POPULAÇÕES ESPECIAIS OLMETEC

Atualizado em 28/05/2016
Crianças: a farmacocinética de olmesartana não foi investigada em pacientes menores de
18 anos.
Idosos: a farmacocinética de olmesartana foi estudada em idosos com 65 anos ou mais. Em
geral, as concentrações plasmáticas máximas foram similares entre os adultos jovens e os
idosos. Em idosos, foi observado um pequeno acúmulo com a administração de doses
repetidas (AUCss-ô foi 33% maior em pacientes idosos, correspondendo a aproximadamente
30% de redução no clearance renal1).
Sexo: foram observadas diferenças mínimas na farmacocinética de olmesartana nas
mulheres em comparação aos homens.
Insuficiência renal2: em pacientes com insuficiência renal2, as concentrações séricas de
olmesartana foram elevadas, quando comparadas a indivíduos com função renal1 normal.
Em pacientes com insuficiência renal2 grave (clearance de creatinina3 < 20 L/min), a AUC foi
aproximadamente triplicada após doses repetidas. A farmacocinética de olmesartana em
pacientes sob hemodiálise4 ainda não foi estudada.
Insuficiência hepática5: aumentos na AUC0-‡ e Cmáx foram observados em pacientes com
insuficiência hepática5 moderada, em comparação com os valores nos controles
equivalentes, com um aumento na AUC de cerca de 60%.
CARCINOGÊNESE, MUTAGÊNESE E COMPROMETIMENTO DA FERTILIDADE
Estudos em animais demonstraram que olmesartana medoxomila não é um agente
carcinogênico.
Olmesartana medoxomila não foi clastogênica nem mutagênica in vivo (teste de micronúcleo
em camundongos e teste de reparo de DNA não-programado em ratos). A avaliação dos
estudos in vitro com olmesartana medoxomila e olmesartana não revelou risco clinicamente
significante de mutagenicidade.
Ambos, olmesartana medoxomila e olmesartana, apresentaram resultado negativo no teste
in vitro de transformação de célula6 de embrião de hamster sírio e não demonstraram
evidência de toxicidade7 genética no teste de Ames (mutagenicidade bacteriana).
A fertilidade em animais não foi afetada pela administração de olmesartana medoxomila.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
2 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
3 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
4 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
5 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
6 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
7 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.

Tem alguma dvida sobre POPULAÇÕES ESPECIAIS OLMETEC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.