BRONCOFLUX

FARMASA

Atualizado em 03/06/2015

Composição de Broncoflux

adultos: cada 5 ml contém 30 mg de cloridratode ambroxol. Pediátrico: cada 5 ml contém 15 mg de cloridrato de ambroxol. Excipientes: hidroxietilcelulose, sorbitol1, glicerina, sacarina2, ácido benzóico, propilenoglicol.

Posologia e Administração de Broncoflux

Broncoflux xarope para adultos 5 ml (1/2 copo-medida), 3 vezes ao dia. Broncoflux xarope pediátrico: crianças: até 2 anos: 2,5 ml (1/4 copo-medida), 2 vezes ao dia; de 2 a 5 anos: 2,5 ml (1/4 copo-medida), 3 vezes ao dia; de 5 a 10 anos: 5,0 ml (1/2 copo-medida), 3 vezes ao dia. - Superdosagem: ainda não foi descrita. O tratamento deve ser sintomático3.

Precauções de Broncoflux

gravidez4 e lactação5: embora não tenham sido detectados efeitos teratogênicos6 e mutagênicos nos estudos realizados até o momento, não se recomenda o uso do cloridrato de ambroxol durante a gravidez4, sobretudo durante o primeiro trimestre. O cloridrato de ambroxol passa para o leite materno; entretanto, quando administrado em doses terapêuticas, não é provável que tenha ação sobre o lactente7. - Interações medicamentosas: a administração concomitante de ambroxol e antibióticos (amoxicilina, cefuroxima, eritromicina, doxicilina) produz concentrações antibióticas mais elevadas no tecido8 pulmonar.

Reações Adversas de Broncoflux

o cloridrato de ambroxol é geralmente bem tolerado. Foram relatados casos isolados de distúrbios gastrintestinais leves (principalmente pirose9, dispepsia10 e ocasionalmente náusea11 e vômitos12). Raramente, ocorreram reações alérgicas, excepcionalmente foram relatadas reações do tipo anafiláticas, embora sua relação com ambroxol seja duvidosa, pois alguns pacientes tinham apresentado anteriormente reação alérgica13 a outras substâncias.

Contra-Indicações de Broncoflux

hipersensibilidade individual ao cloridrato de ambroxol ou a qualquer componente da formulação.

Indicações de Broncoflux

como terapêutica14 secretolítica e expectorante nas afecções15 broncopulmonares agudas e crônicas, associadas à secreção mucosa16 anormal e transtornos do transporte mucoso: bronquite aguda17 e crônica, enfisematosa e asmática, traqueobronquites, pneumopatias inflamatórias, bronquiectasias, pneumoconiose18, otites19, sinusites e sintomas20 gripais. Profilaxia de complicações pulmonares no pré e pós-operatório, especialmente em cirurgia geriátrica e, sobretudo, em UTI.

Apresentação de Broncoflux

frasco com 120 ml.


BRONCOFLUX - Laboratório

FARMASA
Rua Nova York, 245 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04560-908
Tel: 11 5049 6200
Site: http://www.farmasa.com.br
0800 0114033

Ver outros medicamentos do laboratório "FARMASA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
2 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
3 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
7 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
9 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
10 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
11 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
12 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
14 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
15 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
16 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
17 Bronquite aguda: Inflamação dos brônquios produzida em geral por diferentes vírus respiratórios, que se manifesta por febre, tosse e expectoração de muco à tosse.
18 Pneumoconiose: Reação fibrosa crônica dos pulmões à inalação de poeiras, marcada especialmente por perda da expansibilidade, fibrose e pigmentação. Ela recebe nomes diversos segundo o tipo de poeira inalada.
19 Otites: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre BRONCOFLUX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.