FARMACODINÂMICA ZELMAC

Atualizado em 28/05/2016
Classe terapêutica1: agonista2 parcial do receptor 5-HT4 (serotonina tipo-4).
O mecanismo de ação do tegaserode é demonstrado pela estimulação do reflexo
peristáltico e da secreção intestinal e pela inibição da sensibilidade
visceral via ativação dos receptores de serotonina tipo-4 (5HT4), no trato gastrintestinal.
O tegaserode liga-se com alta afinidade aos receptores 5-HT4
humanos, não tendo afinidade considerável para os receptores 5-HT3
ou para
os receptores da dopamina3. O tegaserode atua como um agonista2 parcial
dos receptores 5-HT4
neuronais, desencadeando a liberação de outros
neurotransmissores dos neurônios4 sensoriais, tais como o peptídeo generelacionado
com a calcitonina5. Estudos in vivo mostraram que o tegaserode
aumenta a atividade motora basal e normaliza a motilidade reduzida ao longo
do trato gastrintestinal. Além disto, os estudos demonstraram que modera
a sensibilidade visceral durante a distensão colo6-retal em animais.
Em estudos de farmacologia7 clínica, o tegaserode exibiu atividade prómotílica
ao longo do trato gastrintestinal. Em indivíduos saudáveis, o tegaserode
administrado quer por infusão intravenosa de 0,6 mg ou como uma
dose oral de 6 mg, reduziu significativamente o tempo de permanência
intragástrica, acelerou o esvaziamento gástrico e reduziu o tempo de trânsito
no intestino delgado8 e no colón, em comparação ao placebo9. O tegaserode
mostrou uma forte tendência em reduzir o número de episódios de refluxo pósprandiais
e a exposição ao ácido, em pacientes com doença de refluxo
gastroesofágico. Em pacientes com SCI, o tegaserode reduziu a duração
do trânsito no intestino delgado8 e facilitou o trânsito no cólon10. O tegaserode
melhorou consideravelmente a consistência das fezes e aumentou o número
de evacuações; estes efeitos foram mais evidentes no primeiro dia de tratamento
e persistiram durante um período de tratamento de 12 semanas em
pacientes com SCI. Dados de farmacologia7 clínica sugerem um envolvimento
de mecanismos locais nas atividades farmacodinâmicas do tegaserode,
de acordo com os resultados pré-clínicos.
Estudos clínicos demonstraram que ZELMAC proporciona melhora da dor
e desconforto abdominais, da distensão e do funcionamento intestinal
alterado em pacientes com SCI que identificam a dor/desconforto abdominal
e a constipação11 como os seus sintomas12 principais. Em dois estudos multicêntricos
duplo cego, controlados por placebo9, foram estudados 1.680 pacientes
com uma história de, no mínimo, 3 meses de sintomas12 de SCI incluindo dor
abdominal e função intestinal alterada. Em todos os pacientes, a alteração
da função intestinal foi caracterizada por dois de três sintomas12 de constipação11
em pelo menos 25 % do tempo, especificamente < 3 evacuações/semana,
fezes duras ou grumosas ou esforço ao evacuar. Adicionalmente a estes
sintomas12, 36 % dos pacientes tiveram no mínimo um dos seguintes sintomas12,
pelo menos 25 % do tempo: > 3 evacuações/dia, fezes moles ou líquidas
ou urgência13 em defecar. Um período inicial de 4 semanas sem placebo9 foi
seguido por um período de tratamento com a duração de 12 semanas. Os pacientes
classificaram a sua resposta semanal usando a Avaliação Global
Individual (AGI) do Alívio, que tomou em consideração o bem-estar global,
sintomas12 da dor e do desconforto abdominal e função intestinal alterada.
O tratamento com ZELMAC esteve associado a uma melhoria significativa
na AGI do Alívio. Isto é sustentado por várias outras medidas de eficácia
relevantes para SCI, ou seja, redução na dor/desconforto abdominais,
redução no número de dias com distensão significativa, aumento no número
de evacuações, melhoria da consistência das fezes e redução do número
de dias sem evacuações.
O ínicio de ação, tal como avaliado pela AGI do Alívio, foi observado logo
após uma semana depois do início do tratamento e manteve-se durante o período
de tratamento de 12 semanas. A gravidade dos sintomas12 do paciente, a utilização
de antidepressivos tricíclicos ou de inibidores seletivos da recaptação
da serotonina ou a ingestão diária de fibras alimentares não pareceu afetar
a eficácia do tegaserode.
O tegaserode não teve um efeito no intervalo QTc, em comparação ao placebo9.
Isto foi consistente com os resultados pré-clínicos.
Em um estudo aberto, com a duração de 12 meses, 579 pacientes foram
tratados com tegaserode, tendo completado o estudo 53 % dos mesmos.
Entre os pacientes que responderam no mês três, 59 % ainda responderam
após os 12 meses de tratamento. O perfil de segurança e tolerabilidade foi semelhante
ao observado durante os estudos de fase 3, controlados por placebo9.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
2 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
3 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
4 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
5 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
6 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
7 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
8 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
9 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
10 Cólon:
11 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.

Tem alguma dúvida sobre FARMACODINÂMICA ZELMAC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.