POSOLOGIA COMPAZ 10MG-50 AP. 2ML

Atualizado em 28/05/2016
Para obter o efeito desejado, a posologia deve ser individualizada. As doses usuais diárias recomendadas a seguir preenchem as necessidades da maioria dos pacientes, embora existam casos que necessitem doses mais elevadas.As doses parenterais recomendadas para adultos e adolescentes variam de 2 a 20 mg por via IM ou IV, dependendo do peso corporal, indicação e gravidade dos sintomas1.
Em indicações como o tétano2, podem ser necessárias doses mais elevadas.
As injeções IM devem ser profundas. As injeções IV devem ser sempre lentas (0,5 a 1 ml/minuto), pois a administração excessivamente rápida pode provocar apnéia3; instrumental de reanimação deve estar disponível para qualquer eventualidade.
As seguintes posologias especiais são recomendadas:
Anestesiologia:- Pré-medicação: 10 a 20 mg IM (crianças 0,1 a 0,2 mg/kg), uma hora antes da indução anestésica.
Indução anestésica: 0,2 a 0,5 mg/kg IV.
Sedação4 basal antes de procedimentos terapêuticos, diagnósticos ou intervenções: 10 a 30 mg IV (crianças 0,1 a 0,2 mg/kg)
O melhor método para adaptar a posologia às necessidades de cada paciente consiste em se administrar dose inicial de 5 mg (1 ml), ou 0,1 mg/kg, e doses subseqüentes de 2,5 mg a cada 30 segundos ( ou 0,05 mg/kg) até que haja oclusão palpebral.
Ginecologia e Obstetrícia:- Eclâmpsia5 durante a crise convulsiva 10 a 20 mg IV, com doses adicionais conforme as necessidades por via IV ou gota6 a gota6 (até 100 mg/24 horas).
Tétano2:- 0,1 a 0,3 mg/kg IV a intervalos de 1 a 4 horas ou gota6 a gota6 ( 3 a 4 mg/kg/24 horas). simultaneamente a mesma dose pode ser administrada por sonda nasogástrica7.
Estado de mal epiléptico:- 0,15 a 0,25 mg/ kg IV, eventualmente gota6 a gota6. Repetir se necessário após 10 a 15 minutos. Dose máxima: 3 mg/kg/24 horas.
Estados de excitação:- Ansiedade aguda, agitação motora, delirium tremens8 - dose inicial de 0,1 a 0,2 mg/kg IV. Repetir a intervalos de 8 horas até o desaparecimento dos sintomas1 agudos, a seguir prosseguir o tratamento por via oral.
Atenção:- A Solução Injetável deve ser administrada separadamente, pois é incompatível com as soluções aquosas de outros medicamentos, devido à precipitação do princípio ativo.
Perfusão:- O produto permanece estável em solução de glicose9 a 5% ou 10% ou em solução isotônica10 de cloreto de sódio, quando misturado rapidamente (no máximo 4 ml) ao volume total de soluto (no mínimo 250 ml) utilizando-se a mistura imediatamente após o preparo.
Crianças:- Diazepam só deve ser utilizado na infância em condições de absoluta necessidade e sob rigoroso controle médico.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Tétano: Toxinfecção produzida por uma bactéria chamada Clostridium tetani. Esta, ao infectar uma ferida cutânea, produz uma toxina (tetanospasmina) altamente nociva para o sistema nervoso que produz espasmos e paralisia dos nervos afetados. Pode ser fatal. Existe vacina contra o tétano (antitetânica) que deve ser tomada sempre que acontecer um traumatismo em que se suspeita da contaminação por esta bactéria. Se a contaminação for confirmada, ou se a pessoa nunca recebeu uma dose da vacina anteriormente, pode ser necessário administrar anticorpos exógenos (de soro de cavalo) contra esta toxina.
3 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
4 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
5 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
6 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
7 Sonda nasogástrica: Equipamento de uso médico que pode servir tanto para alimentar pacientes que não conseguem realizar a deglutição, como para drenar líquidos do estômago (em casos de intoxicação ou cirurgias, por exemplo). A sonda é um equipamento que consiste basicamente em um tubo com duas aberturas para comunicação entre o interior e o exterior do corpo do paciente.
8 Delirium tremens: Variedade de delírio associado ao consumo ou abstinência de álcool.
9 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
10 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.

Tem alguma dúvida sobre POSOLOGIA COMPAZ 10MG-50 AP. 2ML?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.