INFORMAÇÕES à PACIENTE CLIMENE

Atualizado em 28/05/2016

O medicamento deve ser mantido em temperatura ambiente (15-30ºC) e protegido da umidade. O prazo de validade está indicado na embalagem externa do produto. Não usar medicamento com prazo de validade vencido. Informar imediatamente ao seu médico se houver suspeita de gravidez1 durante o tratamento. Como esta não deve ocorrer durante o tratamento, recomenda-se o emprego de métodos contraceptivos não-hormonais, com exceção dos métodos de ritmo (Ogino-Knaus) e de temperatura. Em pacientes com suspeita de gravidez1, o tratamento só deve ser iniciado após afastada esta possibilidade. Durante o tratamento prolongado, consultar o médico em intervalos regulares, a cada seis meses aproximadamente, para submeter-se a exames de controle. Antes de iniciar o tratamento devem ser realizados exames clínico completo e ginecológico (Incluindo mamas2). Começar o tratamento no 5º dia do ciclo menstrual, observando-se que o 1º dia do ciclo corresponde ao 1º dia de sangramento menstrual. Se não estiver menstruando, ou se os ciclos menstruais forem muito irregulares, seguir a recomendação médica para início do tratamento. Cada embalagem de CLIMENE contém um disco calendário auto-adesivo, que deve ser fixado ao estojo, fazendo coincidir o dia da semana em que se inicia o tratamento com a drágea3 identificada (início), por exemplo, se a primeira drágea3 for tomada em uma segunda-feira, a drágea3 identificada (início) deve coincidir com o dia "Seg". Desta forma, cada drágea3 estará indicada com o dia da semana correspondente, facilitando assim o controle da ingestão diária. Começar pela drágea3 identificada (início) e tomar uma drágea3 diariamente, seguindo o sentido das setas do estojo-calendário, até o término do mesmo (21 dias). Ingerir as drágeas4 com pequena quantidade do líquido, sem mastigar, de preferência sempre à mesma hora do dia. É indiferente o horário do dia em que a drágea3 será tomada, mas uma vez escolhido o horário, de preferência após o café da manhã ou o jantar, deve-se mantê-lo aproximadamente constante. Após o término das 21 drágeas4, deve-se fazer uma pausa de 7 dias, durante a qual, cercada 2 a 4 dias após a ingestão da última drágea3, deverá ocorrer sangramento semelhante à menstruação5: Após este intervalo, salvo outra prescrição, reiniciar o tratamento com a primeira drágea3 do estojo seguinte no mesmo dia da semana que o anterior, independentemente do sangramento ter cessado ou não. Em caso de esquecimento, a drágea3 omitida deve ser ingerida com até 12 horas do tolerância do horário habitual. À medida que se prolonga o tratamento produz-se, com maior freqüência, a ausência de sangramento no intervalo de pausa. Se houver indícios para suspeitar de gravidez1, deve-se interromper a tomada até que esta possibilidade seja excluída. O tratamento não deve ser interrompido até o final do estojo-calendário, exceto por orientação médica. O aparecimento de sangramento genital, repetidamente, durante as três semanas em que se realiza o tratamento não é motivo para interrupção do mesmo sem que o médico seja consultado. Ocasionalmente podem ocorrer sensação de tensão nas mamas2, sangramento durante as três semanas de uso do produto, problemas do estômago6, náuseas7, alterações do peso e do desejo sexual. Em casos isolados podem ocorrer inchaço8, dores de cabaça e estados depressivos. Avisar imediatamente o médico, pois são motivos para interrupção do tratamento: aparecimento, pela primeira vez de dores de cabeça9 do tipo enxaqueca10 ou dores de cabeça9 com freqüência e intensidade não-habituais; perturbações repentinas dos sentidos (por exemplo, da visão11, da audição); dores ou inchaço8 não-habituais nas pernas; dores do tipo pontada ao respirar ou tosse sem motivo aparente; sensação de dor e aperto no tórax12; cirurgias já planejadas (6 semanas antes da data prevista); Imobilização forçada, como por exemplo em acidentes; aparecimento de icterícia13; apresentação de hepatite14; coceira no corpo todo; aumento de ataques epilépticos; aumento considerável da pressão arterial15; gravidez1.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Informar ao médico se estiver usando qualquer outro medicamento, pois há alguns que não devem ser usados concomitantemente com CLIMENE. O produto é contra-indicado na gravidez1, período de amamentação16, doença grave do fígado17, e em várias outras doenças, além do rato de que em alguns casos, como por exemplo diabetes18 a varizes19. CLIMENE deve ser usado sob cuidadosa supervisão médica. Desta forma, é importante notificar o médico sobre qualquer doença, atual ou anterior.

Não tome remédio sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde20.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
4 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
5 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
6 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
7 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
8 Inchaço: Inchação, edema.
9 Cabeça:
10 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
11 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
12 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
13 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
14 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
15 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
16 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
17 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
18 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
19 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
20 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.

Tem alguma dúvida sobre INFORMAÇÕES à PACIENTE CLIMENE?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.