PRECAUÇÕES ANANGOR

Atualizado em 28/05/2016
Depressão respiratória
Administração de ANANGOR® (Tramadol cloridrato)
em pacientes com risco de depressão respiratória
deve ser cuidadosa. Quando altas doses
de tramadol são administradas com medicações
anestésicas ou bebidas alcoólicas, pode ocorrer
depressão respiratória. Trate esses casos como
superdosagem. Se naloxone deve ser administrado,
use cautela pois pode precipitar convulsões
(veja ADVERTÊNCIAS, risco de convulsão1 e
SUPERDOSAGEM).
Trauma craniano e hipertensão2 intracraniana

ANANGOR® (Tramadol cloridrato) deve ser usado
com cuidado em pacientes com trauma craniano
ou hipertensão2 intracraniana. As alterações pupilares
(miose3) causadas por tramadol podem ocultar
a existência, extensão ou curso de patologia4
intracraniana. Deve-se também manter alto índice
de suspeita de reação adversa medicamentosa ao
avaliar alterações do estado mental nesses pacientes,
se eles estiverem recebendo tramadol.
Patologias abdominais agudas
A avaliação clínica de pacientes com patologias
abdominais agudas pode ser dificultada pela administração
de ANANGOR® (Tramadol cloridrato).
Abstinência
Abstinência pode ocorrer se a administração de
ANANGOR® (Tramadol cloridrato) for interropida
abruptamente. Sintomas5 podem incluir: ansiedade,
insônia, dor, náusea6, tremores, diarréia7, piloereção8,
sintomas5 de vias respiratórias altas e, raramente,
alucinações9. Os sintomas5 podem ser aliviados com
a diminuição gradual da medicação.
Pacientes fisicamente dependentes de opióides
ANANGOR® (Tramadol cloridrato) não é recomendado
para pacientes10 dependentes de opióides.
Pacientes que recentemente receberam quantidade
substancial de opióides podem experimentar
sintomas5 de abstinência. ANANGOR® (Tramadol
cloridrato) não é indicado para tratamento de síndrome11
aguda de retirada de narcóticos.
Uso na insuficiência hepática12 e renal13
O comprometimento da função renal13 leva à diminuição
da excreção do tramadol e seu metabólito14
ativo M1. Em pacientes com clearance da creatinina15
inferior a 30 mL/min, a redução da dose é recomendada.
O metabolismo16 de tramadol e de seu metabólito14
ativo M1 estão reduzidos em paciente com cirrose17
hepática18 avançada, assim, a redução da dose
é recomendada.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Miose: Contração da pupila, que pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
4 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
7 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
8 Piloereção: Ereção dos pelos ou cabelos.
9 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
10 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
11 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
12 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
13 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
14 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
15 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
16 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
17 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
18 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.

Tem alguma dvida sobre PRECAUÇÕES ANANGOR?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.