INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS CORGARD

Atualizado em 24/05/2016

AnestésicosOs beta-bloqueadores podem agravar a hipotensão1 induzida por anestésicos gerais (vide ADVERTÊNCIAS - Cirurgias de grande porte).

Drogas antidiabéticas (agentes orais e insulina2)
Hipo ou hiperglicemia3; ajuste de dosagem das drogas antidiabéticas de acordo (vide ADVERTÊNCIAS - Diabetes4 e Hipoglicemia5).

Agentes antimuscarínicos
Podem inibir a bradicardia6 provocada por beta-bloqueadores.

Bloqueadores dos canais de cálcio
Geralmente potencializam os efeitos farmacológicos dos beta-bloqueadores. Pacientes tomando ambos os agentes devem ser monitorados cuidadosamente com relação a eventos cardiovasculares diversos (hipotensão1, bradicardia6, defeitos da condução, parada cardíaca).

Drogas depletoras de catecolaminas (p. ex., reserpina)
Efeitos aditivos; monitorar rigorosamente na evidência de hipotensão1 e/ou bradicardia6 excessiva (p. ex., vertigem7, síncope8, hipotensão1 postural).

Outros agentes antiarrítmicos
Podem ocorrer efeitos aditivos ou antagonistas e efeitos tóxicos aditivos.

Outros agentes anti-hipertensivos/ diuréticos9
Estabelecer cuidadosamente os efeitos aditivos.

Lidocaína, I.V.
Redução significativa do "clearance" de lidocaína pode ocorrer quando há administração concomitante de beta-bloqueadores.

Inibidores da MAO10
Casos isolados de bradicardia6 ocorreram durante o uso de beta-bloqueadores e inibidores da MAO10.

Agentes antiinflamatórios não-esteroidais
Os efeitos anti-hipertensivos dos beta-bloqueadores podem ser reduzidos durante a administração conjunta de indometacina e possivelmente de outros agentes antiinflamatórios não-esteroidais.

Fenotiazinas e outros agentes antipsicóticos
Efeitos anti-hipertensivos aditivos ocorrem quando se administra outros agentes beta-bloqueadores e fenotiazinas ou haldol.

Agentes vasoconstritores
Os efeitos podem ser aditivos, p. ex., com alcalóides do Ergot.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
2 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
3 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
4 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
5 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
6 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
7 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
8 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
9 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
10 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.

Tem alguma dvida sobre INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS CORGARD?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.