PRECAUÇÕES GERAIS DAUNOCIN

Atualizado em 28/05/2016

Daunocin causa leucopenia1 em todos os pacientes. Assim, é imprescindível o monitoramento das células2 brancas, células2 vermelhas e plaquetas3. O nadir (ponto mais baixo, onde ocorre a maior depressão) da contagem de leucócitos4 ocorre em torno de 10 a 14 dias após a administração da dose. A recuperação costuma ocorrer em 21 dias após a administração da dose. Daunocin não deve ser utilizado em pacientes com mielossupressão preexistente, a menos que os possíveis benefícios com o tratamento superem os riscos. Mielossupressão persistente pode causar superinfecção5 ou hemorragia6.Medidas apropriadas devem ser tomadas para controlar qualquer infecção7 sistêmica antes da administração de Daunocin.
Deve-se dar atenção especial à cardiotoxicidade de Daunocin. Crianças e idosos estão mais sujeitos a esse efeito. Doenças cardíacas preexistentes e tratamento anterior com doxorrubicina são fatores que aumentam o risco de cardiotoxicidade de Daunocin. A relação risco/benefício deve ser cuidadosamente avaliada na escolha da terapia com Daunocin para esses pacientes.
Em adultos, com doses totais cumulativas inferiores a 550mg/m2, raramente foi observada insuficiência cardíaca congestiva8 (ICC). Contudo, alguns casos de pericardite9 e miocardite10 não relacionados à dose foram observados.
Doses cumulativas excedendo 550mg/m2, em adultos, aumentam a incidência11 de ICC.
As crianças são mais suscetíveis a apresentarem cardiotoxicidade por medicamentos do grupo dos antraciclínicos. A influência da dose na toxicidade12 em crianças está mais especificada. A terapia com antraciclínicos em crianças pode prejudicar a sístole ventricular13 esquerda, reduzir a contratibilidade, levar à ICC ou morte. Essas condições podem ocorrer meses ou anos após o término da quimioterapia14. Esses efeitos parecem ser dose-dependentes e são agravados por radiação torácica. Dessa maneira, esses pacientes devem ter a evolução da função cardíaca monitorada por um longo período. Tanto em adultos como em crianças, a dose total de Daunocin a ser administrada deve considerar outras terapias prévias ou concomitantes com outros agentes com potenciais cardiotóxicos ou compostos relacionados, como a doxorrubicina.
Não existe nenhum método confiável para prever quais pacientes vão apresentar ICC aguda como efeito cardiotóxico de Daunocin. Contudo, algumas mudanças no eletrocardiograma15 (ECC) e diminuição da fração de ejeção sistólica, em relação aos valores apurados antes do tratamento, podem ajudar a reconhecer pacientes que têm risco maior de apresentarem ICC. Observando o ECC, uma diminuição maior ou igual a 30‰ no vetor limite de QRS tem sido associada a um risco acentuado de cardiomiopatia induzida pela droga. Assim, o ECC e/ou determinação da fração de ejeção sistólica deve ser realizado antes de cada dose de Daunocin.
O diagnóstico16 precoce de ICC induzida pela droga é essencial para se obter êxito no tratamento com digitálicos, diuréticos17, restrição de sódio e repouso absoluto.
Comprometimento das funções renal18 e hepática19 pode aumentar a toxicidade12 das doses recomendadas de Daunocin; é importante uma avaliação dessas funções antes e durante a terapia com Daunocin.
Daunocin pode causar estomatite20, que pode ser extremamente desconfortável; devido a esse fato, pacientes em terapia com Daunocin devem ser orientados para uma adequada higiene oral, inclusive sobre o uso de escova de dentes, fio dental e palitos.
Deve-se ter cautela em evitar o extravasamento de líquido durante a administração, pois pode ocorrer necrose21 do tecido22.
O paciente deve ser advertido sobre a alopecia23, reversível após o tratamento, e coloração vermelha da urina24, que é resultado do metabolismo25 do medicamento.
Se náuseas26 e vômitos27 ocorrerem, o tratamento com medicação antiemética pode ajudar a diminuir esses sintomas28.

Uso na gravidez29 e lactação30:
Daunocin enquadra-se na categoria "D", do FDA. A droga se mostrou teratogênica31 em animais. Não existem estudos adequados e controlados do uso de Daunocin na gravidez29 humana.
Não se sabe se Daunocin é excretado no leite materno. Porém, considerando que muitas drogas são excretadas no leite materno, e a toxicidade12 de Daunocin, a amamentação32 não é recomendada durante a terapia com Daunocin.
Assim, mulheres em tratamento com Daunocin devem ser orientadas a não engravidar e não amamentar. Mulheres grávidas ou lactantes33 não devem receber Daunocin.
Deve-se considerar também que Daunocin é potencialmente esterilizante, carcinogênico e mutagênico.

Uso em crianças:
Daunocin pode ser usado em crianças, adequando-se as doses para essa faixa etária.

Uso em idosos:
Daunocin deve ser usado com cautela em pacientes idosos.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
4 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
5 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
6 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
7 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
9 Pericardite: Inflamação da membrana que recobre externamente o coração e os vasos sanguíneos que saem dele. Os sintomas dependem da velocidade e grau de lesão que produz. Variam desde dor torácica, febre, até o tamponamento cardíaco, que é uma emergência médica potencialmente fatal.
10 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
11 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
12 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
Sístole ventricular
13 Sístole ventricular: Sístole é o período de contração muscular das câmaras cardíacas que alterna com o período de repouso, diástole. A cada batimento cardíaco, as aurículas contraem-se primeiro, impulsionando o sangue para os ventrículos, o que corresponde à sístole auricular. Os ventrículos contraem-se ulteriormente, bombeando o sangue para fora do coração, para as artérias, o que corresponde à sístole ventricular.
14 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
15 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
16 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
17 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
20 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
21 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
22 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
23 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
26 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
27 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
28 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
29 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
30 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
31 Teratogênica: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
32 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
33 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.

Tem alguma dvida sobre PRECAUÇÕES GERAIS DAUNOCIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.