CONTRA-INDICAÇÕES TAXOL

Atualizado em 25/05/2016

TAXOL (paclitaxel semi-sintético) é contra-indicado em pacientes com história de reações de hipersensibilidade severas ao paclitaxel ou a outros medicamentos formulados com Cremofor.
TAXOL  (paclitaxel semi-sintético) não deve ser administrado em pacientes com neutropenia1 basal < 1.500 células2/mm3.
- ADVERTÊNCIAS


TAXOL (paclitaxel semi-sintético) deve ser administrado sob a supervisão de um médico com experiência na utilização de agentes quimioterápicos. A conduta apropriada em caso de complicações só é possível perante um diagnóstico3 adequado e a disponibilidade imediata de recursos para o tratamento das mesmas.
TAXOL (paclitaxel semi-sintético) deve ser administrado por infusão após diluição.
Os pacientes devem ser tratados com corticosteróides (tal como dexametasona), anti-histamínicos (difenidramina) e antagonistas H2 (tais como cimetidina ou ranitidina) antes do tratamento com TAXOL.(paclitaxel semi-sintético).

Reações Graves de Hipersensibilidade

Caracterizadas principalmente por dispnéia4, e hiipotensão que requerem tratamento, urticária5 generalizada, angioedema6, rubor, dor no peito7 e taquicardia8; ocorrem em aproximadamente 2% dos pacientes tratados com TAXOL (paclitaxel semi-sintético).
Em caso de reação de hipersensibilidade severa, a infusão de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) deve ser descontinuada imediatamente e o paciente não deve ser submetido a novas infusões. Reações de hipersensibilidade menores, tais como rubor, erupções cutâneas9, etc., não requerem a interrupção da terapia.(vide também REAÇÕES ADVERSAS)

Mielodepressão

A depressão da medula óssea10 (principalmente neutropenia1) é a principal toxicidade11 dose-limitante. A monitorização freqüente do hemograma deve ser instituída durante o tratamento com este produto.
TAXOL (paclitaxel semi-sintético) não deve ser administrado a pacientes com contagem basal de neutrófilos12 < 1.500 células2/mm3. Em caso de neutropenia1 grave (<500 células2/mm3) durante um ciclo de tratamento com o medicamento, recomenda-se uma redução de 20% da dose em ciclos subseqüentes (vide também REAÇÕES ADVERSAS). o paciente não deve ser tratado com ciclos subsequentes até que acontagem de neutrófilos12 seja > 1500 células2/mm3 e a de plaquetas13 > 100.000 células2/mm3.

Anormalidades severas de condução cardíaca

Raramente documentadas durante a terapia com TAXOL (paclitaxel semi-sintético). Se o paciente desenvolver anormalidade de condução durante a administração de TAXOL (paclitaxel semi-sintético), deve-se instituir terapia apropriada e a monitorização eletrocardiográfica contínua deve ser realizada durante terapia subseqüente com TAXOL (paclitaxel semi-sintético) (vide também REAÇÕES ADVERSAS).

Gravidez14 e Lactação15

O TAXOL (paclitaxel semi-sintético) pode causar danos fetais quando administrado a gestantes. O fármaco16 mostrou ser embrio e fetotóxico em coelhos, além de diminuir a fertilidade em ratos. Não existem estudos em mulheres grávidas. Mulheres em idade reprodutiva devem evitar a gravidez14 durante a terapia com o paclitaxel. Se o TAXOL (paclitaxel semi-sintético) for utilizado durante a gestação ou se a paciente ficar grávida enquanto em tratamento com a droga, a mesma deve ser informada sobre o potencial de dano ao feto17.
Não se sabe se o paclitaxel é excretado no leite humano. Recomenda-se descontinuar a amamentação18 enquanto durar a terapia com TAXOL (paclitaxel semi-sintético).


- PRECAUÇÕES

Carcinogênese, Mutagênese, Comprometimento da Fertilidade

O potencial carcinogênico do produto não foi estudado. Demonstra-se que TAXOL (paclitaxel semi-sintético) é mutagênico in vitro e in vivo em mamíferos.
Ocorreu redução da fertilidade e do número de implantações e fetos vivos em ratos recebendo TAXOL (paclitaxel semi-sintético). O produto mostra ser embriotóxico e fetotóxico em coelhos recebendo a droga durante a organogênese (vide ADVERTÊNCIAS - Gravidez14 e Lactação15).

Cardiovascular

Foram relatados casos de hipotensão19 e bradicardia20 durante a administração de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) os pacientes  geralmente permanecem assintomáticos e não requerem tratamento. Recomenda-se a monitorização freqüente dos sinais vitais21, particularmente durante a primeira hora da infusão. A monitorização eletrocardiográfica contínua não é necessária, exceto para os pacientes com distúrbios sérios da condução (vide também REAÇÕES ADVERSAS).

Sistema Nervoso22

Embora a ocorrência de neuropatia periférica23 seja freqüente, o aparecimento de sintomatologia grave é incomum. na neuropatia24 moderada a severa,  recomenda-se uma redução da dose de 20% nos ciclos subseqüentes de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) (vide também REAÇÕES ADVERSAS).
TAXOL (paclitaxel semi-sintético) contém 396 mg/ml de álcool desidratado; devem ser considerados os possíveis efeitos do álcool no snc25 e seus outros efeitos.

Hepático

Não há evidências de que a toxicidade11 do TAXOL (paclitaxel semi-sintético) seja maior quando administrado em infusão de 3 horas em pacientes com função hepática26 ligeiramente anormal. não existem dados para pacientes27 com colestase28 basal severa (vide também REAÇÕES ADVERSAS).
quando o TAXOL (paclitaxel semi-sintético) é administrado porinfusão de 24 horas em pacientes com comprometimento hepático moderado a severo, pode ser observada uma maior mielodepressão  comparado aos pacientes com testes de função hepática26 ligeiramente elevados que receberam infusões de 24 horas.


- INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Em um estudo no qual administrou-se TAXOL (paclitaxel semi-sintético) por infusão de 24 horas e  cisplatina por infusão de 1mg/min, a mielodepressão foi mais acentuada quando o paclitaxel foi administrado após a cisplatina do que a seqüência inversa (cisplatina após o TAXOL (paclitaxel semi-sintético).
Dados preliminares em animais indicam que o cetoconazol pode inibir o metabolismo29 do paclitaxel.
Relatos preliminares sugerem que os níveis plasmáticos de doxorrubicina (e seu metabólito30 ativo doxorrubicinol) podem aumentar quando a doxorrubicina for utilizada em associação com o paclitaxel.

- REAÇÕES ADVERSAS

Os dados apresentados na tabela a seguir são baseados na experiência com 812 pacientes portadores de carcinoma31 de mama32 ou de ovário33, tratados, nos estudos clínicos, com TAXOL (paclitaxel semi-sintético) em doses variando de 135-300 mg/m2 por ciclo em esquemas de administração de 3 ou 24 horas. A tabela também inclui dados do subgrupo composto por 181 pacientes tratados na dosagem recomendada de 175 mg/m2 por infusão de 3 horas. Nenhuma das reações observadas foi claramente influenciada pela idade.

RESUMO DAS REAÇÕES ADVERSAS EM 812 PACIENTES COM CARCINOMA31 DE MAMA32 OU DE OVÁRIO33  TRATADOS EM ESTUDOS CLÍNICOS COM TAXOL (PACLITAXEL SEMI-SINTÉTICO) COM  DOSAGEM DE 135-300 mg/m2 POR CICLO EM INFUSÃO DE 3 OU 24 HORAS E NO SUBGRUPO DE 181 PACIENTES QUE RECEBERAM 175 mg/m2 EM INFUSÃO DE 3 HORAS (Porcentagem de Pacientes)
           
Total de pacientes      Dosagem recomendada
        (n = 812)            (n = 181)
          Hematológicas
neutropenia1 < 2.000 céls./mm3            90            87
                  <   500 céls./mm3            52             27
          leucopenia34  < 4.000 céls./mm3            90            86
                 < 1.000 céls./mm3            17             4  
          trombocitopenia35 < 100.000 céls./mm3        20             6
           <  50.000 céls./mm3         7             1
          anemia36 < 11 g/dL                 78            62
           <  8 g/dL                16              6
          infecções37                    30            18
hemorragia38                    14             9
transfusões de eritrócitos39            25            13
transfusões de eritrócitos39 (hemoglobina40 basal normal)12             6
tranfusões de plaquetas13                 2             0

Neuropatia Periférica23
qualquer sintoma41                60            64
sintomas42 severos                 3             4



Cardiovasculares
bradicardia20 (nas primeiras 3 horas da infusão)     3             3
hipotensão19 (nas primeiras 3 horas da infusão)    12            11
casos graves                     1             2

Alterações no ECG
encontradas no número total de pacientes        23            13
em pacientes com traçado basal normal do ECG no início do estudo
           14             8
         
Reações de Hipersensibilidade
todos os tipos                    41            40
severas                     2             1

Mialgia43/Artralgia44
total de casos                    60            54
total de casos graves                 8            12

Gastrintestinal
náuseas45 e vômitos46                52            44
diarréia47                    38            25
mucosite48                    31            20

Alopécia49                    87            93

Hepáticas50 (pacientes com valores basais normais)
elevação das bilirrubinas51                 7             4
elevação da fosfatase alcalina52            22            18
elevação da AST (TGO)                19            18

Reações no local da injeção53            13             4


A menos que observado de forma diferente, os seguintes dados são baseados na experiência de 181 pacientes que receberam a dose recomendada de TAXOL (paclitaxel semi-sintético), administrada no esquema posológico recomendado (175 mg/m2 por infusão de 3 horas). Todos os pacientes foram pré-medicados para minimizar a ocorrência de reações de hipersensibilidade.

A depressão da medula óssea10 e a neuropatia periférica23 foram os principais efeitos adversos dose-dependentes associados ao uso de TAXOL (paclitaxel semi-sintético). Comparado aos esquemas de infusão de 24 horas, a neutropenia1 foi menos comum quando o produto foi administrado em infusão de 3 horas. A neutropenia1 foi, de modo geral, rapidamente reversível e o quadro não ficou pior com a exposição cumulativa à droga. A freqüência dos sintomas42 neurológicos aumenta com a exposição repetida.

Hematológicas

Neutropenia1 severa (< 500 células2/mm3) ocorreu em 27% dos pacientes. Este quadro nÃo foi mais freqüente ou mais grave em pacientes que haviam se submetido à radioterapia54 anterior. Da mesma forma, a neutropenia1 não parece ser afetada pela duração do tratamento ou pela exposição cumulativa.
Relata-se casos de infecção55 em 18% dos pacientes e em 5% dos ciclos. Nenhum deles resultou em fatalidade (na experiência global com os 812 pacientes, houve um caso de óbito56 dos 5 episódios de septicemia57 associada à neutropenia1 severa, atribuídos ao TAXOL (paclitaxel semi-sintético).
Trombocitopenia35 com contagem de plaquetas13 menor que 100.000 células2/mm3 E 50.000 células2/mm3 ocorreu em 6% e 1% dos pacientes, respectivamente. Observou-se trombocitopenia35 severa (< 50.000 células2/mm3) somente durante os dois primeiros ciclos. Casos de hemorragia38 ocorreram em 9% dos pacientes; nenhum paciente necessitou de transfusão58 de plaquetas13.
Ocorreu anemia36 em 62% dos pacientes, que foi severa (Hb < 8 g/dl) em 6% dos mesmos. A incidência59 e a gravidade da anemia36 estavam relacionadas com o nível basal de hemoglobina40. Transfusões de eritrócitos39 foram necessárias em 13% dos pacientes (6% dos quais com níveis basais de hemoglobina40 normais).

Reações de Hipersensibilidade

Reações graves de hipersensibilidade ocorreram em 1% dos pacientes tratados nas doses e no esquema posológico recomendados, mesmo com medicação prévia. Estas reações ocorreram, geralmente, nos primeiros ciclos de tratamento e dentro da primeira hora da infusão. As manifestações mais freqüentes foram dispnéia4, rubor, dor no peito7 e taquicardia8.
A dosagem ou o esquema posológico de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) não interfere na freqüência das reações de hipersensibilidade. nos pacientes que receberam a dose recomendada de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) no esquema posológico recomendado, 21% dos ciclos de tratamento estavam relacionados com reações de hipersensibilidade. A maioria das reações foram de menor importância; as manifestações mais freqüentes foram rubor em 28%, erupções cutâneas9 em 14% e hipotensão19 em 3% dos pacientes.

Cardiovascular

Durante a infusão de TAXOL (paclitaxel semi-sintético), observou-se hipotensão19 (24%) ou bradicardia20 (4%). A bradicardia20 e a hipotensão19 geralmente não ocorrem durante o mesmo ciclo. A maioria dos episódios foi assintomática e não necessitou de tratamento.
Ocorreram três eventos cardiovasculares graves, possivelmente relacionados com a administração do produto, incluindo hipertensão60, trombose61 venosa e taquicardia8; nenhum destes pacientes precisou descontinuar o tratamento. (Na experiência global dos 812 pacientes, ocorreram 10 casos de eventos cardiovasculares graves, incluindo distúrbios do ritmo cardíaco e síncope62 - vide ADVERTÊNCIAS).
Durante os estudos clínicos, constatou-se ECG anormal em 13% dos pacientes recebendo o TAXOL (paclitaxel semi-sintético) na dose e no esquema posológico recomendado. Alterações no ECG foram observadas em 8% dos pacientes que possuíam, por ocasião do início do estudo, o traçado normal. (Na experiência dos 812 pacientes, as alterações mais freqüentemente relatadas foram distúrbios da repolarização não-específica, bradicardia20 sinusal, taquicardia8 sinusal e batimentos precoces. Na maioria dos casos, nenhuma relação evidente entre a administração de paclitaxel e as alterações do ECG está definida e estas alterações não têm ou são de mínima relevância clínica.)
além do descrito acima, casos de infarto do miocárdio63 foram raramente registrados. a insuficiência cardíaca congestiva64  é relatada tipicamente em pacientes que receberam outras quimioterapias, principalmente com antraciclinas.

Neurológicas

A neuropatia periférica23 é dose-dependente, sendo que 60% dos pacientes assintomáticos por ocasião do início do tratamento apresentaram sintomas42 durante o tratamento; em 4% dos pacientes recebendo as doses recomendadas, os sintomas42 foram graves.
Sintomas42 neurológicos podem surgir após o primeiro ciclo e a freqüência dos sintomas42 pode aumentar com o aumento da exposição ao TAXOL (paclitaxel semi-sintético). Sintomas42 sensoriais normalmente melhoraram ou desapareceram em alguns meses após a interrupção do medicamento. Neuropatias pré-existentes resultantes de terapias anteriores não são contra-indicações à terapia com TAXOL (paclitaxel semi sintético). Outros eventos neurológicos raros relatados após a administração de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) são ataque epilético tipo grande mal, síncope62, ataxia65 e encefalopatia66.
Além do descrito acima, têm-se relatado neuropatia24 motora resultando em fraqueza distal67 de pequena intensidade e neuropatia autonômica68 resultando em íleo paralítico69 e hipotensão19 ortostática. foram relatados também distúrbios do nervo óptico e/ou visuais (escotomas70 cintilantes), em particular naqueles pacientes que receberam doses mais altas que as recomendadas. estes efeitos foram, em geral, reversíveis.

Hepáticas50

Em pacientes com função basal normal, foram detectados níveis de bilirrubina71 aumentados em 4%, aumento de fosfatase alcalina52 em 18% e de AST (TGO) em 18%. Necrose72 hepática26 e encefalopatia66 hepática26 levando ao óbito56 têm sido raramente relatados a partir dos estudos de segurança em andamento.

Artralgia44/Mialgia43

Artralgia44/mialgia43 foram relatadas em 54% dos pacientes, normalmente manifestando-se como dores nas articulações73 maiores dos braços e pernas; sintomas42 graves foram relatados em 12% dos pacientes. Os sintomas42 foram normalmente transitórios, ocorrendo 2 ou 3 dias após a administração de TAXOL (paclitaxel) e desaparecendo em poucos dias.

Reações no local da aplicação

Pode ocorrer flebite74 após a administração i.v. de TAXOL (paclitaxel semi-sintético). O extravazamento durante a administração i.v. pode resultar em edema75, dor, eritema76 e rigidez; às vezes, o extravazamento pode levar ao aparecimento de celulite77. Descoloração da pele78 também pode ocorrer.  a recorrência79 de reações cutâneas9 no local de um extravasamento prévio após administração de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) em um outro acesso venoso foi raramente relatada. O tratamento específico para os casos de extravazamento não é conhecido até o momento.

Outras

A alopécia49 foi observada em quase todos os pacientes.
Alterações transitórias e leves na pele78 e unhas80 foram observadas.  Relatos raros de anormalidades dermatológicas relacionadas a efeitos radioterápicos têm sido recebidos nos estudos de segurança que estão sendo realizados.
Efeitos colaterais81 gastrintestinais, tais como náusea82/vômitos46, diarréia47 e mucosite48 ocorreram em 44%, 25% e 20%, respectivamente, dos pacientes tratados com as doses recomendadas. Estas manifestações foram, geralmente, leves a moderadas.
Observa-se, também, enterocolite neutropênica, obstruções/perfurações do intestino e colite83 isquêmica em pacientes tratados com paclitaxel. pneumonite84 por radiação tem sido relatada em pacientes recebendo radioterapia54 concomitante.


- DOSAGEM E ADMINISTRAÇÃO

Todos os pacientes  devem ser pré-medicados antes da administração de TAXOL (paclitaxel semi-sintético).  Esta pré-medicação corresponde à 20 mg via oral de dexametasona (ou equivalente), administrados aproximadamente 12 e 6 horas antes da administração do paclitaxel; 50 mg de difenidramina (ou seu equivalente) via i.v. 30 a 60 minutos antes do TAXOL (paclitaxel semi-sintético) e cimetidina (300 mg) ou ranitidina (50 mg) via i.v. 30 a 60 minutos antes do TAXOL (paclitaxel semi-sintético).
Em pacientes com carcinoma31 de ovário33, o TAXOL  (paclitaxel semi-sintético) tem sido usado em diversas doses e esquemas; entretanto, o regime posológico ótimo não está claro (vide FARMACOLOGIA85 CLÍNICA). Em pacientes previamente tratadas com quimioterapia86 para câncer87 de ovário33, o esquema recomendado corresponde à 135 mg/m2 ou 175 mg/m2 de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) administrados intravenosamente por  3 horas, a cada 3 semanas.

Para pacientes27 com carcinoma31 de mama32, o esquema posológico que tem se mostrado eficaz, após falha da quimioterapia86 para doença metastática88 ou recidiva89 dentro de um período de 6 meses da quimioterapia86 adjuvante, corresponde à 175 mg/m2 administrados intravenosamente por 3 horas, a cada 3 semanas.

TAXOL (paclitaxel semi-sintético) não deve ser readministrado até que a contagem de neutrófilos12 seja de, pelo menos, 1.500 células2/mm3 e a de plaquetas13, 100.000 células2/mm3. Pacientes que tiveram neutropenia1 grave (< 500 células2/mm3) ou neuropatia24 periféfica moderada a severa devem ser submetidos a doses reduzidas em 20% nos ciclos subseqüentes.
TAXOL (paclitaxel semi-sintético) deve ser administrado através de um filtro com membrana microporosa de não mais que 0,22 micron (vide Preparação da Administração Intravenosa e a Nota abaixo).

Nota : Não se recomenda o contato do concentrado não diluído com materiais ou dispositivos  de PVC (cloreto de polivinil) usados no preparo das soluções para infusão. Para minimizar a exposição do paciente ao plastificante DEHP (di-(2-etilexil)ftalato), que pode se desprender das bolsas de infusão ou dos materiais de PVC utilizados, as soluções diluídas de TAXOL (paclitaxel) semi-sintético) devem ser, de preferência, guardadas em frascos (vidro ou polipropileno) ou em bolsas plásticas (polipropileno ou poliolefina) e administradas através de materiais de polietileno. Vide Preparação da Administração Intravenosa. O uso de filtros que incorporem tubos curtos revestidos de PVC por dentro e por fora não resulta em liberação significativa de DEHP.

Precauções quanto à Preparação e a Administração

O paclitaxel é uma droga citotóxica antineoplásica e, como outras substâncias potencialmente tóxicas, deve ser manuseada com cuidado. O uso de luvas é recomendado. Após exposição tópica foram observados formigamento, queimação e rubor. Se a solução de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) entrar em contato com a pele78, lavar a região com água e sabão, imediata e completamente. Se houver contato com membranas mucosas90, deve-se enxaguar as mesmas com água.Em casos de inalação foram reportados dispnéia4, dor torácica, irritação nos olhos91, rouquidão e náuseas45.

Preparação da Administração Intravenosa

TAXOL (paclitaxel semi-sintético) concentrado para injeção53 deve ser diluído antes da infusão. O TAXOL (paclitaxel semi-sintético) deve ser diluído em solução injetável de cloreto de sódio 0,9%, solução glicosada a 5%, solução meio glicosada a 5% / meio fisiológica92, ou em solução glicosada a 5% em solução de Ringer, de forma a se obter uma concentração final de 0,3 a 1,2 mg/ml. As soluções são física e quimicamente estáveis por até 27 horas em temperatura ambiente (aproximadamente 25 oC) e em condições de iluminação ambiente.
Na preparação, as soluções podem mostrar turbidez, atribuída  ao veículo da formulação. Não foram observadas perdas significativas  de potência após liberação da solução através de dispositivos de administração i.v. acoplados a um filtro (0,22 micron).
Dados mostram que os níveis do plastificante DEHP (di-(2-etil-exil) ftalato) que se desprendem aumentam com o tempo e com a concentração quando as diluições são preparadas em frascos de PVC. Conseqüentemente, o uso de frascos plásticos e de dispositivos de administração feitos de PVC não é recomendado. As soluções de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) devem ser preparadas e guardadas em frascos de vidro, polipropileno ou poliolefina. Devem ser utilizados dispositivos de administração que não contenham PVC, como os feitos de polietileno.


- SUPERDOSAGEM

Não existem antídotos conhecidos  que possam ser utilizados em caso de superdosagem. As complicações primárias de uma superdosagem consistem em depressão da medula óssea10, neurotoxicidade periférica e mucosite48.


- ESTABILIDADE E CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO

Os frascos-ampola de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) são estáveis até a data de validade indicada na embalagem se mantidos à temperatura entre 2 e 25oC na sua embalagem original. Em locais onde a temperatura ambiente seja em média superior a 25?C, deverão ser tomadas providências para que esta temperatura máxima não seja excedida.
O congelamento não afeta o produto. Mediante a refrigeração, os componentes presentes na formulação de TAXOL (paclitaxel semi-sintético) podem precipitar, mas eses se redissolvem quando o produto atinge a temperatura ambiente, com ou sem agitação. A qualidade do produto não é afetada nessas circunstâncias.
Se a solução permanecer turva ou se um precipitado insolúvel se formar, o frasco-ampola deverá ser descartado. As soluções para infusão, se preparadas como recomendado, são estáveis por até 27 horas em temperatura ambiente (aproximadamente 25 oC) e em condições de iluminação ambiente.


- CONDIÇÕES DE MANUSEIO E DISPENSAÇÃO

Procedimentos para manuseio e dispensação adequados de drogas antineoplásicas devem ser considerados.

- ATENÇÃO :

ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS REALIZADAS TENHAM DEMONSTRADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES IMPREVISÍVEIS AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA RE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.


n?. do lote, data de fabricação e data de validade : VIDE CARTUCHO.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA


USO RESTRITO A HOSPITAIS


Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de 밻mergência infecciosa.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
5 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
6 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
7 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
8 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
9 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
10 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
11 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
12 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
13 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
16 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
17 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
18 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
19 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
20 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
21 Sinais vitais: Conjunto de variáveis fisiológicas que são pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória e temperatura corporal.
22 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
23 Neuropatia periférica: Dano causado aos nervos que afetam os pés, as pernas e as mãos. A neuropatia causa dor, falta de sensibilidade ou formigamentos no local.
24 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
25 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
26 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
27 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
28 Colestase: Retardamento ou interrupção do fluxo nos canais biliares.
29 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
30 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
31 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
32 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
33 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
34 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
35 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
36 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
37 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
38 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
39 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
40 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
41 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
42 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
43 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
44 Artralgia: Dor em uma articulação.
45 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
46 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
47 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
48 Mucosite: Inflamação de uma membrana mucosa, produzida por uma infecção ou lesão secundária à radioterapia, quimioterapia, carências nutricionais, etc.
49 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
50 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
51 Bilirrubinas: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
52 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
53 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
54 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
55 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
56 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
57 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
58 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
59 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
60 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
61 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
62 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
63 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
64 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
65 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
66 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
67 Distal: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
68 Neuropatia autonômica: Tipo de neuropatia que afeta pulmões, coração, estômago, intestino, bexiga e órgãos genitais.
69 Íleo paralítico: O íleo adinâmico, também denominado íleo paralítico, reflexo, por inibição ou pós-operatório, é definido como uma atonia reflexa gastrintestinal, onde o conteúdo não é propelido através do lúmen, devido à parada da atividade peristáltica, sem uma causa mecânica. É distúrbio comum do pós-operatório podendo-se afirmar que ocorre após toda cirurgia abdominal, como resposta “fisiológica“ à intervenção, variando somente sua intensidade, afetando todo o aparelho digestivo ou parte dele.
70 Escotomas: Regiões da retina em que há perda ou ausência da acuidade visual devido a patologias oculares.
71 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
72 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
73 Articulações:
74 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
75 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
76 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
77 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
78 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
79 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
80 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
81 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
82 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
83 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
84 Pneumonite: Inflamação dos pulmões que compromete principalmente o espaço que separa um alvéolo de outro (interstício pulmonar). Pode ser produzida por uma infecção viral ou lesão causada por radiação ou exposição a diferentes agentes químicos.
85 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
86 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
87 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
88 Doença metastática: Câncer que se espalhou do seu local de origem a outras partes do organismo.
89 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
90 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
91 Olhos:
92 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.

Tem alguma dvida sobre CONTRA-INDICAÇÕES TAXOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.