PRECAUÇÕES MAXCEF

Atualizado em 25/05/2016

OS ANTIBIÓTICOS DEVEM SER ADMINISTRADOS COM CAUTELA A QUALQUER PACIENTE QUE TENHA DEMONSTRADO ALGUMA FORMA DE ALERGIA1, PRINCIPALMENTE A MEDICAMENTOS. SE OCORRER REAÇÃO ALÉRGICA2 COM MAXCEF®, DESCONTINUAR O MEDICAMENTO E TRATAR O PACIENTE ADEQUADAMENTE. REAÇÕES GRAVES DE HIPERSENSIBILIDADE PODEM EXIGIR A ADMINISTRAÇÃO DE  EPINEFRINA OU OUTRA TERAPIA DE SUPORTE.

COLITE3 PSEUDOMEMBRANOSA FOI RELATADA VIRTUALMENTE COM TODOS OS ANTIBIÓTICOS DE AMPLO ESPECTRO, INCLUSIVE A CEFEPIMA; PORTANTO, É NECESSÁRIO CONSIDERAR ESTE DIAGNÓSTICO4 EM PACIENTES QUE DESENVOLVEM DIARRÉIA5 EM ASSOCIAÇÃO COM O USO DE ANTIBIÓTICOS. CASOS LEVES DE COLITE3 PODEM RESPONDER SIMPLESMENTE À DESCONTINUAÇÃO DA DROGA; CASOS MODERADOS A GRAVES PODEM NECESSITAR DE CONDUTA MAIS ESPECÍFICA.

COMO OCORRE COM OUTROS ANTIBIÓTICOS, O USO DE MAXCEF® PODE RESULTAR EM SUPERCRESCIMENTO DE ORGANISMOS NÃO SENSÍVEIS. NA OCORRÊNCIA DE SUPERINFECÇÃO6 DURANTE A TERAPIA, MEDIDAS APROPRIADAS DEVEM SER TOMADAS.

EM PACIENTES COM DISFUNÇÃO RENAL7 , COMO REDUÇÃO DA ELIMINAÇÃO URINÁRIA DECORRENTE DE INSUFICIÊNCIA RENAL8 ("CLEARANCE" DE CREATININA9 MENOR QUE 60ml/min) OU OUTRAS CONDIÇÕES QUE POSSAM COMPROMETER A FUNÇÃO URINÁRIA, A DOSE DE MANUTENÇÃO DE CEFEPIMA DEVE SER AJUSTADA PARA COMPENSAR O ÍNDICE MENOR DE ELIMINAÇÃO RENAL7 (ver Posologia e Farmacologia10 Clínica). EVENTOS ADVERSOS GRAVES, INCLUINDO ENCEFALOPATIA11, CONVULSÕES, MIOCLONIA12, E/OU INSUFICIÊNCIA RENAL8, FORAM RELATADOS NA EXPERIÊNCIA PÓS-COMERCIALIZAÇÃO EM PACIENTES COM DISFUNÇÃO RENAL7 QUE NÃO RECEBERAM DOSES AJUSTADAS DE MAXCEF® (ver REAÇÕES ADVERSAS). A FUNÇÃO RENAL7 DEVE SER CUIDADOSAMENTE MONITORADA SE DROGAS COM POTENCIAL NEFROTÓXICO, COMO AMINOGLICOSÍDEOS E DIURÉTICOS13 POTENTES FOREM ADMINISTRADOS COM MAXCEF®.

Carcinogênese, Mutagênese e Comprometimento da FertilidadeNENHUM ESTUDO PROLONGADO EM ANIMAIS FOI CONDUZIDO PARA SE AVALIAR O POTENCIAL CARCINOGÊNICO. OS TESTES IN VITRO E IN VIVO PARA GENOTOXICIDADE MOSTRARAM QUE CEFEPIMA NÃO É GENOTÓXICO. NÃO FOI OBSERVADO COMPROMETIMENTO DA FERTILIDADE EM RATOS.
Uso na gestação
ESTUDOS DE REPRODUÇÃO14 EM CAMUNDONGOS, RATOS E COELHOS NÃO MOSTRARAM EVIDÊNCIAS DE  DANO FETAL; NO ENTANTO, NÃO HÁ ESTUDOS ADEQUADOS E BEM CONTROLADOS COM MULHERES GRÁVIDAS. PELO FATO DE OS ESTUDOS DE REPRODUÇÃO14 EM ANIMAIS NÃO SEREM SEMPRE PROGNÓSTICOS  DA RESPOSTA HUMANA, ESTA DROGA DEVERÁ SER USADA DURANTE A GRAVIDEZ15 SOMENTE SE CLARAMENTE NECESSÁRIO.

Uso na lactação16
A CEFEPIMA É EXCRETADA NO LEITE HUMANO EM CONCENTRAÇÕES MUITO BAIXAS. DEVE SER FEITA COM MUITA CAUTELA A ADMINISTRAÇÃO DE CEFEPIMA A UMA LACTANTE17.

Trabalho de parto
O USO DE CEFEPIMA DURANTE O TRABALHO DE PARTO NÃO FOI ESTUDADO. O TRATAMENTO, NESTE CASO, DEVE SER REALIZADO SOMENTE QUANDO CLARAMENTE NECESSÁRIO.

Uso geriátrico
NOS ESTUDOS CLÍNICOS, OS PACIENTES GERIÁTRICOS QUE RECEBERAM A DOSE COMUMENTE RECOMENDADA PARA ADULTOS MOSTRARAM EFICÁCIA CLÍNICA E SEGURANÇA COMPARÁVEIS À EFICÁCIA CLÍNICA E SEGURANÇA EM PACIENTES ADULTOS NÃO-GERIÁTRICOS. HOUVE DISCRETO AUMENTO DA MEIA-VIDA DE ELIMINAÇÃO E MENOR VALOR DO "CLEARANCE" RENAL7 QUANDO COMPARADOS COM OS DE PESSOAS MAIS JOVENS. AJUSTES DE DOSE SÃO RECOMENDADOS SE A FUNÇÃO RENAL7 ESTIVER COMPROMETIDA (ver Posologia).

Dirigir/Operar Máquinas
O EFEITO DE MAXCEF® SOBRE PACIENTES DIRIGINDO VEÍCULOS OU OPERANDO MÁQUINAS NÃO FOI ESTUDADO.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
2 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
3 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
6 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
9 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
10 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
11 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
12 Mioclonia: Contração muscular súbita e involuntária que se verifica especialmente nas mãos e nos pés, devido à descarga patológica de um grupo de células nervosas.
13 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
14 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
17 Lactante: Que produz leite; que aleita.

Tem alguma dvida sobre PRECAUÇÕES MAXCEF?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.