Bula do paciente Bula do profissional

Beminal
(Bula do profissional de saúde)

EUROFARMA LABORATÓRIOS S.A.

Atualizado em 06/12/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Beminal
nitrato de tiamina + associações
Comprimido

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Comprimido revestido
Embalagem com 30 comprimidos

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido de Beminal contém:

mononitrato de tiamina (Vitamina1 B1) 30 mg
riboflavina (Vitamina1 B2) 10 mg
cloridrato de piridoxina (Vitamina1 B6) 10 mg
cianocobalamina (Vitamina1 B12) 15 mcg
ácido ascórbico (Vitamina1 C) 600 mg
acetato de tocoferol (Vitamina1 E) 45 mg
nicotinamida 100 mg
pantotenato de cálcio 25 mg
zinco (na forma de sulfato) 22,5 mg
Excipientes q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: etilcelulose, amido, maltodextrina, dióxido de silício, manitol, celulose microcristalina, metilcelulose, povidona, estearato de magnésio, copolímero de álcool polivinílico-macrogol, álcool polivinílico, corante laca amarelo crepúsculo, talco e dióxido de titânio.‌


Teor percentual do componente, na posologia de 1 comprimido ao dia, relativo à ingestão diária recomendada para adultos:

Componentes

IDR (%)

vitamina1 B1 (como mononitrato de tiamina)

2500 %

vitamina1 B2 (riboflavina)

769 %

vitamina1 B6 (como cloridrato de piridoxina)

769 %

vitamina1 B12 (cianocobalamina)

625 %

vitamina1 C (ácido ascórbico)

1333 %

vitamina1 E (acetato de tocoferol)

450%

nicotinamida

625%

pantotenato de cálcio

460 %

zinco (na forma de sulfato)

321 %

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE2

INDICAÇÕES

Beminal® é um suplemento polivitamínico com zinco que contém vitaminas B1, B2, B6, B12, C, E, nicotinamida, pantotenato de cálcio e o mineral zinco, atuando em todos os estados em que é necessária a suplementação3 destes elementos.

RESULTADOS DE EFICÁCIA

Por conter quantidades terapêuticas suficientes de vitaminas do complexo B, vitamina1 C, vitamina1 E, pantotenato de cálcio e zinco, Beminal® permite a resolução dos estados carenciais destes componentes.

Alguns estudos clínicos com suplementação3 vitamínica foram realizados em diversas situações.

Tiamina

Em mulheres idosas a suplementação3 de tiamina foi utilizada durante 6 semanas e resultou em uma melhora do apetite, aumento da ingesta calórica e uma sensação de bem estar, e foi estatisticamente superior ao grupo controle tratado com placebo4. Observou-se também tendência à redução da sonolência diurna, melhora do padrão de sono e aumento da atividade1.

Outro estudo randomizado5 controlado com placebo4 avaliou a suplementação3 de tiamina em idosos com deficiência subclínica de tiamina (definida pela presença de concentrações de tiamina-pirofosfato eritrocitária inferiores a 140 nmol/L em duas ocasiões). Observou-se superioridade estatisticamente significante da tiamina versus o placebo4 em relação à qualidade de vida (avaliada através de escala visual), redução de pressão arterial sistólica6 e redução de peso, sendo que este último achado poderia ser explicado por aumento de diurese7 secundária a melhora da função cardíaca. Também observou-se tendência a melhor qualidade do sono e energia2.

Riboflavina

42 idosos com deficiência de riboflavina (definida pelo coeficiente de ativação da glutationa-redutase eritrocitária [EGRAC] superior a 1.2) foram randomizados para suplementação3 com riboflavina ou placebo4, durante 28 dias. Nos pacientes tratados com riboflavina, observou-se redução significativa da homocisteína plasmática e do EGRAC, o que não foi visto no grupo placebo43.

Um estudo demonstrou que a suplementação3 de riboflavina (seis vezes por semana durante quatro semanas) a homens com anemia8 (hemoglobina9 < 11,5 g/dL) permitiu melhor utilização do ferro e elevação da hemoglobina9, o que não se observou nos pacientes tratados com placebo4. A absorção de ferro não se alterou com a administração de riboflavina. A elevação da hemoglobina9 foi acompanhada de redução no EGRAC, refletindo resolução da deficiência vitamínica4.

Piridoxina

Os efeitos da administração diária de piridoxina sobre a capacidade cognitiva10 de idosos foi avaliada num estudo controlado com placebo4, com 3 meses de duração. Os pacientes tratados com piridoxina apresentaram melhora da memória de longo-prazo5.

Ácido ascórbico

Um estudo randomizado5 controlado com placebo4 avaliou os efeitos da suplementação3 de ácido ascórbico a 60 voluntários durante 14 dias. Ao término do estudo, os voluntários foram submetidos a um teste de estresse psicológico padronizado. Observou-se menor incremento da pressão sistólica11 e diastólica nos pacientes tratados com ácido ascórbico em comparação com o grupo placebo4, e também recuperação mais rápida das concentrações fisiológicas12 de cortisol salivar. Os autores concluíram que o ácido ascórbico levou a menor resposta pressórica ao estresse psicológico6.

A suplementação3 com ácido ascórbico a pacientes com úlceras13 de pressão foi associada à melhora da cicatrização em estudo clínico controlado com placebo4. Após 1 mês de suplementação3, os pacientes tratados com ácido ascórbico exibiam 84% de redução na área de úlcera14, comparado com 42,7% de redução naqueles tratados com placebo4 (P < 0,005)7.

Vitamina1 E

Um estudo realizado com pacientes pós-infarto15 agudo16 do miocárdio17 tratados através de trombólise18, avaliou os efeitos da suplementação3 de vitamina1 E. Trinta e cinco pacientes foram divididos em 3 grupos (G-I sem beta- bloqueador; G-II com beta-bloqueador e AAS; G-III com beta-bloqueador, AAS e vitamina1 E). A conclusão do estudo foi que a suplementação3 de vitamina1 E resultou num melhor controle da pressão arterial198.

Os efeitos da suplementação3 de vitamina1 E sobre a enxaqueca20 menstrual foi avaliado num estudo duplo-cego21, placebo4 controlado, onde 72 mulheres receberam vitamina1 E ou placebo4 2 dias antes e 3 dias após o ciclo menstrual. A conclusão foi que a vitamina1 E é efetiva na redução dos sintomas22 da enxaqueca20 menstrual9.

A ação antioxidante da vitamina1 E foi comprovada num estudo clínico que avaliou os efeitos de sua suplementação3 antes da radioterapia23 de cabeça24 e pescoço25 por carcinoma26 de células27 escamosas. Setenta e nove pacientes com carcinoma26 oral de células27 escamosas foram randomizados para radioterapia23 ou radioterapia23 mais vitamina1 E. A vitamina1 E conferiu proteção aos eritrócitos28 contra os radicais livres oriundos da radioterapia2310.

Um estudo duplo-cego21, placebo4 controlado, com 32 voluntários sadios (idosos) acompanhados por 30 dias, mostrou que a suplementação3 com vitamina1 E associou-se a melhora da resposta imunológica11.

Cianocobalamina

Um estudo avaliou qual a dose oral mínima de cianocobalamina necessária para tratar casos moderados de deficiência de vitamina1 B12 em idosos e concluiu que a dose diária recomendada está no mínimo 200 vezes abaixo da necessária12.

Zinco

Os efeitos do zinco no sistema imunológico29 foram avaliados num estudo envolvendo voluntários sadios. Após a suplementação3 de zinco, a ativação dos linfócitos T foi avaliada no sangue30 periférico. Na conclusão os autores reportam a forte relação entre o zinco, desenvolvimento das células27 T e outras células27 envolvidas no sistema de imunidade31 celular13.

Em outro estudo, 50 idosos foram divididos em dois grupos: um recebendo suplementação3 de zinco (45 mg/dia) e o outro placebo4. Foram acompanhados por ano para avaliação de incidência32 de infecções33. Observou-se que a incidência32 de infecções33 foi menor no grupo que recebeu zinco do que no grupo placebo4 (28 episódios contra 88 episódios, P<0,001). A geração ex-vivo de TNF-α e de espécies reativas de oxigênio era maior no grupo placebo4 do que no grupo com suplementação3 de zinco. Os autores concluíram que o zinco induziu melhora da resposta imune, redução do estresse oxidativo e efeito anti-inflamatório14.

Ácido pantotênico

Um estudo avaliou o impacto da suplementação3 com ácido pantotênico (AP) e ácido ascórbico (AA) na resistência mecânica da pele34. Indivíduos saudáveis que seriam submetidos a cirurgia para remoção de tatuagens foram divididos em dois grupos: AP 0,2 g + AA 1 g ou AP 0,9 g + AA 3 g. Observou-se que a resistência mecânica da pele34 era maior no grupo que havia recebido doses mais altas de suplementação3. Esta se correlacionou diretamente com os conteúdos de Mn e Mg da pele3415.

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

Beminal® possui em sua composição uma associação balanceada de vitaminas e zinco.

O nitrato de tiamina (vitamina1 B1) é convertido pelo trifosfato de adenosina a uma forma biologicamente ativa, a coenzima pirofosfato de tiamina. Seu papel no metabolismo35 dos carboidratos é de descarboxilação do ácido pirúvico36 e outros alfa-ceto ácidos. A necessidade de tiamina pode ser maior quando a dieta é rica em carboidratos. Sua deficiência relaciona-se a distúrbios neurológicos severos.

O ácido ascórbico (vitamina1 C) é essencial para a formação e manutenção da substância basal intercelular e do colágeno37, para biossíntese de catecolaminas, para síntese de carnitina e de esteróides, para conversão de ácido fólico em ácido folínico e para o metabolismo35 da tirosina38. A vitamina1 C possui também ação antioxidante. Os antioxidantes possuem a capacidade de estabilizar moléculas altamente reativas e potencialmente prejudiciais chamadas radicais livres. A ocorrência de danos em membranas lipídicas, em enzimas e no material nucleico celular tem sido associada à formação de radicais livres. A capacidade antioxidante de diminuir a carga de radicais livres altamente reativa, pode proteger a integridade da estrutura celular e dos tecidos do sistema imunológico29, bem como outros sistemas orgânicos.

O acetato de tocoferol (vitamina1 E) é essencial na nutrição39 humana. Muitas de suas ações estão relacionadas às suas propriedades antioxidantes. A vitamina1 E protege os constituintes celulares da oxidação e previne a formação de produtos tóxicos; preserva a parede celular dos eritrócitos28 protegendos-os contra a hemólise40; pode atuar como cofator em sistemas enzimáticos. Tem sido também atribuída à vitamina1 E a capacidade de aumentar a utilização de vitamina1 A e a supressão da agregação plaquetária.

A riboflavina (vitamina1 B2) atua no organismo como coenzima nas formas de flavina-adenina dinucleotídeo e flavina mononucleotídeo, os quais desempenham um papel metabólico vital em numerosos sistemas de respiração tecidual.

A nicotinamida é um componente de duas coenzimas, (ADN, ADPN), as quais são necessárias à respiração celular, glicogenólise41 e ao metabolismo35 de lipídios, aminoácidos, proteínas42 e da purina.

O cloridrato de piridoxina (vitamina1 B6) age como coenzima no metabolismo35 de proteínas42, carboidratos e gorduras. No metabolismo35 protéico ela participa da descarboxilação de aminoácidos, na conversão de triptofano em niacina ou serotonina, na deaminação, transaminação e transulfuração de aminoácidos. No metabolismo35 dos carboidratos é responsável pela quebra do glicogênio43 em glicose44-1-fosfato.

O pantotenato de cálcio (ácido pantotênico) é um precursor da coenzima A, cofator para uma variedade de reações catalisadas por enzimas envolvendo transferência de grupos acetila. Está associado ao metabolismo35 oxidativo de carboidratos, gluconeogênese, síntese de ácidos graxos, esteróis, hormônios esteróides e porfirinas. A cianocobalamina (vitamina1 B12) age como coenzima em várias funções metabólicas, dentre as quais o metabolismo35 de gorduras e carboidratos e a síntese proteica. É essencial ao crescimento, reprodução45 celular, hematopoiese e na síntese de nucleoproteínas e mielina46.

O zinco é essencial ao crescimento normal e na recomposição tecidual. Atua como integrante de uma variedade de enzimas importantes ao metabolismo35 de proteínas42 e carboidratos. É necessário na síntese e mobilização da ligação proteica do retinol no fígado47.

Todas estas vitaminas mais o zinco presentes em Beminal® possuem um papel importante em situações de estresse biológico, as quais aumentam as necessidades de suplementação3 de vitaminas e zinco.

CONTRAINDICAÇÕES

Este medicamento é contraindicado nos casos de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula. Seu uso também não é indicado nos casos de encefalopatia48 de Wernicke, como tratamento da hipoprotrombinemia secundária a deficiência de vitamina1 K e como tratamento da anemia perniciosa49.

Este medicamento é contraindicado para uso por crianças menores de 12 anos.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

O uso de Beminal® deve ser feito com cautela em pacientes diabéticos, pacientes predispostos a litíase50 renal51 recorrente, pacientes submetidos a dietas hipossódicas ou sob terapia anticoagulante52.

Em doses altas, durante a gravidez53, pode resultar em necessidades aumentadas de vitamina1 C e escorbuto54 em neonatos55. Em pacientes predispostos, o uso de doses elevadas pode desencadear o aparecimento de litíase50 oxálica na urina56.

Categoria B de risco na gravidez53.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Interações medicamentosas

Beminal® pode impedir a absorção da tetraciclina, potencializar os efeitos hipoprotrombinêmicos dos anticoagulantes57 orais, reduzir a ação de alguns anticoagulantes57 e reduzir o efeito de outros medicamentos como levodopa, fenobarbital e fenitoína. O uso concomitante com antiácidos58 pode impedir a absorção dos componentes de Beminal®

Beminal® também pode interagir com óleos minerais, quenodiol, isoniazida, lovastatina, estrógenos, aminossalicilatos e fibras.

Interferência em exames laboratoriais

Altas doses podem interferir em exames laboratoriais envolvendo reações de oxi-redução como, por exemplo, na determinação de glicemia59 e glicosúria60 e na pesquisa de sangue30 oculto nas fezes.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO

Cuidados de conservação

Beminal® deve ser conservado em temperatura ambiente (15–30°C), Proteger da luz e umidade. O prazo de validade deste medicamento é de 18 meses.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

O produto apresenta-se como comprimido revestido oblongo, biconvexo, com vinco em um dos lados e liso do outro, cor laranja.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

POSOLOGIA E MODO DE USAR

Posologia

Adultos e crianças acima de 12 anos: A dose recomendada é de 1 comprimido ao dia, por via oral, junto ou após as refeições. Esta dose e frequência podem ser aumentadas exclusivamente sob supervisão médica e de acordo com as necessidades do paciente.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

REAÇÕES ADVERSAS

As reações adversas, agrupadas de acordo com os componentes de Beminal® e a frequência de ocorrência, são:

Tiamina

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000) 

  • Reações de hipersensibilidade: anafilaxia61.

Vitamina1 C

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000)

  • Pele34: “rash” cutâneo62; eritema63 facial e do pescoço25.
  • Sistema nervoso central64: cefaléia65.
  • Gastrointestinal: náusea66; diarréia67; dor abdominal.
  • Geniturinário: poliúria68; litíase50 renal51.

Vitamina1 E

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000)

  • Órgãos dos sentidos: visão69 turva.
  • Sintomas22 gerais: fadiga70.
  • Sistema nervoso central64: tontura71; cefaléia65.
  • Gastrointestinal: náuseas72; diarréia67; dor abdominal.

Riboflavina

Reações infrequentes (>1:1.000 e < 1:100)

  • Geniturinário: alteração da cor da urina56.

Nicotinamida

Reações infrequentes (>1:1.000 e < 1:100)

  • Órgãos dos sentidos: xeroftalmia73.
  • Gastrointestinal: agravamento da úlcera péptica74 pré-existente; náusea66; vômito75; diarréia67.
  • Metabólico: hiperglicemia76; hiperuricemia.
  • Sintomas22 gerais: fadiga70.
  • Sistema nervoso central64: tontura71; sensação de desmaio.
  • Pele34: xerodermia.
  • Músculo-esquelético: mialgias77.

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000)

  • Respiratório: broncoespasmo78.
  • Pele34: hiperemia79 cutânea80; “rash”; prurido81; reações de hipersensibilidade.

Piridoxina

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000)

  • Sistema nervoso central64: cefaléia65; tontura71; parestesias82.
  • Gastrointestinal: náuseas72.

Cianocobalamina

Reações infrequentes (>1:1.000 e < 1:100)

  • Pele34: prurido81.
  • Gastrointestinal: diarréia67.

Zinco

Reações raras (>1:10.000 e < 1:1.000)

  • Gastrointestinal: dispepsia83; náuseas72; dor abdominal.
  • Hematológico: anemia sideroblástica84; leucopenia85; neutropenia86.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos a Medicamentos – VIGIMED, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

SUPERDOSE

Os sintomas22 de uma superdose incluem náuseas72, diarréias, “rash” cutâneo62, vômitos87, visão69 turva, cansaço, desidratação88, agitação, ataxia89 e neuropatia90 sensorial. O tratamento consiste em reduzir a dosagem ou descontinuar a administração.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas22 procure orientação médica.
 

MS - 1.0043.0714
Responsável técnico: Dra. Sônia Albano Badaró – CRF-SP 19.258

EUROFARMA LABORATÓRIOS S.A.
Av. Vereador José Diniz, 3.465 - São Paulo - SP
CNPJ: 61.190.096/0001-92
Indústria Brasileira


SAC 0800 704 3876

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
7 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
8 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
9 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
10 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
11 Pressão sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco. É também chamada de pressão máxima.
12 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
13 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
14 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
15 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
16 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
17 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
18 Trombólise: Nome dado ao processo usado para dissolver um coágulo que existe na corrente sanguínea.
19 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
20 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
21 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
22 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
24 Cabeça:
25 Pescoço:
26 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
27 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
28 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
29 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
30 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
31 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
32 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
33 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
34 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
35 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
36 Ácido pirúvico: Piruvato ou ácido pirúvico é um composto orgânico contendo três átomos de carbono (C3H4O3), originado ao fim da glicólise. Em meio aquoso, ele dissocia-se formando o ânion piruvato, que é a forma sob a qual participa de processos metabólicos.
37 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
38 Tirosina: É um dos aminoácidos polares, sem carga elétrica, que compõem as proteínas, caracterizado pela cadeia lateral curta na qual está presente um anel aromático e um grupamento hidroxila.
39 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
40 Hemólise: Alteração fisiológica ou patológica, com dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue causando liberação de hemoglobina. É também conhecida por hematólise, eritrocitólise ou eritrólise. Pode ser produzida por algumas anemias congênitas ou adquiridas, como consequência de doenças imunológicas, etc.
41 Glicogenólise: Consiste na conversão de glicogênio em glicose, realizada no fígado, geralmente entre as refeições.
42 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
43 Glicogênio: Polissacarídeo formado a partir de moléculas de glicose, utilizado como reserva energética e abundante nas células hepáticas e musculares.
44 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
45 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
46 Mielina: Bainha, rica em lipídeos e proteínas, que reveste os AXÔNIOS, tanto no sistema nervoso central como no periférico. É um isolante elétrico que permite a condução dos impulsos nervosos de modo mais rápido e energeticamente mais eficiente. É formada pelas membranas de células da glia (CÉLULAS DE SCHWANN no sistema nervoso periférico e OLIGODENDROGLIA no sistema nervoso central). A deterioração desta bainha nas DOENÇAS DESMIELINIZANTES é um sério problema clínico.
47 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
48 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
49 Anemia Perniciosa: Doença causada pela incapacidade do organismo absorver a vitamina B12. Mais corretamente, ela se refere a uma doença autoimune que resulta na perda da função das células gástricas parietais, que secretam ácido clorídrico para acidificar o estômago e o fator intrínseco gástrico que facilita a absorção da vitamina B12.
50 Litíase: Estado caracterizado pela formação de cálculos em diferentes regiões do organismo. A composição destes cálculos e os sintomas que provocam variam de acordo com sua localização no organismo (vesícula biliar, ureter, etc.).
51 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
52 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
53 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
54 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.
55 Neonatos: Refere-se a bebês nos seus primeiros 28 dias (mês) de vida. O termo “recentemente-nascido“ refere-se especificamente aos primeiros minutos ou horas que se seguem ao nascimento. Esse termo é utilizado para enfocar os conhecimentos e treinamento da ressuscitação imediatamente após o nascimento e durante as primeiras horas de vida.
56 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
57 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
58 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
59 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
60 Glicosúria: Presença de glicose na urina.
61 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
62 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
63 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
64 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
65 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
66 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
67 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
68 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
69 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
70 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
71 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
72 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
73 Xeroftalmia: Distúrbio caracterizado pelo ressecamento excessivo das mucosas que recobrem o olho. Produz a sensação de ter um corpo estranho ou areia no mesmo, juntamente com dor e irritação ocular. Pode ser produzido por doenças locais ou que afetam também outros órgãos.
74 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
75 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
76 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
77 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
78 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
79 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
80 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
81 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
82 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
83 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
84 Anemia sideroblástica: Anemia que ocorre quando há incapacidade de maturação das hemácias, apesar de número aumentado de precursores na medula óssea. A produção de hemoglobina está reduzida pela incapacidade de incorporação do heme à protoporfirina para formar hemoglobina, ocorrendo acúmulo de ferro. A avaliação da medula óssea mostra hiperplasia eritróide, aumento do ferro medular e sideroblastos (células com acúmulo de ferro nas mitocôndrias circundando o núcleo).
85 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
86 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
87 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
88 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
89 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
90 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.