REAÇÕES ADVERSAS SEROQUEL

Atualizado em 28/05/2016
Tratamento com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina) podeestar associado a astenia1 leve, boca2 seca (7%), rinite3, dispepsia4
ou constipação5 (9%). Sonolência (17,5%) pode ocorrer, normalmente
durante as primeiras duas semanas de tratamento,
a qual geralmente é resolvida com a administração continuada
de SEROQUEL® (fumarato de quetiapina).
Hipersensibilidade, incluindo angiodema, foi relatada muito
raramente.
Assim como outros antipsicóticos, SEROQUEL® (fumarato de
quetiapina) pode estar associado a ganho de peso limitado,
predominantemente durante as primeiras semanas de tratamento.
Assim como outros antipsicóticos com atividade bloqueadora
alfa-1-adrenérgica, SEROQUEL® (fumarato de quetiapina)
pode induzir hipotensão6 ortostática (7%), associada a vertigem7
(10%), taquicardia8 e síncope9 em alguns pacientes. Esses
eventos ocorrem especialmente durante a fase inicial de
titulação da dose (ver item Precauções e Advertências).
Existem relatos ocasionais de convulsões em pacientes tratados
com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina), embora a
freqüência não tenha sido maior do que a observada em
pacientes que receberam placebo10 em estudos clínicos controlados
(ver item Precauções e Advertências).
Há relatos muito raros de priapismo11 em pacientes tratados
com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina).
Assim como outros agentes antipsicóticos, foram relatados
casos raros de possível síndrome12 neuroléptica maligna em
pacientes tratados com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina)
(ver item Precauções e Advertências).
Assim como outros agentes antipsicóticos, leucopenia13 e/ou
neutropenia14 foram observadas em pacientes tratados com
SEROQUEL® (fumarato de quetiapina). Não há casos reportados
em estudos clínicos controlados com SEROQUEL® (fumarato
de quetiapina) de neutropenia14 grave persistente ou
agranulocitoses. Durante experiência pós-comercialização,
a resolução da leucopenia13 e/ou neutropenia14 tem ocorrido
após o término da terapia com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina).
Os possíveis fatores de risco para leucopenia13 e/ou
neutropenia14 incluem diminuição preexistente da contagem de
células15 brancas e história de leucopenia13 e/ou neutropenia14
induzida por fármacos.
Ocasionalmente foi observada eosinofilia16.
Assim como outros agentes antipsicóticos, casos raros de
edema17 periférico têm sido reportados em pacientes tratados
com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina).
Elevações assintomáticas nos níveis de transaminases séricas
(alanina aminotransferase, aspartato aminotransferase) ou nos
níveis de gama-GT foram observadas em alguns pacientes
recebendo SEROQUEL® (fumarato de quetiapina). Geralmente,
estes aumentos foram reversíveis no decorrer do tratamento.
Fora do jejum, pequenas elevações dos níveis de triglicérides18
séricos e colesterol19 total foram observadas durante tratamento
com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina).
O tratamento com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina) foi
associado com pequenas diminuições relacionadas à dose
dos níveis de hormônios da tireóide, particularmente T4 total e
T4 livre. A redução no T4 total e livre foi máxima nas primeiras
2 a 4 semanas de tratamento com SEROQUEL® (fumarato de
quetiapina), sem redução adicional durante o tratamento a longo
prazo. Em quase todos os casos, a interrupção do tratamento
com SEROQUEL® (fumarato de quetiapina) esteve associado
à reversão dos efeitos sobre T4 total e livre, independente
da duração do tratamento. Pequenas diminuições no T3
total e T3 reverso foram observadas somente com altas doses.
Os níveis de tireoglobulinas (TBG) foram inalterados e não
foram observados aumentos no TSH, sem a indicação de que
SEROQUEL® (fumarato de quetiapina) causa hipotiroidismo
clinicamente relevante.
Assim como outros antipsicóticos, SEROQUEL® (fumarato de
quetiapina) pode causar prolongamento do intervalo QTc, mas
em ensaios clínicos20 isto não esteve associado ao aumento
persistente (ver item Precauções e Advertências).
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
2 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
3 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
4 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
5 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
6 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
7 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
8 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
9 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
10 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
11 Priapismo: Condição, associada ou não a um estímulo sexual, na qual o pênis ereto não retorna ao seu estado flácido habitual. Essa ereção é involuntária, duradora (cerca de 4 horas), geralmente dolorosa e potencialmente danosa, podendo levar à impotência sexual irreversível, constituindo-se numa emergência médica.
12 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
13 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
14 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
15 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
16 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
17 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
18 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
19 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
20 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.

Tem alguma dúvida sobre REAÇÕES ADVERSAS SEROQUEL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.