ADVERTÊNCIAS KEFALOMAX IV/IM

Atualizado em 28/05/2016

ANTES QUE A TERAPIA COM CEFALOTINA SEJA INSTITUÍDA DEVE-SE FAZER UMA PESQUISA CUIDADOSA QUANTO A REAÇÕES ANTERIORES DE HIPERSENSIBILIDADES ÀS CEFALOSPORINAS, PENICILINAS, DERIVADOS DA PENICILINA E PENICILAMINA.

REAÇÕES AGUDAS E GRAVES DE HIPERSENSIBILIDADE PODEM REQUERER EPINEFRINA (ADRENALINA1) E OUTRAS MEDIDAS DE EMERGÊNCIA2.

HÁ ALGUMA EVIDÊNCIA CLÍNICA E LABORATORIAL DE ALERGENICIDADE CRUZADA PARCIAL ENTRE AS PENICILINAS E AS CEFALOSPORINAS. PACIENTES TÊM DEMONSTRADO REAÇÕES GRAVES (INCLUINDO ANAFILAXIA3) A AMBAS AS DROGAS.

QUALQUER PACIENTE QUE TENHA DEMONSTRADO ALGUMA FORMA DE ALERGIA4, PARTICULARMENTE A DROGAS, DEVE RECEBER ANTIBIÓTICOS CAUTELOSAMENTE E QUANDO ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO.

FOI RELATADA COLITE5 PSEUDOMENBRANOSA COM TODOS OS ANTIBIÓTICOS DE AMPLO ESPECTRO, PORTANTO, É IMPORTANTE CONSIDERAR ESTE DIÁGNÓSTICO EM PACIENTES QUE APRESENTAREM DIARRÉIA6 ASSOCIADA O USO DE ANTIBIÓTICO.

ESSAS COLITES PODEM VARIAR EM GRAVIDADE DE LEVE A GRAVÍSSIMA.

O TRATAMENTO COM ANTIBIÓTICO DE AMPLO ESPECTRO ALTERA A FLORA NORMAL DO CÓLON7 E PODE PERMITIR O CRESCIMENTO DE CLOSTRÍDEOS. OS ESTUDOS INDICAM QUE A TOXINA8 PRODUZIDA PELO CLOSTRIDIUM DIFFICILE É A CAUSA PRINCIPAL DE COLITE5 ASSOCIADA AO USO DE ANTIBIÓTICO.

CASOS LEVES DE COLITE5 PSEUDOMEMBRANOSA USUALMENTE RESPONDEM SÓ COM A INTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO. EM CASOS DE COLITE5 MODERADA A GRAVE, O TRATAMENTO DEVE INCLUIR SIGMOIDOSCOPIA, ESTUDOS BACTERIOLÓGICOS APROPRIADOS E SUPLEMENTAÇÃO9 DE LÍQUIDOS, ELETRÓLITOS10 E PROTEÍNAS11. QUANDO NÃO HÁ MELHORA APÓS A INTERRUPÇÃO DA DROGA OU QUANDO A COLITE5 É GRAVE, A VANCOMICINA ORAL É A DROGA DE ESCOLHA PARA O TRATAMENTO DE COLITE5 PSEUDOMEMBRANOSA CAUSADA POR CLOSTRIDIUM DIFFICILE, ASSOCIADA AO USO DE ANTIBIÓTICO, OUTRAS CAUSAS DE COLITE5 DEVEM SER EXCLUÍDAS.

A ADMINISTRAÇÃO INAPROPRIADA DE ALTAS DOSES DE CEFALOSPORINAS PARENTERAIS PODE CAUSAR CONVULSÕES, PARTICULARMENTE EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL12.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
2 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
3 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
4 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
5 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
6 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
7 Cólon:
8 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
9 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
10 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
11 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
12 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.

Tem alguma dúvida sobre ADVERTÊNCIAS KEFALOMAX IV/IM?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.