INFORMAÇÃO AO PACIENTE AAS PROTECT

Atualizado em 18/05/2016

Ação esperada do medicamentoAAS® Protect é um medicamento que possui em sua fórmula uma substância chamada
ácido acetilsalicílico . O ácido acetilsalicílico tem a capacidade de evitar o agrupamento
das plaquetas1, componentes do sangue2 que agem na formação dos coágulos
sangüíneos. Ao inibir o agrupamento das plaquetas1, esse medicamento atua na
prevenção da formação de coágulos (trombos3) nos vasos sangüíneos4, prevenindo assim
certas doenças cardiovasculares5, tais como: angina6 de peito7 instável (dor no peito7
causada pela má circulação8 do sangue2 nas artérias coronárias9); infarto10 agudo11 do
miocárdio12 em pacientes com fatores de risco para tal; novo infarto10 em doentes que já
sofreram infarto10. Também é indicado após cirurgias ou outras intervenções nas artérias13
(por ex., cirurgia de ponte de safena) e para evitar a ocorrência de distúrbios transitórios
da circulação8 cerebral (ataque de isquemia14 cerebral transitória) e de infarto10 cerebral
(derrame15 cerebral) após as primeiras manifestações (paralisia16 transitória da face17 ou dos
músculos18 dos braços ou perda transitória da visão19).
Nota: Este medicamento não é adequado para o tratamento da dor.
O AAS® Protect apresenta uma formulação que permite a liberação do medicamento
somente no intestino, o que melhora a sua tolerabilidade gástrica. Para que este
mecanismo não seja afetado, os comprimidos de AAS® Protect não devem ser partidos.
Pelo fato da liberação do ácido acetilsalicílico de AAS® Protect ser retardada e ocorrer
apenas no intestino, o mesmo não deve ser utilizado em situações de emergência20 como
na fase aguda do infarto do miocárdio21.
Cuidados de conservação
AAS® Protect deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).
Prazo de validade
Impresso na embalagem.
Ao comprar qualquer medicamento verifique o prazo de validade. Não use remédio com
prazo de validade vencido. Além de não obter o efeito desejado, você poderá prejudicar sua
saúde22.
Gravidez23 e lactação24
Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez23 na vigência do tratamento ou após o
seu término. AAS® Protect não deve ser utilizado no último trimestre de gravidez23.
Informe também seu médico caso esteja amamentando.
Cuidados de administração
O comprimido deve ser ingerido com quantidade suficiente de água para permitir a sua
correta deglutição25. Evitar a ingestão concomitante com bebidas alcoólicas. Siga a
orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento.
Interrupção do tratamento
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico, pois isto poderá
prejudicar o tratamento de sua doença.
Reações adversas
AAS® Protect pode causar náuseas26 e vômitos27. Raramente podem ocorrer sangramentos e
úlceras28 do estômago29, reações alérgicas com dificuldade para respirar, reações na pele30,
anemia31 após uso prolongado, alterações da função do fígado32 e dos rins33 e queda do nível de
açúcar34 no sangue2. Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis.
AAS® Protect não deve ser utilizado por pacientes alérgicos a outros analgésicos35 e
antiinflamatórios do mesmo tipo.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Contra-indicações e Precauções
AAS® Protect está contra-indicado em pacientes alérgicos ao ácido acetilsalicílico, a
salicilatos ou a qualquer um dos componentes do medicamento, pacientes com tendência a
sangramentos, com úlceras28 do estômago29 ou intestino, em tratamento com metotrexato em
dose iguais ou superiores a 15 mg/semana ou no último trimestre de gravidez23. Não deve
ser usado em hemofílicos e naqueles pacientes que estejam fazendo uso de
anticoagulantes36. O AAS® Protect só poderá ser empregado durante a gravidez23 e lactação24
sob orientação médica. Evite a ingestão concomitante com álcool. O uso concomitante de
AAS® Protect com drogas como corticosteróides, anticoagulantes36 orais, heparina,
hipoglicemiantes37, metotrexato e probenecida deverá ser acompanhada cuidadosamente
pelo médico.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER
PERIGOSO PARA SUA SAÚDE22.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
4 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
6 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
7 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
8 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
9 Artérias coronárias: Veias e artérias do CORAÇÃO.
10 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
11 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
12 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
13 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
14 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
15 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
16 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
17 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
18 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
19 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
20 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
21 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
22 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
23 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
24 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
25 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
26 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
27 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
28 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
29 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
30 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
31 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
32 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
33 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
34 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
35 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
36 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
37 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.

Tem alguma dvida sobre INFORMAÇÃO AO PACIENTE AAS PROTECT?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.