POSOLOGIA DIPRIVAN 1% E 2%

Atualizado em 28/05/2016

Sistema de Classificação do Estado Físico de acordo com a Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA):



A) Adultos

Indução de anestesia1 geral

DIPRIVAN 1% pode ser usado para induzir anestesia1 através de infusão ou injeção2 lenta em bolus3.

DIPRIVAN 2% deve ser usado para induzir anestesia1 através de infusão e somente naqueles pacientes que receberão DIPRIVAN 2% para manutenção de anestesia1.

Em pacientes com ou sem pré-medicação, recomenda-se que DIPRIVAN seja titulado de acordo com a resposta do paciente. Administrar aproximadamente 40 mg a cada 10 segundos em adulto razoavelmente saudável por injeção2 em bolus3 ou por infusão, até que os sinais4 clínicos demonstrem o início da anestesia1. A maioria dos pacientes adultos com menos de 55 anos possivelmente requeira de 1,5 a 2,5 mg/kg de DIPRIVAN. A dose total necessária pode ser reduzida pela diminuição da velocidade de administração (20-50 mg/min). Acima desta idade, as necessidades serão geralmente menores. Em pacientes de Graus P 3 e 4 deve-se usar velocidade de administração menor (aproximadamente 20 mg a cada 10 segundos).


Manutenção de anestesia1 geral

A profundidade requerida da anestesia1 pode ser mantida pela administração de DIPRIVAN por infusão contínua ou por injeções repetidas em bolus3.


- Infusão contínua – DIPRIVAN 1% ou DIPRIVAN 2% podem ser usados. A velocidade adequada de administração varia consideravelmente entre pacientes, mas velocidades na faixa de 4 a 12 mg/kg/h, normalmente mantêm a anestesia1 satisfatoriamente.


- Injeções repetidas em bolus3 – recomenda-se que apenas DIPRIVAN 1% seja utilizado. Se for utilizada a técnica que envolve injeções repetidas em bolus3, podem ser administrados aumentos de 25 mg (2,5 ml) a 50 mg (5 ml), de acordo com a necessidade clínica.


Sedação5 na UTI

Quando utilizado para promover sedação5 em pacientes adultos ventilados na UTI, recomenda-se que DIPRIVAN seja administrado por infusão contínua. A velocidade de infusão deve ser ajustada de acordo com a profundidade necessária de sedação5, sendo que velocidades em torno de 0,3 a 4,0 mg/kg/h devem produzir sedação5 satisfatória.


Sedação5 consciente para cirurgia e procedimentos de diagnóstico6

Para promover a sedação5 em procedimentos cirúrgicos e de diagnóstico6, as velocidades de administração devem ser individualizadas e tituladas de acordo com a resposta clínica.


A maioria dos pacientes necessitará de 0,5 a 1 mg/kg por aproximadamente 1 a 5 minutos para iniciar a sedação5.

A manutenção da sedação5 pode ser atingida pela titulação da infusão de DIPRIVAN até o nível desejado de sedação5 – a maioria dos pacientes irá necessitar de 1,5 a 4,5 mg/kg/h. Adicional à infusão, a administração em bolus3 de 10 a 20 mg pode ser usada se for necessário um rápido aumento na profundidade da sedação5. Em pacientes Graus P 3 e 4, a velocidade de administração e a dosagem podem necessitar de redução.



B) Crianças

Não se recomenda o uso de DIPRIVAN em crianças com menos de 3 anos de idade.


Administração de DIPRIVAN por sistema TCI DIPRIFUSOR não é recomendado para uso em crianças.


Indução de anestesia1 geral

Quando usado para induzir anestesia1 em crianças, recomenda-se que DIPRIVAN seja administrado lentamente, até que os sinais4 clínicos demonstrem o início da anestesia1. A dose deve ser ajustada em relação à idade e/ou ao peso. A maioria dos pacientes com mais de 8 anos provavelmente irá necessitar aproximadamente 2,5 mg/kg de DIPRIVAN para a indução da anestesia1. Entre 3 e 8 anos de idade, a necessidade pode ser ainda maior. Doses mais baixas são recomendadas para crianças com Graus P 3 e 4.


Manutenção da anestesia1 geral

A profundidade necessária de anestesia1 pode ser mantida pela administração de DIPRIVAN por infusão ou por injeções repetidas em bolus3. É recomendado que somente DIPRIVAN 1% seja usado se forem usadas injeções repetidas em bolus3. A velocidade necessária de administração varia consideravelmente entre os pacientes, no entanto, a faixa de 9 a 15 mg/kg/h normalmente produz anestesia1 satisfatória.


Sedação5 consciente para procedimentos de diagnóstico6 e cirúrgicos

DIPRIVAN não é recomendado para sedação5 consciente em crianças uma vez que a segurança e eficácia não foram demonstradas.


Sedação5 na UTI

DIPRIVAN não é recomendado para sedação5 em crianças, uma vez que a segurança e a eficácia não foram demonstradas. Apesar de não ter sido estabelecida nenhuma relação causal, reações adversas sérias (incluindo fatalidades) foram observadas através de relatos espontâneos sobre o uso não aprovado em UTI. Esses eventos foram mais frequentes em crianças com infecções7 do trato respiratório e que receberam doses maiores que aquelas recomendadas para adultos.



C) Idosos

Em pacientes idosos, a dose de DIPRIVAN necessária para a indução de anestesia1 é reduzida. Esta redução deve levar em conta a condição física e a idade do paciente. A dose reduzida deve ser administrada mais lentamente e titulada conforme a resposta. Quando DIPRIVAN é usado para manutenção da anestesia1 ou sedação5, a taxa de infusão ou “concentração alvo” também deve ser diminuída. Pacientes com Graus P 3 e 4 necessitarão de reduções adicionais na dose e na velocidade de administração. A administração rápida em bolus3 (único ou repetido) não deve ser utilizada no idoso, pois pode levar à depressão cardio-respiratória.


D) Sistema TCI Diprifusor



Indução e manutenção da anestesia1 geral

Em pacientes adultos com idade abaixo de 55 anos a anestesia1 pode normalmente ser induzida com concentrações alvo de propofol em torno de 4 a 8 mcg/ml. Uma concentração alvo inicial de 4 mcg/ml é recomendada em pacientes pré-medicados e em pacientes sem pré-medicação a concentração alvo inicial recomendada é de 6 mcg/ml. O tempo de indução com estas concentrações alvo é geralmente de 60-120 segundos. Concentrações alvo mais altas permitirão uma indução mais rápida da anestesia1, mas podem estar associadas com depressão hemodinâmica8 e respiratória mais pronunciadas.

Uma concentração alvo inicial menor deve ser usada em pacientes com mais de 55 anos e em pacientes com Graus P 3 e 4. As concentrações alvo podem então ser aumentadas na proporção de 0,5 a 1,0 mcg/ml em intervalos de 1 minuto a fim de se atingir uma indução gradual de anestesia1.

Analgesia suplementar geralmente será necessária e a extensão para as quais as concentrações alvo para manutenção da anestesia1 pode ser reduzida, será influenciada pela quantidade de analgesia administrada concomitantemente. Concentrações alvo de propofol na faixa de 3 a 6 mcg/ml normalmente mantêm anestesia1 satisfatória.

A concentração predita de propofol no despertar é, geralmente, na faixa de 1,0 a 2,0 mcg/ml e será influenciada pela quantidade de analgesia administrada durante a manutenção.


Sedação5 consciente para procedimentos cirúrgicos e de diagnóstico6

Em geral, serão necessárias concentrações sanguíneas de propofol no intervalo de 0,5 a 2,5 mcg/ml. O ajuste da concentração alvo deve ser titulado conforme a resposta do paciente para obter a profundidade de sedação5 consciente desejada.

Uma concentração alvo inicial no limite superior deste intervalo permitirá uma indução mais rápida da sedação5 consciente.

Uma concentração alvo inicial no limite inferior deste intervalo deve ser usada em pacientes idosos e em pacientes com Graus P 3 e 4.


Sedação5 na UTI

Em geral, serão necessárias concentrações sanguíneas de propofol no intervalo de 0,2 a 2,0 mcg/ml. A administração deve ser iniciada em baixa concentração, que deve ser titulada conforme a resposta do paciente para se obter a profundidade de sedação5 desejada.

Se o sistema TCI DIPRIFUSOR for utilizado para anestesia1, o mesmo poderá ser utilizado no período pós-operatório para sedação5 na UTI, com apropriada concentração alvo.


O sistema TCI DIPRIFUSOR assume que a concentração sanguínea inicial de propofol no paciente é zero. Portanto, em pacientes que receberam propofol anteriormente, a administração de uma concentração inicial menor pode ser necessária. Similarmente, o recomeço imediato da administração com o TCI DIPRIFUSOR não é recomendado caso a bomba tenha sido desligada e/ou trocada.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
2 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
3 Bolus: Uma quantidade extra de insulina usada para reduzir um aumento inesperado da glicemia, freqüentemente relacionada a uma refeição rápida.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.

Tem alguma dúvida sobre POSOLOGIA DIPRIVAN 1% E 2%?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.