PRECAUÇÕES ADOLESS

Atualizado em 28/05/2016
•  Exame físico e acompanhamento: Antes de se tomar contraceptivos orais combinados deve ser realizada uma história clínica completa, tanto pessoal quanto familiar, assim como um exame médico. Este exame deverá ser repetido durante o uso de anticoncepcionais orais combinados. O exame médico deverá incluir especialmente pressão arterial1, mamas2, abdome3 e órgãos pélvicos4 incluindo citologia cervical e outros exames laboratoriais. Em caso de hemorragia vaginal5 não diagnosticada, persistente ou recorrente, deverá ser realizado um diagnostico6 adequado para descartar malignidade.As mulheres com história familiar de câncer7 de mama8 ou que tiveram nódulos mamários deverão ser especialmente controladas.Deve-se informar a usuárias que este produto não protege contra a infecção9 por HIV10 ou outras doenças sexualmente transmissíveis.
•  Alterações lipídicas: As mulheres que decidem utilizar anticoncepcionais orais combinados e estão sendo tratados por hiperlipidemias devem ser controladas. Alguns progestágenos podem elevar os níveis de lipoproteínas de baixa densidade (LDL11) e podem tornar mais difícil o controle das hiperlipidemias.Em usuárias com história familiar de alterações no metabolismo12 lipoprotéico que recebem preparações contendo estrógeno13 tem sido observado casos de elevações significativas de triglicerídeos plasmáticos os quais levaram a uma pancreatite14.
•  Função hepática15: A insuficiência hepática16 aguda ou crônica pode determinar a descontinuação de contraceptivos orais combinados até que a função hepática15 volte ao normal.Os hormônios esteróides são provavelmente metabolizados em usuárias com a insuficiência hepática16.
•  Distúrbios emocionais: Os anticoncepcionais orais combinados podem favorecer o aparecimento de episódios de depressão em algumas usuárias. A medicação deverá ser suspensa e usar um método alternativo de anticoncepcional a fim de determinar se os sintomas17 estão relacionados com a utilização destas drogas. Mulheres com história de depressão devem ser observadas cuidadosamente e a droga descontinuada se a depressão reaparecer.
•  Níveis de folato: Os níveis séricos de folato podem diminuir com a utilização de anticoncepcionais orais combinados.Este fato pode ter importância clínica se a paciente engravidar logo depois da descontinuação dos anticoncepcionais orais combinados.
•  Retenção de líquidos: Os contraceptivos orais combinados devem ser prescritos com precaução para usuárias nas quais a retenção de líquidos pode ser agravada.
•  Gravidez18: este medicamento não está indicado para ser utilizado durante a gravidez18. Diferente do que ocorre com o dietilestilbestrol, o resultado de numerosos estudos epidemiológicos permitem descartar o risco de malformações19 secundárias com a administração de estrógenos isolados ou em associação, durante a etapa inicial da gravidez18.Por outro lado, os riscos devidos à diferenciação sexual do feto20 (fundamentalmente os fetos do sexo feminino) e que tenham sido descritos com a utilização dos antigos progestágenos, muito androgenomiméticos, não podem ser extrapolados aos progestágenos atuais como o que se utiliza no produto ADOLESS®, que é notoriamente menos androgenomimético ou praticamente não androgenomimético.Conseqüentemente a detecção de uma gravidez18 quando a mulher se encontra recebendo anticoncepcionais orais combinados não justificam a interrupção desta gravidez18.
•  Lactação21: Levando-se em conta que os estrógenos e progestágenos são excretados no leite materno, não é aconselhável a utilização de ADOLESS® durante o período de amamentação22, e conseqüentemente deve ser utilizado outro método contraceptivo.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
2 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
4 Pélvicos: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
5 Hemorragia vaginal: Hemorragia vaginal anormal é a perda de sangue por via vaginal fora do período menstrual ou que surge em grandes quantidades (durante mais de sete dias). É preciso considerar a situação menstrual da mulher: se ela tem menstruações normais, irregulares, com falhas, se é muito jovem, se está perto da menopausa ou se já está na menopausa.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
11 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
12 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
13 Estrógeno: Grupo hormonal produzido principalmente pelos ovários e responsáveis por numerosas ações no organismo feminino (indução da primeira fase do ciclo menstrual, desenvolvimento dos ductos mamários, distribuição corporal do tecido adiposo em um padrão feminino, etc.).
14 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
15 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
20 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
21 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
22 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES ADOLESS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.