SINTOMAS E TRATAMENTO DE SUPERDOSAGEM MESTINON

Atualizado em 24/05/2016

Quadro clínico: Quando há superestimulação, o quadro sintomatológico é o de aumento
de ação parassimpaticomimética se não houver mascaramento atropínico.

Os sinais1 e sintomas2 da crise colinérgica3 são muito variáveis. Manifestam-se por cólicas4
abdominais, diarréia5, vômitos6, salivação excessiva, palidez, suores frios, frio, urgência7
urinária, distúrbios visuais e, eventualmente, fasciculação8 e paralisia9 dos músculos10
voluntários (incluindo a língua11), dos ombros, pescoço12 e braços.

Miose13, hipertensão14 com ou sem bradicardia15, sensações subjetivas de tremores internos,
ansiedade e pânico podem completar o quadro.

A crise colinérgica3 se diferencia da crise miastênica pelo fato desta última não
apresentar os sintomas2 acima, exceto ansiedade e pânico.

O tratamento consiste em interrupção imediata do Mestinon® ou de outros colinérgicos e a
administração de 1 a 2 mg de sulfato de atropina por via intravenosa lenta. De acordo com a
freqüência cardíaca observada, a dose poderá ser repetida, de acordo com o caso, de 2 em 2
horas ou de 4 em 4 horas.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Colinérgica: 1. Relativo a ou semelhante à acetilcolina, especialmente quanto à ação fisiológica. 2. Diz-se das sinapses ou das fibras nervosas que liberam ou são ativadas pela acetilcolina.
4 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
5 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
6 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
7 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
8 Fasciculação: 1. Implantação, formação de fascículos. 2. Leve contração localizada de fascículos musculares inervados por um único filamento nervoso motor, visível como breves tremores na superfície da pele.
9 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
10 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
11 Língua:
12 Pescoço:
13 Miose: Contração da pupila, que pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
14 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
15 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).

Tem alguma dúvida sobre SINTOMAS E TRATAMENTO DE SUPERDOSAGEM MESTINON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.