FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES ITRACONAZOL CÁPSULAS

Atualizado em 28/05/2016

Cápsula de 100 mg.

Embalagem com 4, 10, 15, 40, 80, 100, 120, 150, 160, 240, 320, 400 e 600 cápsulas.

USO ORAL – USO ADULTO


FÓRMULA

Cada cápsula contém:

Itraconazol .......................................................................................................100 mg


- INFORMAÇÕES AO PACIENTE


COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O itraconazol inibe a formação da membrana celular1 dos fungos ocasionando a sua morte, porém, a lesão2 desaparece junto com o crescimento da pele3 sadia.

As lesões4 das unhas5 desaparecem apenas 6 a 9 meses após o finaI do tratamento pois o itraconazol cápsula apenas mata o fungo6, havendo necessidade da unha crescer para a cura ser observada. Caso você não observe melhora da lesão2 durante o tratamento, não se preocupe pois o medicamento permanecerá na unha por vários meses exercendo seu efeito.


POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

Itraconazol cápsula é indicado no tratamento de infecções7 fúngicas8 (micoses) dos olhos9, boca10, unhas5, pele3, vagina11 e órgãos internos.


QUANDO NAO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento não deve ser utilizado nas seguintes condições:

  - Caso você apresente alergia12 conhecida ao itraconazol ou a qualquer um dos componentes do medicamento;

  - Se você estiver grávida ou amamentando, exceto em casos estabelecidos pelo seu médico conforme a necessidade do tratamento;

Informe seu médico se você estiver usando qualquer outro medicamento, pois o uso em conjunto com algum medicamentos pode ser prejudicial.

ltraconazol cápsula não deve ser utilizado por crianças, somente em casos excepcionais prescritos pelo médico.

Seu médico deverá ser informado se você possuir algum problema de figado13, pois pode ser necessário adaptar a dose do itraconazol. Você deve procurar seu médico imediatamente se aIguns dos seguintes sintomas14 aparecer durante o tratamento com o itraconazol cápsula: falta de apetite, náuseas15 vômitos16 dor abdominal ou urina17 muito escura.

Se você estiver utilizando o itraconazol cápsula por mais de um mês seu médico deve acompanhá-lo regulamente através de exames de sangue18 para controlar as desordens do fígado13 que, muito raramente podem ocorre.

Seu médico deverá ser informado caso você apresente algum problema no coração19. Informe seu médico caso você apresente falta de ar, aumento de peso inesperado, inchaço20 das pernas ou abdome21. fadiga22 não usual, ou se você começar a acordar durante a noite.

Pode ser necessário adaptar a dose do itraconazol cápsula para pacientes23 com problemas renais. Se você apresentar qualquer sensação incomum de formigamento dormência24 ou fraqueza em suas mãos25 ou pés enquanto estiver tomando itraconazol cápsula, informe ao seu médico imediatamente.

Caso você tenha apresentado reação alérgica26 a outro antifúngico no passado, informe ao seu médico.

Não há problema em dirigir ou operar máquinas, desde que você não Sinta tonturas27.


Gravidez28 e amamentação29

ltraconazol cápsula não deve ser utilizado durante a gravidez28 e amamentação29. Mulher em idade de engravidar deve tomar medidas contraceptivas adequadas para não ficar grávida enquanto estiver tomando o medicamento.

Devido ao fato do itraconazol cápsula permanecer no organismo durante algum tempo após o témino do tratamento, o método anticoncepcional deve ser utilizado até o próximo ciclo menstrual depois da interrupção do itraconazol cápsula.

Informe ao seu medico se você estiver amamentando, pois pequenas quantidades do medicamento podem estar presentes no leite materno.

Antiácidos30 devem ser tomados somente duas horas após a ingestão do itraconazol cápsula para garantir acidez estomacal suficiente para a absorção do medicamento. Se você usa medicamentos que interrompem a produção estomacal de ácido, deve tomar o itraconazol cápsula junto com refrigerantes à base de cola. Em caso de dúvida, consulte o médico ou farmacêutico.

Você deve comunicar ao seu médico quais os medicamentos que você está usando no momento. Em particular, você não deve tomar alguns medicamentos ao mesmo tempo e, se isto ocore, algumas adaptações serão necessárias em relação à dose, por exemplo.

Os medicamentos abaixo não devem ser utilizados enquanto você estiver utilizando itraconazol cápsula.

  - certos medicamentos para alergia12, como terfenadina. astemizol e mizolastina;

  - cisaprida, um medicamento utilizado para certos problemas digestivos;

  - certos medicamentos que reduzem o colesterol31 (ex.: sinvastatina e lovastatina);

  - certos comprimidos para dormir (midazolam e triazolam);

  - pimozida e sertindol, medicamentos para distúrbios psicóticos

  - levacetilmetadol, um medicamento usado no tratamento da dependência a opioides

  - acaloides derivados do Ergot como di-idroergotamina e ergotamina, usados no tratamento da enxaqueca32;

  - acaloides derivados do Ergot. como ergometrina (ergonovina) e metilergometrina uterina após o parto;

  - certos medicamentos utilizados no tratamento de irregularidades do batimento cardíaco, como quinidina e dofetilida.

Alguns medicamentos possuem a capacidade de diminuir a ação do itraconazol cápsula, como os medicamentos utilizados no tratamento da epilepsia33 (por exemplo: carbamazepina, fenitoína e fenobarbital) e tuberculose34 (por exemplo. rifsmpicina, rifabutina e isoniazida). Informe seu médico se estiver usando qualquer um destes medicamentos para que possam ser feitos os ajustes necessários na dose.

A utilização de itraconazol cápsula com outros medicamentos pode exigir uma adequação na dose do itraconazol ou dos outros medicamentos que estão sendo utilizados concomitantemente.

Exemplos destes medicamentos são:

  - certos antibióticos chamados claritromicina, entromicina. rifabutina;

  - alguns medicamentos que agem no coração19 e vasos sanguíneos35 (digoxina, disopiramida, bloqueadores de canal de cálcio, cilostazol);

  - medicamentos que diminuem a coagulação36 sanguínea;

  - metilprednisolona, budesonida e dexametasona, medicamentos administrados por via oral, injetável ou inalatória para o tratamento de inflamações37, asma38 e alergias;

  - ciclosporina A. tacrolimo e rapamicina (também conhecida como sirolimo), que são medicamentos utilizados após transplantes;

  - certos inibidores da protease39 (classe de enzima40) do HIV41

  - certos medicamentos utilizados no tratamento do câncer42;

  - certos medicamentos para ansiedade ou para dormir (tranquilizantes), como buspirona, alprazolam e brotizolam;

  - ebastina, um medicamento usado para alergia12;

  - reboxetina, um medicamento usado no tratamento da depressão;

  - atorvastatina, um medicamento usado na redução do colesterol31

  - eletriptano, um medicamento usado no tratamento da enxaqueca32;

  - halofantrina, um medicamento usado no tratamento da maIária

  - repaglinida. um medicamento usado no tratamento do diabetes43

Se estiver tomando qualquer um destes medicamentos, comunique ao seu médico.

Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde44.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação do médico ou cirurgião-dentista.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

As cápsulas de itraconazol são gelatinosas duras, de cor azul opaco e rosa transparente e preenchidas por pequenas esferas de cor creme que contém itraconazol.

A dose e a duração do tratamento dependem do tipo de fungo6 e do local de infecção45 e deve ser seguida conforme orientação médica.

As lesões4 vão desaparecer completamente somente algumas semanas após o final do tratamento. Isto é típico das lesões4 causadas por fungos: o medicamento elimina o fungo6, mas a lesão2 somente desaparece com o surgimento de uma pele3 saudável

As lesões4 das unhas5 desaparecem apenas após 6 a 9 meses do final do tratamento, uma vez que o medicamento elimina apenas o fungo6. A unha afetada precisa crescer novamente o que ocorre em alguns meses.

Então, você não deve se preocupar se não observar melhora durante o tratamento o medicamento permanece agindo em suas unhas5 por vários meses. O tratamento deve ser seguido conforme orientação do seu médico.

Se você tiver infecções7 de órgãos internos, pode ser necessário tomar doses altas por longos  períodos.

Você deve tomar itraconazol cápsula imediatamente após uma refeição. As cápsulas devem ser ingeridas inteiras com auxilio de água.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Não use o medicamento com prazo de validade vencida. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

Podem ocorrer as seguintes reações desagradáveis: dor de cabeça46, queda de cabelo47, tonturas27 enjoo e vômito48, fraqueza muscular desconforto gástrico, dor abdominal diarreia49 e constipação50 (redução na frequência ou quantidade da defecação), distúrbios menstruais.

A ocorrência de alergia12 ao itraconazol cápsula é rara e se manifesta por exemplo, pela falta de ar e/ou rosto inchado, irritação da pele3, coceira e urticána Podem ocorrer reações alérgicas graves assim como hipersensibilidade à luz solar. Muito raramente pode ocorrer uma sensação de formigamento dos membros ou lesão2 grave na pele3.

Você deve informar imediatamente ao seu médico se apresentar falta de ar, aumento de pesa inesperado, inchaço20 das pernas, fadiga22 não usual ou se você começar a acordar durante a noite.

Um ou mais dos sintomas14 a seguir relacionados a distúrbios hepáticos podem aparecer, embora pouco freqüentes: falta de apetite, náusea51, vômito48, cansaço, fraqueza muscular, dor abdominal, icterícia52, urina17 muito escura e fezes claras.

Em tais casos, você deve parar de tomar o itraconazol cápsula e avisar seu médico imediatamente.

Você deve informar seu médico sobre qualquer outro efeito indesejável que ocorrer durante o tratamento com o itraconazol cápsula.


O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?

Se você tomar uma grande quantidade do medicamento acidentalmente, deve procurar um médico imediatamente.


ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°), em lugar seco, fresco e ao abrigo da luz. Nestas condições o prazo de validade é de 24 meses a contar da data de fabricação.


TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇA&

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
6 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
9 Olhos:
10 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
11 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
12 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
13 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
16 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
17 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
20 Inchaço: Inchação, edema.
21 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
22 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
23 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
24 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
25 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
26 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
27 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
28 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
29 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
30 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
31 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
32 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
33 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
34 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
35 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
36 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
37 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
38 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
39 Inibidores da protease: Alguns vírus como o HIV e o vírus da hepatite C dependem de proteases (enzimas que quebram ligações peptídicas entre os aminoácidos das proteínas) no seu ciclo reprodutivo, pois algumas proteínas virais são codificadas em uma longa cadeia peptídica, sendo libertadas por proteases para assumir sua conformação ideal e sua função. Os inibidores da protease são desenvolvidos como meios antivirais, pois impedem a correta estruturação do RNA viral.
40 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
41 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
42 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
43 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
44 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
45 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
46 Cabeça:
47 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
48 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
49 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
50 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
51 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
52 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.

Tem alguma dúvida sobre FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES ITRACONAZOL CÁPSULAS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.