PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS ENDRONAX

Atualizado em 25/05/2016

Assim como outros bifosfonatos, o alendronato de sódio pode causar irritação local da mucosa1 do trato gastrintestinal superior2.
Experiências adversas no esôfago3 tais como esofagite4, úlceras5 e erosões esofágicas, raramente seguidas de estenose6 esofágica, foram relatadas em pacientes tratadas com alendronato de sódio, requerendo hospitalização em alguns casos. Portanto, deve-se estar atento a quaisquer sinais7 ou sintomas8 que indiquem uma possível reação esofágica. As pacientes devem ser orientadas a descontinuar o uso do medicamento e procurar ajuda médica se apresentarem disfagia9, odinofagia10, dor retroesternal, pirose11 ou agravamento de pirose11 preexistente, dificuldade e dor ao engolir.
Foi observado uma maior incidência12 de reações esofágicas graves em pacientes que não seguiram corretamente os cuidados de administração. Portanto, a paciente deverá ser orientada a tomar ENDRONAX® com um copo cheio de água (não pode ser outro líquido) para assegurar sua chegada ao estômago13, permanecer em posição ereta por no mínimo 30 minutos, após a ingestão de ENDRONAX®, e até que faça a primeira refeição do dia. Não ingerir com água mineral. A paciente também deverá ser alertada a não fazer a tomada de ENDRONAX® ao deitar-se, ou antes de se levantar. As pacientes também não deverão chupar ou mastigar os comprimidos devido ao potencial de ulceração14 orofaríngea15.
No caso de a paciente esquecer-se de tomar sua dose semanal de ENDRONAX® 70 mg, ela deverá ser orientada a tomá-la na manhã do dia seguinte ao que ela se lembrou. As pacientes não deverão tomar 2 comprimidos no mesmo dia, mas devem voltar a tomar um comprimido por semana, no mesmo dia que havia sido escolhido inicialmente.
O uso do alendronato de sódio em pacientes com insuficiência renal16 grave não é recomendado (depuração da creatinina17 plasmática < 35 mL/min) (veja POSOLOGIA e
ADMINISTRAÇÃO).
Hipocalcemia18 e outros distúrbios do metabolismo19 mineral, tal como deficiência de vitamina20 D, devem ser tratados antes do início da terapia com ENDRONAX®.
Uso na gravidez21 e amamentação22 O alendronato de sódio não pode ser utilizado em mulheres grávidas ou que estejam amamentando, por não ter sido estudado nesses grupos.
Uso em pediatria
Não foram realizados estudos sobre a eficácia e segurança do uso do produto em crianças. O alendronato de sódio não deve ser utilizado em crianças.
Uso em idosos
Em estudos clínicos com o alendronato de sódio, não houve diferenças nos perfis de eficácia e segurança relacionados à idade. A posologia não necessita ser modificada em idosos.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
2 Trato Gastrintestinal Superior: O segmento do TRATO GASTROINTESTINAL que inclui o ESÔFAGO, o ESTÔMAGO e o DUODENO.
3 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
4 Esofagite: Inflamação da mucosa esofágica. Pode ser produzida pelo refluxo do conteúdo ácido estomacal (esofagite de refluxo), por ingestão acidental ou intencional de uma substância tóxica (esofagite cáustica), etc.
5 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
6 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Disfagia: Sensação consciente da passagem dos alimentos através do esôfago. Pode estar associado a doenças motoras, inflamatórias ou tumorais deste órgão.
10 Odinofagia: Deglutição com dor.
11 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
12 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
13 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
14 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
15 Orofaríngea: Relativo à orofaringe.
16 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
17 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
18 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
19 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
20 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
21 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
22 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS ENDRONAX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.