OTRIVINA

NOVARTIS

Atualizado em 09/12/2014

DESCONGESTIONANTE NASAL DE USO TÓPICO1

Formas Farmacêuticas e Apresentações da Otrivina

Gotas nasais a 1‰ (0,1%). Frasco plástico gotejador contendo 15 ml.Gel nasal a 1‰ (0,1%). Tubo contendo 10 gramas.

USO ADULTO E EM CRIANÇAS ACIMA DE 6 ANOS

Composição da Otrivina

Cada 100 ml de solução contém: cloridrato de xilometazolina 0,1 g, veículo (cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, fosfato de sódio monobásico, fosfato de sódio dibásico, cloreto de sódio e água deionizada) q.s.p. Cada 100 g do gel contém: cloridrato de xilometazolina 0,1 g, excipiente (cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, óleo de rícino polietoxilado, hidroxipropilmetilcelulose, sorbitol2, fosfato de sódio monobásico, fosfato de sódio dibásico, cloreto de sódio, perfume e água deionizada) q.s.p.

Informação ao Paciente da Otrivina

O produto deve ser protegido do calor. Não utilizar o produto após a data de validade impressa no cartucho e, após aberto o frasco (solução) ou a bisnaga (gel), o conteúdo somente pode ser utilizado durante um mês.Informe ao seu médico se estiver grávida, amamentando ou se ocorrer gravidez3 durante o tratamento. Não se recomenda o uso de OTRIVINA durante a gravidez3.
OTRIVINA age rapidamente após a aplicação e seu efeito descongestionante prolonga-se por até 10 horas.
Cuidados de administração:
Solução - A fim de se obter uma aplicação adequada do produto, em pé ou sentado deve-se inclinar a cabeça4 ligeiramente para trás; se se estiver deitado, deve-se pender a cabeça4 sobre um dos lados. Colocar a extremidade do frasco próximo a cada narina e pressioná-lo até gotejar. Para se assegurar a boa distribuição de OTRIVINA no nariz5, deve-se manter a cabeça4 inclinada por alguns minutos após a aplicação. A solução deve ser aplicada nas duas narinas.
Gel nasal  - Aplicar uma pequena quantidade de gel tão profundamente quanto possível em cada narina.
Siga corretamente as instruções do médico quanto ao uso do produto, não interrompendo ou modificando o tratamento, sem antes consultá-lo.
OTRIVINA é geralmente bem tolerado. Entretanto, dependendo da sensibilidade de cada pessoa, podem ocorrer ocasionalmente algumas reações desagradáveis, tais como: sensação de queimação no nariz5 ou na garganta6, irritação ou ressecamento da mucosa7 nasal, náusea8 ou dor de cabeça4. Em casos isolados, pode ocorrer reação alérgica9 ou alteração passageira da visão10. Caso ocorra qualquer reação, avise ao seu médico: ele lhe dará a orientação adequada.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Antes do início do tratamento com OTRIVINA, o paciente deve informar ao médico se está tomando qualquer outro medicamento. O paciente não deve tomar outro medicamento juntamente com OTRIVINA, sem orientação ou conhecimento do médico.
Contra-indicações : Hipersensibilidade ao princípio ativo ou a algum outro componente da formulação. Pacientes com hipofisectomia transesfenoidal ou cirurgia com exposição da dura-máter11.
Precauções : O produto não é indicado para o tratamento contínuo e por períodos prolongados, como em resfriados crônicos. OTRIVINA deve ser utilizado com cautela em pacientes que apresentem forte reação a substâncias adrenérgicas, com hipertensão12, doenças do coração13 e/ou da tireóide, assim como em uso simultâneo com antidepressivos tricíclicos ou tetracíclicos.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE14.

Informação Técnica da Otrivina

Farmacodinâmica da Otrivina

A xilometazolina é um agente simpaticomimético que atua sobre os receptores -adrenérgicos15.
OTRIVINA para uso nasal contrai os vasos sangüíneos16 nasais, descongestionando assim a mucosa7 nasal e as regiões vizinhas à faringe17.
O produto descongestiona as passagens nasais e possibilita ao paciente portador de congestão nasal respirar mais facilmente pelo nariz5.
O efeito de OTRIVINA começa alguns minutos após sua aplicação e permanece por até 10 horas.
OTRIVINA é bem tolerado, mesmo por pacientes com mucosa7 sensível, e não prejudica a função mucociliar18.
O gel é particularmente adequado para facilitar a respiração nasal à noite. Ele contém uma base que previne o ressecamento da mucosa7 nasal: é portanto especialmente apropriado para o tratamento de resfriados em que ocorra a formação de crostas dentro das narinas.

Farmacocinética da Otrivina

As concentrações  plasmáticas de xilometazolina no homem após aplicação nasal local do produto estão abaixo dos limites de detecção da maioria dos métodos mais sensíveis.

Indicações da Otrivina

Para o alívio da congestão nasal causada por resfriados, febre do feno19 ou outras rinites alérgicas e sinusite20. Como auxiliar na drenagem21 das secreções em afecções22 dos seios paranasais23.
Na otite média24, como adjuvante para descongestionar a mucosa7 nasofaringeana.
Para facilitar a rinoscopia (somente OTRIVINA solução).

Contra-Indicações da Otrivina

Hipersensibilidade a algum dos componentes da formulação.
Assim como para outros vasoconstritores, OTRIVINA não deve ser utilizado em pacientes com hipofisectomia transesfenoidal ou após cirurgias nas quais a dura-máter11 tenha sido exposta.

Advertências e Precauções da Otrivina

OTRIVINA, assim como outros agentes simpaticomiméticos, deve ser utilizado com cuidado em pacientes que apresentam forte reação a substâncias adrenérgicas, evidenciadas por sinais25 de insônia, tontura26, tremor, arritmias27 cardíacas ou pressão arterial28 elevada.Assim como outros vasoconstritores tópicos, OTRIVINA não deve ser utilizado continuamente por períodos que ultrapassem duas semanas: o uso excessivo ou prolongado pode causar congestão de rebote.
Não exceder a dose recomendada, especialmente em crianças e em idosos.
É recomendado cuidado em pacientes com hipertensão12, doença cardiovascular e doença da tireóide.

Efeito Sobre a Habilidade de Dirigir Veículos e/ou Operar Máquinas da Otrivina

Nenhum.

Gravidez3 e Lactação29 da Otrivina

Em vista de seu efeito vasoconstritor sistêmico30 potencial, deve-se ter a precaução de não utilizar OTRIVINA durante a gravidez3.OTRIVINA deve ser utilizada com cautela durante a lactação29.

Interações Medicamentosas da Otrivina

Assim como para todos os simpaticomiméticos, não pode ser excluído um aumento dos efeitos sistêmicos31 da xilometazolina, durante o uso concomitante de antidepressivos tricíclicos ou tetracíclicos, especialmente em casos de superdosagem.

Reações Adversas da Otrivina

As seguintes reações adversas podem ocasionalmente ser observadas: sensação de queimação na narina ou na garganta6, irritação local ou ressecamento da mucosa7 nasal, náuseas32 e cefaléia33. Em casos isolados, foram registrados reações alérgicas sistêmicas ou distúrbios visuais passageiros.

Posologia e Modo de Aplicação da Otrivina

OTRIVINA deve ser aplicado após se assoar o nariz5.  Deve ser administrado somente a adultos ou a crianças acima de 6 anos de idade.
OTRIVINA Gotas nasais
: O paciente deve inclinar a cabeça4 para trás, se estiver em pé ou sentado, ou, se estiver deitado, deve pender a cabeça4 sobre um dos lados. Posicionar o gotejador próximo à narina e aplicar de 2 a 3 gotas da solução em cada narina. Manter a cabeça4 inclinada para trás por alguns minutos após a aplicação para que o medicamento se disperse por toda a narina. O produto pode ser aplicado 3 a 4 vezes ao dia.
OTRIVINA Gel : Aplicar uma pequena quantidade de gel, o mais profundamente possível, dentro de cada narina; é recomendável fazer a última aplicação imediatamente antes de dormir.
Nos resfriados, que levam à formação de crostas dentro do nariz5, deve-se administrar preferencialmente OTRIVINA Gel.

Superdosagem da Otrivina

Em raros casos de envenenamento acidental em crianças, o quadro clínico foi principalmente marcado por sinais25  como aceleração e irregularidade da pulsação, pressão arterial28 elevada e, algumas vezes, embotamento34 da consciência. Deve ser iniciado tratamento sintomático35 apropriado sob supervisão médica.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

OTRIVINA - Laboratório

NOVARTIS
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04706-900
Tel: 55 (011) 532-7122
Fax: 55 (011) 532-7942
Site: http://www.novartis.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "NOVARTIS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Cabeça:
5 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
6 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
7 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
8 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
9 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
10 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
11 Dura-Máter: A mais externa das três MENINGES, uma membrana fibrosa de tecido conjuntivo que cobre o encéfalo e cordão espinhal.
12 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
13 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Adrenérgicos: Que agem sobre certos receptores específicos do sistema simpático, como o faz a adrenalina.
16 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
17 Faringe: Canal músculo-membranoso comum aos sistemas digestivo e respiratório. Comunica-se com a boca e com as fossas nasais. É dividida em três partes: faringe superior (nasofaringe ou rinofaringe), faringe bucal (orofaringe) e faringe inferior (hipofaringe, laringofaringe ou faringe esofagiana), sendo um órgão indispensável para a circulação do ar e dos alimentos.
18 Mucociliar: O aparelho mucociliar tem como principal função a remoção de partículas ou substâncias potencialmente agressivas ao trato respiratório através do transporte pelos cílios, ou alternativamente, pela tosse e espirro, nos quadros de hiperprodução de muco, como rinite alérgica, rinossinusites, bronquite crônica, fibrose cística e asma.
19 Febre do Feno: Doença polínica, polinose, rinite alérgica estacional ou febre do feno. Deve-se à sensibilização aos componentes de polens, sendo que os alérgenos de pólen provocam sintomas clínicos quando em contato com a mucosa do aparelho respiratório e a conjuntiva de indivíduos previamente sensibilizados.
20 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
21 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
22 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
23 Seios paranasais: Seios paranasais são cavidades preenchidas de ar localizadas no interior dos ossos do crânio e da face, que se comunicam com a cavidade nasal.
24 Otite média: Infecção na orelha média.
25 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
26 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
27 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
28 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
29 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
30 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
31 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
32 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
33 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
34 Embotamento: Ato ou efeito de perder ou tirar o vigor ou a sensibilidade; enfraquecer-se.
35 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre OTRIVINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.