POSOLOGIA E INSTRUÇÕES DE USO ANANGOR

Atualizado em 28/05/2016
O esquema posológico recomendado serve como regrageral. Em princípio, deve ser buscada a menor dose analgésica
eficaz. Para pacientes1 com dor crônica moderada
que não requeiram o início rápido do efeito analgésico2, a
tolerabilidade ao tramadol pode ser melhorada iniciandose
com doses menores. ANANGOR® (Tramadol cloridrato),
1 cápsula de 50 mg, pode ser prescrito 2 ou 3 vezes ao
dia. A dose oral de ANANGOR® (Tramadol cloridrato) é
de 50 a 100 mg, até de 4 a 6 horas, sem exceder 400 mg
por dia. A maioria dos pacientes, incluindo portadores de
neoplasias3, respondem a doses de 150 a 300 mg por dia.
A dose recomendada por via endovenosa usualmente
é de 50-100 mg, lentamente, com a dose total diária não
excedendo 400 mg/dia. Para infusão lenta, a solução de
ANANGOR® (Tramadol cloridrato) para injeção4 foi relatada
como incompatível com soluções de injeções contendo
diclofenaco, indometacina, diazepam, midazolam,
piroxicam. A dose recomendada via intramuscular: 50-
100 mg, usualmente a cada 6-8 horas, não excedendo
400 mg/dia.
Ajuste da dose
Dados disponíveis não sugerem a necessidade de ajuste
da dose em pacientes entre 65 a 75 anos de idade, a
menos que apresentem insuficiência hepática5 ou renal6.
Para pacientes1 com mais de 75 anos de idade, recomenda-
se a dose máxima de 300 mg, em 3 a 4 tomadas nas
24 horas. Em paciente com o clearance da creatinina7 inferior
a 30 ml/min, o intervalo de dose deve ser aumentado
para 12 horas, com dose máxima de 200 mg/dia. Como
a diálise8 remove apenas 7% da dose administrada, pacientes
em diálise8 podem receber a dose usual no dia da
diálise8. Em paciente com cirrose9, a dose recomendada é
de 50 mg a cada 12 horas. Pacientes recebendo carbamazepina
cronicamente, em dose por volta de 800 mg,
podem requerer aumento, até o dobro, da dose recomendada
de cloridrato de tramadol.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
2 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
3 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
6 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
7 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
8 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
9 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.

Tem alguma dvida sobre POSOLOGIA E INSTRUÇÕES DE USO ANANGOR?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.