CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS NOVALGINA INJETAVEL

Atualizado em 24/05/2016

Propriedades farmacodinâmicas
A dipirona sódica é um derivado pirazolônico não-narcótico com efeitos analgésico1 e antipirético2.
O seu mecanismo de ação não se encontra completamente investigado. Alguns dados indicam
que a dipirona sódica e seu principal metabólito3 (4-N-metilaminoantipirina) possuem mecanismo
de ação central e periférico combinados.

Propriedades farmacocinéticas
A farmacocinética da dipirona sódica e de seus metabólitos4 não está completamente
investigada, porém as seguintes informações podem ser fornecidas:

Após administração oral, a dipirona sódica é completamente hidrolisada em sua porção ativa, 4-N-metilaminoantipirina (MAA). A biodisponibilidade absoluta do MAA é de aproximadamente
90%, sendo um pouco maior após administração oral quando comparada à administração
intravenosa. A farmacocinética do MAA não é extensivamente alterada quando a dipirona
sódica é administrada concomitantemente a alimentos.

Principalmente o MAA, mas também o 4-aminoantipirina (AA), contribuem para o efeito clínico.
Os valores de AUC para AA constituem aproximadamente 25% do valor de AUC para MAA. Os
metabólitos4 4-N-acetilaminoantipirina (AAA) e 4-N-formilaminoantipirina (FAA) parecem não
apresentar efeito clínico. São observadas farmacocinéticas não-lineares para todos os
metabólitos4. São necessários estudos adicionais antes que se chegue a uma conclusão sobre o
significado clínico destes resultados. O acúmulo de metabólitos4 apresenta pequena relevância
clínica em tratamentos de curto prazo.

O grau de ligação às proteínas5 plasmáticas é de 58% para MAA, 48% para AA, 18% para FAA
e 14% para AAA.

Após administração intravenosa, a meia-vida plasmática é de aproximadamente 14 minutos
para a dipirona sódica. Aproximadamente 96% e 6% da dose radiomarcada administrada por
via intravenosa foram excretadas na urina6 e fezes, respectivamente. Foram identificados 85%
dos metabólitos4 que são excretados na urina6, quando da administração oral de dose única,
obtendo-se 3% ± 1% para MAA, 6% ± 3% para AA, 26% ± 8% para AAA e 23% ± 4% para FAA.
Após administração oral de dose única de 1 g de dipirona sódica, o “clearance” renal7 foi de 5
mL ± 2 mL/min para MAA, 38 mL ± 13 mL/min para AA, 61 mL ± 8 mL/min para AAA, e 49 mL ±
5 mL/min para FAA. As meias-vidas plasmáticas correspondentes foram de 2,7 ± 0,5 horas para MAA, 3,7 ± 1,3 horas para AA, 9,5 ± 1,5 horas para AAA, e 11,2 ± 1,5 horas para FAA.

Em idosos, a exposição (AUC) aumenta 2 a 3 vezes. Em pacientes com cirrose8 hepática9, após
administração oral de dose única, a meia-vida de MAA e FAA aumentou 3 vezes (10 horas),
enquanto para AA e AAA este aumento não foi tão marcante.

Pacientes com insuficiência renal10 não foram extensivamente estudados até o momento. Os
dados disponíveis indicam que a eliminação de alguns metabólitos4 (AAA e FAA) é reduzida.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
2 Antipirético: Medicamento que reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, ele não vai afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
3 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
4 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
5 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.

Tem alguma dúvida sobre CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS NOVALGINA INJETAVEL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.