INFORMAÇÕES TÉCNICAS PRONEST

Atualizado em 28/05/2016

Modo de Ação:
Propofol é um agente anestésico intravenoso de curta duração e de ação altamente rápida. A duração da anestesia1 é de 10 minutos a 1 hora, dependendo da dose e medicação coadjuvante2. Seu mecanismo de ação ainda não foi elucidado. De maneira geral, aceita-se que os anestésicos provoquem um efeito não específico na membrana lipídica. Ainda não foi identificado nenhum receptor específico. A recuperação do paciente é rápida e lúcida, podendo este abrir os olhos3 dentro de 10 minutos.

Farmacocinética:
Propofol possui alta ligação protéica plasmática (em torno de 97‰). É amplamente distribuído e rapidamente eliminado do corpo.
Após a administração intravenosa, seja por uma dose bolus4 ou infusão, a cinética5 do Propofol pode ser descrita através de um modelo de 3 fases: uma fase de distribuição rápida (t1/2 = 1,8 a 8,3 minutos); uma fase de b-eliminação (t1/2 = 30 a 60 minutos) e uma fase de g-eliminação, onde a redução dos níveis sangüíneos é demorada devido à lenta redistribuição proveniente de um compartimento profundo, provavelmente, tecido adiposo6. Esta fase não afeta o tempo de recuperação na prática clínica. Propofol é metabolizado, principalmente, por conjugação no fígado7, com uma depuração de aproximadamente 2L/min, porém existe também metabolismo8 extra-hepático. Os metabólitos9 inativos são excretados, principalmente, pelos rins10 (aproximadamente 88‰). Não foi observado acúmulo significativo de Propofol após procedimentos cirúrgicos de, no mínimo, 5 horas de duração, sob o regime de manutenção habitual.
A farmacocinética do Propofol não parece ser alterada por gênero (sexo), cirrose11 hepática12 ou deficiência crônica renal13.
Propofol atravessa a barreira placentária e é também excretado juntamente com o leite materno.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
2 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
3 Olhos:
4 Bolus: Uma quantidade extra de insulina usada para reduzir um aumento inesperado da glicemia, freqüentemente relacionada a uma refeição rápida.
5 Cinética: Ramo da física que trata da ação das forças nas mudanças de movimento dos corpos.
6 Tecido Adiposo: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
7 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
8 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
9 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
10 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
11 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
12 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
13 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.

Tem alguma dúvida sobre INFORMAÇÕES TÉCNICAS PRONEST?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.