POSOLOGIA CETAZ IM/IV

Atualizado em 28/05/2016

O produto deve ser usado por via exclusivamente parenteral, variando a dose em função da gravidade, sensibilidade e tipo de infecção1, bem como da idade, peso e função renal2 dos pacientes.
Adultos:
A dose varia de 1 a 6 g diários, por exemplo, 500mg, 1g ou 2g, administrados a cada 8 ou 12 horas, através de injeção3 endovenosa ou intramuscular. Para as infecções4 do trato urinário5 e naquelas de menor gravidade, a dose de 500mg ou 1g de 12/12 horas é geralmente satisfatória. Para a maioria das infecções4, as doses ideais são de 1g de 8/8 horas ou 2g de 12/12 horas. Nas infecções4 mais graves, especialmente nos pacientes com imunossupressão6, incluindo os neutropênicos, deve ser administrada a dose de 2g a cada 8 ou 12 horas. Nos pacientes fibrocísticos adultos com função renal2 normal e portadores de infecção1 pulmonar por  Pseudomonas, serão necessárias posologias elevadas, ou seja, de 100 a 150mg/kg/dia, subdivididos em três doses (doses de 9g/dia têm sido empregadas com segurança nesses casos).
Recém-nascidos  e lactentes7 até 2 meses de idade:
25 a 60 mg/kg/dia divididos em duas aplicações. No recém-nascido, a meia-vida sérica da Ceftazidima pode ser 3 a 4 vezes maior do que a do adulto.

Lactentes7 e crianças maiores:
A posologia usual para crianças com mais de 2 meses é de 30 a 100 mg/kg/dia, divididos em duas ou três doses. Doses maiores que 150mg/kg, três vezes ao dia, até um máximo de 6 g/dia, podem ser administradas a crianças com comprometimento da imunidade8, com doença fibrocística ou ainda com meningite9.
Pacientes idosos:
Devido à redução do clearance da Ceftazidima nos pacientes idosos graves, a dose diária de Ceftazidima não deve normalmente exceder a 3g, especialmente naqueles com mais de 80 anos.
Posologia diante do comprometimento da função renal2:
O produto é excretado pelos rins10 quase que exclusivamente por filtração glomerular. Assim  sendo, nos pacientes com funcionalidade renal2 comprometida, recomenda-se que a dose seja reduzida, salvo se o comprometimento for de leve intensidade, isto é, velocidade de filtração glomerular (VFG) superior a 50ml/min. Nos pacientes com suspeita de insuficiência renal11 pode ser instituída uma dose inicial de 1g do produto. Nestes casos, recomenda-se estimar a VFG a fim de determinar a dose correta. As doses de manutenção recomendadas são:

Depuração de creatinina12 (ml/min)    Creatinina12 sérica aproximadamente mmol/l13 (mg/dl14)    Dose unitária                       recomendada (g)    Freqüência das doses (horas)     
>50    <150    DOSES  NORMAIS    
50   31    150   200 (1, 7 - 2, 3)    1,0    12    
30   16    200   350 (2,3 - 4,0)    1,0    24    
15   6    350   500 (4,0 - 5,6)    0,5    24    
<5    >500 (>5,6)    0,5    48    
    
Nos pacientes com infecção1 grave, especialmente nos neutropênicos, as doses unitárias podem ser acrescidas em 50% ou a freqüência de administração aumentada apropriadamente. Em tais pacientes recomenda-se monitorar os níveis séricos da Ceftazidima de modo a que não excedam de 40 mg/l. No caso de se dispor somente dos valores da creatinina12 sérica pode-se utilizar a fórmula a seguir (Equação de Cockcroft) para estimar a taxa de depuração. A creatinina12  sérica representaria, então, um estado mantido da funcionalidade renal2.
Homens:
Depuração de creatinina12 (ml/min)= peso (kg) x (140 - idade em anos)
                                                            72 x creatinina12 sérica (mg/dl14)
Mulheres:
0.85 x valor obtido para os homens (acima)
Para converter a creatinina12 sérica de mmol/l13 para mg/dl14, dividir por 88,4.  
Nas crianças, a depuração de creatinina12 deve ser ajustada em função da área de superfície corporal ou da massa muscular, reduzindo-se, como nos adultos, a freqüência das doses nos casos de insuficiência renal11. A meia-vida sérica da Ceftazidima durante hemodiálise15 varia de 3 a 5 horas; a dose de manutenção apropriada deverá ser repetida após cada seção. A Ceftazidima pode também ser usada na diálise16 peritonial, tanto por via endovenosa como incorporado ao líquido de diálise16 (geralmente 125 e 250 mg/2 litros).
Administração:
O produto pode ser administrado por via endovenosa ou intramuscular profunda. A solução deve ser preparada como especificado a seguir:
Frasco    Uso    Volume do diluente a ser adicionado(ml)    Concentração aproximada (mg/ml)    
1g    Intramuscular    3,0    260    
1g    Endovenoso    1,0    90    
1g    Infusão Endovenosa    50    20    
Após adição do diluente, recomenda-se agitar bem o frasco e aguardar até obtenção de  solução límpida (1 a 2 minutos); é de se prever, nesse período, a liberação de pequena quantidade de dióxido de carbono. As soluções para uso endovenoso podem ser injetadas diretamente na veia ou introduzidas na borracha do equipo, caso o paciente esteja recebendo líquidos parenterais.
A Ceftazidima é  compatível com a grande maioria das soluções parenterais de uso comum (vide Precauções Farmacotécnicas abaixo).
Preparação das soluções para injeções intramuscular e endovenosa:
1) Introduzir a agulha da seringa17 através da tampa do frasco e injetar o volume recomendado do diluente;
2) Retirar a agulha e agitar o frasco para formar uma solução clara;
3) Inverter o frasco. Com o êmbolo18 da seringa17 completamente comprimido, introduzir a agulha na solução. Retirar o volume total da solução para dentro da seringa17, assegurando-se de que a agulha aspire somente a solução. Pequenas bolhas de dióxido de carbono devem ser desprezadas.
Preparação das soluções para infusão endovenosa:
1) Introduzir a agulha da seringa17 através da tampa do frasco e injetar 10 ml do diluente;
2) Retirar a agulha e agitar o frasco para formar uma solução clara;
3) Introduzir uma segunda agulha na tampa do frasco para retirar o gás e liberar a pressão no interior do frasco;
4) Com o frasco livre de gás, adicionar o restante do diluente. Remover ambas as agulhas; agitar o frasco e preparar a infusão de maneira normal.
Nota: Para preservar a esterilidade19 do produto é importante não inserir a segunda agulha para liberar o gás antes do produto ser dissolvido.
Precauções  Farmacotécnicas:
As soluções do produto retém potência satisfatória por 18 horas, desde que conservadas até 25°C; ou por 7 dias, se guardadas sob refrigeração. A cor das soluções pode acentuar-se no decorrer do período de conservação. Ocasionalmente o produto pode ser estocado em temperatura até 30°C durante 2 meses. Proteger o produto da luz, quer sob a forma de pó, quer em solução. O produto é compatível com a grande maioria das soluções parenterais de uso comum. As soluções em concentrações de 1 mg/ml a 40 mg/ml, nos líquidos de infusão a seguir relacionados, podem ser conservadas por 18 horas até 25ºC, ou por 7 dias, quando sob refrigeração.
Soluções compatíveis com o produto:
Cloreto de sódio a 0,9%
Lactato20 de sódio M/6
Hartmann
Glicose21 a 5% e a 10%
Cloreto de sódio a 0,225% + glicose21 a 5%
Cloreto de sódio 0,45%  + glicose21 a 5%
Cloreto de sódio a 0,18%, + glicose21 a 4%
Cloreto de sódio a 0,9%, + glicose21 a 5%
Dextran 40 a 10% + glicose21 a 5%
Dextran 40 a 10% + cloreto de sódio a 0,9%
Dextran 70 a 6% + cloreto de sódio a 0,9%
Dextran 70 a 6% + glicose21 a 5%
O produto é menos estável na solução de bicarbonato de sódio (que não é recomendada como diluente) do que em outras soluções endovenosas. Em concentrações entre 0,05 mg/ml e 0,25 mg/ml em líquidos para diálise16 intraperitoneal (lactato20), o produto pode ser conservado durante  18 horas  até 25°C ou por 7 dias, sob refrigeração.
O produto mostra compatibilidade (durante 18 horas até 25°C ou por 7 dias sob refrigeração) quando misturado a 4 mg/ml com: fosfato sódico de hidrocortisona (1mg/ml em solução de cloreto de sódio a 0,9% ou solução de glicose21 a 5%), cefuroxima sódica (3mg/ml em solução de cloreto de sódio a 0,9%), cloxaciclina sódica (4mg/ml, em solução de cloreto de sódio a 0,9%), heparina (10U/ml ou 50U/ml em solução de cloreto de sódio a 0,9%), cloreto de potássio (10 ou 40mEq/l em solução de cloreto de sódio a 0,9%).
A mistura de uma solução do produto (500 mg em 1,5 ml de água estéril para injeções com uma solução injetável de metronidazol 500 mg em 100 ml), mantém sua atividade por 18 horas até 25°C ou por 7 dias sob refrigeração. O produto não deve ser misturado a aminoglicosídeos na mesma seringa17 ou mesmo equipo.
Foram relacionadas precipitações quando foi adicionada vancomicina à solução de Ceftazidima. Por isso, é prudente evitar o contato entre as duas soluções quando administradas paralelamente.
A solução do produto para uso intramuscular pode ser reconstituída com cloridrato de  lidocaína a 0,5 - 1,0%, podendo a solução resultante ser conservada por 18 horas até 25°C ou por 7 dias, sob refrigeração.
As soluções variam do amarelo-claro ao âmbar, dependendo da concentração, do diluente e das condições de conservação. Seguidas as recomendações preconizadas, a potência do produto não é afetada pelas variações na coloração.
A solução constituída com água estéril para injeção3 e congeladas imediatamente após constituição, em sua embalagem original, tem um período de estocagem máxima de 3 meses a -20°C; e a solução após descongelamento possui um período máximo de estocagem de 8 horas em temperatura até 28°C e 4 dias sob refrigeração.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
3 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Trato Urinário:
6 Imunossupressão: Supressão das reações imunitárias do organismo, induzida por medicamentos (corticosteroides, ciclosporina A, etc.) ou agentes imunoterápicos (anticorpos monoclonais, por exemplo); que é utilizada em alergias, doenças autoimunes, etc. A imunossupressão é impropriamente tomada por alguns como sinônimo de imunodepressão.
7 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
9 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
10 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
11 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
12 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
13 Mmol/L: Milimols por litro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
14 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
15 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
16 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
17 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
18 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
19 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.
20 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
21 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.

Tem alguma dúvida sobre POSOLOGIA CETAZ IM/IV?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.