FARMACOCINÉTICA FLUTICAPS

Atualizado em 28/05/2016
Após a administração por via inalatória, a biodisponibilidadesistêmica absoluta do propionato de fluticasona é
estimada em 13,5% para o pó seco. A absorção sistêmica
do propionato de fluticasona ocorre principalmente através
dos pulmões1, e é inicialmente rápida e posteriormente
prolongada. A ligação à proteína plasmática é de 91%.
O propionato de fluticasona sofre intensa ação da enzima2
CPY34A, sendo quase completamente metabolizado na
sua 1ª passagem pelo fígado3 a um metabólito4 carboxílico
inativo.
O propionato de fluticasona é intensamente distribuído
(Vd aproximado de 300 L) e possui um clearance plasmático
elevado (Cl estimado 1,1 L/min), indicando uma
eliminação hepática5 intensa. A concentração plasmática
máxima é reduzida a aproximadamente 98% em 3-4 horas,
e apenas baixas concentrações plasmáticas estão
associadas à meia-vida terminal, que é aproximadamente
de 8 horas.
A biodisponibilidade oral absoluta é desprezível (<1%)
devido a combinação da absorção incompleta pelo trato
gastrintestinal e o intenso metabolismo6 de primeira passagem.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
2 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
3 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
4 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
5 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
6 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.

Tem alguma dúvida sobre FARMACOCINÉTICA FLUTICAPS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.