INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS CETOPROFENO

Atualizado em 28/05/2016

ASSOCIAÇÕES DESACONSELHADAS:
 •  OUTROS ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS, INCLUSIVE ALTAS DOSES DE SALICILATOS: AUMENTO DO RISCO DE ULCERAÇÃO1 E HEMORRAGIA2 GASTRINTESTINAL POR SINERGIA ADITIVA.

  •  ANTICOAGULANTES3 ORAIS, HEPARINA POR VIA PARENTERAL E TICLOPIDINA: AUMENTO DO RISCO HEMORRÁGICO4 POR INIBIÇÃO DA FUNÇÃO PLAQUETÁRIA E IRRITAÇÃO DA MUCOSA5 GASTRODUODENAL. CASO O TRATAMENTO CONCOMITANTE NÃO POSSA SER EVITADO, DEVE-SE REALIZAR UMA CUIDADOSA MONITORIZAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL (TEMPO DE SANGRAMENTO E TEMPO DE PROTOMBINA);

  •  HIPOGLICEMIANTES ORAIS6: O CETOPROFENO PODE CAUSAR UM AUMENTO DO EFEITO HIPOGLICEMIANTE7 DAS SULFAMIDAS (POR DESLOCAMENTO DE SUAS LIGAÇÕES A PROTEÍNAS8 PLASMÁTICAS);

 •  DISPOSITIVOS INTRA-UTERINOS: POSSIBILIDADE DE DIMINUIÇÃO DA EFICÁCIA;

 •  LÍTIO: AUMENTO DO NÍVEL PLASMÁTICO DE LÍTIO, PELA DIMINUIÇÃO DA EXCREÇÃO RENAL9, PODENDO ATINGIR NÍVEIS TÓXICOS. REALIZAR, SE NECESSÁRIO, UMA CUIDADOSA MONITORIZAÇÃO DOS NÍVEIS DE LÍTIO E AJUSTE DA DOSAGEM DE LÍTIO DURANTE O TRATAMENTO CONCOMITANTE E APÓS A DESCONTINUAÇÃO DO USO DE ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS;

 •  METOTREXATO: AUMENTO DA TOXICIDADE10 HEMATOLÓGICA, ESPECIALMENTE QUANDO ADMINISTRADO EM ALTAS DOSES (> 15 MG/SEMANA), DEVIDO À DIMINUIÇÃO DO CLEARANCE RENAL9. EM CASO DE TRATAMENTO ANTERIOR COM CETOPROFENO, O USO DO MESMO DEVE SER INTERROMPIDO 12 HORAS ANTES DA ADMINISTRAÇÃO DO METOTREXATO E NÃO PODE SER ADMINISTRADO DURANTE 12 HORAS APÓS O TRATAMENTO DO METOTREXATO.

ASSOCIAÇÕES QUE NECESSITAM DE CUIDADOS:
 •  METOTREXATO (< 15 MG/SEMANA): CONTROLE SEMANAL DO HEMOGRAMA, DURANTE AS PRIMEIRAS SEMANAS DO USO DA ASSOCIAÇÃO. DEVE-SE MONITORAR AS ALTERAÇÕES (MESMO QUE PEQUENAS) DA FUNÇÃO RENAL9 EM IDOSOS.

 •  DIURÉTICOS11: RISCO DE INSUFICIÊNCIA RENAL12 AGUDA EM PACIENTES DESIDRATADOS DEVIDO À DIMINUIÇÃO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR (DIMINUIÇÃO DA SÍNTESE DAS PROSTAGLANDINAS13 RENAIS). MANTER O PACIENTE HIDRATADO E COM AS FUNÇÕES RENAIS MONITORIZADAS NO INÍCIO DO TRATAMENTO.

 •  PENTOXIFILINA: AUMENTO DO RISCO HEMORRÁGICO4.
REFORÇAR A VIGILÂNCIA SANITÁRIA CLÍNICA E CONTROLAR O TEMPO DE SANGRAMENTO COM MAIOR FREQÜÊNCIA.

ASSOCIAÇÕES A SEREM CONSIDERADAS:
ANTI-HIPERTENSIVOS (â-BLOQUEADORES, INIBIDORES DA ENZIMA14 DE CONVERSÃO E DIURÉTICOS11):
REDUÇÃO DO EFEITO ANTI-HIPERTENSIVO POR DIMINUIÇÃO DAS PROSTAGLANDINAS13 VASODILATADORAS.

TROMBOLÍTICOS: AUMENTO DE RISCO HEMORRÁGICO4.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
2 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
3 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
4 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
5 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
6 Hipoglicemiantes orais: Medicamentos usados por via oral em pessoas com diabetes tipo 2 para manter os níves de glicose próximos ao normal. As classes de hipoglicemiantes são: inibidores da alfaglicosidase, biguanidas, derivados da fenilalanina, meglitinides, sulfoniluréias e thiazolidinediones.
7 Hipoglicemiante: Medicamento que contribui para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capaz de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
10 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
11 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
12 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
13 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
14 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.

Tem alguma dvida sobre INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS CETOPROFENO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.