PRECAUÇÕES PAMIDRONATO DISSÓDICO

Atualizado em 28/05/2016

ELETRÓLITOS1 SÉRICOS, CÁLCIO E FOSFATO DEVEM SER MONITORADOS, APÓS O INÍCIO DA TERAPIA COM PAMIDRONATO DISSÓDICO. PACIENTES QUE TENHAM PASSADO POR CIRURGIA DA TIREÓIDE PODEM SER PARTICULARMENTE SUSCEPTÍVEIS AO DESENVOLVIMENTO DE HIPOCALCEMIA2 CAUSADA POR HIPOPARATIREOIDISMO RELATIVO. PACIENTES QUE RECEBAM INFUSÕES FREQÜENTES DE PAMIDRONATO DISSÓDICO POR PERÍODO DE TEMPO PROLONGADO, ESPECIALMENTE AQUELES COM DOENÇA RENAL3 PRÉVIA OU PREDISPOSIÇÃO À INSUFICIÊNCIA RENAL4 (EX.: PACIENTES COM MIELOMA5 MÚLTIPLO E/OU HIPERCALCEMIA INDUZIDA POR TUMOR6), DEVEM TER AVALIAÇÕES PERIÓDICAS DOS PARÂMETROS LABORATORIAIS E CLÍNICOS DA FUNÇÃO RENAL3, VISTO QUE FOI RELATADA DETERIORAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL3 (INCLUSIVE INSUFICIÊNCIA RENAL4), APÓS TRATAMENTO DE LONGO COM PAMIDRONATO DISSÓDICO EM PACIENTES COM MIELOMA5 MÚLTIPLO. ENTRETANTO, A PROGRESSÃO DA DOENÇA DE BASE E/OU AS COMPLICAÇÕES CONCOMITANTES ESTIVERAM TAMBÉM PRESENTES E PORTANTO, NÃO ESTÁ COMPROVADA A RELAÇÃO CAUSAL COM PAMIDRONATO DISSÓDICO. EM PACIENTES COM DOENÇA CARDÍACA, ESPECIALMENTE NOS IDOSOS, UMA SOBRECARGA SALINA ADICIONAL PODE PRECIPITAR INSUFICIÊNCIA CARDÍACA7 (INSUFICIÊNCIA8 VENTRICULAR ESQUERDA OU INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA9). A FEBRE10 (SINTOMAS11 SIMILARES À GRIPE12) PODE TAMBÉM CONTRIBUIR PARA ESSA DETERIORAÇÃO.

OS PACIENTES COM DOENÇA ÓSSEA DE PAGET, COM RISCO DE DEFICIÊNCIA DE CÁLCIO OU DE VITAMINA13 D, DEVEM RECEBER SUPLEMENTO ORAL ADICIONAL DE CÁLCIO E VITAMINA13 D, DE MODO MINIMIZAR O RISCO DE HIPOCALCEMIA2.

   • USO DURANTE A GRAVIDEZ14 E LACTAÇÃO15
EM EXPERIMENTOS COM ANIMAIS, O PAMIDRONATO DISSÓDICO NÃO APRESENTOU POTENCIAL TERATOGÊNICO16 NEM AFETOU O DESEMPENHO REPRODUTIVO GERAL OU A FERTILIDADE. EM RATAS, O PARTO PROLONGADO E A REDUZIDA TAXA DE SOBREVIVÊNCIA17 DOS FILHOTES FORAM PROVAVELMENTE CAUSADAS POR DECRÉSCIMO NÍVEIS SÉRICOS MATERNOS DE CÁLCIO. FOI DEMONSTRADO, EM PRENHES, QUE O PAMIDRONATO DISSÓDICO ATRAVESSA A BARREIRA PLACENTÁRIA, ACUMULANDO–SE NOS OSSOS DO FETO18 DE MANEIRA SIMILAR À OBSERVADA EM ANIMAIS ADULTOS. NÃO HÁ EXPERIÊNCIA CLÍNICA PARA DAR SUPORTE À UTILIZAÇÃO DE PAMIDRONATO DISSÓDICO EM MULHERES GRÁVIDAS. PORTANTO, PAMIDRONATO DISSÓDICO NÃO DEVE SER ADMINISTRADO DURANTE A GRAVIDEZ14, EXCETO EM CASOS DE HIPERCALCEMIA COM RISCO DE VIDA. UM ESTUDO EM RATAS LACTANTES19 DEMONSTROU QUE O PAMIDRONATO DISSÓDICO PASSA PARA O LEITTE MATERNO. AS MÃES EM TRATAMENTO COM PAMIDRONATO DISSÓDICO NÃO DEVEM, PORTANTO, AMAMENTAR SEUS FILHOS.

   • EFEITOS SOBRE A HABILIDADE DE DIRIGIR VEÍCULOS E/OU OPERAR MÁQUINAS

OS PACIENTES DEVEM SER ALERTADOS DE QUE, EM CASOS RAROS, PODE OCORRER SONOLÊNCIA E/OU TONTURA20 APÓS A INFUSÃO DE PAMIDRONATO DISSÓDICO E, NESSES CASOS, ELES NÃO DEVEM DIRIGIR VEÍCULOS, OPERAR MÁQUINAS POTENCIALMENTE PERIGOSAS OU EXERCER ATIVIDADES QUE POSSAM SE TORNAR PERIGOSAS PELA REDUÇÃO DO ESTADO DE ALERTA

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
2 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
5 Mieloma: Variedade de câncer que afeta os linfócitos tipo B, encarregados de produzir imunoglobulinas. Caracteriza-se pelo surgimento de dores ósseas, freqüentemente a nível vertebral, anemia, insuficiência renal e um estado de imunodeficiência crônica.
6 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
7 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
8 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
9 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
10 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
13 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
16 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
17 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
18 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
19 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
20 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES PAMIDRONATO DISSÓDICO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.