LINCOMICINA

NEO QUIMICA

Atualizado em 09/12/2014

Composição da Lincomicina

cada ampola de 1 ml contém: cloridrato delincomicina 300 mg; cada ampola de 2 ml contém: cloridrato de lincomicina 600 mg. Excipientes: álcool benzílico e água para injeção1.

Posologia e Administração da Lincomicina

adultos: via intramuscular: 1 ampola de 2 ml (600 mg) 1 ou 2 vezes ao dia conforme gravidade do caso. Via endovenosa: 1 ampola de 2 ml (600 mg) 2 ou 3 vezes ao dia com no mínimo 100 ml de diluente, como infusão lenta, por um período não inferior a 1 hora. Crianças: 10 ou 20 mg/kg peso corpóreo ao dia, em dose única ou fracionada, por via intramuscular ou infusão endovenosa diluída, como para adultos. Observação: a administração fracionada deve ser em intervalos de 8 a 12 horas. A dose para adultos não deve ultrapassar 8 gramas diários. Recomenda-se como diluentes, solução de glicose2 a 5 ou 10% ou solução fisiológica3 a 0,9%. Para pacientes4 portadores de insuficiência renal5 grave, recomenda-se redução da dose usual em 25 a 30%.

Precauções da Lincomicina

deve ser administrada com cautela em portadores de asma6 brônquica e alergias. O uso em mulheres no segundo e terceiro trimestre de gravidez7 ou em fase de lactação8 deve ser precedido de uma avaliação médica dos fatores riscos/benefícios. O tratamento de pacientes idosos ou portadores de insuficiências hepática9 e renal10 graves requer um ajuste posológico a critério médico. Lincomicina não é recomendada a recém-nascidos (até 1 mês de idade) nem para o tratamento da febre reumática11 recorrente. O tratamento por tempo prolongado requer exames periódicos de hemograma e testes de função hepática9. A injeção1 endovenosa rápida pode, em alguns pacientes, provocar hipotensão12 e até parada cardíaca. Como outros antibióticos, Lincomicina pode induzir o aparecimento de diarréias e colites durante e até semanas após o término do tratamento; nestes casos recomenda-se a administração oral de 125 a 500 mg de vancomicina até 4 vezes ao dia. O uso em idosos (acima de 65 anos) requer prescrição e acompanhamento médico. - Interações medicamentosas: tem sido reportada uma diminuição da atividade da ampicilina, in vitro, sobre Staphilococcus aureus, quando administrada simultaneamente com Lincomicina.

Reações Adversas da Lincomicina

as reações adversas mais comuns são distúrbios gastrintestinais, tais como: diarréia13, náuseas14, vômitos15 e cólicas16 abdominais; outras reações raras, mas que podem ocorrer em alguns pacientes incluem: leucopenia17 transitória, agranulocitose18, eosinofila, poliartrites e distúrbios da função hepática9. A injeção intramuscular19 pode raramente provocar irritação local.

Contra-Indicações da Lincomicina

pacientes portadores de hipersensibilidade à lincomicina e à clindamicina e para mulheres grávidas no primeiro trimestre de gravidez7. Não deve ser usada no tratamento de infecções20 bacterianas leves ou viróticas, nem apresenta atividade contra Streptococcus faecalis, N. gonorrheae, N. meningitidis e Haemophilus influenzae.

Indicações da Lincomicina

tratamento de infecções20 severas provocadas por microorganismos Gram-positivos, incluindo estafilococos produtores de penicilinases, estreptococos e pneumococos, e inúmeros patógenos anaeróbicos.

Apresentação da Lincomicina

Lincomicina Pediátrica 300 mg injetável: caixa com 1 ampola de 1 ml. Lincomicina 600 mg injetável: caixa com 1 ampola de 2 ml.


LINCOMICINA - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
3 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
6 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
11 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
12 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
13 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
14 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
17 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
18 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
19 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
20 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.

Tem alguma dúvida sobre LINCOMICINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.