PRECAUÇÕES HALOG CAPILAR

Atualizado em 24/05/2016

Geral

Absorção sistêmica de corticosteróides tópicos produziu supressão reversível do eixo hipotalâmico-pituitária-adrenal (HPA), manifestações de síndrome de Cushing1, hiperglicemia2 e glicosuria3 em alguns pacientes. Absorção sistêmica de ácido salicílico pode resultar em sintomas4 de salicilismo.Condições que aumentam a absorção sistêmica de corticosteróides e ácido salicílico aplicados topicamente incluem: uso sobre áreas de grande superfície, uso prolongado, uso em dobras e áreas intertriginosas e a adição de pensos oclusivos. A ação queratolítica do ácido salicílico pode também levar ao aumento da absorção do esteróide.
Pacientes recebendo uma grande dose de qualquer esteróide tópico5 potente e ácido salicílico sob qualquer(s) condição(s) que pode aumentar a absorção sistêmica, deverão ser avaliados periodicamente para evidência da supressão do eixo HPA, usando cortisol urinário livre e teste de estimulação de ACTH, para diminuição da homeostase térmica e evidência de salicilismo. Se qualquer dessas condições ocorrer, deve-se fazer uma tentativa de suspender a droga, reduzir a frequência de aplicação, substituir um esteróide menos potente ou usar uma abordagem  sequencial quando se utilizar a técnica oclusiva.
A recuperação da função do eixo HPA e da homeostase térmica é geralmente imediata e completada a partir da descontinuação da droga. Raras vezes, sinais6 e sintomas4 de abstinência de esteróides podem ocorrer, requerendo corticosteróides sistêmicos7 suplementares. Ocasionalmente, um paciente pode desenvolver uma reação de sensibilidade a um material particular de penso oclusivo ou adesivo e pode ser necessário um material substituto.
Crianças podem absorver proporcionalmente quantidades maiores de corticosteróides tópicos e ácido salicílico e assim ser mais suscetível à toxicidade8 sistêmica (ver PRECAUÇÕES, Uso Pediátrico).
Caso se desenvolva irritação, secura excessiva ou desenvolvimento de escamação indesejável o tratamento deverá ser descontinuado e instituida terapia apropriada.
Na presença de erupções, lesões9 ou infecções10 dermatológicas, o uso de terapia anti-infecciosa apropriada deverá ser instituida. Se uma resposta favorável não ocorrer imediatamente, a solução deverá ser descontinuada até que o problema concomitante tenha sido controlado adequadamente.
Evitar contato com os olhos11 e membranas mucosas12.
HALOG CAPILAR13 é inflamável e na aplicação sobre o couro cabeludo o cabelo14 não deverá ser secado em frente ao fogo aberto.

Testes de Laboratório  

Um teste de cortisol urinário livre e teste de estimulação de ACTH pode ser útil na avaliação da supressão do eixo HPA.

Carcinogênese, Mutagênese e Diminuição da Fertilidade  

Não foram feitos estudos prolongados em animais para avaliar o potencial carcinogênico ou o efeito na fertilidade desse medicamento.
Estudos para determinar a mutagenicidade com prednisolona e hidrocortisona mostraram resultados negativos. O teste de Ames Salmonella usando uma preparação contendo 6% de ácido salicílico não mostrou potencial mutagênico.

Gravidez15: Efeitos Teratogênicos16

Administração sistêmica de corticosteróides e administração oral de ácido acetilsalicílico em animais de laboratório mostraram ser teratogênicos16.Os corticosteróides mais potentes mostraram ser teratogênicos16, após aplicação dérmica em animais de laboratório. Não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas sobre efeitos teratogênicos16 de componentes nesse medicamento aplicados topicamente. Portanto, este medicamento deverá ser usado durante a gravidez15, apenas se o benefício justificar o risco potencial para o feto17. Esse medicamento não deverá ser usado extensivamente em pacientes grávidas, em grandes quantidades ou por períodos prolongados de tempo.

Mães Lactantes18

Não é conhecido se a administração tópica desse medicamento pode resultar em absorção sistêmica dos componentes suficiente para produzir quantidades detectáveis no leite materno.
Corticosteróides administrados sistêmicamente são secretados no leite materno em quantidades provavelmente não apresentando efeito deletério em crianças pequenas. Todavia, cuidado deve ser exercido quando este medicamento for administrado a uma  mulher lactante19.

Uso Pediátrico

O uso desse medicamento sobre grandes áreas de superfície ou por períodos prolongados de tempo em crianças e adolescentes pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir efeitos sistêmicos7. Portanto, esses pacientes podem demonstrar maior susceptibilidade20 ao salicilismo, supressão do eixo HPA e síndrome de Cushing1 do que pacientes mais velhos por causa de uma maior relação área de superfície de pele21 sobre peso corporal.
A supressão do eixo HPA, síndrome de Cushing1 e hipertensão22 intracraniana foram relatados em crianças recebendo corticosteróides tópicos.
Quando aplicado a pacientes pediátricos, particularmente aqueles entre 6 e 12 anos de idade, esse medicamento deverá ser limitado à menor quantidade para a mais curta duração compatível com um regime terapêutico efetivo. Esses pacientes devem ser monitorados de perto para sinais6 e sintomas4 de efeitos sistêmicos7.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Síndrome de Cushing: A síndrome de Cushing, hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é um conjunto de sinais e sintomas que indicam excesso de cortisona (hormônio) no sangue. Esse hormônio é liberado pela glândula adrenal (também conhecida como suprarrenal) em resposta à liberação de ACTH pela hipófise no cérebro. Níveis elevados de cortisol (ou cortisona) também podem ocorrer devido à administração de certos medicamentos, como hormônios glicocorticoides. A síndrome de Cushing e a doença de Cushing são muito parecidas, já que o que a causa de ambas é o elevado nível de cortisol no sangue. O que difere é a origem dessa elevação. A doença de Cushing diz respeito, exclusivamente, a um tumor na hipófise que passa a secretar grande quantidade de ACTH e, consequentemente, há um aumento na liberação de cortisol pelas adrenais. Já a síndrome de Cushing pode ocorrer, por exemplo, devido a um tumor presente nas glândulas suprarrenais ou pela administração excessiva de corticoides.
2 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
3 Glicosúria: Presença de glicose na urina.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
8 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Olhos:
12 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
13 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
14 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
17 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
18 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
19 Lactante: Que produz leite; que aleita.
20 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
21 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
22 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES HALOG CAPILAR?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.