de sódio.

Granulokine contém sorbitol3, se seu médico tenha informado que você apresenta uma reação a determinados açúcares, entre em contato com seu médico antes de utilizar este medicamento.

Gravidez41 e amamentação42

Granulokine ainda não foi testado em gestantes ou lactantes43.

É importante informar ao seu médico se você:

  • está grávida;
  • acha que pode estar grávida; ou
  • planeja engravidar.

Se você engravidar durante o tratamento com Granulokine, informe o seu médico.

A menos que o seu médico lhe oriente de outra forma, você deve interromper a amamentação42 se estiver utilizando Granulokine.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista. Interações medicamentosas

Tenha um cuidado especial com outros produtos que estimulam os glóbulos brancos -– Granulokine é um de um grupo de produtos que estimulam a produção de glóbulos brancos. Seu profissional da saúde44 deve sempre registrar o produto exato que você está utilizando.

Outros medicamentos e Granulokine – informe o seu médico ou farmacêutico se você estiver utilizando, utilizou recentemente ou pode utilizar quaisquer outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você estáfazendo udo de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde44.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Manter este medicamento fora da vista e alcance de crianças. Conservar sob refrigeração (2°C a 8°C).

Manter o recipiente na embalagem externa para protegê-lo da luz. O congelamento acidental não danificará Granulokine.

Não utilize este medicamento se você notar descoloração, turbidez ou partículas; ele deve ser um líquido límpido e incolor.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

A data de validade está impressa na seringa1 ou rótulo do frasco-ampola e embalagem exterma após VAL. A data de validade se refere ao último dia daquele mês.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Características físicas e organolépticas do produto

Granulokine é uma solução límpida e incolor.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja dentro do prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Não descarte quaisquer medicamentos na rede de esgoto ou lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como descartar os medicamentos que não são mais necessários. Estas medidas ajudarão a proteger o meio ambiente.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

A aplicação de Granulokine deve ser realizada ou supervisionada por um médico experiente no uso deste tipo de medicamento. O profissional da saúde44 saberá como preparar o medicamento. Sempre utilize este medicamento exatamente como seu médico lhe informou. Consulte o seu médico ou farmacêutico se você não tiver certeza.

Como Granulokine é administrado e quanto devo tomar?

Granulokine é geralmente administrado como uma injeção45 diária no tecido46 logo abaixo da pele23 (conhecida como uma injeção subcutânea47). Também pode ser administrado como uma injeção45 lenta diária na veia (conhecida como uma infusão intravenosa). A dose usual varia dependendo da sua doença e peso. Seu médico informará quanto de Granulokine você deve utilizar.

Pacientes que têm um transplante de medula óssea6 após quimioterapia7:

Você normalmente receberá sua primeira dose de Granulokine pelo menos 24 horas após sua quimioterapia7 e pelo menos 24 horas após receber seu transplante da medula óssea6.

Por quanto tempo terei que utilizar Granulokine?

Você precisará utlizar Granulokine até que sua contagem de glóbulos brancos esteja normal. Exames de sangue33 regulares serão coletados para monitorar o número de glóbulos brancos no seu corpo. Seu médico lhe informará por quanto tempo você precisará utilizar Granulokine.

Uso em crianças

Granulokine é utilizado para o tratamento de crianças que recebem quimioterapia7 ou sofrem de contagem baixa de glóbulos brancos grave (neutropenia10). A administração em crianças que recebem quimioterapia7 é a mesma para adultos.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esqueceu uma injeção45, ou injetou muito pouco, entre em contato com seu médico assim que possível. Não tome uma dose dupla para compensar quaisquer doses esquecidas.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Informe o seu médico imediatamente durante o tratamento:

  • se você apresentar uma reação alérgica26 incluindo fraqueza, queda na pressão arterial48, dificuldade para respirar, inchaço24 do rosto (anafilaxia49), erupção50 cutânea51, erupção50 cutânea51 pruriginosa (urticária22), inchaço24 dos lábios, boca52, língua25 ou garganta53 (angioedema54) e falta de ar (dispneia55). Hipersensibilidade é comum em pacientes com câncer37;
  • se você apresentar uma tosse, febre56 ou dificuldade para respirar (dispneia55), já que pode ser um sinal57 de Síndrome38 da Angústia Respiratória Aguda (SARA). SARA é incomum em pacientes com câncer37;
  • se você apresentar dor na parte superior esquerda da barriga (abdominal), dor abaixo da caixa torácica esquerda ou na extremidadeponta do seu ombro esquerdo (estes podem ser sintomas27 de aumento do baço28 (esplenomegalia29) ou possivelmente ruptura do baço28).
  • se você está sendo tratado para neutropenia10 crônica grave e tem sangue33 em sua urina35 (hematúria58). Seu médico pode testar regularmente sua urina35 se você tiver este efeito colateral59 ou se proteína for encontrada em sua urina35 (proteinúria60).
  • se você tiver qualquer um dos seguintes ou combinação dos seguintes efeitos colaterais61:
    • inchaço24, que pode estar associado com urinar menos frequentemente, dificuldade de respirar, inchaço24 abdominal e sensação de plenitude, e uma sensação geral de cansaço. Estes sintomas27 geralmente se desenvolvem de forma rápida.
      Estes podem ser sintomas27 de uma condição chamada de “Síndrome de Extravasamento Capilar” que faz com que o sangue33 vaze dos vasos sanguíneos62 pequenos para o seu corpo e necessite de atenção médica urgente.
  • se você apresentar lesão63 renal64 (glomerulonefrite65). Lesão63 renal64 tem sido observada em pacientes que receberam Granulokine. Entre em contato imediatamente com seu médico se você apresentar inchaço24 no rosto ou tornozelos, sangue33 na urina35 ou urina35 de coloração acastanhada ou notar que você urine menos do que o usual.
  • considere aortite66 se sinais19 e sintomas27 generalizados se desenvolverem, como febre56 e aumento de marcadores inflamatórios sem etiologia67 conhecida. Aortite66 foi relatada em pacientes que receberam filgrastim.

Um efeito colateral59 muito frequente do uso de Granulokine é dor nos seus músculos68 ou ossos (dor musculoesquelética), que pode ser aliviada ao tomar medicamentos convencionais de alívio da dor (analgésicos69). Em pacientes submetidos a um transplante de células-tronco70 ou medula óssea6, Doença do enxerto71 contra hospedeiro (GvHD) pode ocorrer – esta é uma reação das células8 do doador contra o paciente que recebeu o transplante; sinais19 e sintomas27 incluem rash20 nas palmas das mãos72 ou solas dos pés e úlcera73 e feridas na boca52, intestino, fígado74, pele23 ou seus olhos75, pulmão76, vagina77 e articulações78. O aumento nos glóbulos brancos (leucocitose79) e a redução de plaquetas31, que reduz a capacidade do sangue33 de coagular34 (trombocitopenia32), são muito comumente observados em doadores de célula39 tronco normais e serão monitorados por seu médico.

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos colaterais61, embora nem todas as pessoas os tenham.

Reações muito comuns (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Em pacientes com câncer37

  • alterações na bioquímica sanguínea
  • aumento de determinadas enzimas sanguíneas
  • apetite reduzido
  • dor de cabeça80
  • dor em sua boca52 ou garganta53 (dor orofaríngea81)
  • tosse
  • diarreia82
  • vômito83
  • constipação84
  • náusea85
  • erupção50 na pele23
  • perda ou afinamento de cabelo86 não usual (alopecia87)
  • dor nos seus músculos68 ou ossos (dor musculoesquelética)
  • fraqueza generalizada (astenia88)
  • cansaço (fadiga89)
  • inflamação90 e inchaço24 do revestimento do trato digestório, que vai da boca52 ao ânus91 (inflamação90 da mucosa92)
  • falta de ar (dispneia55)
  • dor

Em doadores de células-tronco70 normais

  • redução de plaquetas31, o que reduz a capacidade do sangue33 de coagular34 (trombocitopenia32)
  • aumento nos glóbulos brancos (leucocitose79)
  • dor de cabeça80
  • dor nos músculos68 ou ossos (dor musculoesquelética)

Em pacientes com neutropenia10 crônica grave

  • aumento do baço28 (esplenomegalia29)
  • baixa contagem de hemácias93 (anemia94)
  • alterações na bioquímica do sangue33
  • aumento em determinadas enzimas no sangue33
  • dor de cabeça80
  • sangramentos nasais (epistaxe95)
  • diarreia82
  • aumento do fígado74 (hepatomegalia96)
  • erupção50 cutânea51
  • dor em seus músculos68 ou ossos (dor musculoesquelética)
  • dor nas articulações78 (artralgia97)

Em pacientes com HIV12

  • dor nos seus músculos68 ou ossos (dor musculoesquelética)


Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Em pacientes com câncer37:

  • reação alérgica26 (hipersensibilidade ao medicamento)
  • pressão arterial48 baixa (hipotensão98)
  • dor ao urinar (disuria99)
  • dor torácica
  • tossir sangue33 (hemoptise100)

Em doadores de célula-tronco101 normais

  • aumento de determinadas enzimas sanguíneas
  • falta de ar (dispneia55)
  • aumento do baço28 (esplenomegalia29)

Em pacientes com neutropenia10 crônica grave

  • ruptura do baço28
  • diminuição das plaquetas31, que reduz a capacidade de o sangue33 coagular34 (trombocitopenia32)
  • alterações na bioquímica sanguínea
  • inflamação90 dos vasos sanguíneos62 na pele23 (vasculite102 cutânea51)
  • queda ou afinamento de cabelo86 não usual (alopecia87)
  • doença que faz com que os ossos fiquem menos densos, tornando-os mais fracos, mais frágeis e propensos a quebrar (osteoporose18)
  • sangue33 na urina35 (hematúria58)
  • dor no local de injeção45
  • dano aos pequenos filtros dentro de seus rins103 (glomerulonefrite65)

Em pacientes com HIV12

  • aumento do baço28 (esplenomegalia29)


Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Em pacientes com câncer37

  • ruptura do baço28
  • aumento do baço28 (esplenomegalia29)
  • dor forte nos ossos, tórax104, intestinos105 ou articulações78 (crise de células8 falciformes)
  • rejeição de medula óssea6 transplantada (doença enxerto71 versus hospedeiro)
  • dor e inchaço24 das articulações78, similar à gota106 (pseudogota)
  • inflamação90 pulmonar grave cuasando dificuldade na respiração (síndrome38 da angústia respiratória aguda)
  • pulmões107 não funcionam como deveriam, causando falta de ar (insuficiência respiratória108)
  • inchaço24 e/ou fluido nos pulmões107 (edema pulmonar109)
  • inflamação90 dos pulmões107 (peneumopatia intersticial110)
  • radiografia anormal dos pulmões107 (infiltração pulmonar)
  • feridas de coloração arroxeada, elevadas, dolorosas nos membros e algumas vezes no rosto e
  • pescoço111 com febre56 (síndrome38 de Sweets)
  • inflamação90 dos vasos sanguíneos62 na pele23 (vasculite102 cutânea51)
  • piora da artrite reumatoide112
  • alteração não usual na urina35
  • dano hepático causado por meio do bloqueio de pequenas veias113 no fígado74 (doença veno-oclusiva)
  • sangramento do pulmão76 (hemorragia114 pulmonar)
  • alteração em como seu corpo regula os líquidos dentro do seu corpo e pode resultar em inchaço24
  • dano aos pequenos filtros dentro de seus rins103 (glomerulonefrite65)

Em doadores de células-tronco70 normais

  • ruptura do baço28
  • dor grave nos ossos, tórax104, intestinos105 ou articulações78 (crise de células8 falciformes)
  • reação alérgica26 súbita de risco à vida (reação anafilática115)
  • alterações na bioquímica do sangue33
  • sangramento no pulmão76 (hemorragia114 pulmonar)
  • sangue33 ao tossir (hemoptise100)
  • radiografias anormais do pulmão76 (infiltração pulmonar)
  • falta de absorção de oxigênio no pulmão76 (hipóxia116)
  • aumento de determinadas enzimas no sangue33
  • piora da artrite reumatoide112
  • dano aos pequenos filtros dentro de seus rins103 (glomerulonefrite65)

Em pacientes com neutropenia10 crônica grave

  • dor forte nos ossos, tórax104, intestinos105 ou articulações78 (crise de células8 falciformes)
  • excesso de proteína na urina35 (proteinúria60)

Em pacientes com HIV12

  • dor forte nos ossos, tórax104, intestinos105 ou articulações78 (crise de células8 falciformes)

Desconhecido (não pode ser estimado a partir dos dados disponíveis):

  • dano aos pequenos filtros dentro de seus rins103 (glomerulonefrite65)
  • aortite66

Se você apresentar quaisquer efeitos colaterais61, converse com o seu médico. Isto inclui quaisquer efeitos colaterais61 possíveis não listados nesta bula. Você também pode relatar efeitos colaterais61 diretamente (vide detalhes abaixo). Ao relatar os efeitos colaterais61, você pode ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através de seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não aumente a dose que o seu médico lhe prescreveu. Se você achar que tomou mais do que deveria, entre em contato com o seu médico assim que possível.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
USO RESTRITO A HOSPITAIS
 

MS 1.0244.0006
Farm. Resp.: Monica Carolina Dantas Pedrazzi CRF-SP 30.103

Importado por:
Amgen Biotecnologia do Brasil Ltda.
Rua Patrícia Lúcia de Souza, 146. Taboão da Serra - SP
CNPJ: 18.774.815/0001-93

Fabricado por:
Amgen Manufacturing Limited Juncos – Porto Rico


SAC 0800 264 0800

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
2 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
3 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
4 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
7 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
10 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
11 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
13 Granulócitos: Leucócitos que apresentam muitos grânulos no citoplasma. São divididos em três grupos, conforme as características (neutrofílicas, eosinofílicas e basofílicas) de coloração destes grânulos. São granulócitos maduros os NEUTRÓFILOS, EOSINÓFILOS e BASÓFILOS.
14 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
15 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
16 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
17 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
18 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
19 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
20 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
21 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
22 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
23 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
24 Inchaço: Inchação, edema.
25 Língua:
26 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
27 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 Baço:
29 Esplenomegalia: Aumento tamanho do baço acima dos limites normais
30 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
31 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
32 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
33 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
34 Coagular: Promover a coagulação ou solidificação; perder a fluidez, transformar-se em massa ou sólido.
35 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
36 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
37 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
38 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
39 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
40 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
41 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
42 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
43 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
44 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
45 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
46 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
47 Injeção subcutânea: Injetar fluido no tecido localizado abaixo da pele, o tecido celular subcutâneo, com uma agulha e seringa.
48 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
49 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
50 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
51 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
52 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
53 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
54 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
55 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
56 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
57 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
58 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
59 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
60 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
61 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
62 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
63 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
64 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
65 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
66 Aortite: Inflamação da artéria aorta.
67 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
68 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
69 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
70 Células-tronco: São células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que retêm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica e podem se diferenciar em uma vasta gama de tipos de células especializadas.
71 Enxerto: 1. Na agricultura, é uma operação que se caracteriza pela inserção de uma gema, broto ou ramo de um vegetal em outro vegetal, para que se desenvolva como na planta que o originou. Também é uma técnica agrícola de multiplicação assexuada de plantas florais e frutíferas, que permite associar duas plantas diferentes, mas gerações próximas, muito usada na produção de híbridos, na qual uma das plantas assegura a nutrição necessária à gema, ao broto ou ao ramo da outra, cujas características procura-se desenvolver; enxertia. 2. Na medicina, é a transferência especialmente de células ou de tecido (por exemplo, da pele) de um local para outro do corpo de um mesmo indivíduo ou de um indivíduo para outro.
72 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
73 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
74 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
75 Olhos:
76 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
77 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
78 Articulações:
79 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
80 Cabeça:
81 Orofaríngea: Relativo à orofaringe.
82 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
83 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
84 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
85 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
86 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
87 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
88 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
89 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
90 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
91 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
92 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
93 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
94 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
95 Epistaxe: Hemorragia de origem nasal.
96 Hepatomegalia: Aumento anormal do tamanho do fígado.
97 Artralgia: Dor em uma articulação.
98 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
99 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
100 Hemoptise: Eliminação de sangue vivo, vermelho rutilante, procedente das vias aéreas juntamente com a tosse. Pode ser manifestação de um tumor de pulmão, bronquite necrotizante ou tuberculose pulmonar.
101 Célula-tronco: São células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que retêm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica e podem se diferenciar em uma vasta gama de tipos de células especializadas.
102 Vasculite: Inflamação da parede de um vaso sangüíneo. É produzida por doenças imunológicas e alérgicas. Seus sintomas dependem das áreas afetadas.
103 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
104 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
105 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
106 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
107 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
108 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
109 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
110 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
111 Pescoço:
112 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
113 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
114 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
115 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
116 Hipóxia: Estado de baixo teor de oxigênio nos tecidos orgânicos que pode ocorrer por diversos fatores, tais como mudança repentina para um ambiente com ar rarefeito (locais de grande altitude) ou por uma alteração em qualquer mecanismo de transporte de oxigênio, desde as vias respiratórias superiores até os tecidos orgânicos.

Tem alguma dúvida sobre Granulokine?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.