Preço de Botox em Fairfield/SP: R$ 1158,13

Bula do paciente Bula do profissional

Botox

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

Atualizado em 09/07/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

BOTOX®
toxina1 botulínica A
Pó congelado a vácuo estéril

APRESENTAÇÕES

Pó congelado a vácuo estéril.
Frasco-ampola contendo 50, 100 ou 200 Unidades de toxina1 botulínica A (*).

VIA INTRAMUSCULAR / INTRADÉRMICA conforme indicação de tratamento
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 2 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada frasco-ampola contém:

BOTOX® 50U - 50 Unidades (**) de toxina1 botulínica A (*), albumina2 humana e cloreto de sódio.
BOTOX® 100U - 100 Unidades (**) de toxina1 botulínica A (*), albumina2 humana e cloreto de sódio.
BOTOX® 200U - 200 Unidades (**) de toxina1 botulínica A(*), albumina2 humana e cloreto de sódio.

(*) BOTOX® é uma forma congelada a vácuo e estéril da toxina1 botulínica A, produzida a partir da cultura da cepa3 Hall de clostridium botulinum tipo A, desenvolvida em meio contendo hidrolisado de caseína, glicose4 e extrato de levedura.

(**) Cada unidade (U) se refere à dose de toxina1 botulínica A determinada a partir de um modelo animal. Os métodos utilizados para realizar a determinação da atividade biológica são específicos do produto da Allergan – BOTOX® – e podem ser realizados tanto por meio da determinação da DL50 em camundongos como por meio de um ensaio de potência alternativo totalmente in vitro, baseado em células5. Estas unidades são exclusivas para BOTOX® e não são intercambiáveis com outras marcas comerciais contendo toxina1 botulínica.

Entendendo, portanto, que os produtos biológicos não são iguais, a agência regulatória norte-americana, Food and Drug Administration (FDA) atribuiu nomenclaturas diferenciadas às toxina1 botulínicas A comercializadas nos Estados Unidos. A toxina1 botulínica A, fabricada pela empresa Allergan - BOTOX®, recebeu a nomenclatura “OnabotulinumtoxinA” (Toxina1 Onabotulínica A, em português – Farmacopéia Brasileira). Desta forma, a nomenclatura OnabotulinumtoxinA / Toxina1 Onabotulínica A pode ser encontrada em informações de literatura e material impresso referente ao produto BOTOX® .

A composição do produto segue inalterada, as diferentes nomenclaturas reforçam a existência de diferenças entre as preparações de toxina1 botulínica A, principalmente em relação às potências individuais, e a não intercambialidade melhorando a segurança na prescrição, no uso e na administração de toxinas6 botulínicas.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

BOTOX® é indicado para a melhora da espasticidade7 (rigidez muscular) do pescoço8, braços, mãos9 e pernas, do estrabismo10 (desvio de alinhamento entre um olho11 e outro) e do espasmo12 (contração involuntária13) dos músculos14 das pálpebras15, do rosto e dos membros, das linhas hipercinéticas da face16 (rugas), da hiperidrose17 (suor excessivo) das axilas e das palmas das mãos9, incontinência urinária18 causada por hiperatividade neurogênica do músculo detrusor19 da bexiga20, bexiga20 hiperativa com sintomas21 de incontinência22, urgência23 e aumento da frequência urinária e de migrânea24 crônica (enxaqueca25 crônica) e refratárias26 com comprometimento importante da qualidade de vida e das atividades diárias (laborativas, sociais, familiares e de lazer).

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

A toxina1 botulínica A princípio ativo do BOTOX® é uma substância com propriedades relaxantes da contratura muscular. Dependendo da condição clínica para a qual o produto é injetado a ação da toxina1 botulínica resulta em atenuação dos sintomas21, incluindo melhora da contração muscular, redução do suor, suavização das rugas de expressão, correção do desvio dos olhos27, eliminação do ato de piscar excessivo, incontinência urinária18, etc. A ação se inicia entre 3 a 5 dias após a aplicação. O resultado do tratamento com BOTOX® não é permanente. O efeito terapêutico varia de paciente para paciente28, sendo em média de 4 a 6 meses. Gradualmente, os músculos14 voltam a se contrair, de modo que a reaplicação de BOTOX® é indicada.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve usar BOTOX® se tiver hipersensibilidade (alergia29) a qualquer dos componentes do produto; se possuir uma infecção30 no local da aplicação.

Não deve ser utilizado para o tratamento de disfunções da bexiga20, no caso de:

  • infecções31 do trato urinário32 no momento do tratamento;
  • se você estiver com retenção urinária aguda33 (a pessoa não consegue urinar, mesmo com a bexiga20 cheia) no momento do tratamento e não estiver cateterizado (sonda uretral34 na uretra35 para esvaziar a bexiga20).
  • se o seu médico indicar que você não pode realizar cateterismo36 vesical37 após o tratamento se for necessário.

Este medicamento é contraindicado para menores de 2 anos.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre suas recomendações de cuidados após a aplicação das injeções. Dependendo da indicação, pacientes sedentários devem reassumir suas atividades lenta e cuidadosamente após a administração de BOTOX®.

Em caso de qualquer dificuldade para engolir, falar ou para respirar que o paciente apresente, o médico deve ser contatado imediatamente. Os pacientes com distonia38 cervical (torcicolo39 espasmódico) devem ser informados sobre a possibilidade de apresentar dificuldade para engolir (disfagia40) que pode ser de intensidade muito leve, mas que também pode ser grave.

No caso do tratamento da espasticidade7, este medicamento deverá ser empregado apenas quando os pacientes ou seus familiares puderem assegurar que o seguimento do tratamento será mantido e que a monitorização dos efeitos adversos será adequadamente realizada tanto pela família como pelo médico, e, que o paciente se submeterá aos procedimentos de reabilitação complementares prescritos pelo médico (cinesioterapia, órteses41 e outros). A aplicação de BOTOX® para o tratamento da bexiga20 hiperativa (neurogênica ou idiopática42) é feita no músculo da bexiga20 com o auxílio de um citoscópio (aparelho que o médico introduz na uretra35 do paciente). Em decorrência do procedimento podem ocorrer lesão43 na uretra35, bexiga20 e ureter44, com possibilidade de ocasionar retenção urinária45 temporária, sangramento e infecção30. BOTOX® é indicado para a prevenção das enxaquecas46 crônicas e refratárias26 com comprometimento importante da qualidade de vida e das atividades diárias (laborativas, sociais, familiares e de lazer). BOTOX® não está indicado na enxaqueca25 e outros tipos de cefaleias47 crônicas e diárias como: cefaleias47 do tipo tensional crônica, cefaleia48 cervicogênica, hemicraniana contínua e cefaleia48 persistente e diária.

Uso pediátrico

BOTOX® pode ser utilizado em crianças com paralisia49 cerebral acima de 2 anos de idade.

BOTOX® pode ser utilizado em pacientes maiores de 12 anos de idade para blefaroespasmo50, espasmo12 hemifacial, estrabismo10 e hiperidrose17. Em maiores de 16 anos para distonia38 cervical. E, em maiores de 18 anos para espasticidade7, tratamento da hiperatividade da bexiga20 por incontinência urinária18 ou hiperatividade neurogênica do músculo detrusor19 da bexiga20, linhas faciais hipercinéticas e migrânea24 crônica.

Uso em idosos

Não há recomendações especiais em relação ao uso em pacientes com idade acima de 65 anos.

Uso durante a gravidez51

Não há estudos adequados sobre a administração de BOTOX® em mulheres durante a gravidez51. Considerando que os estudos em animais nem sempre são preditivos de resposta humana, BOTOX® somente deve ser administrado durante a gravidez51 se os potenciais benefícios justificarem o potencial risco para o feto52. Se este medicamento for utilizado durante a gestação, ou se engravidar durante o tratamento, seu médico deve alertá-la quanto aos potenciais riscos

Uso durante a Amamentação53

Não existem dados disponíveis sobre a excreção desta droga pelo leite humano. O uso de BOTOX® durante o aleitamento não é recomendado.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista. Informe ao seu médico se ocorrer gravidez51 ou iniciar a amamentação53 durante o uso deste medicamento.

Efeitos sobre a habilidade de dirigir automóvel e utilizar máquinas

Astenia54, fraqueza muscular, tontura55, distúrbios visuais foram reportados após o tratamento com BOTOX®, podendo tornar perigoso o ato de dirigir ou usar máquinas.

Interações medicamentosas

A toxina1 botulínica A pode interagir com alguns medicamentos e seu médico saberá como proceder. BOTOX® pode ser associado a outros procedimentos cirúrgicos ou não cirúrgicos, porém é o médico quem vai determinar a necessidade ou não da associação.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde56.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Em sua embalagem intacta, BOTOX® pode ser conservado tanto em freezer em temperatura de - 5ºC ou inferior, ou em geladeira entre 2º e 8º C.

O prazo de validade de BOTOX® encontra-se impresso na embalagem do produto. Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após preparo, manter sob refrigeração (2?C a 8ºC) por até 3 dias.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

BOTOX® DEVE SER APLICADO SOMENTE POR PROFISSIONAL DE SAÚDE56 DEVIDAMENTE QUALIFICADO PARA USO CORRETO DO PRODUTO E EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS.

Lembre-se que BOTOX® é um medicamento e sua aplicação deve ser exclusivamente realizada por profissionais de saúde56 habilitados. O produto deve ser aplicado em injeções intradérmicas (para tratamento da hiperidrose17) ou intramusculares (para as demais indicações).

O profissional de saúde56 poderá fornecer todas as informações que você desejar a respeito das doses, pois elas dependem da indicação e do grau de comprometimento da doença.

O intervalo entre as seções de aplicação é variável e o profissional de saúde56 saberá orientá-lo a respeito deste assunto. De modo geral não são recomendados intervalos menores que 3 meses entre as aplicações. Não são recomendados retoques ou reforços após uma aplicação ou no intervalo entre duas aplicações.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você se esqueça de comparecer à consulta prevista para aplicação de BOTOX® entre em contato com o seu médico para agendar nova consulta. Não procure profissionais não capacitados para aplicarem as injeções de BOTOX®. Lembre se que BOTOX® é um medicamento e sua aplicação deve ser exclusivamente realizada por profissionais de saúde56 habilitados.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Reações Adversas Gerais

Com o uso da toxina1 botulínica A podem ocorrer efeitos indesejáveis, dependendo do local onde o medicamento foi injetado. Solicite ao seu médico explicação a respeito das reações indesejáveis possíveis no seu caso. Em geral as reações adversas ocorrem dentro dos primeiros dias após a injeção57 e embora geralmente sejam transitórias, podem apresentar duração de vários meses, ou em raros casos, mais longa.

Conforme esperado para qualquer injeção intramuscular58, pode ocorrer dor no local de aplicação, sensibilidade anormal à compressão e/ou infecção30 no local. Durante a aplicação de BOTOX®, uma leve sensação de desconforto, dolorosa, pode aparecer, porém isto está diretamente ligado à sensibilidade de cada paciente. Alguns médicos utilizam um anestésico tópico59 local ou outros procedimentos de anestesia60 se o paciente demonstrar intolerância a agulhas e injeções. A fraqueza muscular representa uma ação farmacológica esperada no tecido61 muscular.

Reações Adversas – frequência por indicação

Os parâmetros de frequência das reações adversas para cada indicação são definidos como: Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento), Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento), Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento), Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento) e Muito rara (ocorre entre menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento).

Blefarospasmo/espasmo12 hemifacial

  • Reação Muito comum: Ptose62 palpebral (pálpebra caída).
  • Reações Comuns: ceratite (inflamação63 da córnea64) superficial puntiforme, lagoftalmos (paralisia49 da pálpebra que deixa o olho11 parcialmente aberto), olho11 seco, irritação ocular, fotofobia65 (intolerância à luz), equimoses66 (manchas arroxeadas na pele67) e aumento de lacrimejamento.
  • Reações Incomuns: ceratite (inflamação63 da córnea64), ectrópio68 (pálpebra revirada para fora), diplopia69 (visão70 dupla), entrópio71 (pálpebra revirada para dentro), borramento de visão70, tontura55, erupção72 cutânea73, paralisia49 facial, cansaço.
  • Reações Raras: edema74 (inchaço75) palpebral
  • Reações Muito Raras: ceratite (inflamação63 da córnea64) ulcerativa, defeito epitelial corneal, perfuração da córnea64.

Estrabismo10

  • Reações Muito Comuns: ptose62 palpebral (pálpebra caída), distúrbios do movimento ocular.
  • Reações Incomuns: hemorragias76 retrobulbares (atrás do globo ocular77), perfuração do olho11, pupila de Holmes-Adie.
  • Reações Raras: hemorragia78 vítrea (dentro do olho11).

Distonia38 Cervical

  • Reações Muito Comuns: disfagia40 (dificuldade para engolir), fraqueza muscular e dor local.
  • Reações Comuns: rinite79, infecção30 das vias aéreas superiores, tontura55, hipertonia80 (aumento da rigidez muscular), hipoestesia81 (diminuição da sensibilidade), sonolência, cefaléia48 (dor de cabeça82), boca83 seca, náusea84, rigidez musculoesquelética, astenia54 (cansaço), síndrome85 gripal, mal estar geral.
  • Reações Incomuns: dispnéia86 (falta de ar), diplopia69 (visão70 dupla), febre87, ptose62 palpebral (pálpebra caída).

Paralisia49 cerebral pediátrica

Espasticidade7 dos membros superiores:

  • Reações Muito Comuns: desconforto no local da aplicação.
  • Reações Comuns: gripe88, pneumonia89, inabilidade, hipocinesia (diminuição dos movimentos), fraqueza muscular, espasmos90 musculares, dedo em gatilho, polaciúria (urinar com frequência), vômitos91, deslocamento articular, quedas, contusão92, ardor93 no local da aplicação, dor no local da aplicação.

Espasticidade7 dos membros inferiores:

  • Reações Muito Comuns: infecção30 viral, infecção30 no ouvido.
  • Reações Comuns: sonolência, distúrbio da marcha, parestesia94 (sensações na pele67 tais como formigamento e sensibilidade), erupção72 cutânea73, mialgia95 (dor muscular), fraqueza muscular, dor nas extremidades, incontinência22 urinaria, quedas, mal estar geral, dor no local da aplicação e astenia54 (cansaço).

Espasticidade7 focal associada com acidente vascular cerebral96

  • Reações Comuns: equimose97 (mancha arroxeada na pele67), dor na extremidade, fraqueza muscular, hipertonia80 (aumento da rigidez muscular) e dor no local da aplicação, febre87, síndrome85 gripal.
  • Reações Incomuns: hipoestesia81 (diminuição da sensibilidade), artralgia98 (dor na articulação99), astenia54 (cansaço), dor, bursite100, dermatite101, cefaléia48 (dor de cabeça82), hipersensibilidade no local da aplicação, mal estar geral, náusea84, parestesia94 (sensações na pele67 tais como formigamento e sensibilidade), hipotensão102 ortostática (queda de pressão ao ficar em pé), prurido103 (coceira), erupção72 cutânea73.

Hiperidrose17 (suor excessivo)

  • Reações Muito Comuns: dor no local da injeção57.
  • Reações Comuns: cefaleia48 (dor de cabeça82), parestesia94 (sensações na pele67 tais como formigamento e sensibilidade), ondas de calor, náusea84, hiperidrose17 (suor excessivo) em outras regiões não tratadas, odor anormal na pele67, prurido103 (coceira), nódulo104 subcutâneo105, alopecia106 (redução parcial ou total de pêlos), dor na extremidade, dor, edema74 (inchaço75) no local da aplicação, hemorragia78 no local da aplicação, hipersensibilidade no local da injeção57, irritação no local da injeção57, astenia54 (cansaço).

Nota: foi relatado aumento na sudorese107 não axilar em 4,5% dos pacientes dentro de um mês após a injeção57, sem um padrão com relação aos locais anatômicos afetados. Houve desaparecimento em aproximadamente 30% dos pacientes dentro de quatro meses.

Bexiga20 hiperativa (incontinência urinária18)

  • Reações Muito Comuns: infecção30 no trato urinário32, disúria108 (dificuldade para urinar).
  • Reações Comuns: bacteriúria109, retenção urinária45, volume de urina110 residual*, polaciúria (urinar pouca quantidade muitas vezes ao dia).

* Elevado volume residual111 pós-miccional, sem necessidade de cateterismo36 vesical37.

Reações adversas relacionadas que ocorreram com relativa frequência foram disúria108 (dificuldade para urinar) e hematúria112 (sangue113 na urina110).

Bexiga20 hiperativa neurogência (incontinência urinária18)

  • Reações Muito Comuns: infecção30 do trato urinário32, retenção urinária45.
  • Reações Comuns: insônia, constipação114 (intestino preso), fraqueza muscular, espasmo12 (contração involuntária13) muscular, hematúria112* (sangue113 na urina110), disúria108* (dificuldade para urinar), divertículo115 da bexiga20, fadiga116 (cansaço), distúrbios da marcha, disreflexia autonômica117*, queda.
    *reações relacionadas ao procedimento.

Linhas faciais hipercinéticas

Linhas glabelares:

  • Reações Comuns: cefaleia48 (dor de cabeça82), parestesia94 (sensações na pele67 tais como formigamento e sensibilidade) , ptose62 palpebral (pálpebra caída), náusea84, eritema118, tensão na pele67, fraqueza muscular, dor facial, edema74 (inchaço75) no local da aplicação, equimose97 (manchas arroxeadas na pele67), dor no local da aplicação, irritação no local da aplicação.

Linhas frontais:

  • Reações Muito Comuns: cefaleia48 (dor de cabeça82), edema74 (inchaço75) palpebral, ardor93 no local da aplicação, prurido103 no local da aplicação e dor facial.

Rugas periorbitais:

  • Reações Muito Comuns: ardor93 no local da aplicação.
  • Reações Comuns: cefaleia48 (dor de cabeça82), ptose62 palpebral (pálpebra caída), dor facial.
  • Reações Raras: diplopia69 (visão70 dupla), fraqueza muscular.

Migrânea24 Crônica (enxaqueca25 crônica)

  • Comuns: dor na nuca, cefaleia48, migrânea24 (enxaqueca25 crônica), ptose62 palpebral (pálpebra caída), rigidez musculoesquelética, fraqueza muscular, dor no local da injeção57, mialgia95 (dor muscular), dor musculoesquelética, paresia119 facial (paralisia49 incompleta), prurido103 (coceira), espasmo12 (contração involuntária13) muscular , tensão muscular, erupção72 cutânea73, dor na nuca.
  • Incomum: disfagia40 (dificuldade para engolir), dor na pele67, dor no maxilar.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova indicação terapêutica120 no país (Tratamento da bexiga20 hiperativa com sintomas21 de incontinência22, urgência23 e aumento da frequência urinária em pacientes adultos que obtiveram resposta inadequada ou intolerantes à anticolinérgicos) e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não foram relatados casos de toxicidade121 generalizada decorrente da ingestão oral acidental de BOTOX®. Caso ocorra ingestão indevida do produto, o paciente deve consultar um médico. O seu médico conhece os procedimentos a serem seguidos na rara possibilidade de superdose por via injetável ou aplicação no músculo errado.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

Reg. ANVISA/MS - 1.0147.0045
Farm. Resp.: Elizabeth Mesquita CRF-SP nº 14.337

Fabricado por:
Allergan Pharmaceuticals Ireland Westport - Irlanda

Importado e Distribuído por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Guarulhos, São Paulo

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105 Torre 3 - 18º andar - Cidade Monções
São Paulo - CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-7


SAC 0800 17 4077

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
2 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
3 Cepa: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
4 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
5 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
6 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
7 Espasticidade: Hipertonia exagerada dos músculos esqueléticos com rigidez e hiperreflexia osteotendinosa.
8 Pescoço:
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Estrabismo: Desvio da posição de um ou ambos os globos oculares, secundária a uma alteração no sistema de músculos, tendões e nervos encarregados de dar aos olhos o movimento normal.
11 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
12 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
13 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
14 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
15 Pálpebras:
16 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
17 Hiperidrose: Excesso de suor, que costuma acometer axilas, palmas das mãos e plantas dos pés.
18 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
19 Músculo detrusor: É um músculo liso da parede da bexiga urinária. Durante a micção, ele se contrai para expulsar a urina da bexiga. Em outros momentos, ele se mantém relaxado para permitir que a bexiga se encha.
20 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
23 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
24 Migrânea: Sinônimo de enxaqueca. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento envolve o uso de drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos. A prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino.
25 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
26 Refratárias: 1. Que resiste à ação física ou química. 2. Que resiste às leis ou a princípios de autoridade. 3. No sentido figurado, que não se ressente de ataques ou ações exteriores; insensível, indiferente, resistente. 4. Imune a certas doenças.
27 Olhos:
28 Para paciente: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Paciente disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
29 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
30 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
31 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
32 Trato Urinário:
33 Retenção urinária aguda: É a súbita inabilidade de urinar, que produz dor e desconforto. Pode ser causada por obstrução do sistema urinário, por estresse ou por problemas neurológicos.
34 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
35 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
36 Cateterismo: Exame invasivo de artérias ou estruturas tubulares (uretra, ureteres, etc.), utilizando um dispositivo interno, capaz de injetar substâncias de contraste ou realizar procedimentos corretivos.
37 Vesical: Relativo à ou próprio da bexiga.
38 Distonia: Contração muscular involuntária causando distúrbios funcionais, dolorosos e estéticos.
39 Torcicolo: Distúrbio freqüente produzido por uma luxação nas vértebras da coluna cervical, ou a espasmos dos músculos do pescoço que produzem rigidez e rotação lateral do mesmo.
40 Disfagia: Sensação consciente da passagem dos alimentos através do esôfago. Pode estar associado a doenças motoras, inflamatórias ou tumorais deste órgão.
41 Órteses: Quaisquer aparelhos externos usados para imobilizar ou auxiliar os movimentos dos membros ou da coluna vertebral.
42 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
43 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
44 Ureter: Estrutura tubular que transporta a urina dos rins até a bexiga.
45 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
46 Enxaquecas: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
47 Cefaléias: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaléia ou dor de cabeça tensional, cefaléia cervicogênica, cefaléia em pontada, cefaléia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaléias ou dores de cabeça. A cefaléia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
48 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
49 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
50 Blefaroespasmo: Doença neuromuscular que causa contração involuntária dos músculos ao redor dos olhos, fazendo com que o paciente pisque os olhos de modo involuntário e vigoroso.
51 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
52 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
53 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
54 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
55 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
56 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
57 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
58 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
59 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
60 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
61 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
62 Ptose: Literalmente significa “queda” e aplica-se em distintas situações para significar uma localização inferior de um órgão ou parte dele (ptose renal, ptose palpebral, etc.).
63 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
64 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
65 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
66 Equimoses: Manchas escuras ou azuladas devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, as equimoses desaparecem passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
67 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
68 Ectrópio: Reviramento da pálpebra; ectrópion.
69 Diplopia: Visão dupla.
70 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
71 Entrópio: Em medicina, é a inversão ou reviramento para dentro de uma parte anatômica. Na oftalmologia, é o reviramento, para o globo ocular, da borda interna de uma pálpebra.
72 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
73 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
74 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
75 Inchaço: Inchação, edema.
76 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
77 Globo ocular: O globo ocular recebe este nome por ter a forma de um globo, que por sua vez fica acondicionado dentro de uma cavidade óssea e protegido pelas pálpebras. Ele possui em seu exterior seis músculos, que são responsáveis pelos movimentos oculares, e por três camadas concêntricas aderidas entre si com a função de visão, nutrição e proteção. A camada externa (protetora) é constituída pela córnea e a esclera. A camada média (vascular) é formada pela íris, a coroide e o corpo ciliar. A camada interna (nervosa) é constituída pela retina.
78 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
79 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
80 Hipertonia: 1. Em biologia, é a característica de uma solução que apresenta maior concentração de solutos do que outra. 2. Em medicina, é a tensão excessiva em músculos, artérias ou outros tecidos orgânicos.
81 Hipoestesia: Perda ou diminuição de sensibilidade em determinada região do organismo.
82 Cabeça:
83 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
84 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
85 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
86 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
87 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
88 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
89 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
90 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
91 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
92 Contusão: Lesão associada a um traumatismo que pode produzir desvitalização de tecidos profundos.
93 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
94 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
95 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
96 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
97 Equimose: Mancha escura ou azulada devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, a equimose desaparece passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
98 Artralgia: Dor em uma articulação.
99 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
100 Bursite: Doença ortopédica caracterizada pela inflamação da bursa, uma bolsa cheia de líquido, existente no interior das articulações, cuja finalidade é amortecer o atrito entre ossos, tendões e músculos. A bursite pode acontecer em qualquer articulação (joelhos, cotovelos, quadris, etc.), mas é mais comum no ombro.
101 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
102 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
103 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
104 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
105 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
106 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
107 Sudorese: Suor excessivo
108 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
109 Bacteriúria: Presença de bactérias na urina. Normalmente a urina é estéril, ou seja, não contem microorganismos.
110 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
111 Volume residual: Volume de ar que permanece no pulmão após uma expiração máxima.
112 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
113 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
114 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
115 Divertículo: Eventração da mucosa colônica através de uma região enfraquecida da parede intestinal. Constitui um achado freqüente na população ocidental após os 50 anos de idade. Em geral não produz nenhum sintoma.
116 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
117 Disreflexia autonômica: Considerada uma emergência médica, potencialmente fatal, a disreflexia autonômica pode ocorrer em qualquer paciente com lesão medular e com nível neurológico igual ou superior à sexta vértebra torácica (T6). Seu início é súbito, resultante de vários estímulos nocivos abaixo do nível da lesão, o que, por sua vez, aciona uma hiperatividade do sistema nervoso simpático. Devido à lesão medular, os centros cerebrais superiores são incapazes de modular essa descarga simpática, o que resulta na elevação da pressão arterial. Na maioria das vezes a elevação da pressão arterial basal é de 20 a 40 mmHg, porém pode variar muito além desses valores, ocasionando deslocamento de retina, acidente vascular cerebral, crises convulsivas, infarto do miocárdio e morte.
118 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
119 Paresia: Diminuição da força em um ou mais grupos musculares. É um grau menor de paralisia.
120 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
121 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.

Tem alguma dúvida sobre Botox?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.