Sandomigran

NOVARTIS BIOCIENCIAS S.A

Atualizado em 31/12/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Sandomigran®
pizotifeno
Drágeas1 0,5 mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Drágeas1
Embalagens com 20 drágeas1

VIA ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 2 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada drágea2 de Sandomigran contém:

pizotifeno base (equivalente a 0,730 mg de malato de pizotifeno) 0,5 mg
excipiente q.s.p. 1 drágea2

Excipientes: estearato de magnésio, talco, povidona, amido, lactose3, óxido férrico amarelo, palmitato de cetila, dióxido de titânio, dióxido de silício, goma arábica e sacarose.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Sandomigran® é utilizado para a prevenção da enxaqueca4, reduzindo a frequência das crises.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Sandomigran® apresenta como componente ativo o pizotifeno, que tem a propriedade de inibir certas substâncias naturais do cérebro5 responsáveis por causar as dores de cabeça6 vasculares7.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não use Sandomigran®: Se você é alérgico (hipersensível) ao pizotifeno ou a qualquer outro componente da formulação (vide “Composição”).

Se este é o seu caso, informe seu médico antes de tomar Sandomigran®.

Se você acha que pode ser alérgico, converse com seu médico.

Sandomigran® não deve ser utilizado em crianças com menos de 2 anos de idade.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga todas as instruções do seu médico cuidadosamente. Elas podem diferir das informações gerais contidas nesta bula.

Tome cuidado especial com Sandomigran®:

  • Se você tem problemas no fígado8. Sandomigran® foi associado com resultados anormais da função hepática9 e possíveis problemas hepáticos em alguns pacientes. Você pode não notar nenhum sintoma10, mas se você notar amarelamento da sua pele11 ou do branco dos olhos12, escurecimento anormal da urina13 ou náusea14 inexplicada, vômito15 e cansaço, avise seu médico imediatamente. Seu médico pode solicitar exames de sangue16 para verificar e monitorar sua função hepática9 e pode solicitar que você pare o seu tratamento se o seu problema do fígado8 for sério.

Se você apresentar qualquer um dos sintomas17 ou doenças mencionados acima enquanto estiver tomando Sandomigran®, avise seu médico imediatamente.

  • Se você tiver alterações na visão18 devido à pressão aumentada do olho19 (sinais20 de glaucoma21 de ângulo fechado), exceto em casos tratados cirurgicamente com sucesso.
  • Se você tem retenção urinária22 (incapaz de urinar, por ex.: hipertrofia23 prostática).
  • Se você tem convulsão24.

Se alguma das condições acima se aplicar a você, avise seu médico antes de tomar Sandomigran®.

Uso em crianças

Sandomigran® não deve ser utilizado em crianças com menos de 2 anos de idade.

Gravidez25 e lactação26

Os dados sobre o uso clínico do pizotifeno na gravidez25 são muito limitados, portanto, Sandomigran® somente deve ser administrado na gravidez25 se houver absoluta necessidade. Seu médico discutirá com você sobre o risco potencial do uso deste medicamento durante a gravidez25. Converse com seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. Sandomigran® não deve ser utilizado durante a amamentação27. Informe ao seu médico sobre a ocorrência de gravidez25 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao seu médico se está amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Dirigir veículos e operar máquinas

Este medicamento pode estar associado com sonolência, tontura28 e outros efeitos no sistema nervoso central29 e portanto, deve-se ter cuidado ao dirigir veículos e/ou operar máquinas durante o tratamento. Sandomigran® pode fazer com que você sinta tontura28. Se isto acontecer, você deve evitar dirigir ou fazer qualquer atividade que requeira que você esteja alerta (por ex.: operar ferramentas ou máquinas) até que você esteja livre de tais problemas.

Se algum médico disse que você tem intolerância a alguns açúcares (lactose3), converse com seu médico antes de tomar Sandomigran®.

Atenção diabéticos: contém açúcar30.

Interrupção do tratamento 

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Não altere ou pare o tratamento sem antes consultar o seu médico. Seu médico poderá reduzir a dose gradualmente antes de parar completamente o tratamento. Isso é para evitar o agravamento do seu estado e reduzir o risco de sintomas17 de abstinência como depressão, tremores, náusea14, ansiedade, sensação geral de mal-estar, tontura28, distúrbios do sono e perda de peso.

Ingestão concomitante com outras substâncias

Informe seu médico ou farmacêutico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. Lembre-se daqueles não prescritos por um médico.

É especialmente importante que seu médico saiba se você está tomando:

  • Sedativos ou hipnóticos (tranquilizantes, medicamentos para dormir ou medicamentos para tratar a ansiedade, uma vez que estes medicamentos aumentam os efeitos sedativos de Sandomigran®).
  • Anti-histamínicos (medicamentos usados para alergia31 ou gripes e resfriados, uma vez que estes medicamentos aumentam os efeitos sedativos de Sandomigran®).
  • Cisaprida (um medicamento utilizado para tratar azia32).
  • Ingestão de álcool (uma vez que aumenta os efeitos sedativos de Sandomigran®).

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde33.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C). Proteger da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

As drágeas1 de Sandomigran® são brancas a levemente amareladas e circulares.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de administração

Não tome doses maiores que as recomendadas.

Posologia

Tome seu medicamento exatamente como seu médico ou farmacêutico orientar. Não altere a dose ou pare o tratamento sem falar com seu médico.

Sandomigran® não é efetivo para o alívio dos ataques de enxaqueca4 em andamento.

Adultos

A dose deve ser aumentada progressivamente, iniciando-se com 0,5 mg por dia. A dose média de manutenção é de 1,5 mg ao dia, em doses divididas ou em dose única à noite. Em casos em que não haja uma resposta adequada ao medicamento, seu médico poderá aumentar a dose de 3 a 4,5 mg ao dia, administrados em três doses divididas.

Crianças acima de 2 anos de idade

A dose diária inicial deve ser de 0,5 mg e pode ser aumentada até 1,5 mg, em doses divididas, ou 1 mg em dose única à noite.

A duração do tratamento é conforme orientação médica.

A dose diária máxima recomendada é de 4,5 mg administrados em três doses fracionadas.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar uma dose de Sandomigran®, você deve tomá-la assim que lembrar. Não tome se faltar menos de 4 horas para sua próxima dose e volte ao horário normal. Não dobre as doses. Se você tiver dúvidas quanto a isso, fale com seu médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todos os medicamentos, Sandomigran® pode causar efeitos adversos embora nem todos os pacientes os apresentem. Efeitos adversos podem ocorrer com certa frequência, que estão definidas abaixo:

Muito comum

Afeta mais de 1 em cada 10 pacientes

Comum

Afeta entre 1 e 10 em cada 100 pacientes

Incomum

Afeta entre 1 e 10 em cada 1.000 pacientes

Rara

Afeta entre 1 e 10 em cada 10.000 pacientes

Muito rara

Afeta menos de 1 em cada 10.000 pacientes

Desconhecida

A frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Alguns efeitos adversos podem ser graves

Se você apresentar algum destes, informe seu médico imediatamente:

Frequência: rara

  • sinais20 de alergia31, como rash34 (erupção35 cutânea36), coceira ou urticária37 na pele11; inchaço38 da face39.

Frequência: rara

  • convulsões.

Frequência: desconhecida

  • sinais20 de amarelamento da pele11 ou do branco dos olhos12, escurecimento anormal da urina13 e náusea14 inexplicada, vômito15 e cansaço (sinais20 de icterícia40 ou hepatite41).

Outros efeitos adversos

Muito comuns: aumento do apetite e aumento de peso.

Comuns: sonolência, cansaço, tontura28, boca42 seca e náusea14.

Incomum: constipação43.

Raros: depressão, excitabilidade, alucinações44 (ver, ouvir ou sentir coisas que não existem), insônia, ansiedade, formigamento ou dormência45 das mãos46 ou pés, dores musculares.

Desconhecidos: câimbras47 musculares.

Se algum dos efeitos acima te afetar gravemente, avise seu médico.

Se você notar qualquer outro efeito adverso não mencionado nesta bula, por favor, informe seu médico ou farmacêutico.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você acidentalmente tomou muitas drágeas1 Sandomigran®, avise seu médico imediatamente. Você pode precisar de atenção médica.

Superdose

Sintomas17Sonolência, náusea14, boca42 seca, taquicardia48 (batimentos cardíacos acelerados), pirexia49 (febre50), hipotensão51, tontura28, excitação (em crianças), depressão respiratória, convulsão24 (principalmente em crianças), coma52.

Tratamento: Recomenda-se a administração de carvão ativado. No caso de ingestão muito recente, pode-se considerar a lavagem gástrica53. Se necessário, tratamento sintomático54 deve ser administrado, incluindo monitorização dos sistemas cardiovascular e sintomas17 respiratórios. Em casos de convulsões ou excitações, pode-se utilizar um benzodiazepínico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS – 1.0068.0069
Farm. Resp.: Flavia Regina Pegorer – CRF-SP 18.150

Registrado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90
São Paulo – SP
CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Anovis Industrial Farmacêutica Ltda., Taboão da Serra, SP


SAC 0800 888 3003

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
2 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
3 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
4 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Cabeça:
7 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
8 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Olhos:
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
15 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
19 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
20 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
21 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
22 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
23 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
24 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
25 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
26 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
27 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
28 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
29 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
30 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
31 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
32 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
34 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
35 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
36 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
37 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
38 Inchaço: Inchação, edema.
39 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
40 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
41 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
42 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
43 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
44 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
45 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
46 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
47 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
48 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
49 Pirexia: Sinônimo de febre. É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
50 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
51 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
52 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
53 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
54 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre Sandomigran?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.