INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS TORAGESIC

Atualizado em 28/05/2016


- O uso concomitante com outros AINE’s pode aumentar o risco de efeitos adversos;

- Adrenocorticoides, glicocorticoides: pode aumentar o risco de efeitos adversos gastrintestinais;

- Cumarínicos, indandiônicos, heparina e medicamentos trombolíticos (alteplase, anistrelase, estreptoquinase, uroquinase): podem ser perigosos devido à inibição plaquetária exercida pelos AINEs e também devido ao aumento do risco de ulcerações1 e hemorragias2 gastrintestinais;

- Medicamentos inibidores plaquetários: aumentam o risco de hemorragia3 devido ao efeito aditivo na inibição da agregação plaquetária;

- Cefamandol, cefoperazona, cefotetan, moxalactam ou plicamicina: aumentam o risco de úlceras4 gastrintestinais devido aos efeitos antiplaquetários e hipoprotrombinêmicos destes;

- Antidiabéticos orais5 ou insulina6: aumentam o efeito hipoglicemiante7, pois as prostaglandinas8 estão diretamente envolvidas no mecanismo regulador do metabolismo9 da glicose10, e também, possivelmente, os anti-inflamatórios não esteroides deslocam os antidiabéticos orais5 do complexo proteico plasmático;

- Anti-hipertensivos: há uma redução ou reversão do efeito anti-hipertensivo devido, possivelmente, à inibição de prostaglandinas8 renais e/ou causar a retenção de sódio e de líquidos;

- Glicosídeos cardíacos: AINEs podem exacerbar a insuficiência cardíaca11, reduzir a taxa de filtração glomerular e aumentar os níveis de glicosídios cardíacos no plasma12;

- Diuréticos13: pode haver diminuição da eficácia diurética e anti-hipertensiva e aumento do risco de insuficiência renal14 secundária, provavelmente devido à inibição da síntese de prostaglandinas8 renais;

- Colchicina: aumenta os riscos de hemorragias2 e ulcerações1 gastrintestinais;

- Compostos de ouro: comumente usados em associação para o tratamento de artrite15 podem aumentar o risco de efeitos adversos renais;

- Ciclosporina: aumenta a concentração sérica desta por inibição das prostaglandinas8 renais e aumenta o risco de nefrotoxicidade16;

- Medicamentos potencialmente depressores medulares ou radioterapia17: podem aumentar o risco de efeitos adversos hematológicos;

- Metotrexato: aumenta a gravidade dos efeitos adversos renais;

- Mifepristona: trometamol cetorolaco não deve ser administrado por 8 a 12 dias após sua administração, uma vez que pode reduzir os seus efeitos;

- Lítio: possivelmente aumenta a concentração sérica de equilíbrio do antimaníaco;

- Probenecida: aumenta os níveis plasmáticos e a meia-vida de trometamol;

- Quinolonas: aumento do risco de apresentar convulsões;

- Sulfimpirazona: aumenta o risco de ulcerações1 e hemorragia3 gastrintestinais.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
2 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
3 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
5 Antidiabéticos orais: Quaisquer medicamentos que, administrados por via oral, contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais. Eles podem ser um hipoglicemiante, se forem capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados, ou um anti-hiperglicemiante, se agirem impedindo a elevação da glicemia após uma refeição.
6 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
7 Hipoglicemiante: Medicamento que contribui para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capaz de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
8 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
9 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
10 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
11 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
12 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
13 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
14 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
15 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
16 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
17 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.

Tem alguma dvida sobre INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS TORAGESIC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.