ZOFRAN

GlaxoSmithKline

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Zofran

injetável: ampolas contendo 4 mg/2 ml ou 8 mg/4ml de ondansetron (como cloridrato diidratado) em solução aquosa para administração IV. Comprimidos: 4 e 8 mg.

Posologia e Administração de Zofran

adultos: o potencial emetogênico do tratamento do câncer1 varia de acordo com as doses e combinações dos regimes de quimioterapia2 e radioterapia3 usados. A via de administração e a dose de Zofran devem ser flexíveis na faixa de 8-32 mg/dia, e selecionada como demonstrada abaixo. Quimioterapia2 e radioterapia3 emetogênica: para muitos pacientes recebendo quimioterapia2 ou radioterapia3 emetogênica, Zofran 8 mg deve ser administrado com 1 injeção4 intravenosa lenta imediatamente antes do tratamento ou oralmente 1-2 horas antes do tratamento, seguida de 8 mg de 12-12 horas por via oral. Para prevenir contra a êmese5 tardia após as primeiras 24 horas Zofran deve ser continuado por via oral na dose de 8 mg, 2 vezes ao dia, por até 5 dias, após um curso de tratamento. Quimioterapia2 altamente emetogênica: para pacientes6 recebendo quimioterapia2 altamente emetogênica, por exemplo, altas doses de cisplatina, Zofran demonstrou ser igualmente efetivo nos seguintes esquemas de doses nas primeiras 24 horas da quimioterapia2: a) 1 dose única de 8 mg através de injeção4 intravenosa lenta imediatamente antes da quimioterapia2. b) 1 dose de 8 mg através de injeção4 intravenosa lenta imediatamente antes da quimioterapia2 seguida de 2 doses intravenosas adicionais de 8 mg, 2 e 4 horas após, ou através de 1 infusão contínua de 1 mg/hora por até 24 horas. c) 1 dose única de 32 mg diluída em 50-100 ml de solução salina de outro fluido de infusão compatível e infundida durante 15 minutos imediatamente antes da quimioterapia2. A seleção do regime de dose deve ser determinada pela severidade emetogênica. A eficácia de Zofran em quimioterapia2 altamente emetogênica pode ser aumentada pela adição de 1 dose única intravenosa de 20 mg de fosfato sódico de dexametasona administrada antes da quimioterapia2. Para prevenir contra a êmese5 tardia, após as primeiras 24 horas, Zofran deve ser continuado, por via oral, na dose de 8 mg, 2 vezes ao dia, por até 5 dias após um curso de tratamento. Crianças: a experiência é atualmente limitada, mas o ondansetron foi efetivo e bem tolerado em crianças acima de 4 anos, quando administrado intravenosamente na dose de 5 mg/m2 durante 15 minutos, imediatamente antes da quimioterapia2, seguida de dose oral com comprimidos de 4 mg, 12 horas após. Pode-se continuar com 4 mg oralmente 2 vezes ao dia, por até 5 dias, após o término de um tratamento. Pacientes idosos: a eficácia e tolerância nos pacientes com idade acima de 65 anos foram similares àquelas observadas em adultos jovens indicando não haver necessidade de se alterar a dose ou via de administração no idoso. Náusea7 e vômito8 do pós-operatório: adultos: para prevenção da náusea7 e vômito8 do pós-operatório, Zofran pode ser administrado oralmente na dose de 8 mg, 1 hora antes da anestesia9, seguida de outras 2 doses de 8 mg em intervalos de 8 horas. Alternativamente, 1 dose única de 4 mg pode ser administrada através da injeção4 intravenosa lenta na indução da anestesia9. Para tratamento da náusea7 e vômito8 do pós-operatório já estabelecidos é recomendada uma dose única de 4 mg administrada através de injeção4 intravenosa lenta. Crianças: ainda não há experiência com o uso de Zofran na prevenção e tratamento da náusea7 e do vômito8 do pós-operatório em crianças. Idosos: existem poucas experiências com o uso de Zofran na prevenção e tratamento da náusea7 e do vômito8 do pós-operatório em pessoas idosas. Pacientes com insuficiência renal10: não é requerida qualquer alteração da via de administração, dose diária ou freqüência da dose. Pacientes com insuficiência hepática11: o clearance do ondansetron é significativamente reduzido e a meia-vida plasmática significativamente prolongada em pacientes com insuficiência hepática11 moderada ou severa. Nestes pacientes a dose total diária não deve exceder 8 mg.

Precauções de Zofran

gravidez12: embora não tenham sido observados efeitos teratogênicos13 com estudos em animais e não havendo experiências em seres humanos, o ondansetron, como acontece com outras drogas, não deve ser usado durante a gravidez12, especialmente durante o primeiro trimestre, a não ser que o benefício esperado seja maior do que qualquer risco provável ao feto14. Lactação15: os testes tem demonstrado que o ondansetron é excretado no leite de animais. Por este motivo recomenda-se que lactantes16 sob tratamento com ondansetron não devem amamentar.

Reações Adversas de Zofran

os seguintes efeitos adversos podem ocorrer: cefaléia17, sensação de calor ou rubor na cabeça18 e no epigástrio19 e aumento ocasional e transitório, assintomático nas aminotransferases. Sabe-se que o ondansetron aumenta o tempo do trânsito intestinal e por isso pode causar constipação20 em alguns pacientes. Têm ocorrido raros relatos de reações de hipersensibilidade imediata.

Contra-Indicações de Zofran

pacientes que apresentem hipersensibilidade conhecida à droga.

Indicações de Zofran

controle da náusea7 e do vômito8 induzidos por quimioterapia2 citotóxica e radioterapia3. Zofran é também indicado para a prevenção e tratamento de náuseas21 e vômitos22 do pós-operatório.

Apresentação de Zofran

caixas com 5 ampolas e caixas com 10 comprimidos.


ZOFRAN - Laboratório

GlaxoSmithKline
Estrada dos Bandeirantes, 8464
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22783-110

Ver outros medicamentos do laboratório "GlaxoSmithKline"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
3 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
8 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
10 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
11 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
14 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
15 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
16 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
17 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
18 Cabeça:
19 Epigástrio: Região superior e mediana do abdome, que vai do apêndice xifoide até o umbigo.
20 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
21 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
22 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.

Tem alguma dúvida sobre ZOFRAN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.