Kava Kava Herbarium

HERBARIUM LABORATORIO BOTANICO S.A

Atualizado em 18/02/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Kava Kava Herbarium
Piper methysticum G. Forst, Piperaceae
Cápsula 75 mg

MEDICAMENTO FITOTERÁPICO
Nomenclatura botânica oficial: Piper methysticum G. Forst, Piperaceae.
Parte utilizada da planta: Rizoma

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Cápsula gelatinosa dura
Embalagem com 3 blísters contendo 15 cápsulas cada

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada cápsula de Kava Kava Herbarium contém:

extrato seco de Piper methysticum G. Forst, Piperaceae (Kava kava) 75mg
excipiente q.s.p. 1 cápsula

Excipientes: Amido.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

KAVA KAVA HERBARIUM favorece a atividade de determinados transmissores químicos cerebrais, os quais lhe conferem propriedade sedativa.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Tratamento da ansiedade, agitação e insônia.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Lactação1, comprometimento hepático, Mal de Parkinson e psicose2.

É contra-indicado também em casos de depressão, principalmente depressão endógena, devido a possibilidade de aumento do risco de suicídio nestes pacientes.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.

Não ingerir doses maiores do que as recomendadas.

Uma coloração levemente amarelada da pele3, dos cabelos e das unhas4, que é reversível, tem sido associada ao uso prolongado de kava kava. Neste caso, a administração deve ser descontinuada.

Pacientes com Doença de Parkinson5 que administram levodopa devem evitar o uso deste fitoterápico.

A administração de kava kava pode causar redução dos níveis das proteínas6 plasmáticas, uréia7, bilirrubina8 e plaquetopenia9.

Gravidez10 e Lactação1

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Populações especiais

Este medicamento é contra-indicado para crianças.

Efeitos na habilidade de dirigir e usar máquinas

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Interações medicamentosas

Deve-se evitar o consumo de álcool durante o tratamento, pois o mesmo pode aumentar a toxicidade11 da kava kava.

A kava kava pode potencializar a atividade de substâncias que atuam no sistema nervoso central12, como fenobarbital, tiopental, pentobarbital e demais barbitúricos, bem como fenelzina, tranilcipromina, isocarboxazida, moclobemida e outros inibidores da monoamino oxidase. Não associar a benzodiazepínicos como alprazolam, lorazepam, flurazepam, niltrazepam, outras drogas sedativas, hipnóticas, antidepressivas e/ou anti-histamínicas, como prometazina, clorfeniramina e clorferiramina.

Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.

Pode ser perigoso para a sua saúde13.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Manter em temperatura ambiente (15–30°C). Proteger da luz, do calor e da umidade.

Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem

Características físicas e organolépticas do produto

KAVA KAVA HERBARIUM é apresentado em cápsulas gelatinosas duras, de cor creme, que possuem odor característico e praticamente não apresentam sabor.

Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de usar

As cápsulas devem ser ingeridas inteiras e com uma quantidade suficiente de água para que possam ser deglutidas.

Administrar juntamente com as refeições, devido à solubilidade lipídica da kava kava.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

Posologia

Ingerir 1 (uma) cápsula, 3 (três) vezes ao dia.

Este fitoterápico não deve ser administrado por mais de 3 (três) meses sem supervisão médica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Emagrecimento, aumento da pressão arterial14, manchas e lesões15 na pele3, exacerbação do reflexo patelar e raros casos de reações alérgicas e distúrbios gastrintestinais.

No início do tratamento pode aparecer um leve cansaço matinal.

A administração da kava kava pode conduzir a inflamação16 cutânea17 caracterizada por pele3 seca e coberta de escamas (especialmente nas palmas das mãos18 e nas plantas dos pés).

Mesmo administrada nas dosagens prescritas, este fitoterápico pode afetar adversamente os reflexos motores e o julgamento para conduzir e/ou operar maquinário pesado.

Eventualmente, podem ocorrer movimentos irregulares, espasmódicos e involuntários dos membros, tronco, pescoço19 e musculatura facial.

Pode ocorrer dilatação da pupila e distúrbios de acomodação da visão20.

Houve relatos de casos graves de hepatite21, insuficiência hepática22 e cirrose23 hepática24, em pacientes que utilizaram produtos contendo kava kava.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

A superdosagem pode resultar em desordens do movimento, atenção perturbada, cansaço e sonolência.

Em animais de laboratório, doses elevadas provocaram ataxia25 e paralisia26 ascendente, sem perda da consciência.

Em doses maiores, pode provocar a morte por colapso27 respiratório.

O uso prolongado de altas doses pode provocar irritação nos olhos28, perda de peso e erupção29 cutânea17 escamosa30 (sugestiva de ictiose).

O consumo de doses extremamente elevadas de kava kava por indivíduos que relataram grande consumo de álcool e cigarro, causou reações adversas que incluem anormalidades bioquímicas (baixos níveis séricos de albumina31, proteína, uréia7 e bilirrubina8), presença de sangue32 na urina33, aumento do volume de células34 vermelhas, diminuição das plaquetas35 e contagem de linfócitos, e encurtamento da respiração.

Em caso de superdosagem, recomenda-se suspender o uso e procurar orientação médica.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.1860.0033
Farmacêutica resp.: Anny M. Trentini CRF PR-4081

HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA.
Av. Santos Dumont, 1111 Colombo - PR
CNPJ 78.950.011/0001-20
Indústria Brasileira.


SAC 0800 723 8383

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
2 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
5 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
6 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
7 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
8 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
9 Plaquetopenia: Plaquetopenia ou trombocitopenia é a diminuição do número de plaquetas (trombócitos) que participam na coagulação. Habitualmente o sangue contém de 150.000 a 350.000 plaquetas por microlitro. Muitas doenças podem reduzir o número de plaquetas, as principais causas são uma produção insuficiente na medula óssea, o sequestro das plaquetas por um baço grande, o aumento do uso dos trombócitos, da sua destruição ou a sua diluição no sangue.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
12 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
15 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
16 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
17 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
18 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
19 Pescoço:
20 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
21 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
22 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
23 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
24 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
25 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
26 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
27 Colapso: 1. Em patologia, é um estado semelhante ao choque, caracterizado por prostração extrema, grande perda de líquido, acompanhado geralmente de insuficiência cardíaca. 2. Em medicina, é o achatamento conjunto das paredes de uma estrutura. 3. No sentido figurado, é uma diminuição súbita de eficiência, de poder. Derrocada, desmoronamento, ruína. 4. Em botânica, é a perda da turgescência de tecido vegetal.
28 Olhos:
29 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
30 Escamosa: Cheia ou coberta de escamas, ou seja, de pequenas lâminas epidérmicas que se desprendem espontaneamente da pele.
31 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
32 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
33 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
34 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
35 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.

Tem alguma dúvida sobre Kava Kava Herbarium?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.