Preço de Maxalt em Cambridge/SP: R$ 26,03

Maxalt

MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA

Atualizado em 06/11/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Maxalt®
benzoato de rizatriptana
Comprimidos 10 mg

APRESENTAÇÃO

Comprimido
Embalagem contendo 2 comprimidos

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de Maxalt® contém:

rizatriptana (correspondente a 14,53 mg do sal de benzoato) 10 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: lactose1 monoidratada, celulose microcristalina, amido pré-gelatinizado, óxido de ferro vermelho e estearato de magnésio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Maxalt® é um medicamento indicado para o tratamento de crises de enxaqueca2.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O tratamento com Maxalt®:

Reduz o inchaço3 dos vasos sanguíneos4 em torno do cérebro5. Esse inchaço3 causa a dor de cabeça6 durante a crise da enxaqueca2;

Bloqueia a liberação de substâncias das terminações nervosas que causam mais dor e outros sintomas7 da enxaqueca2;

Interrompe o envio de sinais8 específicos de dor para seu cérebro5.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não use Maxalt® se você:

  • tiver hipersensibilidade à rizatriptana ou a qualquer um de seus componentes (veja o item COMPOSIÇÃO);
  • tiver pressão arterial9 elevada não controlada;
  • tiver doença do coração10 ou histórico de doença do coração10;
  • tem ou teve um derrame11 ou ataque isquêmico12 transitório (AIT);
  • tem ou teve problemas nos vasos sanguíneos4, incluindo doença isquêmica do intestino;
  • estiver recebendo concomitantemente inibidores da monoaminoxidase13 (MAO14) tal como moclobemida, fenelzina, tranilcipromina ou pargilina, ou ter utilizado inibidores da MAO14 nas duas últimas semanas.

Caso não esteja seguro se você pode utilizar Maxalt®, entre em contato com seu médico.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve tomar Maxalt® somente em caso de uma crise de enxaqueca2. Maxalt® não deve ser usado para tratar outras dores de cabeça6 que podem ser causadas por outras condições mais graves.

Cada comprimido de Maxalt® contém uma pequena quantidade de lactose1, porém provavelmente essa quantidade não é suficiente para induzir sintomas7 específicos de intolerância.

Gravidez15 e lactação16: não se sabe se Maxalt® apresenta riscos para o feto17 quando tomado por mulheres grávidas. Caso esteja grávida ou pretenda engravidar, discuta com seu médico se você deve tomar Maxalt®. Consulte seu médico caso esteja amamentando ou pretenda amamentar. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Crianças: a eficácia não foi estabelecida em crianças com menos de 18 anos de idade, portanto, Maxalt® não é recomendado para uso nesses pacientes.

Dirigir ou operar máquinas: a enxaqueca2 ou o tratamento com Maxalt® podem causar sonolência em alguns pacientes. Foi relatada vertigem18 em alguns pacientes que recebem Maxalt®. Caso apresente esses sintomas7, você deve avaliar sua capacidade para dirigir ou para operar máquinas.

Interações medicamentosas: Maxalt® é um membro de uma classe de medicamentos chamada agonistas seletivos dos receptores 5-HT1B/1D, Não tome Maxalt® com nenhum outro medicamento da mesma classe, tal como sumatriptana.

Não tome Maxalt® caso esteja tomando um inibidor da monoaminoxidase (MAO14), tal como moclobemida, fenelzina, tranilcipromina ou pargilina, ou caso tenha interrompido a administração de um inibidor da MAO14 há menos de duas semanas.

Solicite a seu médico que forneça orientações sobre o uso de Maxalt® caso esteja tomando atualmente propranolol (veja o item “6. Como devo usar este medicamento?”) ou medicações do tipo ergotamina, como ergotamina ou diidroergotamina, para tratar sua enxaqueca2, ou metisergida para evitar crises de enxaqueca2.

Solicite ao seu médico orientações sobre o uso de Maxalt® caso esteja tomando atualmente inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRIs), tais como sertralina, oxalato de escitalopram e fluoxetina, ou inibidores de recaptação de serotonina-norepinefrina (SNRIs), tais como venlafaxina e duloxetina, para depressão.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde19.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30oC).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Maxalt® comprimido é rosa claro em forma de cápsula, com “MSD 267” gravado de um lado e “Maxalt” gravado do outro lado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Uso oral.

Seu médico prescreveu Maxalt® para sua crise de enxaqueca2. Quando tiver enxaqueca2, tome sua medicação conforme determinado pelo seu médico.

Maxalt® proporciona alívio na maioria das crises de enxaqueca2. Porém, em alguns pacientes, os sintomas7 da enxaqueca2 podem ocorrer novamente em um período de 24 horas. Você poderá tomar doses adicionais de Maxalt® caso tenha enxaqueca2 novamente, sempre com intervalo mínimo de 2 horas entre as doses.

Caso não apresente resposta ao Maxalt® durante uma crise, recomenda-se que não tome Maxalt® para tratamento da mesma crise. Porém, ainda há a possibilidade de que você responda ao Maxalt® durante a próxima crise.

Não tome mais de 30 mg de Maxalt® em um período de 24 horas (por exemplo, não tome mais de três comprimidos de 10 mg em um período de 24 horas).

Caso esteja tomando propranolol, você deve tomar a dose de 5 mg de Maxalt®, até o máximo de 3 doses em um período de 24 horas. Como a dosagem de 5 mg não se encontra disponível no Brasil, os pacientes que recebem administração de propranolol não devem tomar Maxalt®.

Procure orientação médica em caso de agravamento de sua condição.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todos os medicamentos, Maxalt® pode causar efeitos colaterais20. Em estudos, geralmente, Maxalt® foi bem tolerado. Usualmente, os efeitos colaterais20 foram leves e temporários. A lista a seguir não é uma lista completa de efeitos colaterais20 relatados com Maxalt®. Não considere apenas as informações desta bula quanto aos efeitos colaterais20. Solicite que seu médico discuta com você uma lista mais completa de efeitos colaterais20.

Em estudos, os eventos adversos muito comuns relatados (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) foram vertigem18, sonolência e cansaço. Outros eventos adversos menos comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) foram desconforto ou dor estomacal, diarreia21, dor no peito22, sensação de peso ou de aperto em partes do corpo, dor no pescoço23, fraqueza muscular, sede, boca24 seca, desconforto da garganta25, sensação de formigamento, rubor (vermelhidão da face26 com curta duração), fogachos, batimento cardíaco acelerado, insônia, nervosismo, redução da agilidade mental, tremor, dificuldade respiratória, sudorese27, coceira ou visão28 turva. Raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento) foram relatados desmaios ou aumento da pressão sanguínea.

As reações alérgicas incluíram inchaço3 da face26, lábios, língua29 e/ou garganta25, que podem causar dificuldade para respirar e/ou para engolir, chiado no peito22, urticária30, erupção31 cutânea32 e descamação33 grave da pele34. Também foram relatados gosto ruim, dor na face26, convulsão35 e espasmos36 dos vasos sanguíneos4 nas extremidades incluindo frieza e dormência37 das mãos38 e dos pés. Também foram relatadas mudanças no ritmo ou frequência dos batimentos cardíacos (frequência cardíaca lenta), e espasmo39 dos vasos sanguíneos4 do cólon40 (intestino grosso41). Anormalidades do eletrocardiograma42 (exame que registra a atividade elétrica do coração10) também foram relatadas.

De forma semelhante à observada com os medicamentos dessa classe, houve muito raramente relatos de ataque cardíaco e derrame11 (acidente vascular cerebral43), geralmente em pacientes com fatores de risco de doença cardíaca e dos vasos sanguíneos4 (pressão arterial9 elevada, diabetes44, tabagismo, histórico familiar de doença cardíaca ou de acidente vascular cerebral43).

Informe imediatamente ao seu médico sobre esses ou quaisquer outros sintomas7 incomuns. Procure orientação médica se os sintomas7 persistirem ou se agravarem.

Adicionalmente, informe ao seu médico caso apresente quaisquer sintomas7 sugestivos de reação alérgica45 (como erupção31 cutânea32 ou coceira) após tomar Maxalt®.

Tomar Maxalt® muitas vezes, pode resultar em dores de cabeça6 crônicas. Em tais casos, você deve contatar o seu médico, pois pode ter de parar de tomar Maxalt®.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.0029.0014
Farm. Resp.: Fernando C. Lemos - CRF-SP no 16.243

Importado por:
Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda.
Rua 13 de Maio, 815 - Sousas, Campinas/SP
CNPJ: 45.987.013/0001-34 - Brasil

Fabricado por:
Merck Sharp & Dohme Ltd. Cramlington, Reino Unido

Embalado por:
Frosst Iberica, S.A. Madri, Espanha

Comercializado por:
Supera RX Medicamentos Ltda.
Rua Guará S/N, Quadra 04/05/06 Galpão 08
Aparecida de Goiânia – GO


SAC 0800 708 1818

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
3 Inchaço: Inchação, edema.
4 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Cabeça:
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
10 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
11 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
12 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
13 Inibidores da monoaminoxidase: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
14 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
17 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
18 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
21 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
22 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
23 Pescoço:
24 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
25 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
26 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
27 Sudorese: Suor excessivo
28 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
29 Língua:
30 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
31 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
32 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
33 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
34 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
35 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
36 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
37 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
38 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
39 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
40 Cólon:
41 Intestino grosso: O intestino grosso é dividido em 4 partes principais: ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmoide), reto e ânus. Ele tem um papel importante na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal), de alguns nutrientes e certas vitaminas. Mede cerca de 1,5 m de comprimento.
42 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
43 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
44 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
45 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.

Tem alguma dúvida sobre Maxalt?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.