Percof

Informações adicionais sobre o medicamento Percof:

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

As notas a seguir são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes dessa substância medicamentosa e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Para saber mais e com mais segurança, consulte a bula do remédio.

 

1. O que é Percof?

O Percof é a levodropropizina, uma medicação que age inibindo os reflexos traqueobrônquicos da tosse não produtiva. É, pois, um sedativo da tosse com ação miorrelaxante1 dos brônquios2, ocasionando melhor ventilação3 pulmonar. Nas doses terapêuticas, a levodropropizina não apresenta efeitos sedativos do sistema nervoso4. A substância é absorvida rapidamente pelo trato gastrointestinal após administração oral. O efeito antitussígeno é mantido por pelo menos 6 horas e assim as doses devem ser aplicadas a cada 6 a 8 horas.

 

2. Quando se indica Percof (levodropropizina)?

Indica-se a levodropropizina como terapêutica5 sintomática6 da tosse improdutiva ou seca.

 

3. Como o médico prescreve Percof (levodropropizina)?

Siga corretamente o modo de usar e as doses de Percof (levodropropizina) recomendadas pelo médico, só ele pode saber o que é mais conveniente para cada quadro clínico e para cada paciente. Alguns remédios deixam de fazer efeito por serem tomados de maneira errada ou em doses abaixo do necessário, outros têm efeitos colaterais7 graves em virtude de doses muito altas.

 

4. Quais os efeitos colaterais7 mais comuns de Percof (levodropropizina)?

Os efeitos colaterais7 da levodropropizina são transitórios e desaparecem após a suspensão do tratamento. Podem ocorrer distúrbios gastrointestinais tais como náuseas8, pirose9, dispepsia10, desconforto abdominal, diarreia11, vômitos12; distúrbios do sistema nervoso4 central (cansaço, astenia13, fadiga14, sonolência, torpor15, cefaleia16 e tonturas17) e do sistema cardiovascular18 (cardiopatias e palpitação19). Raramente são observadas reações alérgicas cutâneas20. Estes ou quaisquer outros efeitos colaterais7 que por ventura possam surgir, devem ser prontamente comunicados ao médico.

 

5. Quais as principais contraindicações de Percof (levodropropizina)?

O Percof (levodropropizina) não deve ser tomado em casos de hipersensibilidade à levodropropizina ou a qualquer outro ingrediente de sua fórmula. Também não deve ser administrado a mulheres grávidas, àquelas que estejam amamentando ou às crianças de menos de dois anos de idade.

A levodropropizina não deve ser administrada naqueles casos de tosse em que haja uma grande secreção brônquica.

 

6. Quais são as observações e os cuidados que devem ser mantidos durante o uso de Percof (levodropropizina)?

Não se deve tomar bebida alcoólica enquanto se estiver usando a levodropropizina.

Embora raramente a levodropropizina cause sedação21, a pessoa que esteja usando esse medicamento deve evitar dirigir veículos automotores e manejar máquinas perigosas, pelo menos até saber os efeitos que ela faz em seu caso.

 

Ver informações do laboratório

Complementos

1 Miorrelaxante: Produto farmacológico com função de reduzir contratura muscular.
2 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia.
3 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
4 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
5 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
6 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
7 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
8 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
9 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
10 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
11 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
12 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
14 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
15 Torpor: 1. Sentimento de mal-estar caracterizado pela diminuição da sensibilidade e do movimento; entorpecimento, estupor, insensibilidade. 2. Indiferença ou apatia moral; indolência, prostração. 3. Na medicina, ausência de reação a estímulos de intensidade normal.
16 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
17 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
18 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
19 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
20 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
21 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.

Tem alguma dúvida sobre Percof?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.