INDICAÇÕES BROMETO DE IPRATRÓPIO

Atualizado em 28/05/2016

O brometo de ipratrópio é indicado como broncodilatador1 notratamento de manutenção do broncoespasmo2 associado à Doença Pulmonar
Obstrutiva Crônica (DPOC), incluindo bronquite crônica3, enfisema4 e asma5.

CONTRA-INDICAÇÕES:
ESTE MEDICAMENTO É CONTRA-INDICADO PARAPACIENTES COM
HISTÓRIA DE HIPERSENSIBILIDADE A QUAISQUER COMPONENTES
DA FÓRMULA, À ATROPINA OU A SEUS DERIVADOS.

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS:

O brometo de ipratrópio solução para inalação contém,
como conservantes cloreto de benzalcônio e EDTA dissódico.
Estes componentes podem causar broncoconstrição em alguns pacientes.
Embora raros, já foram relatados efeitos oculares como midríase6, dor ocular,
aumento da pressão intra-ocular e glaucoma7 de ângulo fechado, quando o
conteúdo de aerossóis e nebulizadores contendo brometo de ipratrópio,
combinados ou não com beta-2-agonistas, atingiu inadvertidamente os olhos8.
Portanto, os pacientes devem ser orientados quanto à correta administração de
brometo de ipratrópio, devendo-se evitar o contato do produto com os olhos8.
Desconforto ou dor nos olhos8, visão9 embaçada, visão9 de imagens coloridas ou
halos em associação com olhos8 avermelhados decorrentes de congestão
conjuntiva10 e edema11 da córnea12 podem ser sinais13 de glaucoma7 de ângulo fechado.
Desenvolvendo-se qualquer desses sintomas14, deve-se administrar soluções
mióticas e procurar um especialista imediatamente. Os pacientes devem ser
instruídos a cumprir exatamente as instruções de uso do brometo de ipratópio
solução para inalação. Deve-se tomar cuidado para não expor os olhos8 ao
contato com a solução inalante. Recomenda-se que a solução nebulizada seja
administrada através de um bocal. Se for utilizada uma máscara para
nebulização15, esta deve ajustar-se perfeitamente. Pacientes com predisposição a
glaucoma7 devem ser alertados a proteger os olhos8. O brometo de ipratrópio
deve ser usado com prudência em pacientes com predisposição a glaucoma7 de
ângulo fechado, obstrução do colo16 vesical17 ou hipertrofia18 prostática. Pacientes
com fibrose cística19 podem estar mais sujeitos a distúrbios na motilidade
gastrintestinal.
Na aplicação acidental nos olhos8 podem surgir transtornos ligeiros e
reversíveis da acomodação visual.
Desconhecem-se restrições ou precauções especiais para o uso do produto em
pacientes com idade superior a 60 anos.
Gravidez20 e lactação21: A segurança do uso durante a gravidez20 e lactação21 ainda não
foi estabelecida, deve-se observar as precauções e restrições quanto ao uso
durante a gravidez20, especialmente no primeiro trimestre. Ainda não se sabe se o
brometo de ipratrópio é excretado no leite materno, como muitas drogas são
excretadas no leite, deve-se ter cautela ao administrar o brometo de ipratrópio a
mulheres que estão amamentando.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Broncodilatador: Substância farmacologicamente ativa que promove a dilatação dos brônquios.
2 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
3 Bronquite crônica: Inflamação persistente da mucosa dos brônquios, em geral produzida por tabagismo, e caracterizada por um grande aumento na produção de muco bronquial que produz tosse e expectoração durante pelo menos três meses consecutivos durante dois anos.
4 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
5 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
6 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
7 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
8 Olhos:
9 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
10 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
11 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
12 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Nebulização: Método utilizado para administração de fármacos ou fluidificação de secreções respiratórias. Utiliza um mecanismo vaporizador através do qual se favorece a penetração de água ou medicamentos na atmosfera bronquial.
16 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
17 Vesical: Relativo à ou próprio da bexiga.
18 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
19 Fibrose cística: Doença genética autossômica recessiva que promove alteração de glândulas exócrinas do organismo. Caracterizada por infecções crônicas das vias aéreas, que leva ao desenvolvimento de bronquiectasias, insuficiência pancreática exócrina, disfunções intestinais, anormalidades das glândulas sudoríparas e disfunção genitourinária.
20 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
21 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.

Tem alguma dúvida sobre INDICAÇÕES BROMETO DE IPRATRÓPIO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.