POSOLOGIA E MODO DE USAR SEROQUEL

Atualizado em 28/05/2016
SEROQUEL® (fumarato de quetiapina) deve ser administrado duas
vezes ao dia, com ou sem alimento.
Adultos
A dose total diária para os quatro dias iniciais do tratamento é 50 mg
(dia 1), 100 mg (dia 2), 200 mg (dia 3) e 300 mg (dia 4).
A partir do 4º dia de tratamento, a dose deve ser ajustada até atingir
a faixa considerada eficaz de 300 a 450 mg/dia. Dependendo da
resposta clínica e tolerabilidade de cada paciente, a dose pode ser
ajustada na faixa de 150 a 750 mg/dia.
Pacientes idosos
Assim como outros antipsicóticos, SEROQUEL® (fumarato de quetiapina)
deve ser usado com cautela no paciente idoso, especialmente
durante o período inicial. Pode ser necessário ajustar a dosagem
mais lentamente e a dose terapêutica1 diária pode ser menor do que
a usada por pacientes jovens, dependendo da resposta clínica e da
tolerabilidade de cada paciente. A depuração plasmática média de
quetiapina foi reduzida em 30% a 50% em pacientes idosos quando
comparados com pacientes jovens. O tratamento deve ser iniciado
com 25 mg/dia de SEROQUEL® (fumarato de quetiapina), aumentando
a dose diariamente em incrementos de 25 a 50 mg, até atingir
a dose eficaz, que provavelmente será menor que a dose para pacientes2
mais jovens.
Crianças e adolescentes
A segurança e a eficácia de SEROQUEL® (fumarato de quetiapina)
não foram avaliadas em crianças e adolescentes.
Pacientes com insuficiência renal3
Não é necessário ajuste de dose.
Pacientes com insuficiência hepática4
A quetiapina é extensivamente metabolizada pelo fígado5 e, portanto,
deve ser usada com cautela em pacientes com insuficiência hepática4
conhecida, especialmente durante o período inicial.
Pacientes com insuficiência hepática4 devem iniciar o tratamento com
25 mg/dia de SEROQUEL® (fumarato de quetiapina), aumentando a
dose diariamente em incrementos de 25 a 50 mg, até atingir a dose
eficaz, dependendo da resposta clínica e da tolerabilidade de cada
paciente.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
2 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
3 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
4 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
5 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.

Tem alguma dúvida sobre POSOLOGIA E MODO DE USAR SEROQUEL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.