Preço de Femme em Wilmington/SP: R$ 0,00

Femme

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A

Atualizado em 15/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Femme
polivitamínico e poliminerais
Comprimidos

APRESENTAÇÃO

Comprimido revestido
Frasco com 30 comprimidos

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido contém:

retinol (vitamina1 A) 5000 UI
colecalciferol (vitamina1 D3) 400 UI
ácido ascórbico (vitamina1 C) 100 mg
ácido fólico 1 mg
acetato de racealfatocoferol (vitamina1 E) 30 UI
biotina 30 mcg
cloridrato de piridoxina (vitamina1 B6) 10 mg
cianocobalamina (vitamina1 B12) 3 mcg
nicotinamida 20 mg
riboflavina (vitamina1 B2) 2 mg
nitrato de tiamina (vitamina1 B1) 1,5 mg
ácido pantotênico (como pantotenato de cálcio) 10 mg
cromo (como cloreto crômico) 25 mcg
cálcio (como carbonato de cálcio) 250 mg
ferro (como fumarato ferroso) 30 mg
magnésio (como óxido de magnésio) 100 mg
manganês (como sulfato de manganês) 5 mg
zinco (como óxido de zinco) 25 mg
iodo (como iodeto de potássio) 150 mcg
cobre (como óxido cúprico) 2 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: dióxido de silício, celulose microcristalina, estearato de magnésio, povidona, crospovidona, etilcelulose, hipromelose, petrolato líquido, laurilsulfato de sódio, macrogol, dióxido de titânio, talco, corante vermelho FDC nº. 3 e óxido de ferro vermelho.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Femme é indicado como suplemento vitamínico e mineral em períodos de convalescença (período entre a doença e a recuperação da saúde2), gestação e aleitamento.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Sua formulação fornece todos os elementos vitamínicos e minerais em quantidades adequadas para ser associado a uma dieta alimentar.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Femme é contraindicado em pacientes que apresentem hipersensibilidade (alergia3) a quaisquer dos componentes da fórmula ou que apresentem úlcera péptica4 (lesão5 no estômago6) e doenças hepáticas7 (do fígado8).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez9.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Interações medicamento/medicamento, com ácido fólico

Medicamentos: Barbitúricos (fenobarbital, fenitoína)
Efeito da Interação: diminuição da concentração plasmática de ácido fólico e diminuição dos efeitos dos barbitúricos.

Medicamentos: metrotexato, nitrofurantoina
Efeito da Interação: diminuição da concentração plasmática de ácido fólico.

Medicamentos: primidona
Efeito da Interação: diminuição da concentração plasmática de ácido fólico e diminuição dos efeitos da primidona.

Medicamento: pirimetamina
Efeito da Interação: perda da eficácia da pirimetamina.

Interação ácido fólico/substância química

Substância: álcool
Efeito da Interação: diminui a concentração plasmática de ácido fólico.

Interações medicamento/medicamento, com ferro

Medicamento: ácido aceto hidroxamicos e demeclociclina.
Efeito da interação: diminuição do ácido acetato e da eficácia do ferro.

Medicamento: ciprofloxacino, ibandronato, levoflaxino, levodopa, carbidopa, lomefloxacina, metildopa, minociclina, norfloxacino, ofloxacino, penicilinas.
Efeito da interação: possível diminuição da eficácia desses medicamentos

Medicamentos: doxiciclina, pantoprazol, tetraciclina.
Efeito da interação: diminuição da absorção de ambos.

Medicamentos: esomeprazol, omeprazol, rolitetraciclina.
Efeito da interação: redução da biodisponibilidade do ferro.

Medicamentos: antiácidos10, gemifloxacina, zinco, levotiroxina11.
Efeito da interação: redução da absorção dos medicamentos acima.

Medicamentos: contendo sais de alumínio, magnésio ou bicarbonato.
Efeito da interação: diminuição da eficácia do ferro.

Interações medicamento/alimento, com ferro

Alimento: laticínios.
Efeito da interação: diminuição da biodisponibilidade do ferro.

Alimento: que contenham ácido cítrico.
Efeito da interação: aumento da absorção do ferro.

Alimento: proteína de soja e soja
Efeito na interação: diminuição da absorção do ferro

Interações medicamento/medicamento, com vitamina1 A

Medicamentos: colestiramina, neomicina, sulcrafatos.
Efeito da Interação: redução da absorção intestinal de vitamina1 A.

Medicamentos: anticoagulantes12.
Efeito da Interação: altas doses de vitamina1 A podem induzir a hipoprotrombinemia.

Medicamento: retinóides.
Efeito da Interação: adição dos sintomas13 tóxicos.

Interações medicamento/alimentos, com vitamina1 A

Alimentos: que contenham Ferro e vitamina1 C.
Efeito da Interação: altas doses de vitamina1 A reduzem a concentração plasmática das substâncias citadas acima.

Alimentos: que contenham vitamina1 E.
Efeito da Interação: altas doses de vitamina1 A aumentam a necessidade de Vitamina1 E.

Alimentos: que contenham vitamina1 K.
Efeito da Interação: concorre com a vitamina1 A, podendo induzir a hipotrombinemia.

Interações medicamento/medicamento, com vitamina1 B6

Medicamentos: hidralazina, isoniazida, penicilinas.
Efeito da Interação: antagonista14 da vitamina1 B6.

Medicamentos: estrogênios, teofilina.
Efeito da Interação: pode aumentar a necessidade de vitamina1 B6.

Medicamento: levodopa.
Efeito da Interação: efeitos da levodopa são revertidos pela piridoxina.

Interação vitamina1 B6/substância química

Substância: álcool
Efeito da Interação: aumenta a concentração plasmática de vitamina1 B6.

Interações medicamento/medicamento, com vitamina1 B2

Medicamentos: barbitúricos, contraceptivos orais.
Efeito da Interação: uso prolongado pode induzir a deficiência de riboflavina.

Medicamentos: fenotiazinas, antidepressivos tricíclicos.
Efeito da Interação: pode aumentar a necessidade de riboflavina (vitamina1 B2).

Medicamentos: probenecida.
Efeito da Interação: reduz a absorção gastrintestinal e excreção urinária.

Interação vitamina1 B2/substância química

Substância: álcool
Efeito da Interação: doses excessivas de álcool induzem a deficiência de riboflavina.

Interações medicamento/medicamento, com vitamina1 C

Medicamento: ácido acetilsalicílico (AAS).
Efeito da interação: redução da absorção do ácido ascórbico em cerca de um terço.

Medicamento: antiácidos10 contendo alumínio.
Efeito da interação: pode ocorrer maior absorção deste componente do antiácido15, determinando aumento dos níveis sanguíneos do mesmo.

Interações medicamento/medicamento, com ácido pantotênico

Medicamento: contraceptivos orais.
Efeito da Interação: podem aumentar a necessidade de ácido pantotênico.

Interação ácido pantotênico/substância química

Substância: álcool
Efeito da interação: pode aumentar a necessidade de ácido pantotênico.

Interações medicamento/medicamento, com magnésio

Medicamentos: diuréticos16 de alça, diurético17 tiazídicos.
Efeito da Interação: aumentam a excreção de magnésio.

Medicamentos: quinolonas, tetraciclinas.
Efeito da Interação: podem ter sua absorção reduzida.

Interação magnésio/substância química

Substância: álcool.
Efeito da Interação: doses excessivas de álcool podem aumentar a excreção renal18 de magnésio.

Interações medicamento/medicamento, com biotina

Medicamentos: anticoagulante19, carbamazepina, fenobarbital, fenitoina e primidona.
Efeito da interação: podem aumentar a necessidade de biotina.

Interações medicamento/medicamento, com cromo

Medicamento: insulina20.
Efeito da interação: pode reduzir a necessidade de insulina20 em pacientes diabéticos.

Medicamento: hipoglicemiantes orais21.
Efeito da interação: podem ter o efeito hipoglicemiante22 potencializado.

Os demais componentes dessa formulação não apresentam interações significativas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde2.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar Femme em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

Femme é um comprimido revestido, oblongo, róseo com face23 lisa.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve tomar um comprimido por dia ou seguir a orientação do médico.

Você deve tomar Femme quando a gravidez9 já estiver iniciada, na dose de um comprimido ao dia, via oral, de preferência pela manhã, por toda gestação e durante o período de amamentação24. Em casos de intolerância gástrica (problemas no estômago6, como dor, azia25) ingerir durante ou após a principal refeição.

Quando utilizado no período antes da gravidez9, Femme deve ser tomado pelo menos três meses antes da possível gestação na dose de um comprimido ao dia via oral pela manhã ou de acordo com a orientação do médico, podendo durar por todo o período da gravidez9 e lactação26.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de esquecimento da dose preconizada27 no dia, aguardar a dose seguinte e manter o uso regular do medicamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais como: náusea28, vômito29, diarreia30, prisão de ventre (intestino preso), sensação de calor e/ou rubor (vermelhidão) na face23.

Reações muito comuns (> 1/10): pressão alta, dor no peito31 generalizada, inchaço32, palpitação33, coceira, queda da pressão arterial34, aumento dos níveis de cálcio no sangue35, intolerância gastrintestinal, células36 vermelhas anormais no sangue35, cãimbras, tonturas37, parestesias38 (sensibilidade alterada), dor de cabeça39, desmaios, falta de ar, tosse, infecções40 respiratórias.

A literatura cita ainda as seguintes reações adversas, sem frequência conhecidas:

Reações alérgicas (coceira, vermelhidão na pele41, urticária42), distúrbios gastrointestinais incluindo enjoo, aumento do volume abdominal, flatulência, diarreia30, gosto amargo na boca43, mudanças no estado mental, alterações do sono, mal estar, irritabilidade, excitabilidade, hiperatividade, aumento do comportamento psicótico em pacientes tratados com haloperidol, aumento da frequência e severidade de crises convulsivas, neuropatia44 (lesão5 dos nervos), dormência45/ formigamento dos pés e mãos46, perda dos reflexos dos membros, reflexos dos tendões47 prejudicados ou ausentes, fotossensibilidade, tonturas37, piora da acne48, feridas, inchaço32 nos lábios, garganta49 e língua50, dor nas articulações51.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você tomar acidentalmente uma quantidade de comprimidos acima da indicada, você deve procurar imediatamente orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS - 1.0573.0246
Farmacêutica Responsável: Gabriela Mallmann - CRF-SP nº 30.138

Fabricado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Guarulhos - SP

Registrado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 - 20º andar
São Paulo - SP
CNPJ 60.659.463/0029-92
Indústria Brasileira


SAC 0800 701 6900

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
4 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
5 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
7 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
8 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
9 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
10 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
11 Levotiroxina: Levotiroxina sódica ou L-tiroxina (T4) é um hormônio sintético usado no tratamento de reposição hormonal quando há déficit de produção de tiroxina (T4) pela glândula tireoide.
12 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
15 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
16 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
17 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
20 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
21 Hipoglicemiantes orais: Medicamentos usados por via oral em pessoas com diabetes tipo 2 para manter os níves de glicose próximos ao normal. As classes de hipoglicemiantes são: inibidores da alfaglicosidase, biguanidas, derivados da fenilalanina, meglitinides, sulfoniluréias e thiazolidinediones.
22 Hipoglicemiante: Medicamento que contribui para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capaz de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
23 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
24 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
25 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
26 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
27 Preconizada: Recomendada, aconselhada, pregada.
28 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
29 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
30 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
31 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
32 Inchaço: Inchação, edema.
33 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
34 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
35 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
36 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
37 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
38 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
39 Cabeça:
40 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
41 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
42 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
43 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
44 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
45 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
46 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
47 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
48 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
49 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
50 Língua:
51 Articulações:

Tem alguma dúvida sobre Femme?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.