VERRUGA PLANTAR BLAUFERON B

Atualizado em 28/05/2016
5 M.U.I. diariamente durante uma semana, seguidos por 5 M.U.I. na metade da semana e 5 M.U.I. duas vezes por semana durante as sete semanas adicionais. O tratamento se acelera significativamente se combinado com radioterapia1 superficial 1,5 Gy dia na metade da semana durante três semanas.Hepatites2 Virais:
Necrose3 hepática4 subaguda5:

12 a 15 M.U.I. durante 3 a 5 dias, por via intraperitoneal ou intramuscular, seguidos de 5 M.U.I ao dia, por via intramuscular. Este tratamento deverá continuar até o desaparecimento da enfermidade e dos marcadores virais, que costuma ocorrer em um mês e excepcionalmente ao final de três meses.
Deficiência hepática4 viral aguda neonatal:
1 ou 2 M.U.I. (se a criança é maior ou menor de 2 meses respectivamente) por dia intraperitonealmente, durante uma semana. Na segunda semana deve ser administrada a mesma dose intramuscularmente e de acordo com a evolução do paciente, a freqüência de administração pode ser reduzida até três vezes por semana, desde a terceira semana. O tratamento continua até que os marcadores virais e a enfermidade sejam anulados.
Hepatite6 B aguda:
15 M.U.I. intraperitonealmente durante 3 dias ou 10 M.U.I. intramuscular durante 5 dias. O tratamento poderá continuar mediante a administração de 5 M.U.I. diárias de acordo com a evolução dos marcadores virais e da situação clínica.
Hepatite6 crônica ativa B:
Em adultos: 5 M.U.I. intramuscular diariamente durante duas semanas, após três vezes por semana, durante 4 semanas e duas vezes por semana, durante 16 semanas.
Em crianças: 3 M.U.I. intramuscular, três vezes por semana, durante 16 semanas. Se a criança é maior de 12 anos, a dose pode ser de 5 M.U.I.
Herpes Zoster7:
5 M.U.I. diariamente, durante 1 semana seguidos por 5 M.U.I. dia na metade da segunda semana, se necessário, combinada com a administração tópica do gel ou creme (1 M.U.I.) cada seis horas.
Vírus8 da Imunodeficiência9 Adquirida:
3 M.U.I., três vezes por semana, durante o período assintomático. Este tratamento deve ser continuado por tempo prolongado com controles hematológicos que incluem a presença de anticorpos10 anti-interferon alfa.
Em pacientes com Sarcoma de Kaposi11, recomenda-se 30 M.U.I. por dia. Se o diagnóstico12 for realizado precocemente, pode-se produzir a remissão total da doença ao final de seis semanas.
Leucemia13 mielóide crônica:
Após o estado de remissão obtido com quimioterapia14:
5 M.U.I., três vezes por semana, por 20 semanas.
3 M.U.I., três vezes por semana, incluíndo-se  os pacientes em remissão.
Linfoma15 Não-Hodgkin de grau médio e baixo:
Após a resposta obtida com poliquimioterapia, 5 M.U.I., três vezes por semana, durante 1 ano ou mais.
Leucemia13 de células16 pilosas:
Dose inicial: 3 M.U.I. diárias, por via intramuscular, durante 16-24 semanas. Pode recorrer-se à administração subcutânea17 nos pacientes trombocitopênicos (com menos de 50.000 plaquetas18) ou com risco de hemorragia19. Dose de manutenção: 3 M.U.I. por via intramuscular 3 vezes por semana.
Melanona Malígno: 10 M.U.I., por via intramuscular, três vezes por semana.
Sarcoma de Kaposi11 em pacientes com AIDS: Dose inicial: 30 M.U.I. diários, por via intramuscular. Dose de manutenção: 30 M.U.I., por via intramuscular, três vezes por semana.
Tumores sólidos:
Há diferentes esquemas de tratamento, desde alguns com baixas doses durante longos períodos de tempo, como em tumores carcinogênicos (3 a 5 M.U.I. diariamente ou três vezes por semana indefinidamente), a esquemas com maiores doses como em carcinoma20 metastásico a células16 renais (ciclos de três a quatro semanas com 5-15 M.U.I./dia).
Caso surjam reações adversas, a dose deverá ser modificada, ou o tratamento deverá ser temporariamente suspenso, até o seu desaparecimento. Caso ocorra intolerância persistente ou recidivante21 ou evolução da doença após o reajuste posológico adequado, o tratamento com BLAUFERON-B® deverá ser descontinuado. A critério médico, o paciente poderá auto-administrar a dose. O material diluído, assim como todos os medicamentos de uso parenteral, devem ser inspecionados e revisados antes da administração, principalmente quanto à presença de partículas e descoloração.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
2 Hepatites: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
3 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
4 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
5 Subaguda: Levemente aguda ou que apresenta sintomas pouco intensos, mas que só se atenuam muito lentamente (diz-se de afecção ou doença).
6 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
7 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
8 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
9 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
10 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
11 Sarcoma de Kaposi: Câncer originado de células do tecido vascular, freqüentemente associado à AIDS. Manifesta-se por lesões vermelho-violáceas em diferentes territórios cutâneos e mucosos.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
14 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
15 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
18 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
19 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
20 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
21 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.

Tem alguma dúvida sobre VERRUGA PLANTAR BLAUFERON B?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.