Preço de Otrivina em Fairfield/SP: R$ 8,11

Otrivina

GLAXOSMITHKLINE BRASIL LTDA

Atualizado em 28/05/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

OTRIVINA®
Cloridrato de xilometazolina

APRESENTAÇÃO

Gotas nasais (solução nasal) a 1‰ (0,1%) Frasco plástico gotejador contendo 15 mL.

USO TÓPICO1 – VIA NASAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS.

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL de solução 0,1% contém 0,1 g de cloridrato de xilometazolina.
Excipientes: cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, sorbitol2, hipromelose, fosfato de sódio monobásico di-hidratado, fosfato de sódio dibásico dodecaidratado, cloreto de sódio e água purificada.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

OTRIVINA é um descongestionante nasal que alivia a congestão nasal causada por resfriados, febre do feno3 (doença causada pela aspiração de certos tipos de poeira) ou outras rinites alérgicas e sinusites.
OTRIVINA contém uma substância ativa chamada xilometazolina, que auxilia a drenagem4 das infecções5 dos seios paranasais6. Em casos de inflamações7 do ouvido médio8 (otites9 médias), OTRIVINA é um adjuvante na descongestão da mucosa10 nasofaríngea (o conduto que comunica o ouvido e a garganta11). Seu médico também poderá utilizar OTRIVINA durante a rinoscopia, um exame realizado no nariz12.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O cloridrato de xilometazolina presente em OTRIVINA age diretamente sobre os vasos sanguíneos13 nasais que se encontram dilatados quando o nariz12 está congestionado. OTRIVINA também reduz os sintomas14 associados ao aumento da secreção de muco e facilita a drenagem4 de secreções bloqueadas. Em consequência, este efeito vasoconstritor de OTRIVINA possibilita que você volte a respirar mais facilmente pelo nariz12.
O efeito da OTRIVINA solução começa em 2 minutos após sua aplicação e permanece por até 12 horas. Sua ação não prejudica as funções normais do nariz12 e é bem tolerada, mesmo por pacientes com a mucosa10 nasal (revestimento do nariz12) mais sensível.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Consulte seu médico antes de usar OTRIVINA, se você:

  • Tem pressão alta;
  • Sofre de doença cardíaca;
  • Tem função aumentada da tireoide15 (hipertireoidismo16);
  • Sofre de diabetes mellitus17;
  • Tem próstata18 aumentada (hipertrofia19 prostática);
  • Tem um tumor20 raro na glândula21 adrenal que produz grandes quantidades de adrenalina22 e noradrenalina23 (feocromocitoma24);

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez25.
Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos de idade.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Consulte seu médico antes de usar OTRIVINA® Solução, se você:

  • Tem pressão alta;
  • Sofre de doença cardíaca;
  • Tem função aumentada da tireoide15 (hipertireoidismo16);
  • Sofre de diabetes mellitus17;
  • Tem próstata18 aumentada (hipertrofia19 prostática);
  • Tem um tumor20 raro na glândula21 adrenal que produz grandes quantidades de adrenalina22 e noradrenalina23 (feocromocitoma24);
  • Faz uso de certos medicamento usados no tratamento da depressão, esses medicamentos são:
    • Inibidores da monoamina oxigenase (IMAO26): não use se estiver tomando ou tiver tomado IMAOs nos últimos 14 dias;
    • Antidepressivos tricíclicos ou tetracíclicos.

Assim como outros produtos descongestionantes nasais, OTRIVINA pode causar distúrbio do sono, tonturas27 e tremor em pacientes muito sensíveis. Se apresentar esses sinais28, consulte seu médico.
OTRIVINA solução, assim como outros descongestionantes nasais, não deve ser utilizado por mais que 10 dias consecutivos, o uso prolongado ou em excesso pode causar o “efeito rebote”, quando a congestão nasal pode piorar em vez de melhorar e/ou a atrofia29 da mucosa10 nasal. Se os sintomas14 persistirem, consulte seu médico.
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance e da vista de crianças.

Gravidez25 e amamentação30
Não use OTRIVINA durante a gravidez25. Informe ao seu médico se você ficar grávida durante o tratamento. Durante amamentação30 OTRIVINA deve ser usada apenas sob orientação médica
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez25.
Não se conhece qualquer efeito perigoso de se utilizar OTRIVINA solução e dirigir um veículo ou operar máquinas.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde31.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Conservar a embalagem bem fechada, em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).

A solução nasal apresenta-se sob a forma de solução límpida e incolor.

Qualquer alteração na coloração do produto representa degradação do medicamento, que deverá ser descartado.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

OTRIVINA é indicado para adultos e adolescentes acima de 12 anos de idade. Assim como outros descongestionantes nasais, OTRIVINA não deve ser utilizado por mais de 10 dias consecutivos. Se os sintomas14 persistiram consulte seu médico. O uso prolongado e excessivo pode causar o retorno ou piora da congestão nasal. Não exceda a dosagem recomendada especialmente em crianças e idosos.
Aplique de 2 a 4 gotas de OTRIVINA em cada narina, quando necessário, até 3 vezes ao dia. Recomendase fazer a última aplicação pouco antes de dormir. Tome cuidado para não administrar OTRIVINA nos olhos32.

Como aplicar:
1. Limpe o nariz12;
2. Incline a cabeça33 para trás (o máximo que você puder) ou se estiver deitado suspenda a cabeça33 para o lado;
3. Aplique as gotas em cada narina e mantenha a cabeça33 inclinada para trás por um curto período de tempo para permitir que as gotas se espalhem pelo nariz12;
4. Limpe e seque o gotejador antes de recolocar a tampa logo após o uso.

Para evitar uma possível propagação de infecção34, o frasco de OTRIVINA deve ser utilizado por apenas uma pessoa.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se, por acaso, você esquecer de aplicar uma das doses de OTRIVINA® Solução, mas se lembrar até 1 hora depois da dose esquecida, aplique a solução imediatamente. Porém, se você se lembrar depois de 1 hora, aplique OTRIVINA® Solução somente no próximo horário que você deveria usar. Não aplique uma dose dupla para compensar as doses esquecidas.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou do seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

OTRIVINA é geralmente bem tolerada. Entretanto, assim como com outros medicamentos, algumas vezes podem ocorrer efeitos indesejáveis em algumas pessoas. As reações adversas classificam-se de acordo com a frequência, primeiramente as mais frequentes, utilizando-se a seguinte convenção: muito comuns (>1/10); comuns (>1/100 e ≤1/10); incomuns (>1/1.000 e ≤1/100); raras (>1/10.000 e ≤1/1.000) e muito raras (≤1/10.000). Pare de usar OTRIVINA solução e procure ajuda médica se você apresentar os seguintes sinais28 (em cada grupo de frequência, as reações adversas são apresentadas em ordem decrescente de gravidade):

Comuns (>1/100 e ≤1/10): secura ou irritação da mucosa10 nasal, náusea35, dor de cabeça33, sensação de queimação local;
Muito raras (≤1/10.000): reações alérgicas (dificuldade em respirar ou engolir, inchaço36 da face37, lábios, língua38 ou garganta11), visão39 turva, batimentos cardíacos irregulares ou acelerados.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Em caso de ingestão acidental ou uso indevido, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

 

VENDA SOB PRESCIÇÃO MÉDICA.

 

MS - 1.0107.0333
Farm. Resp.: Edinilson da Silva Oliveira CRF/RJ: 18.875

Fabricado por:
Anovis Industrial Farmacêutica Ltda
Taboão da Serra – SP

Registrado por:
GlaxoSmithKline Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 8464
Rio de Janeiro – RJ – Brasil.
CNPJ: 33.247.743/0001-10
INDUSTRIA BRASILEIRA

 

SAC 0800 021 1529


 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
3 Febre do Feno: Doença polínica, polinose, rinite alérgica estacional ou febre do feno. Deve-se à sensibilização aos componentes de polens, sendo que os alérgenos de pólen provocam sintomas clínicos quando em contato com a mucosa do aparelho respiratório e a conjuntiva de indivíduos previamente sensibilizados.
4 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Seios paranasais: Seios paranasais são cavidades preenchidas de ar localizadas no interior dos ossos do crânio e da face, que se comunicam com a cavidade nasal.
7 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
8 Ouvido médio: Atualmente denominado orelha média, é constituído pela membrana timpânica, cavidade timpânica, células mastoides, antro mastoide e tuba auditiva. Separa-se da orelha externa através da membrana timpânica e se comunica com a orelha interna através das janelas oval e redonda.
9 Otites: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
10 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
11 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
12 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
13 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
16 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
17 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
18 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
19 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
20 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
21 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
22 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
23 Noradrenalina: Mediador químico do grupo das catecolaminas, liberado pelas fibras nervosas simpáticas, precursor da adrenalina na parte interna das cápsulas das glândulas suprarrenais.
24 Feocromocitoma: São tumores originários das células cromafins do eixo simpático-adrenomedular, caracterizados pela autonomia na produção de catecolaminas, mais freqüentemente adrenalina e/ou noradrenalina. A hipertensão arterial é a manifestação clínica mais comum, acometendo mais de 90% dos pacientes, geralmente resistente ao tratamento anti-hipertensivo convencional, mas podendo responder a bloqueadores alfa-adrenérgicos, bloqueadores dos canais de cálcio e nitroprussiato de sódio. A tríade clássica do feocromocitoma, associado à hipertensão arterial, é composta por cefaléia, sudorese intensa e palpitações.
25 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
26 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
27 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
28 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
29 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
30 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
31 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
32 Olhos:
33 Cabeça:
34 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
36 Inchaço: Inchação, edema.
37 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
38 Língua:
39 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.

Tem alguma dúvida sobre Otrivina?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.