TEOMUC

BIOLABFARMA

Atualizado em 09/12/2014

TEOMUC

Teofilinato de ambroxol

Indicações de Teomuc

Tratamento sintomático1 e preventivo2 das patologias agudas e crônicas do aparelho respiratório3 caracterizadas por fenômenos de hipersecreção e brocoespasmos, tais como: bronquite obstrutiva ou asmatiforme, asma4 brônquica, traqueobronquite5, broncopneumonias, bronquiectasias, pneumoconioses6, rinofaringites, laringotraqueítes e enfisema7 pulmonar.

Forma Farmacêutica e Apresentações de Teomuc

Xarope pediátrico (25 mg/5 ml). Frasco contendo 120 ml + seringa8 dosadora.

Uso pediátrico (crianças maiores de 1 ano)

Contra-Indicações de Teomuc

Pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou às xantinas. Pacientes com doenças hepáticas9, renais ou cardiovasculares graves, úlcera péptica10 ativa e história pregressa de convulsões.

Cuidados e Advertências de Teomuc

Em pacientes com gota11, úlcera gástrica12, hipertensão arterial13 e doenças cardíacas graves, deve-se avaliar a relação risco/benefício antes da administração da droga nesses pacientes.

Devido à presença da teofilina na molécula de teofilinato de ambroxol, o produto deve ser usado com cautela em pacientes com arritmias14 preexistentes (a situação pode ser exacerbada), nos casos de insuficiência cardíaca15 (as xantinas são potencialmente cardiotóxicas). O controle clínico deve ser realizado nas seguintes condições: tratamentos anteriores em curso, principalmente por troleandomicina, eritromicina ou cimetidina, antecedentes convulsivos, hipertireoidismo16, insuficiência hepática17, cardíaca ou coronariana e úlceras18 gástricas em evolução.

Gravidez19 - Embora os estudos realizados até o momento não tenham demonstrado qualquer efeito mutagênico em animais, o uso do teofilinato de ambroxol não é recomendado durante o primeiro trimestre da gravidez19.

Lactação20 - A teofilina é secretada no leite materno, podendo causar reações adversas no lactente21.

Pediatria - Não são conhecidas até o momento informações sobre precauções e advertências para pacientes22 pediátricos.

Geriatria - Não são conhecidas até o momento informações sobre precauções e advertências para pacientes22 geriátricos.

Insuficiência hepática17 - A meia-vida de eliminação é prolongada em pacientes nessa condição.

Interações Medicamentosas de Teomuc

Derivados xantínicos: Pode ocorrer potencialização dos efeitos e das reações adversas.

Beta-bloqueadores: Pode originar uma mútua inibição dos efeitos terapêuticos.

Cimetidina, eritromicina, lincomicina, troleandomicina e alopurinol: Aumentam os níveis séricos de teofilina quando administrados concomitantemente.

Fenitoína e barbitúricos: Aumentam a depuração de teofilina.

Reserpina: O uso concomitante com a teofilina pode desencadear taquicardia23.

Furosemida: Ocorre aumento da diurese24.

Contraceptivos orais: Os níveis séricos da teofilina podem apresentar algum aumento, mas nenhuma toxicidade25 têm sido relatada.

Broncodilatadores26 beta-agonistas: O uso concomitante é comum e considerado vantajoso,mas algumas reações adversas podem ocorrer, sendo as mais sérias: hipocalemia27 (com salbutamol28 e terbutalina) e a freqüência cardíaca aumentada particulamente com altas dosagens de teofilina. Declínio nos níveis séricos da teofilina (com salbutamol28 e isoprenalina).

Carbonato de lítio: Têm sua excreção renal29 aumentada.

Interferências em Exames Laboratoriais: Até o momento, não são conhecidos casos de interferências em exames laboratoriais.

Reações Adversas de Teomuc

Podem ocorrer casos raros de queixas digestivas que desaparecem com a suspensão da medicação ou redução da dose do medicamento. Foram relatados baixa incidência30 de náuseas31, vômitos32, taquicardia23, tremores, dor abdominal e epigástrica. Pode ocorrer também cefaléia33 e reações alérgica cutâneas34.

Posologia de Teomuc

Xarope pediátrico (25 mg/5 ml):
Crianças de 1 a 3 anos: 2 mg/kg de peso corpóreo diariamente, dividido em 2 tomadas.
Crianças de 3 a 6 anos: 5 ml a cada 12 horas.
Crianças de 6 a 12 anos: 10 ml a cada 12 horas.
Não há uma posologia especial para uma patologia35 específica. O tempo de tratamento depende da gravidade do caso, a critério médico.

Venda sob prescrição médica

Registro MS - 1.0974.0151
Farm. Resp.: Dr. Dante Alario Junior - CRF-SP nº 5143






TEOMUC - Laboratório

BIOLABFARMA
Rua Olimpíadas, 242, 3° andar. Vila Olímpia.
São Paulo/SP - CEP: 04551-000
Tel: 55 11 3573-6000

Ver outros medicamentos do laboratório "BIOLABFARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
2 Preventivo: 1. Aquilo que previne ou que é executado por medida de segurança; profilático. 2. Na medicina, é qualquer exame ou grupo de exames que têm por objetivo descobrir precocemente lesão suscetível de evolução ameaçadora da vida, como as lesões malignas. 3. Em ginecologia, é o exame ou conjunto de exames que visa surpreender a presença de lesão potencialmente maligna, ou maligna em estágio inicial, especialmente do colo do útero.
3 Aparelho respiratório: O aparelho respiratório transporta o ar do meio externo aos pulmões e vice-versa e promove a troca de gases entre o sangue e o ar.
4 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
5 Traqueobronquite: Inflamação dos canais que levam o ar para dentro e para fora dos pulmões, os brônquios. Nessa doença, há um acúmulo de secreção nos brônquios, estreitando-os, em geral causado pelo excesso de produção de muco e pela diminuição na ação dos minúsculos cílios locais, os quais não eliminam adequadamente esse muco.
6 Pneumoconioses: Reação fibrosa crônica dos pulmões à inalação de poeiras, marcada especialmente por perda da expansibilidade, fibrose e pigmentação. Elas recebem nomes diversos segundo o tipo de poeira inalada.
7 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
8 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
9 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
11 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
12 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
13 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
14 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
15 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
16 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
17 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
18 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
19 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
20 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
21 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
22 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
23 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
24 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
25 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
26 Broncodilatadores: São substâncias farmacologicamente ativas que promovem a dilatação dos brônquios.
27 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
28 Salbutamol: Fármaco padrão para o tratamento da asma. Broncodilatador. Inibidor do trabalho de parto prematuro.
29 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
30 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
31 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
32 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
34 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
35 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre TEOMUC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.