INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS EMLA DISCO

Atualizado em 25/05/2016

EMLA (lidocaina-prilocaina) pode acentuar a formação de metemoglobina em pacientes medicados com outras drogas que induzam metemoglobinemia, como as sulfonamidas; acetaminofeno (quando em uso crônico1); cloroquina; dapsona; nitratos e nitritos, incluindo nitrofurantoína, nitroglicerina e nitroprussiato ácido para-aminossalicílico; fenobarbital; fenitoína; primaquina; acetanilida; corante da anilina (ver Reações adversas). Lidocaína-prilocaína deve ser usada com precaução em pacientes recebendo drogas antiarrítmicas classe 1 (tais como tocainida a maxiletina), uma vez que os efeitos tóxicos são aditivos. Com altas doses de EMLA (lidocaína-prilocaína), deve-se considerar o risco de ocorrer efeito tóxico sistêmico2 adicional em pacientes que receberam outros anestésicos locais ou substâncias estruturalmente relacionadas, como, por exemplo, a tocainida.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
2 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.

Tem alguma dvida sobre INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS EMLA DISCO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.