Simeco plus

EUROFARMA

Atualizado em 09/12/2014

Simeco plus®

hidróxido de alumínio
hidróxido de magnésio
dimeticona

Forma Farmacêutica e Apresentação do Simeco Plus

Suspensão oralFrasco com 240 mL.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição do Simeco Plus

Cada 5,0 mL da suspensão contém:
hidróxido de alumínio .................... 600 mg
hidróxido de magnésio .................... 300 mg
dimeticona .................... 35 mg
Excipientes q.s.p. .................... 5 mL
Excipientes: Sorbitol1, citrato de potássio, glicerina, metilparabeno, propilparabeno, butilparabeno, ácido benzóico, sacarina2, essência de hortelã, essência composta de hortelã, hipoclorito de sódio, hidróxido de amônio, álcool etílico e água deionizada.

Informações ao Paciente do Simeco Plus

Ação esperada do medicamentoSimeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) é um medicamento antiácido3, indicado nos casos de hiperacidez gástrica; úlcera péptica4; esofagite5; gastrite6; duodenite e hérnia7 de hiato.
A ação antiácida de Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) inicia-se logo após a ingestão do medicamento.

Cuidados de armazenamento
Conservar o medicamento em temperatura ambiente (entre 15° C e 30° C).
Proteger da luz e umidade.

Prazo de validade
Desde que observados os devidos cuidados de conservação, o prazo de validade da Simeco
plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) é de 24 meses, contados
a partir da data de fabricação impressa em sua embalagem externa.

NUNCA USE MEDICAMENTOS COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. PODE SER PREJUDICIAL À SUA SAÚDE8.

Gravidez9 e lactação10
Informar ao médico ocorrência de gravidez9 na vigência do tratamento ou após seu término.
Informar ao médico se está amamentando.

Cuidados de administração
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) deve ser bem agitado antes do uso.

Interrupção do tratamento
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas
O aparecimento de reações desagradáveis em decorrência do uso do medicamento é raro, e se
ocorrer, o médico deverá ser informado. Estas reações incluem diarréia11 e constipação12.

Ingestão concomitante com outras substâncias
A absorção de alguns medicamentos pode ser alterada com o uso concomitante de antiácidos13.
Consequentemente, sempre que possível, deve-se evitar a administração de outros medicamentos
durante o intervalo de uma a duas horas após o uso de antiácidos13.

Contra-indicações e precauções
Pacientes com insuficiência renal14 não devem utilizar antiácidos13 contendo magnésio, a menos
que seja indicado e esteja sob rigoroso controle médico. Pacientes com hipofosfatemia não devem
utilizar antiácidos13 contendo alumínio. A utilização de antiácidos13 durante a gravidez9 somente deve ser realizada sob orientação médica.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informações Técnicas do Simeco Plus

Os componentes antiácidos13 de Simeco plus® são hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio +
dimeticona.
O hidróxido de alumínio na forma de gel coloidal reage com o ácido clorídrico gástrico15, neutralizandoo: AI(OH)3 + 3HCI Æ AICI3 + 3H2O. O gel utilizado em Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) é o gel A ou " reativo" , de elevado poder neutralizante. Além de suas propriedades antiácidas, o hidróxido de alumínio parece exercer outras ações terapêuticas:
Ação demulcente - formando uma película protetora sobre a lesão16.
Ação adsorvente da pepsina - além de diminuir a acidez gástrica17, inibindo por esse mecanismo a atividade da pepsina, adsorve as moléculas dessa enzima18, o que contribui para uma inativação ainda maior.
O hidróxido de magnésio reage com o HCI, neutralizando-o: Mg(OH)2 + 2HCI Æ MgCI2 + 2H2O.
As reações citadas são progressivas, fato que prolonga o efeito neutralizante. Os hidróxidos de alumínio e magnésio são considerados antiácidos13 não sistêmicos19. Entretanto, uma pequena parcela de íons20 de alumínio e de magnésio é absorvida e excretada na urina21, desde que a função renal22 esteja normal.
O íon23 alumínio tem ação constipante intestinal, atribuida à sua propriedade adstringente, ação essa
que é contrabalançada de forma equilibrada pelo efeito laxativo24 osmótico25 do íon23 magnésio. A proporção entre hidróxido de alumínio e hidróxido de magnésio em Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) tem por finalidade evitar efeitos sobre a motilidade intestinal. Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona), graças a uma técnica especial de preparação, e por possuir altas concentrações de hidróxidos, apresenta elevado poder neutralizante. Capacidade de neutralização de Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) (Método de Fordtran): 35 mEq/5mL. O uso de doses elevadas de antiácidos13, isto é, doses com alto poder neutralizante, em 7 tomadas diárias (1 e 3 horas após as refeições e ao deitar), é um esquema moderno para tratamento de úlcera péptica4, cuja eficácia tem sido demonstrada por estudos endoscópicos de cicatrização e por curvas de neutralização do pH gástrico em portadores dessa patologia26. Uma vez que os pacientes com úlcera27 ou gastrite6 muitas vezes apresentam também meteorismo28 e flatulência, Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) incorpora em sua fórmula a dimeticona, potente agente antifisético. A dimeticona empregada é a dimeticona ativada com sílica, de modo a aumentar as propriedades antifiséticas. A dimeticona atua no estômago29 e no intestino, diminuindo a tensão superficial dos líquidos digestivos, rompendo as bolhas que retêm os gases e que provocam flatulências e dores. Assim, os gases são eliminados mais facilmente, diminuindo o desconforto causado por eles.
A dimeticona é excretada nas fezes de forma inalterada.

Indicações do Simeco Plus

Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) está indicado como antiácido3, nos casos de hiperacidez gástrica; úlcera péptica4; esofagite5; gastrite6; duodenite e hérnia7 de hiato.

Contra-Indicações do Simeco Plus

O USO DE ANTIÁCIDOS13 CONTENDO ALUMÍNIO (EXCETO OS QUE CONTENHAM FOSFATO DE ALUMÍNIO) É CONTRA-INDICADO PARA PACIENTES30 COM HIPOFOSFATEMIA, DEVIDO À PROPRIEDADE DOS SAIS DE ALUMÍNIO DE LIGAREM-SE AO FOSFATO, DEPLETANDO-O. O USO DE ANTIÁCIDOS13 CONTENDO MAGNÉSIO É CONTRA-INDICADO PARA PACIENTES30 COM INSUFICIÊNCIAS RENAL22 GRAVE, DEVIDO AO RISCO AUMENTADO DE OCORRÊNCIA DE HIPERMAGNESEMIA.

Precauções e Advertências do Simeco Plus

O USO DE ANTIÁCIDOS13 CONTENDO MAGNÉSIO EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL14 LEVE A MODERADA SOMENTE DEVE SER EFETUADO QUANDO ESTRITAMENTE NECESSÁRIO E SOB CUIDADOSA SUPERVISÃO MÉDICA, DEVIDO AO RISCO AUMENTADO DE OCORRÊNCIA DE HIPERMAGNESEMIA MESTES PACIENTES. A ADMINISTRAÇÃO PROLONGADA DE DOSES ELEVADAS DE ANTIÁCIDOS13 CONTENDO ALUMÍNIO (EXCETO FOSFATO DE ALUMÍNIO), EM PACIENTES COM DIETA DEFICIENTE EM FOSFATOS, PODERÁ ACARRETAR HIPOFOSFATEMIA, PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL14 CRÔNICA PODERÃO APRESENTAR HIPERALUMINEMIA.

TESTES LABORATORIAS: NÍVEIS SÉRICOS DE FOSFATO DEVEM SER MONITORIZADOS A INTERVALOS MENSAIS OU BIMESTRAIS EM PACIENTES CRONICAMENTE SUBMETIDOS A HEMODIÁLISE31, QUE ESTEJAM RECEBENDO TRATAMENTO COM ANTIÁCIDO3 POR PERÍODOS PROLONGADOS.

USO DURANTE A GRAVIDEZ9: A UTILIZAÇÃO DE ANTIÁCIDOS13 DURANTE A GRAVIDEZ9 SOMENTE DEVE SER REALIZADA SOB ORIENTAÇÃO MÉDICA.

Interações Medicamentosas do Simeco Plus

A ABSORÇÃO DE ALGUNS MEDICAMENTOS PODE SER ALTERADA COM A INGESTÃO CONCOMITANTE DE ANTIÁCIDOS13. CONSEQÜENTEMENTE, SEMPRE QUE POSSÍVEL , DE VE-SE EVITAR A ADMINISTRAÇÃO DE OUTRAS DROGAS DURANTE UMA A DUAS HORAS APÓS O USO DE ANTIÁCIDOS13. CITAM-SE AS TETRACICLINAS .

Reações Adversas do Simeco Plus

EVENTUALMENTE, PEQUENAS ALTERAÇÕES DE TRÂNSITO INTESTINAL PODERÃO OCORRER, QUE DESAPARECERÃO COM A SIMPLES INTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO.

Posologia e Administração do Simeco Plus

Uso Adulto
1 ou 2 colheres de chá (5 mL ou 10 mL) 1 e 3 horas após as refeições e ao deitar, totalizando 7 doses diárias. Outros esquemas apropriados a cada caso podem ser instituidos a critério médico.
Não se recomenda exceder essas doses diárias, ou manter por mais de 14 dias a dose máxima (duas colheres de chá - 10 mL - 7 vezes ao dia), exceto sob supervisão médica.

Uso Pediátrico
Crianças de 4 a 7 anos - Tomar 1 colher de café (2 mL), 1 a 2 vezes ao dia, 1 hora após as refeições, ou a critério médico.
Crianças de 7 a 12 anos - Tomar 1 colher de chá (5 mL), 1 a 2 vezes ao dia, 1 hora após as refeições, ou a critério médico.
Outros esquemas apropriados a cada caso podem ser instituídos a critério médico.

Simeco plus® (hidróxido de alumínio+hidróxido de magnésio+dimeticona) deve ser bem agitado antes do uso.

AGITE BEM ANTES DE USAR.

VENDA SEM RECEITUÁRIO MÉDICO.

Siga corretamente o modo de usar. Ao persistirem os sintomas32, o médico deverá ser consultado.

Nº DO LOTE, DATA DE FABRICAÇÃO E PRAZO DE
VALIDADE: vide cartucho ou rótulo.

MS - 1.0043.0696

Farm. Resp.: Dra. Sônia Albano Badaró
CRF-SP 19.258

EUROFARMA LABORATÓRIOS LTDA.
Av. Ver. José Diniz 3465
São Paulo - SP
CNPJ: 61.190.096/0001-92
Indústria Brasileira

Central de Atendimento 0800-704-3876

208702-01 (A) - L.65 (10/07)

Simeco plus - Laboratório

EUROFARMA
Av. Ver. José Diniz, 3465 - Campo Belo
São Paulo/SP - CEP: 04603-003
Tel: 0800-704-3876
Email: euroatende@eurofarma.com.br
Site: http://www.eurofarma.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "EUROFARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
2 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
3 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
4 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
5 Esofagite: Inflamação da mucosa esofágica. Pode ser produzida pelo refluxo do conteúdo ácido estomacal (esofagite de refluxo), por ingestão acidental ou intencional de uma substância tóxica (esofagite cáustica), etc.
6 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
7 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
10 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
11 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
12 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
13 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
14 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
15 Ácido Clorídrico Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.
16 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Acidez gástrica: Estado normal do conteúdo do estômago caracterizado por uma elevada quantidade de íons hidrogênio, quantidade esta que pode ser medida através de uma escala logarítmica denominada pH.
18 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
19 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
20 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
21 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
22 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
23 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
24 Laxativo: Mesmo que laxante. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
25 Osmótico: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
26 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
27 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
28 Meteorismo: Acúmulo de gás no tubo digestivo. Pode produzir distensão abdominal, dor persistente, flatulência, etc.
29 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
30 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
31 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
32 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Simeco plus?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.