COMPOSIÇÃO BLAUBIMAX

Atualizado em 28/05/2016

Cada ml contém:
Albumina1 Humana    0,2 g
 Excipientes    q.s.p.    1 ml
Componentes não ativos: caprilato de sódio, ácido mandélico, cloreto de sódio e água para injetáveis.


- INFORMAÇÃO TÉCNICA


- Características:

Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% consiste de uma fração protéica de plasma2 venoso humano. A preparação é uma solução estéril, livre de pirogênio e tem uma concentração protéica de 200 g/l, da qual pelo menos 95% é albumina1 humana.
Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% é obtido a partir do plasma2 sangüíneo mediante seu fracionamento com etanol. O plasma2 é coletado de doadores voluntários, não remunerados, que preencham os requisitos do Conselho de Transfusão3 de Sangue4 da Cruz Vermelha dos Países Baixos. Isto significa, entre outras coisas, que cada doação individual é testada e considerada negativa quanto ao antígeno5 de superfície B (HBsAg), quanto a anticorpos6 contra vírus7 da síndrome8 da imunodeficiência9 humana 1 e 2 (HIV10-1 e HIV10-2, causadores da AIDS) e quanto a anticorpos6 contra o vírus7 da hepatite11 C.
A fabricação através do fracionamento do etanol e a pasteurização de Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% (aquecimento da solução de infusão a 60ºC durante 10 horas) garantem que o risco de transmissão de doenças virais, em particular a AIDS, hepatite11 B e hepatite11 não-A, não-B (incluindo a hepatite11 C), seja extremamente baixo.

Propriedades farmacodinâmicas
Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% é um expansor  do volume plasmático. A albumina1 é a fração de proteína mais abundante na circulação12; aproximadamente 60% de toda a proteína plasmática é composta por albumina1. A concentração média no plasma2 é 42 g/l. A albumina1 tem a capacidade de ligar-se a água: 1 grama13 de albumina1 liga-se a 18 gramas de água. Tal fato ajuda a explicar uma das funções fisiológicas14 mais importantes da albumina1, a manutenção da pressão osmótica coloidal15. Desta forma, o volume de sangue4 é mantido. Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% contém 200 g/l de proteína, da qual pelo menos 95% é albumina1. Como resultado, a preparação tem um efeito osmótico16 coloidal quatro vezes maior se comparado ao plasma2 e, portanto, uma capacidade de retenção de fluido relativamente grande. Além disso, a albumina1 tem uma função de transporte dos produtos do metabolismo17 e de alguns medicamentos. É também importante sua capacidade de tamponar o sangue4.
As soluções de albumina1 podem ser aplicadas em situações de déficit de volume de plasma2 ou
de sangue4 e em situações de déficit oncótico.

Propriedades farmacocinéticas
Absorção: pelo fato de Blaubimax® - Albumina1 Humana 20% ser administrado por via endovenosa, não há fase de absorção. A biodisponibilidade da albumina1 administrada ao paciente será 100%.
Distribuição: a albumina1 administrada ao paciente será distribuída da mesma forma que a albumina1 natural. Sob circunstâncias normais, o organismo contém 4-5 g/kg de albumina1, de modo que 40-45% está presente intravascularmente e 55-60% no compartimento extravascular18. Sob circunstâncias normais, menos de 10% da albumina1 administrada sairá do compartimento intravascular19 durante as primeiras duas horas. Como resultado, o volume de circulação12 aumentará durante um período de 1 a 3 horas após a administração. Uma distribuição anormal da albumina1 pode ocorrer sob certas circunstâncias, como por exemplo, durante as primeiras 24 horas após queimaduras graves e durante choque20 séptico.
Metabolismo17/eliminação: a albumina1 é dissociada em aminoácidos livremente disponíveis. Não se sabe onde este processo de dissociação ocorre. Em indivíduos saudáveis, a meia-vida é de 18 dias. O catabolismo21 da albumina1 pode ser aumentado em certas circunstâncias, como por exemplo durante infecções22, malignidade e situações de stress como em cirurgia e doenças graves. A albumina1 não é excretada pelo rim23 saudável.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
2 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
3 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
6 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
7 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
8 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
9 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
10 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
11 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
12 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
13 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
14 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
15 Pressão osmótica coloidal: É a pressão osmótica gerada pelas proteínas no plasma sanguíneo, também conhecida como pressão oncótica. No plasma sanguíneo, os componentes dissolvidos possuem uma pressão osmótica. A diferença entre a pressão osmótica exercida pelas proteínas plasmáticas (pressão osmótica coloidal) no plasma sanguíneo e a pressão exercida pelas proteínas fluidas no tecido é chamada de pressão oncótica.
16 Osmótico: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
17 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
18 Extravascular: Relativo ao exterior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
19 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
20 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
21 Catabolismo: Parte do metabolismo que se refere à assimilação ou processamento da matéria adquirida para fins de obtenção de energia. Diz respeito às vias de degradação, ou seja, de quebra das substâncias. Parte sempre de moléculas grandes, que contêm quantidades importantes de energia (glicose, triclicerídeos, etc). Estas substâncias são transformadas de modo a que restem, no final, moléculas pequenas, pobres em energia ( H2O, CO2, NH3 ), aproveitando o organismo a libertação de energia resultante deste processo. É o contrário de anabolismo.
22 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Rim: Os rins são órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.

Tem alguma dvida sobre COMPOSIÇÃO BLAUBIMAX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.