INFORMAÇÕES TÉCNICAS PREMARIN

Atualizado em 28/05/2016
Descrição
Premarin® (estrogênios conjugados naturais) creme vaginal é uma mistura de estrogênios obtidos de fontes exclusivamente naturais (urina1 de éguas prenhes). Contém sais sódicos dos ésteres sulfatados hidrossolúveis de estrona, equilina e 17-alfa-diidroequilina, bem como quantidades menores de 17-alfa-estradiol, equilenina, 17-alfa-diidroequilenina, 17-beta-estradiol, delta-8,9-diidroestrona, 17-beta-diidroequilina e 17-beta-diidroequilenina.
Farmacologia2 Clínica
Os estrogênios são importantes no desenvolvimento e manutenção do sistema reprodutor feminino e dos caracteres sexuais secundários. Promovem o crescimento e desenvolvimento da vagina3, útero4, trompas de Falópio e aumento das mamas5. Indiretamente, contribuem na conformação da estrutura óssea, manutenção do tônus e da elasticidade6 das estruturas urogenitais, alterações nas epífises7 dos ossos longos8, que condicionam o pico de crescimento da puberdade até seu término, o crescimento de pêlos axilares e pubianos, e a pigmentação dos mamilos9 e genitais. A diminuição da atividade estrogênica no fim do ciclo menstrual pode ocasionar a menstruação10, embora a interrupção da secreção de progesterona seja o fator mais importante no ciclo com ovulação11. Entretanto, no ciclo pré-ovulatório ou anovulatório, o estrogênio é o determinante primário no início da menstruação10. Os estrogênios também afetam a liberação de gonadotropinas hipofisárias.
Os efeitos farmacológicos dos estrogênios conjugados naturais são similares àqueles dos estrogênios endógenos. Eles são hidrossolúveis e bem absorvidos pelo trato gastrintestinal. Nos tecidos-alvo (órgãos genitais femininos12, mamas5, hipotálamo13, hipófise14), os estrogênios penetram na célula15 e são transportados para dentro do núcleo. Como resultado da ação estrogênica, ocorre a síntese de RNA e proteínas16 específicas.
O metabolismo17 e a inativação ocorrem principalmente no fígado18. Alguns estrogênios são excretados através da bile19, entretanto, são reabsorvidos no intestino, retornando ao fígado18 através do sistema venoso20 porta. Estrogênios conjugados hidrossolúveis encontram-se em sua maioria ionizados nos líquidos corporais, o que favorece a eliminação através dos rins21, uma vez que a reabsorção tubular é mínima.
Premarin® (estrogênios conjugados naturais) creme vaginal tem demonstrado ser efetivo na reversão de alterações atróficas22 associadas à deficiência estrogênica.
Farmacodinâmica e Eficácia Clínica
Dois subgrupos do estudo WHI (Women's Health Initiative) incluíram um total de 27.000 mulheres saudáveis na pós-menopausa23 para avaliar os riscos e os benefícios da TRE ou da TRH prolongada (estrogênios conjugados eqüinos isoladamente [0,625 mg por dia] ou estrogênios conjugados eqüinos combinados a acetato de medroxiprogesterona [0,625 mg/2,5 mg por dia]) em comparação ao placebo24 na prevenção de certas doenças crônicas. O objetivo primário foi a incidência25 de doença cardíaca coronariana (DCC) (infarto do miocárdio26 não-fatal e óbito27 por DCC), sendo o câncer28 de mama29 invasivo o evento adverso primário estudado. Um "índice global" incluiu a ocorrência de um dos 2 eventos primários associados a acidente vascular cerebral30 (AVC), embolia31 pulmonar (EP), câncer28 endometrial, câncer28 colorretal, fratura32 de quadril e óbito27 por outras causas. O estudo não avaliou os efeitos da TRH sobre os sintomas33 da menopausa23.
O subgrupo do estudo com TRH foi interrompido precocemente porque, de acordo com regras pré-definidas, o aumento do risco de câncer28 de mama29 e eventos cardiovasculares excederam os benefícios a longo prazo especificados no "índice global". A tabela a seguir mostra os resultados deste subgrupo do estudo de estrogênio combinado a progestogênio, o qual incluiu 16.608 mulheres (média idade de 63 anos, variando de 50 a 79 anos) com um seguimento médio de 5,2 anos:
RISCO RELATIVO E NÚMERO DE EVENTOS NO SUBGRUPO DO ESTUDO WHI DE ESTROGÊNIO + PROGESTOGÊNIOa
Evento Risco RelativoTRH vs placeboem 5,2 Anos(IC* de 95%) Placebon = 8.102 TRHn = 8.506
Nº de eventos por 10.000 mulheres-anos
Eventos de DCC Infarto do Miocárdio26 não-fatal Óbito27 por DCC 1,29 (1,02-1,63)1,32 (1,02-1,72)1,18 (0,70-1,97) 30236 37307
Câncer28 de mama29 invasivob 1,26 (1,00-1,59) 30 38
Acidente vascular cerebral30 1,41 (1,07-1,85) 21 29
Embolia31 pulmonar 2,13 (1,39-3,25) 8 16
Câncer28 colorretal 0,63 (0,43-0,92) 16 10
Câncer28 endometrial 0,83 (0,47-1,47) 6 5
Fratura32 de quadril 0,66 (0,45-0,98) 15 10
Óbito27 por causas diferentes dos eventos acima citados 0,92 (0,74-1,14) 40 37
Índice Global 1,15 (1,03-1,28) 151 170
Trombose34 venosa profundac 2,07 (1,49-2,87) 13 26
Fraturas vertebraisc 0,66 (0,44-0,98) 15 9
Outras fraturas osteoporóticasc 0,77 (0,69-0,86) 170 131
a adaptado da Revista JAMA, 2002; 288:321-333
b inclui câncer28 de mama29 metastático e não-metastático, com exceção do câncer28 de mama29 in situ35
c não incluído no Índice Global
* intervalos de confiança não-ajustados para múltiplos aspectos e comparações múltiplas. Exceto para trombose venosa profunda36 e outras fraturas osteoporóticas, com base em intervalos de confiança ajustados, os riscos relativos não foram estatisticamente significantes.
O aumento do número de eventos por 10.000 mulheres-ano atribuíveis ao estrogênio combinado ao progestogênio foi de 7 eventos a mais de DCC, 8 de AVCs, 8 de EPs e 8 casos de câncer28 de mama29 invasivo, ao passo que a redução do número de eventos por 10.000 mulheres-ano foi de menos 6 casos de câncer28 colorretal e menos 5 fraturas de quadril. O aumento do número de evento incluído no "índice global" foi de 19 por 10.000 mulheres-ano. Não houve diferença entre os grupos em termos de mortalidade37 por todas as causas.
O subgrupo do estudo WHI com estrogênio isoladamente em mulheres histerectomizadas ainda está em andamento.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
2 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
3 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
4 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
5 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
7 Epífises: Extremidade dilatada dos ossos longos, separada da parte média pelo disco epifisário (até o crescimento ósseo cessar). Neste período, o disco desaparece e a extremidade se une à parte média do osso.
8 Ossos longos: Exemplo: Fêmur
9 Mamilos: Órgãos cônicos os quais usualmente fornecem passagem ao leite proveniente das glândulas mamárias.
10 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
11 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
12 Genitais Femininos: Órgãos reprodutores femininos. Os órgãos externos icluem a VULVA, as GLÂNDULAS VESTIBULARES MAIORES e o CLITÓRIS. Os internos incluem a VAGINA, o ÚTERO, os OVÁRIOS e as TUBAS UTERINAS.
13 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
14 Hipófise:
15 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
16 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
17 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
18 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
19 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
20 Sistema venoso: O sistema venoso possui a propriedade de variação da sua complacência, para permitir o retorno de um variável volume sanguíneo ao coração e a manutenção de uma reserva deste volume.
21 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
22 Atróficas: Relativas à atrofia, atrofiada. Que atrofiam; que minguam, atrofiadoras, atrofiantes. Que se tornam mais debilitadas e menos intensas.
23 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
24 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
25 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
26 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
27 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
28 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
29 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
30 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
31 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
32 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
33 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
34 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
35 In situ: Mesmo que in loco , ou seja, que está em seu lugar natural ou normal (diz-se de estrutura ou órgão). Em oncologia, é o que permanece confinado ao local de origem, sem invadir os tecidos vizinhos (diz-se de tumor).
36 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
37 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.

Tem alguma dúvida sobre INFORMAÇÕES TÉCNICAS PREMARIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.