Cebion Zinco

MERCK S/A

Atualizado em 16/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Cebion® Zinco
ácido ascórbico + zinco
Comprimidos efervescentes

APRESENTAÇÕES

Comprimidos efervescentes
Embalagens contendo 10 comprimidos efervescentes

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIATRICO ACIMA DE 12 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido efervescente contém:

ácido ascórbico (vitamina1 C) 1 g
zinco 10 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: ácido adípico, ácido cítrico, aroma de laranja, aspartamo, bicarbonato de sódio, corante amarelo crepúsculo, isomalte.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Cebion® Zinco é um suplemento vitamínico indicado como auxiliar do sistema imunológico2.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Cebion® Zinco consiste na associação da vitamina1 C (ácido ascórbico) com o zinco, que atuam de forma complementar para um adequado funcionamento do sistema imunológico2. Tanto a vitamina1 C quanto o zinco tem que ser obtidos de fontes externas, uma vez que não são produzidos pelo organismo.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este produto é contraindicado em pacientes com:

  • conhecida hipersensibilidade (alergia3) ao ácido ascórbico, ao zinco ou a qualquer um dos componentes da fórmula
  • cálculos urinários
  • história de níveis elevados de ácido úrico
  • doenças de armazenamento de ferro (como talassemia4, hemocromatose5 e anemia sideroblástica6)
  • úlceras7 gástricas

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Advertências e precauções

Na ingestão de doses elevadas de ácido ascórbico (4 g ao dia) tem sido observada hemólise8 (destruição dos glóbulos vermelhos do sangue9) – até certo ponto grave – em casos individuais de pacientes com deficiência de glicose10-6-fosfato-desidrogenase eritrocitária (uma deficiência genética).

Pacientes com insuficiência renal11 grave ou terminal (sob diálise12) não devem exceder uma dose diária de 100 mg de ácido ascórbico, devido ao risco de formação de cálculos urinários.

Se você é cardíaco, sofre de pressão alta ou de hipoglicemia13, deve procurar orientação médica antes de tomar Cebion® Zinco, por causa do seu conteúdo de sódio (sal).

Se você encontra-se em dieta com restrição de sódio, deve considerar que cada comprimido efervescente de Cebion® Zinco contém 0,2847 g de sódio.

Em concentrações mais elevadas, o ácido ascórbico interfere com vários testes laboratoriais (glicose10, ácido úrico, creatinina14, fosfato inorgânico). Também a detecção de sangue9 oculto nas fezes pode fornecer resultados falso-negativos. Geralmente a detecção química baseada numa reação colorida pode ser afetada. É necessário interromper o uso de Cebion® Zinco antes desses exames. O uso crônico15 de medicamentos contendo zinco em doses acima de 15 mg ao dia necessita de orientação médica.

Atenção fenilcetonúricos16: contém fenilalanina17.

Gravidez18 e amamentação19

Não exceder as doses indicadas durante a gravidez18 e a amamentação19. O ácido ascórbico é excretado no leite materno e atravessa a placenta.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações com alimentos, bebidas e outros medicamentos

Alimentos não interferem com os efeitos do Cebion® Zinco. A administração concomitante de antiácidos20 contendo alumínio com este produto pode aumentar a eliminação urinária de alumínio.

Não é recomendada a administração concomitante de antiácidos20 e ácido ascórbico, especialmente em pacientes com insuficiência renal11.

Evite tomar o produto juntamente com bebidas alcoólicas.

Anticoncepcionais e medicamentos contendo hormônios corticosteroides podem diminuir os níveis de vitamina1 C no organismo.

A calcitonina21, um medicamento usado para problemas ósseos, aumenta a velocidade de utilização da vitamina1 C.

O uso simultâneo com determinados medicamentos (barbitúricos, tetraciclina, salicilatos) pode aumentar a eliminação urinária da vitamina1 C. Cebion® Zinco, se tomado junto com medicamentos à base de substância desferroxamina, pode potencializar os efeitos tóxicos do ferro no organismo, especialmente no coração22, resultando em descompensação cardíaca.

Altas doses de ácido ascórbico podem reduzir os níveis plasmáticos de indinavir. Vários medicamentos podem diminuir os níveis sanguineos de zinco (etambutol, di-iodoidroxiquinolina, clioquinol, dissulfiram, oxiquinolinas, penicilamina, iproniazida, nialamida e isocarboxazida). Outros medicamentos podem provocar aumento na eliminação de zinco pela urina23 (quelantes, clorotiazidas, glucagon24). O zinco pode diminuir a absorção pelo intestino de tetraciclinas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Direção de veículos e operação de máquinas

Você pode dirigir e lidar com máquinas normalmente durante tratamento com Cebion® Zinco.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Você deve conservar Cebion® Zinco em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), protegido da umidade.
Manter o tubo sempre bem fechado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

Os comprimidos de Cebion® Zinco são redondos, alaranjados, lisos nos dois lados e com odor de laranja.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Como usar

Para abrir os tubos de Cebion® Zinco, force o lacre para baixo e, depois, empurre a tampa para cima.

Coloque o comprimido efervescente em um copo com água. O comprimido se dissolverá espontaneamente. Beber imediatamente após o término da dissolução.

Posologia

Adultos e crianças maiores de 12 anos: um comprimido efervescente ao dia dissolvido em água. Doses superiores às recomendadas devem ser tomadas somente com indicação médica.

Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco
Se você é diabético ou faz dieta com restrição de açúcar25, pode tomar Cebion® Zinco, já que sua fórmula não contém sacarose ou outros açúcares. Não existem advertências nem recomendações especiais sobre o uso do produto por pacientes idosos e em crianças acima de 12 anos.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas26, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Tome a dose assim que se lembrar, mas não tome uma dose dobrada para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todos os medicamentos, Cebion® Zinco pode causar algumas reações desagradáveis; no entanto, estas não ocorrem em todas as pessoas.

Caso você tenha uma reação alérgica27, deve parar de tomar o medicamento.

Cebion® Zinco é normalmente bem tolerado. Em casos isolados foram observadas reações de hipersensibilidade envolvendo os sistemas respiratório ou cutâneo28. Particularmente com doses altas foram observados distúrbios gastrointestinais (como náuseas29, vômitos30, diarreia31, dor abdominal, dispepsia32) e poliúria33.

Em pessoas predispostas, o uso de altas doses de medicamentos contendo vitamina1 C pode ocasionar cálculos renais (pedras nos rins34).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Sintomas26 decorrentes de dose excessiva são improváveis após uma única tomada do produto, uma vez que o ácido ascórbico, em quantidade excedendo às necessidades do organismo, é rapidamente eliminado pela urina23. Doses muito elevadas (superiores a 10g/dia) e tomadas por tempo prolongado podem provocar o desenvolvimento de cálculos urinários. Diarreias temporárias ocorrem ocasionalmente após tomadas únicas de 3 g ou mais, e quase invariavelmente após doses de 10 g ou mais. Doses muito elevadas de zinco podem causar náusea35 e diarreia31. Se você tiver alguma reação adversa, suspenda o uso do produto e procure assistencia médica, caso seja necessário.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas26 procure orientação médica.
 

M.S. 1.0089.0332
Farmacêutica Responsável: Fernanda P. Rabello - CRF-RJ nº 16979

Importado por:
MERCK S.A.
CNPJ 33.069.212/0001-84
Estrada dos Bandeirantes, 1099
Rio de Janeiro - RJ - CEP 22710-571
Indústria Brasileira

Fabricado e embalado por:
Altea Farmacéutica S.A. – Bogotá – Colômbia


SAC 0800 727 7293

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
3 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
4 Talassemia: Anemia mediterrânea ou talassemia. Tipo de anemia hereditária, de transmissão recessiva, causada pela redução ou ausência da síntese da cadeia de hemoglobina, uma proteína situada no interior do glóbulos vermelhos e que tem a função de transportar o oxigênio. É classificada dentro das hemoglobinopatias. Afeta principalmente populações da Itália e da Grécia (e seus descendentes), banhadas pelo Mar Mediterrâneo.
5 Hemocromatose: Distúrbio metabólico caracterizado pela deposição de ferro nos tecidos em virtude de seu excesso no organismo. Os locais em que o ferro mais se deposite são fígado, pâncreas, coração e hipófise.
6 Anemia sideroblástica: Anemia que ocorre quando há incapacidade de maturação das hemácias, apesar de número aumentado de precursores na medula óssea. A produção de hemoglobina está reduzida pela incapacidade de incorporação do heme à protoporfirina para formar hemoglobina, ocorrendo acúmulo de ferro. A avaliação da medula óssea mostra hiperplasia eritróide, aumento do ferro medular e sideroblastos (células com acúmulo de ferro nas mitocôndrias circundando o núcleo).
7 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
8 Hemólise: Alteração fisiológica ou patológica, com dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue causando liberação de hemoglobina. É também conhecida por hematólise, eritrocitólise ou eritrólise. Pode ser produzida por algumas anemias congênitas ou adquiridas, como consequência de doenças imunológicas, etc.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
11 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
12 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
13 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
14 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
15 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
16 Fenilcetonúricos: Portadores da doença fenilcetonúria.
17 Fenilalanina: É um aminoácido natural, encontrado nas proteínas vegetais e animais, essencial para a vida humana.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
20 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
21 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
22 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
23 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
24 Glucagon: Hormônio produzido pelas células-alfa do pâncreas. Ele aumenta a glicose sangüínea. Uma forma injetável de glucagon, disponível por prescrição médica, pode ser usada no tratamento da hipoglicemia severa.
25 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
26 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
27 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
28 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
29 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
30 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
32 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
33 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
34 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
35 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Cebion Zinco?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.