Preço de Fibrogammin P em Ann Arbor/SP: R$ 0,00

Fibrogammin P

CSL BEHRING

Atualizado em 21/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Fibrogammin® P
fator XIII de coagulação1
Solução injetável

APRESENTAÇÃO

liofilizado2 para solução injetável
Embalagem com 1 frasco-ampola de fator XIII de coagulação1 em pó liofilizado2, 1 frasco-ampola com 4 mL de água para injetáveis e 1 dispositivo de transferência com filtro.

VIA INTRAVENOSA
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO

Cada frasco-ampola de Fibrogammin® P contém:

fator XIII de coagulação1 250 UI
diluente (água para injetáveis) 4 mL
excipiente q.s.p. 1 frasco-ampola

Excipientes: albumina3 humana, glicose4 e cloreto de sódio.

Fibrogammin® P contém aproximadamente 62,5 UI/mL (250 UI/4mL) de fator XIII de coagulação1 quando reconstituído com 4 mL de diluente.

A atividade específica de Fibrogammin® P é aproximadamente 3,1– 13,3 UI/mg de proteína.

Fibrogammin® P é um concentrado purificado do fator XIII de coagulação1 (FXIII), obtido a partir do plasma5 humano.

NOTA: Ao longo do texto será utilizada a abreviação FXIII em referência ao termo fator XIII de coagulação1.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Fibrogammin® P é indicado para:

  • Deficiência congênita6 (presente desde o nascimento) de FXIII e consequentes diáteses hemorrágicas7 (manifestações de sangramento), hemorragias8 (perda de sangue9) e problemas na cicatrização de feridas;
  • Diáteses hemorrágicas7 causadas pela deficiência adquirida (que se desenvolve ao longo da vida) de FXIII;
  • Tratamento de suporte nos casos de problemas na cicatrização de feridas, especialmente em úlceras10 de membro inferior (pernas e pés) após cirurgias de grande porte ou ferimentos.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Fibrogammin® P é um concentrado purificado do FXIII. Este medicamento auxilia a cicatrização da ferida e leva à normalização do processo de coagulação1.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve utilizar este medicamento se tiver hipersensibilidade (alergia11) ao princípio ativo ou a qualquer uma das substâncias da fórmula.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESSE MEDICAMENTO?

Se você tiver reações conhecidas ao produto (com sintomas12 como coceira em todo o corpo, erupção13 cutânea14, pressão baixa, falta de ar), seu médico lhe dará anti-histamínicos e corticosteroides.

Você pode apresentar reações de alergia11 (hipersensibilidade) com Fibrogammin® P. Se ocorrerem

sintomas12 de alergia11 (hipersensibilidade), como coceira, coceira em todo o corpo, aperto no peito15, chiado no peito15, pressão baixa e reação alérgica16 grave, a infusão de Fibrogammin® P deve ser interrompida imediatamente.

Em caso de trombose17 recente, devem ser tomados cuidados em relação ao efeito estabilizador da fibrina18 do FXIII.

Imunogenicidade

O desenvolvimento de anticorpos19 inibidores contra o FXIII foi detectado em pacientes recebendo Fibrogammin® P. Portanto, seu médico deverá monitorá-lo para o possível desenvolvimento de anticorpos19 inibidores. A presença de anticorpos19 inibidores pode manifestar-se como uma resposta inadequada ao tratamento. Se os níveis de atividade de FXIII no plasma5 não forem atingidos, ou se ocorrer sangramento de escape enquanto você estiver recebendo o tratamento profilático, deve-se medir a concentração de anticorpos19 inibidores de FXIII.

Nota para pacientes20 diabéticos

Fibrogammin® P contém glicose4 (96 mg por 1000 UI). Ao receber uma dose de 10 UI/kg de seu peso, se você tiver 75 kg, você receberá 72 mg de glicose4. Ao receber a dose diária máxima de 35 UI/kg de seu peso, se você tiver 75 kg, você receberá 252 mg de glicose4.

Atenção: Este medicamento contém Açúcar21, portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes22.

Nota para pacientes20 em dieta de restrição de sódio

Fibrogammin® P contém cloreto de sódio e, portanto, pode ser prejudicial se você estiver fazendo uma dieta de restrição de sódio (redução de sal).

Gravidez23, amamentação24 e fertilidade

Dados limitados sobre o uso de Fibrogammin® P na gravidez23 não demonstraram nenhum efeito negativo no curso da gestação e no desenvolvimento perinatal ou pós-natal. O uso de Fibrogammin® P pode ser considerado durante a gravidez23, se necessário.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Não existem dados referentes à excreção de Fibrogammin® P no leite humano. No entanto, a excreção no leite é improvável devido ao alto peso molecular e devido ao seu caráter proteico é pouco provável que o bebê absorva a molécula intacta. Portanto, Fibrogammin® P pode ser usado durante a amamentação24.

Não há dados de Fibrogammin® P relacionados a fertilidade.

Segurança viral

Quando produtos são obtidos a partir do sangue9 ou do plasma5 humano, algumas medidas são estabelecidas para prevenir que infecções25 sejam transmitidas aos pacientes. Elas incluem:

  • Seleção cuidadosa dos doadores de sangue9 e de plasma5 para garantir que aqueles que apresentem risco de carregar infecções25 sejam excluídos;
  • Teste de cada doação e “pools” de plasma5 para sinais26 de vírus27/infecções25;
  • Inclusão de etapas no processamento do sangue9 ou do plasma5 que possam inativar ou remover vírus27. Apesar destas medidas, quando são administrados produtos obtidos a partir de sangue9 ou de plasma5 humano, a possibilidade de transmissão de infecção28 não pode ser totalmente excluída. Isto também se aplica a vírus27 desconhecidos ou emergentes ou outros tipos de infecção28.

Essas medidas são consideradas eficazes para vírus27 envelopados como o vírus27 da AIDS (HIV29 - vírus27 da imunodeficiência30 humana), vírus27 das hepatites31 B e C e para os vírus27 não-envelopados da hepatite32 A e parvovírus B19.

É fortemente recomendado que toda vez que você receber uma dose de Fibrogammin® P, seu nome e o número do lote do produto sejam registrados para que seja mantido um registro dos lotes utilizados. Seu médico pode recomendar que você tome a vacinação contra hepatite32 A e B se você recebe regularmente/repetidamente produtos com FXIII derivados do plasma5 humano.

Interações com outros medicamentos

Até o momento não se conhece nenhuma interação de Fibrogammin® P com outro medicamento.

Incompatibilidades

Fibrogammin® P não deve ser misturado a outros medicamentos, diluentes ou solventes e deve ser administrado por linha de infusão separada.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde33.

Atenção atletas: este medicamento contém albumina3 humana, que é considerada um agente mascarante do doping conforme lista de referência do Comitê Olímpico Internacional.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Fibrogammin® P deve ser mantido sob refrigeração (temperatura entre 2 e 8 °C), na sua embalagem original. Não congelar.
Mantenha o frasco-ampola dentro de sua embalagem original para a proteção contra a luz.
Após a abertura da ampola, o produto deve ser utilizado imediatamente.

O prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação. Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem
Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

A estabilidade física e química em uso foi demonstrada por 24 horas a ≤ 25 ºC. Do ponto de vista microbiológico34, o produto deve ser utilizado imediatamente. Caso não seja administrado imediatamente depois do preparo, este produto deve ser utilizado dentro de 4 horas, quando mantido sob condições estéreis e armazenado a temperatura ambiente (20 a 25 ºC). Não refrigerar ou congelar a solução reconstituída.

Características organolépticas

liofilizado2: pó branco e claro.
Diluente: solução incolor.
Solução reconstituída: solução levemente opalescente.

Uma vez reconstituída, não utilizar se a solução estiver turva ou apresentar depósito. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Qualquer produto ou material residual não utilizado deve ser eliminado de acordo com os requisitos da legislação local.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

POSOLOGIA

IMPORTANTE: 1 mL de solução equivale a 62,5 UI ou 100 UI equivale a 1,6 mL, respectivamente. Seu médico irá verificar a quantidade de medicamento e a frequência ideal para você.

a) Para deficiência congênita6 (desde o nascimento) de FXIII

Prevenção de hemorragias8: você receberá aproximadamente 10 UI/kg de seu peso do medicamento de 4 em 4 semanas. Se hemorragias8 espontâneas (inesperadas, sem causa aparente) ocorrerem, seu médico poderá decidir diminuir o intervalo entre cada injeção35 ou infusão;

Prevenção antes de cirurgias: você receberá até 35 UI/kg de seu peso do medicamento imediatamente antes da cirurgia, e também quando for necessário para atingir um nível adequado de FXIII. Você poderá receber injeções repetidas até a cicatrização completa da ferida cirúrgica;

Terapia: em caso de hemorragias8 graves (perdas graves de sangue9) e hematomas36 extensos, você receberá 10 a 20 UI/kg de seu peso do medicamento todos os dias, até que o sangramento pare.

b) Para deficiência adquirida do FXIII

Se você apresenta diáteses hemorrágicas7 (manifestações hemorrágicas7), você receberá pelo menos 15 a 20 UI/kg de seu peso do medicamento todos os dias, até se sentir melhor e retornar ao nível normal de FXIII.

c) Tratamento de suporte nos distúrbios da cicatrização de feridas cirúrgicas

Você receberá 10 UI/kg de peso no dia da cirurgia e uma vez ao dia nos próximos 3 dias após a cirurgia. No caso dos pacientes de risco, serão administrados 15 a 20 UI/kg de seu peso do medicamento no dia da cirurgia, e uma vez ao dia nos 3 dias depois a cirurgia.

Em geral, episódios de sangramento agudo37 (incluindo estados de deficiência adquirida) exigem doses consideravelmente maiores que as doses usadas na profilaxia em doenças congênitas38.

Devido às patogêneses diferentes da deficiência de FXIII, dados disponíveis sobre as meias-vidas diferem consideravelmente. Seu médico irá monitorá-lo com um método específico de avaliação da atividade do FXIII. No caso de cirurgias de grande porte e hemorragias8, o objetivo é manter os valores normais.

MÉTODO DE ADMINISTRAÇÃO

Instruções gerais

  • A solução deve ser transparente ou ligeiramente opalescente. Depois de filtragem/ aspiração (ver abaixo), o produto reconstituído deve ser inspecionado visualmente para detecção de partículas e descoloração antes da administração;
  • A reconstituição e aspiração devem ser realizadas em condições assépticas;
  • Não utilizar se a solução estiver turva ou apresentar resíduos (depósito/partículas).

Reconstituição

Deixar o diluente atingir a temperatura ambiente. Assegurar que as tampas “flip” dos frascos do produto e do diluente foram retiradas e as tampas de borracha foram tratadas com solução antisséptica e secas antes da abertura da embalagem do dispositivo de transferência “Mix2Vial”.

1. Abra a embalagem do “Mix2Vial” retirando a tampa. Não remova o “Mix2Vial” da embalagem!

2. Coloque o frasco do diluente sobre uma superfície plana e limpa e segure o frasco firmemente. Pegue o “Mix2Vial” junto com a embalagem e empurre a ponta azul do adaptador em linha reta para baixo através da tampa de borracha do frasco.

3. Retire cuidadosamente a embalagem do conjunto “Mix2Vial” segurando na borda, e puxando verticalmente para cima. Certifique-se de que somente a embalagem seja retirada e não o conjunto “Mix2Vial”.

4. Coloque o frasco do produto sobre uma superfície plana e firme. Inverta o frasco de diluente com o conjunto “Mix2Vial” conectado e empurre a ponta do adaptador transparente em linha reta para baixo através da tampa de borracha. O diluente irá fluir automaticamente para o frasco do produto.

5. Com uma mão39 segure o lado do produto do conjunto “Mix2Vial” e com a outra mão39 segure o lado do diluente e desconecte cuidadosamente, no sentido anti-horário, o conjunto em duas partes. Descarte o frasco de diluente com o adaptador azul “Mix2vial” conectado.

6. Gire suaveente o frasco do produto com o adaptador transparente conectado até que a substância seja completamente dissolvida. Não agite.

7. Puxe o ar para dentro de uma seringa40 vazia e estéril. Enquanto o frasco do produto estiver na posição vertical, conecte a seringa40, no sentido horário, ao conector do “Mix2Vial”. Injete o ar no frasco do produto.

Aspiração e aplicação

8. Mantendo o êmbolo41 da seringa40 pressionado, inverta o sistema de cabeça42 para baixo e aspire a solução para dentro de uma seringa40 puxando o êmbolo41 para trás lentamente.

9. Uma vez transferida a solução para a seringa40, segure firmemente o corpo da seringa40 (mantendo o êmbolo41 da seringa40 para baixo) e desconecte, no sentido anti-horário, o adaptador transparente “Mix2Vial” da seringa40.

Cuidados devem ser tomados para que não entre sangue9 na seringa40 preenchida com o produto, pois existe um risco de que o sangue9 possa coagular43 na seringa40 e coágulos de fibrina18 podem, portanto, ser administrados ao paciente.

Em caso de ser necessário mais do que um frasco de Fibrogammin® P, é possível associar vários frascos de Fibrogammin® P para uma única infusão por meio de um dispositivo de infusão disponível comercialmente.

A solução de Fibrogammin® P não deve ser diluída.

A solução reconstituída deve ser administrada por uma injeção35 independente / linha de infusão por injeção35 intravenosa lenta, a uma velocidade não superior a 4 mL por minuto.

Você deve ser observado para qualquer reação imediata. Se qualquer reação ocorrer e que possa estar relacionada à administração de Fibrogammin® P, a taxa de infusão deve ser diminuída ou a infusão deve ser interrompida, conforme a sua condição clínica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

As seguintes reações adversas são baseadas na experiência pós-comercialização.

As informações abaixo estão de acordo com o sistema de classificação de órgãos MedDRA.

As frequências foram avaliadas de acordo com a seguinte convenção: muito comum (≥ 1 / 10); comum (≥ 1 / 100 e <1 / 10); incomum (≥ 1 / 1.000 e <1/100); rara (≥ 1 / 10.000 e <1 / 1.000); muito rara (<1 /10.000).

Doenças do sistema imune44 (sistema imunitário45)

Em casos raros, reações alérgicas / alérgicas graves (como coceira em todo o corpo, erupções cutâneas46, pressão baixa, falta de ar) foram observadas.
Em casos muito raros o desenvolvimento de inibidores para FXIII pode ocorrer.

Doenças gerais e alterações no local de administração

Em casos raros foi observado aumento da temperatura.
Se você tiver reações alérgicas ou alérgicas graves, seu médico irá suspender a injeção35 ou infusão imediatamente e administrar tratamento adequado. O procedimento padrão para o tratamento de choque47 deve ser seguido pelo seu médico.

População pediátrica

O perfil e segurança para pacientes20 pediátricos não se diferencia do perfil de segurança para pacientes20 adultos nos estudos clínicos.
Para a segurança relativa a agentes transmissíveis ver pergunta “4. O Que Devo Saber Antes de Usar Este Medicamento?”

Relatos de suspeitas de reações adversas

Se você tiver qualquer reação adversa fale com seu médico, enfermeira ou farmacêutico. Isso inclui qualquer efeito adverso possível não listada nesta bula. Reportando as reações adversas você pode ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

As consequências da administração de uma dose excessiva de Fibrogammin® P não são conhecidas.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

DIZERES LEGAIS


USO RESTRITO A HOSPITAIS
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.0151.0104
Farm. Resp.: Cristina J. Nakai - CRF – SP 14.848

Fabricado por:
CSL Behring GmbH Marburg - Alemanha

Importado por:
CSL Behring Comércio de Produtos Farmacêuticos Ltda.
Rua Gomes de Carvalho, 1195 – Cj. 32
CEP 04547-004 – São Paulo – SP
CNPJ: 62.969.589/0001-98


SAC 0800 6008810

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
2 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
3 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
4 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
5 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
6 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
7 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
8 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
11 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
14 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
15 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
16 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
17 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
18 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
19 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
20 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
21 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
22 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
23 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
24 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
25 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
26 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
27 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
28 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
29 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
30 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
31 Hepatites: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
32 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
34 Microbiológico: Referente à microbiologia, ou seja, à especialidade biomédica que estuda os microrganismos patogênicos, responsáveis pelas doenças infecciosas, englobando a bacteriologia (bactérias), virologia (vírus) e micologia (fungos).
35 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
36 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
37 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
38 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
39 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
40 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
41 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
42 Cabeça:
43 Coagular: Promover a coagulação ou solidificação; perder a fluidez, transformar-se em massa ou sólido.
44 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
45 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
46 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
47 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.

Tem alguma dúvida sobre Fibrogammin P?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.